Kleverson Levy

Para 'salvar' Biu, colunista diz que Arthur quer 'derrubar' Beltrão do Turismo

Agência Senado/Agência Câmara 9e74bd4d dd40 4d0a 81cd 0d29068a4fca Benedito de Lira e Arthur Lira

Em nota publicada na coluna Radar, da Veja online, o colunista Pedro Carvalho escreveu que o deputado federal Arthur Lira (PP), ao pressionar o presidente Michel Temer (PMDB) por cargos e espaços no governo, quer fragilizar o adversário de seu pai e atual senador alagoano, Benedito de Lira (PP), no pleito do próximo ano.

A questão é que o ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB), é pré-candidato ao Senado Federal, em 2018, e, um dos principais adversários do senador na disputa que terá duas vagas em 'jogo'.  

Com isso, Lira (o filho) quer "abocanhar a pasta do Turismo" que é do também deputado federal Marx Beltrão. 

"Arthur Lira, líder do PP e, consequentemente, um dos chefes do Centrão disse ao jornal Estado de S. Paulo que ou muda Ministério ou não vota nada. Na realidade, há um interesse familiar na pressão de Lira. Ele pretende derrubar Marx Beltrão do Ministério do Turismo. Beltrão é candidato ao Senado pelo PMDB em dobradinha com Renan Calheiros. Hoje, em Alagoas, a outra cadeira de senador que será posta em disputa é de Benedito de Lira, pai do deputado do PP. Ou seja, Lirinha quer fragilizar o principal adversário do pai na disputa", publicou Pedro Carvalho. 

Em Alagoas

Por outro lado, no âmbito local, o deputado federal Arthur Lira (PP) deu o pontapé - de oposicionista - na disputa de 2018. No mês passado, Lira destacou o chamado "acordo branco" existente entre o ex-governador Téo Vilela (PSDB) e o senador Renan Calheiros (PMDB).

O parlamentar explicou - como são os bastidores - que 'ficou claramente definido isso na eleição de 2014, quando Vilela abdicou por toda a sua base de apoio para apoiar uma candidatura que não logrou êxito. 

Leia mais aqui: Oposição pepista: o recado de Arthur Lira foi para quem?

Portanto, como sempre escrevo neste espaço, a eleição de 2018  vem sendo antecipada e iniciada desde 2017. 

A famigerada "máquina de moer gente" da política é usada - desde sempre - para impedir aqueles que queiram ultrapassar os limites e vontades dos que estão no Poder. 

O jogo sujo, os acordos espúrios, as conversas de escritórios, troca de favores e o "toma lá da cá" serão - sem dúvidas - parte de uma eleição bastante disputada. 

Eis que, 2017, antecipa descaradamente - sem tergiversar - um dos maiores embates políticos-eleitorais em Alagoas. 

Ressalta-se, também, que ainda há muita gente com sede de PODER e com medo de perder o PODER. 

Será?

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Lessa, HH e Cunha: o que eles têm em comum para 2018?

Fotos: Internet E63e3ddf 0441 464d 92b7 4f1cc392bc3e Ronaldo Lessa (PDT), Heloísa Helena (Rede) e Rodrigo Cunha (PSDB)

Se o que ocorre nos bastidores for - de fato - o palco da disputa de 2018, a ex-senadora Heloísa Helena (REDE), o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB) e o deputado federal Ronaldo Lessa (PDT) têm algo em comum. 

Os três - provavelmente - disputarão uma cadeira na Câmara dos Deputados, com assentos lá em Brasília, tendo apenas Lessa como candidato à reeleição. 

Pode ser que não, mas o eleitorado do trio é - praticamente - o mesmo na divisão dos votos de opinião (ou aqueles que mantêm coerência, consciência e justificativa ao votar). 

Lessa, ressalte-se, faz um mandato merecedor de notoriedade ao elevar suas defesas como parlamentar a ganhar destaque, inclusive, nacionalmente. Sem esquecer, claro, de boa parte dos servidores públicos que são seguidores de Ronaldo Lessa desde a época em que ele foi governador. 

