Raízes da África

Maria do Carmo, a última escravizada no Brasil, morreu aos 129 anos.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Maria do Carmo Gerônimo nasceu  em Carmo de Minas,no estado de Minas Gerais, em 5 de março de 1871, poucos meses antes da "Lei do Ventre Livre'.
Sua mãe era Sabrina,escravizada por  Luiz José Monteiro de Noronha.
Mesmo tendo nascido no advento da Lei do Ventre Livre, Maria do Carmo foi escravizada ,até a idade de 17 anos, quando da 'abolição' da escravatura no Brasil. ,  
Passou  setenta anos de  sua vida servindo  à casa grande, como babá e doméstica.
Estigma contemporâneo da escravização de  pretas.
Maria morreu faz 20 anos. No ano  2000.
E a vida de Maria  nos conta como a escravatura  no Brasil é uma história recente e viva.
Salve, Maria do Carmo Gerônimo, a mineira.
Salve, Maria!


Fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_do_Carmo_Ger%C3%B4nimo 
 

Um dos primeiros casos da covid 19, em Maceió, aconteceu, no mês de fevereiro,logo após o carnaval.Nem a SESAU sabe disso.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O rapaz é garçom e trabalha em eventos fechados, e no mês de fevereiro, logo após o carnaval apresentou todos os sintmas da covid 19.
Ele fala que sofreu com dores terríveis:" -Parecia que todos os ossos foram triturados por algo grande e pesado, um caminhão para dar exemplo."
Quando foi ao médico, a covid 19 ainda não era assunto em pauta  em Maceió,AL. e o profissionl de saúde falou em virose forte e  medicou o rapaz.
Ele fala que levou muitos dias para a recuperação total. O médico pediu que cuidasse da obesidade ,e agora o rapaz é adepto  de  caminhada, e cumpre o isolamento social.
"Eu sei o que sofri"- afirma  o rapaz.
E, no auge da pandemia descobriu que foi um dos primeiros casos de contaminados pela covida 19 e recuperado, em Maceio,AL. E nem a SESAU sabe disso.
Subnotificação?.

 

O advogado,Mirabel Alves é vitima de crime de difamação. Na internet.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O advogado Mirabel Alves, Superintendente de Direitos Humanos da Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas  é alvo de crime de violação da imagem e difamação, na rede  social.
Um perfil fake do  advogado foi feito no  facebook e algumas postagens infundadas estão sendo, fartamente, distribuídas e divulgadas.
Extremamente, constrangido o advogado alerta às pessoas que assim como o perfil, as postagens são fake e que medidas, na forma da lei, já estão em andamento,para reparação pelos danos causados.
Mirabel, afirma, ainda que mesmo sendo livre, a internet não é uma terra sem lei. e cita artigo de  crime cibernético, que expôs indevidamente sua imagem, no ambiente virtual: espalhar boatos eletrônicos sobre pessoas (difamação artigo 139).
'A internet não é uma terra sem lei'-reafirma.

Alagoas está preparada para superar a crise econômica, após a pandemia?- perguntei a George Santoro, o secretário da Fazenda.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na tarde desta quinta-feira recebi um telefonema do secretário de estado da fazenda, George Santoro e uma boa conversa trouxe à baila assuntos diversos, desde o acometimento da doença, à questão do isolamento social, a vulnerabilidade financeira do povo ,a possível adoção do Tranca Rua ( lockdown) e Anita.
Conversamos ainda sobre a política nacional e consequentemente, a questão do desgaste no panorama atual,do tecido econômico do estado.
Perguntei a Santoro,se Alagoas terá como superar a crise economica, pós pandemia e suprir as carências da população menos aquinhoada.
George levantou uma reflexão importante  sobre as políticas econômicas públicas, especialmente as realizadas pelo Estado ,o contexto das  carências sociais, a complexidade da pandemia, suas consequências adversas, mas,afiirmou que mesmo  dentro do atual  ambiente desafiador,Alagoas terá fôlego para retomar os  caminhos de desenvolvimento- disse.
"Estamos trabalhando, firmemente,  para isto- acrescentou.


 

E, novamente,em um curto espaço de tempo, mais duas pessoas cometem suicídio.Em Alagoas.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Tem feito tempos  difusos,confusos,difíceis.
Sim, estamos em uma pandemia que exige o isolamento social.
Faz mais de dois meses que a lei é "Fique-em-casa". Cada qual no seu quadrado.
E esse isolamento tem propiciado, para muita gente,uma intimidade perversa  com medos que povoam almas e cabeças, despertando os fantasmas do adoecimento mental.
O adoecimento mental aparece de jeitos diferentes em pessoas diferentes,e, em algumas levam ao suícídio.
E, tem muita gente morrendo, por suicídio, bem antes da  pandemia.
Concomitantemente com o trato  com a covid 19, o Governo do estado de Alagoas tem a obrigação de realizar um investimento sério/responsável na criação de políticas públicas eficazes e eficientes de prevenção e combate  ao suicídio.
Não dá mais para esperar, o setembro amarelo.
É para  ontem!

Hoje é dia nacional do auxiliar e té[email protected] de enfermagem. Cadê os aplausos?

