Raízes da África

Mães não têm tempo livre-diz filh@.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Entrevista realizada com crianças de 7 e 8 anos de idade sobre suas mães (Ensino Fundamental -  Espanha).
As respostas abaixo foram consideradas as mais interessantes:

Quem é o chefe da sua casa?
1. Acho que a minha mãe, porque ela tem muito mais coisas a fazer do que meu pai
Porque Deus fez as mães? 
1. Porque elas são as únicas que sabem onde estão as coisas em casa
Como Deus fez as mães?
1. Com mágica, super poderes e misturou tudo muito bem.
Quais ingredientes que ELE usou? 
1. Nuvem, cabelo de anjo e tudo de bom que há no mundo e uma pitada de mal.
Por que Deus te deu sua mãe  enão outra mãe? 
1. Porque Deus sabia que ela seria mais minha mãe do que outras mães.
Por que sua mãe se casou com seu pai? 
1. Minha avó diz que é porque ela não pensou direito.
Qual a diferença entre mamães e papais? 
1. As mamães trabalham no trabalho e em casa, os papais só vão ao trabalho.
2. As mães sabem falar com as professoras sem assustá-las.
3. Os papais são mais altos e fortes, mas as mamães tem o verdadeiro poder porque você tem de pedir pra elas quando quer dormir na casa de um amigo.
4. As mães são mágicas porque elas fazem você se sentir bem sem remédio.
O que sua mãe faz no tempo livre? 
1. Mães não têm tempo livre.
Se você pudesse mudar algo em sua mãe. O que seria? 
1. Eu queria que desaparecessem os olhos invisíveis que ela tem atrás da cabeça.
Feliz semana das  mães, porque um dia é  pouco!
 

Você é noss@ convidad@ especialíssim@ para o IX Festival Alagoano das Palavras Pretas.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O  IX Festival Alagoano das Palavras Pretas, idealizado pelo Instituto Raízes de Áfricas, acontece dia 24  de maio, a partir das 19 horas e  pretende reunir uma multiplicidade de gentes no entorno de jovens  literatas.
São jovens mulheres que, em seus territórios,  já  alinhavam histórias  e ocupações poéticas. 
Em sua nona edição,o Palavrs Pretas  é a continuidade da provocação literária de  juntar as muitas matrizes de gentes que queiram alimentar a alma com a catarse da palavra,com cor e gênero, quebrando os distanciamentos geográficos dos humanos com interesses, afetos e pertencimento. 
Na noite poética as palavras estarão em movimento. Palavras sem vergonhas reinventando conversas rasgadas de poesia. Teremos poesias pretas impressas e espalhadas pelos cantos, recantos do Aracajé, para que você possa se apropriar delas. Tudo isso lá no Aracajé.
O Aracajé é um lugarzinho aprazível e aconchegante, em Jatiúca, e com cheirinho das comidas "quero mais". Aproveita para conhecer a Erika e  experimentar o delicioso acarajé de lá.  
E para realização desse ajuntamento de gente especial  contamos com o apoio do Governo do Estado, através da SECULT,SECOM,SEMUDH.
A entrada para o IX Festival Alagoano das Palavras Pretas  é aberta a todos os públicos. É só chegar, sentar, ouvir, participar e sair de alma lavada.
O consumo é por conta d@ freguês@ e teremos um couvert de R$ 5.00 (cinco)reais que será revertido para os artistas. 
Convide amig@s , fique a vontade e prestigiar  as meninas pratas-pretas da casa.  
Mais informações: (82)98827-3656
Serviço: IX Festival Alagoano das Palavras Pretas
Dia: 24/05, às 19 horas
Aracajé -Av Paulo Falcão 641 Jatiúca,
 

"Kaio Luan está bem, graças a Deus, e em casa"- informa a família.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Kaio Luan da Silva Freitas ,de 17 anos  que estava desaparecido desde ontem, foi afinal, encontrado  no começo da tarde de hoje. 
A família enviou mensagem para o blog: "Kaio foi encontrado e está  bem, graças a Deus . Um colega o viu e avisou a família e fomos buscá-lo. Agora vamos acolhê-lo e depois de um bom  banho, vamos sentar e  conversar com ele para  saber o que aconteceu e onde estava."
Foi um susto enorme- diz Larissa, a irmã e obrigada pela preocupação, pela ligação e o carinho.
Seja bem vindo de volta, Kaio.