Cunha, na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), é um deputado que segue a linha de coerência voltada sempre a consultar seus eleitores. Com isso, ganhou brilho próprio durante seu mandato na Casa de Tavares Bastos e se patenteia como um dos melhores entre os 27. 

HH mantém seu eleitorado fiel e tornou-se o nome da política alagoana que continua com a ética moral e preceitos políticos que não foram surrupiados, mesmo distante de mandatos. Todavia, pode atrapalhar os planos de muitos candidatos ao entrar na disputa eleitoral do próximo ano.

Ainda assim, nessa comparação público-eleitoral, dizem também que se encaixa o deputado federal João Henrique Caldas, o JHC, diante de sua imagem midiática explorada - principalmente - nas redes sociais.

Será mesmo? Veremos!

Por outro lado, ao que tudo indica, o pleito de 2018 será um dos mais difíceis em Alagoas. Quem quiser eleger-se ou reeleger-se terá que ter votos. Muitos votos! É o que já analisam os especialistas políticos no Estado.

Quem for disputar uma vaga à Câmara dos Deputados tem que angariar - em média - 160 mil eleitores para fazer o primeiro deputado federal numa coligação. Já para a Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) estima-se que acima de 56 mil votos elege o primeiro deputado estadual.

No entanto, o quociente (valor resultante de uma divisão) eleitoral deve aumentar em comparação ao pleito de 2014.

Lembrando que na eleição anterior, os vitoriosos foram JHC (PSB - 135.929 votos) - federal -  e Rodrigo Cunha (PSDB – 60.759 votos) - estadual. 

Portanto, sei que se Heloísa Helena, Rodrigo Cunha e Ronaldo Lessa foram disputar o cargo de deputado federal terão os mesmos (ou quase) votos dos eleitores considerados "formadores de opinião" nas maiores cidades - como Arapiraca, Palmeira dos Índios, Maceió e boa parte da região Metropilitana, por exemplo - que detêm esse público votante sem o famigerado 'troca de favor. ou toma lá dá cá'. 

É o voto consciente, de reconhecimento público, e confiança. 

Já o formador de opinião no marketing político...

"Não é aquele personagem com alto poder de consumo, mas aquele indivíduo com alto grau de percepção de sua realidade e alto grau de mobilização social - num clube, numa sala de aula, numa favela, num movimento social. Veremos o quadro partidário e político brasileiro evoluir - também no sentido moral - quando os partidos forem verdadeiramente abertos e democráticos, quando o processo eleitoral receber a força do voluntariado e da sociedade civil e, é claro, quando os partidos políticos e seus candidatos tiverem a consciência de que os eleitores já não desejam pirotecnia política e publicitária - mas apenas campanhas eleitorais honestas, planejadas e afinadas com o pensamento do cidadão comum", escreveu Marco Iten, especialista em marketing político e autor dos livros de Marketing Político 'Eleição - Vença a sua!' e 'Eleição de Deputados'.

 

Será?

 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

"Empecilho" para retorno de PT ao Palácio chama-se Renan Calheiros

Thiago Davino - Cada Minuto 14090965221269 Palácio República dos Palmares

Se há um imbróglio para que o Partido dos Trabalhadores (PT), em Alagoas, retorne ao governo Renan Filho (PMDB), o problema chama-se senador Renan Calheiros. 

Após um ano da saída da sigla petista da era RF, a reaproximação entre PT e PMDB passará pelo 'crivo' de uma decisão em ouvir a base na capital alagoana.

A Executiva Estadual decidiu por 9X7 participar do Governo com uma única corrente interna do PT que é a "Construindo um Novo Brasil (CNB)". 

Por conta disso, lideranças do diretório do partido em Maceió estarão se reunindo no próximo dia 11, no sábado, para decidir se há a necessidade de participar da administração peemedebista no Estado. 

O blog conversou com o professor Luizinho, membro da Executiva Estadual, onde o mesmo explicou que o problema para o PT  alagoano voltar ao governo de Renan Filho é sim o senador Renan Calheiros. Porém, disse o petista, é necessário que 'a base seja ouvida' antes de tomar qualquer decisão. 

