Raízes da África

Já disse que você tem que ser comportar como um macho, não como uma mulherzinha.- disse o Pai ao menino.

4e6c5d51 57a2 4240 ad79 71db3afd98e9

 

 

 Tarde de quarta-feira, perdida entre os livros na prateleira em uma loja de Maceió, ouvi de longe o entusiasmo na voz infantil , pontuada de exclamações:- Meu Deus, esse livro é lindo! Ai, e a história desse é ma-ra-vi-lho-sa!
Achei aquilo tão inusitado que me voltei curiosa para conhecer a personagem, com tão completo encanto literário. Pensei em encontrar uma meninazinha, entretanto, para minha surpresa, ao me virar deparei-me com um meninozinho de uns 8 anos. 
Fiquei surpresa, sim, pois apesar de ter um corte de cabelo masculino, vestir roupas masculinas e etc e tal, aquele menino-de-ci-di-da-men-te era uma menina.
O jeito de falar,os trejeitos, tudo lembrava uma pessoa de outro sexo. E aquele menino não imitava ninguém, a alma feminina nele era tão natural, tão exposta, que causava um certo impacto ele não ser uma menina.

No meio das minhas elucubrações saindo não sei de onde, aparece um homem, com aspereza na fala, que grita com o menino:

-Já disse que você tem que ser comportar como um macho, não como uma mulherzinha. Você tem que aprender a falar como homem, e, retirando bruscamente o livro das mãos do menino- E vamos parar com essa coisa de tanta leitura. E pegando o braço do filho, diz: Vamos ali que preciso lhe ensinar o que é ser homem.
Fiquei ali observando o quarteto, tinha mais uma menina e outro menino. Eram parecidos, não soube precisar se eram irmãos, mas, fui embora com uma certeza: das dores e sofrimentos pelos quais aquela criança vai ser submetida,pelos caminhos do crescimento.
Espero que  um dia o pai a acolha e a respeite. Ensinando ainda a se defender das malvadezas do mundo.
Assim como o pai dele, a vida vai maltratar o  meninozinho.

 

 

(...) A vida de pret@ não tem relevância nenhuma, não causa comoção social, não move instituição jurídica, mas, a galinha da religião de pret@. “Ah, essa vida precisa ser protegida!"

0d09904a 17ca 4bbb a3b9 e5fd0e29eb74

 

Trecho da defesa do Dr Hédio Silva Jr, na ocasião do julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 494601 (votação sobre a proibição de sacrifícios de animais em cultos de religiões afro), Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) - 09 de agosto de 2018.

"...Eu começo dizendo que prestei atenção nas sustentações (que me antecederam)... não só nas narrativas como também nos sapatos dos narradores, e por acaso os sapatos dos narradores são todos sapatos de couro. Há aqui um fenômeno que talvez a psicologia chamasse de esquizofrenia: você faz um discurso inflamado em defesa dos animais calçando sapatos... DE COURO?... Estamos tratando aqui de uma hipocrisia (...) o que esta Corte já chamou de RACISMO RELIGIOSO... o Brasil tem o maior rebanho bovino do planeta (...) segundo o Ministério da Agricultura a cada segundo a industria do agrobusiness abate 180 frangos, um porco e um boi... portanto esse período que estou importunando vossas excelência dá uma ideia da carnificina que pode ter ocorrido (...). Há estatísticas no Brasil que comprovam que nas periferias das cidades jovens negros são chacinados como animais, mas não há comoção na sociedade brasileira, não vejo instituição jurídica ingressar com medida judicial para evitar que jovens negros sejam mortos como cães nas periferias.. mas a GALINHA DA MACUMBA... parece que a vida da galinha da macumba vale mais do que a vida de milhares de jovens negros. É assim que a vida de Preto é tratada no Brasil... a vida de Preto não tem relevância nenhuma, não causa comoção social, não move instituição jurídica... mas A GALINHA DA RELIGIÃO DE PRETO, 'Ah, essa vida precisa ser protegida!' "

Fonte: internet

César Maia e Miro Teixeira impedem candidaturas políticas de representantes dos terreiros de Candomblé, no estado do Rio de Janeiro.