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

[email protected] são a base estruturante da assistência à  saúde, e, em épocas de pandemia estão na linha de frente, mesmo que invisíveis aos olhos da elite da área de saúde.
São  profissionais que trabalham nos "bastidores", muitas vezes obscuros ao  reconhecimento profissional e popular.
Lidam no dia-dia com jornadas  de trabalho exaustivas e salários muito, muito baixos ,apesar da extrema importância nos cuidados para  manuntenção da saúde de [email protected]
E no dia de Anna Nery,( pioneira da enfermagem no Brasil e falecida em 20 de maio de 1880, no Rio de Janeiro), [email protected] profissionais da saúde, que também vestem branco, merecem aplausos.
Aplaudiu?!

Tem o carro do ovo, e também tem o carro da máscara de tecido,por 5 reais.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Em  mais uma manhã de isolamento social, no bairro da Jatiúca, em Maceió,AL.,o barulho dos carros de  vendas itinerantes rompe  o silêncio no interior da  casa.
Os microfones anunciam produtos à venda.

Tem o carro do ovo, que faz tempo já não mais anuncia:"30 ovos a 10 reais". 
O vendedor,cauteloso,  sabe que os tempos mudaram por conta do vírus e a economia entrou em surto e tudo encareceu,inclusive a bandeja dos ovos, daí prefere  calar para não afastar a freguesia.
Além de ovos, como carro-chefe, vende também  bolacha de Maragogi, mortadela, ovos de codorna,etc e tal.
Logo após,competindo com o carro do ovo, tem o carro da máscara  de tecido, por 5 reais.
"Compre máscaras para proteger sua família do coronavírus. Proteção a preço de custo. No dinheiro  custa 5 reais e no cartão faço 6 reais. Compre sua máscara não é consumismo.  É prevenção-' alardeia o vendedor criativo no facilitar a vida de clientes.'
E em tempos da economia pandêmic
a vendedores ambulantes empreendem ideiais criativas para ter  fôlego financeiro.
E agora , além do carro do ovo, tem o carro da máscara de tecido, por 5 reais.
Uma boa ideia que vale um negócio inteiro.

 

Qual a primeira coisa que você fará quando essa quarentena acabar?

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Em uma comunidade,em Maceió,AL. jovens, meninos e homens jogam bola, como se a vida estivesse em perfeita normalidade.
A bola rola pelos espaços da rua,com a liberdade gritando goool. 
Mulheres sentadas nas calçadas, bem juntinho, com as portas das casas escancaradas,tricotam  palavras e  jogam perdigotos ao vento, e no povo tudinho, ao redor.
Riem  felizes do tempo desfrutado ao ar livre 
As crianças entertidas na infância desdenham de riscos e vírus.
Faz quase noitinha na comunidade e a moça, do outro lado do cenário e sentindo-se  prisioneira,observa do 8º andar, da janela do apartamento,a liberdade alheia.
Observa a  liberdade  da rua pandêmica,lotada de gente e sonha com o dia em que tudo isso terminar.
O que farei primeiro? -se questiona.E fica inventando fórmulas pra fazer tudo isso passar mais rápido, mais rápido...

Crédito: Mulher à janela | John O'Connor

 

Por que o teste da covid 19, em Alagoas é rápido para algumas pessoas, e dura o tempo de morte para [email protected] Privilégios?

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true


A paciente  tem plano de saúde e, apresentando alguns sinais de covid 19 buscou o hospital Arthur Ramos.
Eram 17 horas e o  hospital Arthur Ramos estava entupido de gente. 
300 pessoas para fazer o exame.
Muita gente carregando sintomas,e outras, o fantasma do medo.
O medo tem adoecido muita gente- disse o recepcionista e aconselhou a senhora a retornar para casa,e só ir ao hospital caso os sintomas piorem.
A senhora idosa, hipertensa e obesa saiu arrastando um emocional abalado  e o fantasma do medo.
Por que o teste da covid 19, em Alagoas é rápido para algumas pessoas, e dura o tempo de morte para [email protected] 
Privilégios?
 

Mataram o menino preto, João Pedro,e isso não cabe em uma live. É vida real!

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O genocídio da juventude preta no Brasil não é fato novo. É algo de uma recorrência mortal. É algo, também invisível e abafado pelo furor das muitas discussões relativas à vida de [email protected], no Brasil racista.
Na tarde da segunda-feira, 18/05, um   tiro de fuzil na barriga,matou João Pedro Mattos Pinto,dentro de casa.
No maio da tal abolição.
O tiro  ocorreu durante uma operação policial no Complexo do Salgueiro em São Gonçalo (RJ).
A polícia nunca entra atirando em bairros de  brancos.
Resgatado, ainda com vida, o corpo preto do menino, de 14 anos,só foi encontrado morto no IML.
João Pedro Mattos Pinto era, ( assim no passado) , filho da Rafaela, professora e de um comerciante. Uma família que o amava.Neilton Pinto, pai de João Pedro, diz:
"A polícia chegou lá de uma maneira cruel, atirando, jogando granada, sem perguntar quem era. Se eles conhecessem a índole do meu filho, quem era meu filho, não faziam isso. Meu filho é um estudante, um servo de Deus. A vida dele era casa, igreja, escola e jogo no celular".
Quanto vale a vida de [email protected] no Brasil?
Mataram João Pedro!
Quantos mais irão morrer por "descuido' do estado brasileiro.
Mataram o preto, João Pedro,e isso não cabe em uma live. É vida real!


Fonte: bo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/05/19/menino-de-14-anos-e-baleado-durante-operacao-no-complexo-do-salgueiro-rj.ghtml
 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 [email protected]
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 [email protected]