"Essa manisfestação existe uma polêmica que é pelo fato do senador Renan Calheiros (PMDB) ter votado no 'Golpe'. Isso contrapõe as resoluções nacionais que diz para não fazer alianças com 'golpistas'. Então, como é polêmico, precisaria ser visto para que a base analisasse. No partido plural como o nosso, o PT, estranha o procedimento adotado pela Executiva Estadual. Sou membro da estadual e votei contra essa aliança PT-PMDB Alagoas. Portanto, os companheiros da municipal entedem que é preciso ouvir a base. A gente espera que essa decisão de Maceió repercuta nos demais diretórios municipais do Estado para que possamos ter um debate mais amplo sobre o conteúdo que está sendo discutido", ressaltou. 

Luizinho reforçou ainda que outro fator para que o PT não retorne se deve ao tempo em que o partido ficou no governo Renan Filho, pouco mais de um ano, sem apresentar mudanças. 

"Tirando a Executiva Estadual, as outras forças dentro do partido são contra a entrada do PT no governo Renan Filho. A questão é que o PT estava no governo, há pouco mais de um ano, e não foi feito um balanço da gestão. Na verdade, tem que haver uma balanço para mostrar mudanças dentro do governo  e, diante da política pragmática petista, para justificar o retorno. O processo, do nosso ponto de vista, inverteu", pontuou. 

Por fim, o professor reiterou ainda que apenas a corrente "Construindo um Novo Brasil (CNB)" quer fazer parte do Palácio República dos Palmares. Todavia, o diretório de Maceió - em sua maioria - quer do PT estadual o entendimento do manifesto realizado com lideranças históricas que solicita não tomar essa decisão antecipada. 

"A executiva estadual decidiu por 9X7 entrera no Governo com uma única força bancando isso que é a CNB. Já o entendimento da Executiva municipal é de que uma decisão do tamanho dessa é preciso passar pela base. A base precisa ser ouvida. Nessse sentido, a posição adotada pela municipal é mais coerente e mais correta do nosos ponto de vista. Por conta disso, haverá uma plenária com toda miliatância de Maceió, no dia 11 de novembro, para que todos se posicionem e façam o debate. Essa deveria ter sido a forma de condução do processo desde início. Esse é o conteúdo do manifesto que a gente fez com lideranças históricas do partido solicitando da executiva estadual que não tomasse essa decisão sem antes ouvir a base", concluiu Luizinho. 

Voto contrário

Recém-filiado ao PT, o o defensor público em Alagoas, Othoniel Pinheiro, se posicionou contra a entrada da sigla. Pinheiro explicou que o debate plural dentro do partido é necessário em respeito às opiniões e visões divergentes. 

"Posiciono-me contra a entrada do Partido dos Trabalhadores no governo do PMDB em Alagoas. Nesse contexto, queria registrar duas coisas: o debate plural que está ocorrendo no partido com o necessário respeito pelas opiniões e visões divergentes; e os meus parabéns pela atitude do PT de Maceió em convocar todos os seus filiados para no dia 11 de novembro tomar alguma posição sobre o caso. Por fim, gostem ou não do PT, vale dizer que na imensa maioria dos partidos em Alagoas não encontramos essa democracia livre e plural. Não há donos, negociantes de legenda e coronéis", comentou em sua página no facebook. 

Eis aí o verdadeiro problema - em casa - da aliança PT-PMDB para o governador Renan Filho. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Após reclamações, DER retira "quebra-molas" do Gunga

Foto: Cortesia F8401436 4661 46c5 858d 9c1ea37d754f Setrand retira "quebra-molas" do Gunga

Em menos de 24 horas, o Departamento de Estradas de Rodagem em Alagoas (DER/AL), orgão ligado à Secretaria de Estado de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), mandou retirar os "quebra-molas" próximos da entrada de acesso à Praia do Gunga, em Roteiro.

A matéria - Motoristas temem assaltos e desaprovam instalação de "quebra-molas" no Gunga - publicada ontem, 31, relatou que motoristas que trafégam pelo litoral sul estavam revoltados e desaprovavam a instalação do trio de lombadas no local. 