9a47b9d4 8e15 42bc a506 e7a1c54e1795

Segundo representantes da religião de matriz africana do estado do Rio de Janeiro, de  forma abusiva e arbitrária o candidato ao Senado, o deputado federal  Miro Teixeira barrou a candidatura na disputa eleitoral do Ogan Marcelo Monteiro, ao Senado pela coligação “A Força que vem do Povo” (PODE, REDE, PR e PPL) e o  vereador e ex-prefeito do Rio de Janeiro César Maia (DEM)  impediu a candidatura do Babalaô  Ivanir dos Santos (PPS).

Os representantes afirmam, ainda, que Miro quer ser o único candidato da coligação, que comanda composta da REDE, PODEMOS E PPL .

O impedimento  causou revolta entre membros de diversas representações negras, dentre eles, dos Povos Tradicionais de Matrizes Africanas – (Brasil), que se posicionaram:

“Apesar de não encontrar uma explicação plausível, gostaríamos de salientar que, numa jogada autoritária, o também candidato ao senado Miro Teixeira – de olho nos currais eleitorais das igrejas, que podem elegê-lo com folga – impediu que o Ogan Marcelo pleiteasse sua candidatura para disputar uma das vagas ao Senado nas próximas eleições. A pré-candidatura ao Senado havia sido deferida pelo Partido Pátria Livre este ano, e vinha crescendo em todas as regiões do Estado do Rio de Janeiro.”

Segundo  o Babalaô  Ivanir dos Santos: “César Maia (DEM) acha que disputa o segundo voto de Flávio Bolsonaro com Arolde de Oliveira e Chico Alencar e o Ivanir receberia o segundo voto de Chico e toda esquerda. 

Para eliminar essa possibilidade, eles resolveram lançar Aspásia Camargo, com poucas chances de vitória o que garantiria a eleição dele. "Precisamos denunciar este tipo de crime contra a democracia e lutar para que as minorias sejam representadas na política"
, declarou Ivanir indignado.
 

E os Povos Tradicionais de Matrizes Africanas, questionam: “A quem interessa impedir que um representante dos terreiros de Candomblé do país inteiro seja candidato? Esta é a pergunta que devemos nos fazer para todos os setores da sociedade, comprometidos com a defesa dos Direitos das minorias e das classes populares. Exigimos respeito. Este não é o tratamento que os partidos políticos que nos querem como seus quadros devem"

 O Fórum como repúdio , lançou uma Carta aberta aos Povos Tradicionais e aos Defensores dos Direitos Humanos – Brasil e América Latina

 

 

"Essa merda de pós-parto é irritante"- afirmou Cardi B, 25 anos.

18a16298 2b8f 431d 8862 c6b660230f81

Uma das maiores rappers da atualidade, Cardi B, 25 anos, falou em suas redes sociais sobre  o sentimento pós-parto, do nascimento de sua filha, Kulture Kiari, fruto de sua relação com o rapper Ofsset.

"Essa merda de pós-parto é irritante. É como se eu estivesse emotiva o dia todo sem razão (sic)."

"Deixa eu voltar para as coisas de mãe. Vou dizer uma coisa para vocês. Não importa quantos livros você leia, quando conselho você receba, você nunca estará pronta para o modo mamãe".

Assim como Cardi B, outras famosas já falaram sobre suas experiências pós-parto nas redes sociais, inclusive do sofrimento com a depressão.

O nome Kulture Kiari foi escolhido em homenagem ao pai, cujo nome de batismo é Kiari kendrell Cephus.

A criança nasceu  no dia 10 de julho deste ano

Fonte: Com informações da Folhapress.

Cineasta procura histórias de mulheres . Uma delas pode ser a sua.

D846a389 81f0 4920 96a0 6fac8a51a906

Como a  iniciativa é muito importante e interessante, o blog compartilha. Você conhece alguém ou passou epla experiência? Entra em contato.