https://www.cadaminuto.com.br/noticia/338743/2019/05/09/kaio-esta-desaparecido-nos-ajude-a-encontra-lo-pede-a-familia#
 

"Kaio está desaparecido. Nos ajude a encontrá-lo" -pede a família

Reprodução/Web Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A família do Kaio,17 anos, está em desespero, o menino sumiu.
Contam que  a última vez que viram Kaio foi na quarta-feira,08/05, na Casa dos Conselhos, na rua Augusta, centro da capital Maceió. Uma professora do curso ao vê-lo ofereceu  carona para casa. Ele recusou. E não foi mais visto.
É um  jovem determinado, que sonha crescer na vida e atualmente trabalha como jovem aprendiz na Caixa Econômica Federal, do Shopping Miramar.
Kaio Luan da Silva Freitas é estudante  no colégio São Thiago no Conjunto Graciliano Ramos, e está desaparecido.
A família ansiosa por notícias do menino pede: Por favor, nos ajude a encontrar Kaio.
Se você souber do Kaio ligue para os números (82)988921163/987317167/988588035
O blog solicita que por respeito a inquietação da família evitem passar trotes. Por favor.
 

"Meu filho foi encontrado. Gratidão pela solidariedade". -diz o professor Jorge Riscado, da UFAL.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Jorge Luís de Sousa Riscado Júnior estava desaparecido fazia bem o mês e o pai, o professor da UFAL,Jorge Riscado tinha a alma desconsolada. Não é fácil ter um filho sumido no mundo,  sem saber o paradeiro, principalmente quando ele sofre de depressão.
O blog postou matéria dia 29 de abril e torceu para que Júnior fosse encontrado.
E no dia 8 de maio recebemos do professor  Jorge Riscado o seguinte comunicado:
"Olá, Arisia. Paz e Bem. 
Meu filho Júnior foi localizado e veio pra casa da madrinha dele. Está a necessitar de cuidados, mais com a vida íntegra. Gratidão pelo Carinho e Orações.Gratidão pela solidariedade.Gratidão  Gratidão  Gratidão"

O blog fica feliz que Junior tenha sido encontrado e que o coração do Jorge pai agora esteja mais tranquilo. E se colocando à disposição,o raizesdeafricas deseja bom recomeço pro Júnior!
PS: A foto em anexo é de Júnior, hoje 9/05, já em casa.

Instituto Raízes de Áfricas participa de debate com alun@s do Instituto de Educação do Rio de Janeiro.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na  tarde da segunda-feira, 06 de maio  o PontoCine , localizado em Guadalupe , um bairro da Zona Norte do município do Rio de Janeiro, foi palco dos "Diálogos com o Cinema", com a exibição do primeiro episódio da série Palmares coração brasileiro alma africana, trabalho filmado na Serra da Barriga no ano passado, do cineasta José Carlos Asbeg, que contou com o apoio do Instituto Raízes de Áfricas.

Segundo Asbeg: “É uma tremenda distinção ter sessão do documentário no PontoCine.” E o PontoCine capitaneada por Adailton Medeiros há mais de dez anos, é a sala de cinema que realiza o mais impactante trabalho social que conheço através do audiovisual em todo o estado do Rio de Janeiro”- acrescenta.

Logo após  a sessão foi promovida uma roda de conversa, parte essencial do projeto que contou com a participação da coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas (Alagoas) ,Arísia Barros,e do cineasta José Carlos Asbeg.

Fico muito feliz em poder debatermos nossa história assim com um documentário que conta tanta coisa que não conhecemos e que  a escola, ainda, não fala como deveria- falou uma aluna.

Arísia Barros diz que a participação do Instituto na atividade só foi possível graças ao  apoio do deputado federal Paulão e da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas.

É importante um encontro como este  que discuta as divisões históricas das racialidades no Brasil, aconteça-afirmou Adailton Medeiros

Laurita Mourão recebe em almoço, o advogado, Vanderlei Lourenço, presidente da FCP.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na tarde da terça-feira,07/05 Laurita Mourão, ex-funcionária do Itamaraty, recepcionou em seu apartamento na Avenida Atlântica, em Copacabana, o presidente da Fundação Cultural Palmares, o advogado, Vanderlei Lourenço.

A ação articulada pelo Instituto Raízes de Áfricas contou com a participação de Arísia Barros, coordenadora do Instituto,o cineasta  Carlos Asbeg e a assessora da Fundação Cultural Palmares, Carol Petitinga.