A insatisfação  e repercussão se dava por conta que os veículos seriam obrigados a reduzir a velocidade e, com isso, no período noturno, se tornaria um "prato cheio" para assaltantes que - outrora - já amendrontaram a população da região. 

O blog recebeu fotos e vídeos que circularam nas redes sociais mostrando máquinas no momento da retirada dos "quebra-molas". (ver abaixo)

Ontem, 31, o presidente do DER, Hélder Gazzaneo, explicou que a instalação das lombadas atendeu um pedido dos comerciantes que trabalham no Mirante do Gunga. Segundo Gazzaneo, desde dezembro de 2016, havia a solicitação para que o DER tomasse medidas enérgicas em acabar com os acidentes no local.    

Mesmo assim, Gazzeneo entendeu que a instalação causou insatisfação dos moradores do litoral sul e se comprometeu em encontrar uma solução para o problema causado. O que, de fato, aconteceu! 

Hoje, 01, o secretário de Governo de Coruripe, Maykon Beltrão, agradeceu ao secretário de Estado de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), Mosart Amaral, por atender às reivindicações feitas pelos moradores do litoral sul. 

"Com relação aos 'quebra-molas' no Mirante do Gunga e atendendo solicitações minhas, do deputado estadual João Beltrão e do ministro Marx Beltrão, o secretário Mosart acabou hoje (01) com as lombadas que estavam prejudicando os motoristas que trafegavam pela AL-101 sul. Desde ontem, 31, ouvindo os amigos, vereadores e toda população do litoral sul, revindicamos ao secretário a retirada por entender que a implantação causaria grandes transtornos e a volta de assaltos naquele local. Portanto, em nome do deputado João Beltrão e do ministro Marx Beltrão quero agradecer à equipe da Secretaria de Estado de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand) que, em menos de 24 hrs, atendeu ao nosso pleito", escreveu Beltrão em suas rede sociais. 

Em tempo: Fica aqui também o registro de agradecimento ao presidente do DER, Hélder Gazzaneo, que, gentilmente, deu uma resposta rápida à população do litoral sul, através deste espaço, ao mesmo tempo em que se manifestou com presteza no atendimento das reivindicações e resposta ao blog. 

Isso é jornalismo! 

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Motoristas temem assaltos e desaprovam instalação de "quebra-molas" no Gunga

Foto: Kléverson Levy Dd01dfed fe36 49e2 b577 abacd9549d51 Quebra-molas instalados na entrada do Mirante da Praia do Gunga

Desde ontem, 30, motoristas que trafégam pelo litoral sul de Alagoas estão revoltados e desaprovam a instalação de "quebra-molas" próximos da entrada de acesso à Praia do Gunga, em Roteiro.

O Departamento de Estradas de Rodagem em Alagoas (DER/AL) fixou três lombadas - distantes pouco mais de 150 metros uma da outra - antes, no meio e depois da curva para quem segue destino às cidades litorâneas do sul alagoano. 

A insatisfação se deve por conta que os motoristas serão obrigados a reduzir a velocidade e, com isso, no período noturno, vai se tornar um "prato cheio" para assaltantes que - outrora - já amendrontaram a população da região. 

Segundo o secretário de Governo de Coruripe, Maykon Beltrão, juntamente com o deputado estadual João Beltrão, foi feito o contato com o secretário de Estado de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), Mosart Amaral, para repassar às reivindicações feitas pelos moradores do litoral sul. 

Beltrão deu como sugestão - para atender também ao pedido dos comerciantes - uma fiscalização diurna com o agentes de trânsito do próprio DER. 

"A minha preocupação maior é, principalmente, com os estudantes da região. Diariamente, por exemplo, a Secretaria de Educação de Coruripe envia mais de dez ônibus para faculdades em Maceió. Sem falar nos estudantes que saem de Jequiá da Praia, Feliz Deserto, Piaçabuçu e até Roteiro. Muito deles retornam tarde da noite, por volta das 23hrs, e ao passar pelo Gunga estarão sujeitos aos bandidos que - sem dúvidas - vão praticar assaltos. Antigamente, na época em que a AL-101 estava esburacada, os assaltos eram constantes. Não podemos retroagir e permitir que a solicitação - apesar de justa - prejudique maioria da população. O DER precisa buscar uma solução que, repito, seria a fiscalização diurna com agentes de trânstio", disse Maykon Beltrão. 