A cineasta Ana Muylaert, diretora do filme Que horas ela volta? busca histórias reais de meninas que acessaram o ensino superior através dos programas de acesso que transformaram as universidades brasileiras na última década para a realização do documentário JÉSSICAS.

Aconteceu com você?

Conhece alguma amiga que conseguiu romper o ciclo histórico de poucas oportunidades de estudo e ingressou no ensino superior pelo PROUNI, COTAS ou FIES ?

Valem histórias de profissionais já formadas que estão no mercado nacional ou já ganharam o mundo e priorizo mulheres fora do eixo RJ-SP

 OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Por já ter encontrado muitas profissionais de humanas, priorizamos também histórias de profissionais de Ciências Exatas e Biológicas (medicina, tecnologia, engenharias, pessoal do mundo digital, da aeronáutica, computação... etc).

Envie um inbox contando sua história para a repórter Flávia Martinrlli ttps://www.facebook.com/flavia.martinelli.10

ou  na página:

https://www.facebook.com/jessicasofilme

 

O menino começa uma batalha de rimas e conta histórias.

5566f5b1 049e 4b1a be02 4f385945d97a

Ele é um menino como todos os outros que estão ali com ele. Quase todos têm 17 anos. E todos cometeram alguma espécie de delitos.

Eles falam de saudades e a vontade de recomeçar caminhos, mas, ao mesmo tempo reconhecem que não vai ser fácil.

“Quando sair quero arrumar trabalho, construir família, seguir em frente. Seguir a vida...”

Poucos falam em estudar. A vida deles não comporta o “sonho”.

Sim, eu sei que estou aqui dentro para  pagar um ato,mas será que o “cara”, não merece outra chance?”

São 30 adolescentes. 30 vidas interrompidas. 30 vidas, agora, socioeducativas e participam da Prosa de Menino para Meninos, na Roda de Conversa:”No Julho das Pretas Quem Vai Cuidar dos Nossos  Meninos?”, que aconteceu na Unidade Socioeducativa Masculina, no Tabuleiro do Martins em Maceió,AL, dia 27 de julho.

Uma ação idealizada pelo Instituto Raízes de Áfricas, com o apoio da Secretaria de Estado de Prevenção a Violência e Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social.

O que é ser socioeducativo?- Pergunta o menino ao Gelson Henrique, prosador: Carioca, 19 anos, Preto, um jovem ativista do Rio de Janeiro que dialogou com os meninos.

A gente é potência. Somos capazes de ir além, mesmo que  a sociedade não nos queiram, nós vamos sair daqui”- fala outro menino.

Alguns sonham. Outros falam na real:”Ando meio deprimido. Está aqui dentro não é fácil.’

“Meu pior dia é o dia de visita. Fico olhando apar aquele portão e ninguém vem me vê. Sei que não é falta de interesse. É que a família do “cara” não tem condições e não tem o dinheiro do transporte.”

E a conversa entrou em esquinas e muitos becos, até que o C. teve  a idéia de começar uma batalha de rimas e  a tensão do ambiente se diluiu por entre palavras, desafios e empolgantes gargalhadas.

Eu falo pra vocês que um dia eu vou cantar e meu sonho realizar-diz C.

Eles,ainda sonham...

Na Convenção do PT/AL, Paulão cobra a Renan Filho(MDB), atenção em relação à política da igualdade racial, em Alagoas.

F7368a97 1c22 4c00 9444 c92e9326ccf7

Na Convenção do Partido dos Trabalhadores realizada no domingo, 29/07, no Clube Fênix Alagoano, no bairro de Jaraguá, o candidato a reeleição, Paulo Fernandes, o Paulão cobrou do governador do estado, também candidato a reeleição, a efetividade da política para a igualdade racial, que no estado é inexistente.

“A população negra e periférica vive em permanente estado de vulnerabilidade e está morrendo,. É importante que o Governo assuma o compromisso com as  políticas afirmativas e  que promova a real inclusão.A vida da nossa juventude preta importa Governador”- sintetizou Paulão.