Durante o almoço, regado por  muitas conversas e reminiscências históricas, Laurita falou sobre seus caminhos na vida política, livros lançados, dentre eles, “À Mesa do Jantar”, de 1979.

E aproveitou a ocasião da presença do presidente da FCP para falar sobre a construção do marco negro histórico em Alagoas, ou  Parque Memorial Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga em Alagoas, inaugurado em 2007, a partir do  envolvimento de Patrícia Mourão, sua filha..

Segundo, Vanderlei Lourenço  a construção do  Parque  fez o diferencial na história negra, em Alagoas, e nos traz a compreensão da afro-brasilidade, desde a participação dos povos ancestrais à interpretação contemporânea da liberdade humana.

Afirmou, também,  que conhecer   Laurita Mourão é   vivenciar o poder das mulheres que fizeram a ocupação dos espaços sociais e escreveram história.

Vanderlei Loureço está em agenda oficial no Rio de Janeiro

 

Rosinha da ADEFAL é a nova secretária nacional da Mulher. É uma catástrofe.

Roseane Cavalcante de Freitas Estrela ou, Rosinha da ADEFAL já foi secretária de estado da mulher em Alagoas.

Foi uma catástrofe.

Na gestão da ex-secretária toda estrutura organizacional da SEMUDH foi desmantelada.

Inúmeros projetos  que poderiam consubstanciar as  políticas para mulher@s, negr@s, deficientes, LGBT, dentre outros foram devolvidos, sem utilização. Havia recursos, mas, faltou gestão.

Rosinha da ADEFAL assume uma pasta para a qual não tem expertise nenhuma. Provou isso, em Alagoas.

A ex-parlamentar que se elegeu com os votos dos deficientes, se faz mouca diante dos desmontes do Jair, em relação aos  direitos de eleitor@s que ela dizia representar.

Rosinha da ADEFAL votou a favor de leis que penalizam trabalhador@s, principalmente as mulheres.  

E agora assume um lugar de fala e representação dos direitos dessas mesmas mulheres.

É um grande contrassenso. É uma catástrofe política.

Mais uma do governo de Jair Messias.

 

Tem dias que as rajadas de balas é a única música que a gente escuta no Morro do Alemão - disse a moça.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Não é fácil morar no Morro do Alemão.Tem dias que as rajadas de balas é a única música que a gente escuta. E nós somos obrigados a escutar o dia todo.

A tensão é algo permanente. Muita gente, muita gente mesmo, sofre Acidente Vascular Cerebral, sem mesmo ter predisposição para isso. A tensão, o medo de morar no morro causam adoecimento, dentre eles o mental. Eu moro no pé do morro, mas, posso falar das muitas invasões, de dores e mortes.

Eles, o exército realiza as tais revistas às 6 horas da manhã, quando gente trabalhadora está indo pra labuta, e é essa gente que morre de bala perdida.

Nós, estamos morrendo e para a sociedade isso é natural, pois a vida das gentes do morro não tem importância.

Nenhuma importância - lamentou uma liderança do Morro do Alemão à esta blogueira, no encontro da Resistência Coletiva nos Tempos de Cólera, em Lapa,sábado, 04/05, que aconteceu  na sede da AMAR, no Rio de Janeiro.

O encontro foi convocado pelo Instituto Raízes de Áfricas, com o apoio da AMAR.

 

Agente de Saúde comete suicidio em Coruripe, ou Excelência Renan Filho: precisamos falar sobre suicídio

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Faz poucos minutos que uma mulher, Agente de Saúde do municipio de Coruripe, Alagoas, atentou contra própria vida.
Segundo  fontes,  a jovem  tinha duas crianças , que no momento do ato, estavam na casa .
O socorro foi acionado, mas, ao chegar a jovem já estava em óbito.
É mais um caso invisivel de suicídio.
Mais uma morte para as frias estatísticas do IML.
Suicídio em Alagoas é um problema epidêmico. A sétima região de saúde já abriga números bem maiores do que a média nacional.
Segundo a OMS é um sério  problema de saúde pública e precisa ser tratado como tal.
Está entre as três maiores causa de morte entre pessoas com
idade entre 15-35 anos.
Alagoas precisa  iniciar um diálogo com a população sobre o problema, propondo   a criação  e implementação de   programas  de prevenção ao suicídio , campanhas de disseminação de informação apropriada e um plano de  cuidados com os sobreviventes
Precisamos falar sobre suicidio, Excelência Renan Filho.
Alagoas precisa, e, é urgente.
 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com