Já em conversa com o presidente do DER, Hélder Gazzaneo, o blog foi informado que a instalação das lombadas atendeu a um pedido dos comerciantes que trabalham no Mirante do Gunga. Segundo Gazzaneo, desde dezembro de 2016, havia a solicitação para que o DER tomasse medidas enérgicas e acabar com os acidentes no local.  

"Atendemos a um pedido que estava na mesa do DER desde dezembro de 2016. Os comerciantes solicitavam a instalação de lombadas por conta dos acidentes que ocorrem - justamente - no Mirante do Gunga, por conta do fluxo de veículos e da visitação de turistas na região. A equipe de trânsito havia feito um estudo e entendeu que seria necessária a instalação das lombadas. Pelo visto não foi o ideal para o local, mas é um pedido dos comerciantes que relataram ainda que no verão (fluxo turístico) aumenta o tráfego e o número de acidentes", explicou . 

O presidente do DER entendeu também que a instalação causou insatisfação dos moradores do litoral sul que usaram às redes sociais para cobrar a retirada dos "quebra-molas". Hélder Gazzaneo reforçou ainda que estará se reunindo com o secretário Mosart Amaral e sua equipe de trânsito para encontrar uma solução que atenda a ambas partes. 

"Vou sentar, novamente, com minha equipe de trânsito para encontrar uma solução que possa atender a todos. Essa questão de assaltos não entrou na minha equação. Não sabia que existiam assaltos no mirante do Gunga.  Eu, enquanrto presidente do DER, não tenho intenção de provocar insatisfação e criar um problema. A nossa intenção foi pensando nos acidentes que foram relatados pelos comerciantes. Inclusive, marquei uma reunião com o secretário Mosart Amaral para decidirmos qual medida deverá ser tomada e, em seguida, implantar algo que seja viável e atenda aos comerciantes e moradores do litoral sul.", finalizou o presidente. 

Só para constar: ontem, 30, de acordo com informações repassadas ao blog, um motorista que passava pelo local - à noite -  se assustou com os "quebra-molas", perdeu o controle do carro e capotou. Ou seja, após a instalação das três lombadas (em menos de 24hrs) já registra-se um acidente, portanto, mais um agravante. 

Agora, é esperar quais medidas serão tomadas pelas autoridades responsáveis. 

Em tempo: vereadores do litoral sul (leia-se Coruripe e Feliz Deserto) também solicitaram uma reunião com o presidente do DER para debater sobre o assunto dos "quebra-molas" no Gunga. 

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

'Injustiçada', Thaíse Guedes virou alvo de ataques pessoais nas redes sociais

Foto: Facebook 61913381 f96a 44c5 a78c 7e9b367dfa60 Deputada estadual Thaíse Guedes (PMDB)

Após o episódio que levou a deputada estadual Thaíse Guedes (PMDB) ser indiciada pela Polícia Federal (PF), a parlamentar virou alvo de ofensas e críticas que não possuem relação ao que está sendo investigada sobre o desvio de recursos da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE).
 
Parece-me que, só o fato da parlamentar ter ido até a sede da PF, espontaneamente, e sem qualquer intimação, além de dispensar o uso da sua prerrogativa parlamentar que possibilitava ser ouvida em data, local e hora a ser definido, diferencia a mesma dos demais investigados, mostrando um trato diferente às instituições, transparecendo ser uma tentativa de esclarecer tais referidas acusações.

Neste caso, vale lembrar ainda que no nosso do Estado de Direito é a presunção de inocência que permanece. Pelo que se revela, as investigações começaram recentemente, ou seja, segundo Vladimir Aras, “Não significa nada dizer que alguém foi indiciado”. Ao menos agora! 

Leia sobre o assunto: Não significa nada dizer que alguém foi indiciado”, por Vladimir Aras

A despeitos dos graves fatos investigados e que devem ser clareados, o que se lê, são comentários negativos - contra a deputada - dissociados do caso, em um ato desumano (ou humano) por conta de sua deficiência física. É lastimável!