A Convenção contou a presença de lideranças da sigla e de partidários.

Polícia confunde neta de Bob Marley com ladrão.

346aaebc 9fd4 4a38 9bde b657dba8d987

Donisha Prendergast, filha de Sharon Marley e  neta do músico Bob Marley vai  processar o departamento de polícia da Califórnia depois que policiais confundiram ela e seus amigos com ladrões. O Departamento de Polícia de Rialto, cidade californiana do condado de San Bernardino, foi notificado na última segunda-feira após o incidente que aconteceu no dia 30 de abril envolvendo Prendergast e seus dois amigos, todos negros, de acordo com o New York Daily News.

De acordo com o jornal americano, Prendergast e seus amigos foram vistos carregando bagagens em seu carro do lado de fora da casa que havia sido alugada através do Airbnb e um morador local ligou para a polícia porque não "reconhecia o veículo ou as pessoas como vizinhos ou proprietários".

A polícia chegou e confrontou o trio, explicando que um vizinho viu "três negros roubando coisas", segundo o New York Daily News.Como se tivesse invadido a casa e pegado coisas”, é o que se pode ouvir de um policial em vídeo postado por ela no Instagram. Depois de cerca de 20 minutos de debate, a polícia acabou aceitando que o grupo era “locatário da Airbnb e estava na residência como convidado”, disseram os agentes."Fui cercada pela polícia por ser negra em um bairro branco", escreveu Prendergast em um post do Instagram no dia 1º de maio com o vídeo do incidente. “Estou triste e irritada ao ver que o medo ainda é o primeiro lugar que os policiais vão atender em sua busca para servir e proteger, ao ponto que o protocolo substitui sua capacidade de discernimento", completou a Prendergast, de 33 anos.

Ela é filha de Sharon Marley e compartilhou pelo Instagram toda a abordagem.

Fonte: https://extra.globo.com/famosos/neta-de-bob-marley-confundida-com-ladrao

Instituto Raízes de Áfricas solicita apoio do Judiciário para realização do Ciclo de Debates: “A Justiça Humanizando Direitos".

07d06fd7 2d9f 4767 a419 374d4965e7ef

Na manhã da segunda-feira, 30//07, a coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas,Arísia Barros,  participou de uma importante reunião, no gabinete do  representante do Tribunal de Justiça,desembargador Washington Luis.

A reunião aconteceu na sede do Tribunal de Justiça  e durante  uma  conversa , extremamente produtiva, Arísia Barros  apresentou o Instituto e as ações realizadas em prol da igualdade de direitos da população preta, dentre elas os momentos de humanização no Presídio Santa Luzia.

Aproveitando a ocasião, a coordenadora  propôs ao desembargador a  realização do Ciclo de Debates: A Justiça Humanizando Direitos, com o apoio institucional do TJ.

Washington Luis teceu eleogios ao ativismo social do Instituto, como também  se comprometeu a interceder junto a presidêncai do TJ para que a ação aconteça.

O projeto que  o Instituto traz é muito bom, de grande relevância. Comprometemos-nos a encaminhar e acompanhar o processo. É importante que o poder Judiciário participe desse processo de  humanização e efetivaçã na prestação adequada da solução de conflitos sociais.

A previsão do Ciclo de Debates é que ocorra ainda no segundo semestre de 2018.

Asilo de São Paulo procura familiares de alagoano vitima de AVC.

C962fdc8 db99 4bbc a545 3dc6fd1adb3f

Um asilo no interior de São Paulo, na cidade de Serra Negra fez o acolhimento de um senhor que diz ser de Maceió.

Segundo conta, ele saiu do estado de Alagoas para trabalhar em São Paulo e há cerca de 3 meses teve um AVC ficando impossibilitado de desempenho para funções.

Foi o companheiro da obra quem o levou para o Pronto Socorro, entretanto, não tem maiores informações sobre o senhor. Afirmam que ele é de Maceió.

Quem sabe você não o conhece?

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com