Os comentários chegam a ser considerados inapropriados pelos próprios internautas, visto que alguns aproveitam-se de um erro médico praticada ainda na infância para atacar a parlamentar.

Pelo que se sabe, as investigações iniciaram há alguns meses e vinham sendo conduzidam com discrição, o que trazia tranquilidade para buscar provas para os crimes apontados, sem criar palanques.

Porém, com as entrevistas recentes, certamente, o delegado que, de fato preside o inquérito, terá mais trabalho, visto que, se algum parlamentar, tinha o interesse em prestar esclarecimentos espontaneamente, isso, não mais acontecerá.

Aliás, ontem, 30, os deputados Val Gaia (PSDB) e Severino Pessoa (PSC) foram convocados para depor e não compareceram à PF. Leia também: Deputados poderão ser conduzidos coercitivamente para prestar depoimento à PF

O resultado do indiciamento da PF - ação de reunir indícios sobre certa pessoa suspeita de um crime – poderá ser enviado ao Ministério Público Estadual (MPE-AL) que oferecerá ou não a denúncia.

O que disse a defesa?

Numa conversa com o advogado da deputada, Dr. Luiz Vasconcelos Netto, o Blog obteve alguns apontamentos sobre o caso e que, segundo o mesmo, não houve a devida atenção por parte da imprensa.
 
Em tese, vários pontos ainda precisam ser esclarecidos nas investigações que se atêm ao período entre 2010 e 2013, onde servidores receberam os salários indevidos:
 
1 - A notícia investigada, decorreu do cruzamentos de endereços, onde ficou constatado que os funcionários eram, também, beneficiários do programa federal Bolsa Família;

2 - A responsabilidade, consoante aponta o Advogado, se houve recebimento indevido, recai nos beneficiários, visto que foram eles que sonegaram essa informação quando da nomeação para o cargo;

3 - Os funcionários são pessoas que trabalharam com a deputada, e, portanto, não podem configurar como "fantasmas";

4 - Algumas decisões acerca de salários são tomadas pela Mesa Diretora, a qual a deputada não fazia parte em seu primeiro ano de mandato;

5 - A conferência de documentação, a nomeação de servidores e publicação em Diário Oficial, são de inteira responsabilidade do departamento pessoal da Assembleia - não do parlamentar;

6 - O montante que a PF investiga relacionado ao seu gabinete, se refere a importância de pouco mais de 220 mil, não os 15 milhões citados amplamente pela imprensa;

 7 - O indício que leva ao número de 25 crimes, é referente a soma dos recebimentos de um ano de salário de um funcionário (12 meses) + um ano e um mês de outros dois (13 meses).

Portanto, se houve a prática do crime, que se pague por isso!

Entretanto, ao que se evidencia, a boa vontade da deputada em comparecer à sede da PF, criou um palanque dos mais ornamentados para alguns atraírem holofotes e promoverem-se.

Segundo a assessoria da deputada, a mesma seguirá atuando em benefício do povo alagoano, ao mesmo tempo em que, "continuará colaborando com os órgãos de investigação, a fim de que tudo seja esclarecido o quanto antes".

Quanto às redes sociais, sabemos que é um espaço amplo de críticas e informações "sem controle" que miram até os ataques pessoais. Isso sim é 'injustiçar' qualquer cidadão que seja por conta de sua deficiência física, não apenas a Thaíse Guedes. 

Com um trabalho voltado ao assistencialismo, essa oportuna evidência das investigações, às vésperas do ano eleitoral, aproveita-se à quem? 

Em tempo: o blog está de volta!

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Regresso à política: Célia Rocha quer retomar liderança no agreste

Foto: Facebook 22d533c1 c8f0 404d 8645 d1aa18a71569 Regresso à política: Célia Rocha quer retomar liderança no agreste

Desde que a ex-prefeita de Arapiraca, Célia Rocha (agora no PTC), decidiu não disputar sua reeleição à Prefeitura do agreste, em 2016, ficou um 'vazio' de liderança no município.  

Mesmo  com o andamento dos dez meses da gestão do atual prefeito, Rogério Teófilo (PSDB), os eleitores ainda não conseguiram tratá-lo como um forte nome que substituísse – politicamente – a simpatia, o carisma e a gestora que sempre foi a ex-prefeita.

É inevitável que Célia Rocha também mantém um eleitorado fiel na terra de Manoel André. Fora dos bastidores da política desde o pleito do ano passado, Rocha havia se ‘calado’ quanto ao seu futuro político.

Porém, após o "chamamento dos eleitores" para que reveja 2018 de forma a entrar no pleito, Célia decidiu que vai disputar um ‘assento’ na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) ou, quem sabe, na Câmara Federal - o que depende ainda do senador Fernando Collor (PTC).

CR voltou à cena política. Na semana passada, a ex-prefeita participou de várias entrevistas nas emissoras de rádio de Arapiraca. Com isso, deixou bastante claro que seu regresso à vida pública - após o silêncio - não demorou tanto tempo quanto achavam seus adversários.  

“Hoje meu dia foi intenso, com uma série de entrevistas nas rádios, jornais, sites, todos de minha querida Arapiraca. Agradeço a receptividade dos meus amigos radialistas Nelson Filho, José Rocha e Ailton Avilis ( vou ter que voltar lá na segunda, porque faltou energia na hora); além da turma boa do 7 Segundos. E amanhã tem mais: vou para a 96 FM, com Isve Cavalcante. Agradeço também a todos que participaram com ligações e mensagens. Estou muito feliz!”, escreveu Célia em sua página no Facebook na sexta-feira, 27.

A ex-prefeita – ao que se vê – vai querer  retomar seu posto de líder conquistado em 30 anos de vida pública como prefeita, vereadora e deputada federal.

Seja qual for o cargo eletivo que venha disputar em 2018, a exemplo de deputada estadual ou federal, a ex-prefeita terá sim os votos dos eleitores arapiraquenses que cobram seu retorno à política do agreste.  

Será?

Em tempo: o blog está de volta!

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Pré-candidata à ALE, Garrote vai "galgando" espaço no agreste

Foto: Site da Câmara de Palmeira dos Índios 64dfd944 e8ff 4c00 b986 0aee06e21247 Ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote (PP)

É notória a "briga" por espaço que a ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote (PP), busca no agreste de Alagoas para consolidar sua pré-candidatura à Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), no próximo ano. 

Garrote, sem dúvidas, será - mais uma vez -  candidata a deputada estadual (em 2018) melhor do quando foi na eleição de 2014. 

Além de contar com o filho e prefeito de Estrela de Alagoas, Arlindo Garrote (PP), a ex-prefeita tem como 'parceiro' o prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar (PSB), e concentra alguns votos em cidades agrestinas como Arapiraca, Feira Grande e Minador do Negrão, por exemplo. 

Na terra de xucurus-kariris, Garrote ainda conseguiu eleger o filho e atual vereador, Toninho Garrote (PP), como o terceiro parlamentar mais votado com 1,754 votos (4,56% válidos). Essa votação, dizem os mais próximos, se deu ao empenho da mãe-Garrote pelos serviços prestados na cidade. 

Já na eleição de 2014, a pepista obteve 13.782 votos (0.96% válidos) à ALE - ficando na suplência da Coligação "Juntos com o Povo pela Melhoria de Alagoas".

Só em Palmeira dos Índios, Ângela 'arrancou' 3,914 votos  (11,32% válidos) e garantiu a segunda colocação como a mais votada no município. 

Fora isso, Ângela Garrote vem participando - cotidianamente - de vários eventos públicos na região do agreste e Alagoas para ganhar visibilidade política, atraindo mais eleitores do que o pleito anterior, na tentativa de chegar eleita na Casa de Tavares Bastos em 2018. 

Será? 

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Entrega de comenda a ministro foi 'declaração' de apoio para 2018

Foto: Assessoria MB Dd85e27f e9f8 4b91 b5f0 67fe78cc65b8 Entrega da Comenda Governador Afrânio Lages ao ministro e deputado federal Marx Beltrão

A entrega da Comenda Governador Afrânio Lages ontem, 23, ao ministro e deputado federal Marx Beltrão (PMDB), foi um reconhecimento pelo trabalho, investimentos e avanços do turismo na capital alagoana graças ao empenho do deputado-ministro em Brasília. 

Por outro lado, a proposta do vereador Eduardo Canuto (PSDB) e aprovada por unanimidade na Câmara de Municipal de Maceió, também serviu para mostrar ao ministro alagoano que - dos 21 vereadores da Casa de Mário Guimarães - nove (9) estão "fechados" com ele para 2018. 

Estavam lá: Samyr Malta (PSDC), Francisco Sales (PPL), Galba Netto (PMDB), Tereza Nelma (PSDB), Davi Davino (PP), Siderlane Mendonça (PEN), Dudu Ronalsa (PSDB); o presidente da casa,  Kelmann Vieira (PSDB), além de Canuto. 

Isso ficou claro, principalmente, com a declaração do presidente da Câmara de Vereadores de Maceió, ao usar os microfones antes do encerramento da sessão solene, occorrida no auditório da Associação Comercial de Maceió. 

E o que disse o vereador Kelmann Vieira:

"O Povo de Maceió vai ter cada um de nós [eles, os veradores, acredita-se] trabalhando para mostrar que é hora de colocar, lá em Brasília, pessoas como Vossa Excelência que cuida de Maceió, cuida de Alagoas e que sabe honrar a palavra que o senhor dá a cada um político. Não estamos aqui dando essa honraria porque nenhum de nós seremos candidatos não e queremos seu apoio. Nós estamos dando essa honraria pelo que Vossa Excelência faz por Maceió. O que nós precisamos é de pessaos sérias", comentou. 

Por fim, o presidente da Casa de Mário Guimarães - em tom de recado - deixou claro que o apoio dele e de seus colegas parlamentares (o G9?) ao ministro-deputado se deve pelo compromisso que muitos não reconhecem por inveja do trabalho de Beltrão. 

"Já vimos ministro deixar de empenhar obra para não ajudar um município que não o apoiava. E o ministro Marx Beltrão nunca. Em momento algum. Muito pelo contrário, em quantos muitos criticavam da nossa aproximação, o que ele faz:  ele trabalha e garante recursos para Maceió. Muitos, ao invés de reconhecer o trabalho que Vossa Excelência faz por Maceió e Alagoas, começa a ter inveja do seu sucesso.  Nós [vereadores] não fazemos política com inveja das pessoas. Nós queremos o seu bem e o melhor para Maceió e Alagoas", finalizou Vieira. 

Portanto, para quem serviu o recado? 

Não sei!

Sei que no evento apareceram ainda os deputados estaduais Dudu Holanda e João Beltrão (o pai do ministro) e Marcelo Vitor (todos do PSD) - em nome da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas, como também, prefeitos, vereadores, empresários e pessoas ligadas ao Trade Turístico de Alagoas. 

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Ronaldo Luz: o vereador que foi e voltou!

Ascom CMM/Arquivo Bed866ba 60b5 4f62 811c 948770fb099a Vereador Ronaldo Luz

Na semana passada, depois que sua imagem perante sociedade e imprensa ficou negativa, o vereador Ronaldo Luz (PMDB) - por Maceió - foi e voltou em suas declarações sobre o homossexualismo.

Primeiro, Luz disse direto da Tribuna da Câmara de Maceió que homossexualismo é doença, causando enorme repercussão até nas redes sociais.

Leia também: Em nota, vereador que afirmou que homossexualidade é doença pede desculpas

Em seguida, ao se retratar diante da "zuada" que ele mesmo causou, o parlamentar respondeu que tudo não passou de um mal-entendido causado por “interpretações equivocadas” em sua fala.

Portanto, como disse a jornalista Vanessa Alencar: "Pode até ser que ele tenha se expressado mal, mas não houve interpretação equivocada. O dito foi dito". E ponto final!

Não só os nobres políticos mas, principalmente eles, devem se "policiar" no que dizem ao usar os microfones. As redes sociais não perdoam.

Os vídeos e áudios gravados são irretratáveis.  

Que sirva como lição (ao vereador também).

Boa semana. Vida que Segue!

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com