Ex-senadora HH relembra os 14 anos de expulsão do PT

Arquivo: Antônio Jacinto D795628c a50c 45fe bc4f 8e7657be4bb0 Heloísa Helena (Rede)

O dia 14 de dezembro é uma data em que a ex-senadora Heloísa Helena (Rede) faz questão de relembrar como importante na sua trajetória de vida política. 

Na última quinta-feira, 14, a ex-senadora completou quatorze (14) anos de sua expulsão do Partido dos Trabalhadores (PT) por decisão do Diretório Nacional petista.

Em 2003, além de HH, a direção do PT resolveu afugentar do quadro de filiados, por 55 votos a favor e 27 contra, os deputados Luciana Genro (RS) e João Batista, o Babá (PA), por desrespeitarem orientações do partido, a exemplo da votação da Reforma da Previdência.

Os considerados "rebeldes do PT" também foram expulsos - à época - por acusarem o governo Lula de manter a política neoliberal de Fernando Henrique Cardoso, de ter liberado os transgênicos, ter provocado a demissão de um milhão de trabalhadores, ter assentado só 13 mil famílias e não 250 mil por ano, conforme compromisso de campanha, de estar negociando a Alca e  ter mantido o superávit para dar dinheiro aos banqueiros.

Em suas redes sociais, HH fez questão de destacar o episódio que - atualmente - ele relembra como sendo uma 'vergonhosa traição de classe promovida pelo governo Lula'. 

"Ora ora... o tempo passa, a vida segue, as lágrimas secam e você quase esquece... há 14 anos atrás, fomos expulsos pela cúpula palaciana do PT por votarmos contra a “reforma” da previdência deles e por denunciarmos a vergonhosa traição de classe promovida pelo governo Lula e sua promiscuidade com a banda podre da política nacional. A vida segue e as minhas cicatrizes são tributos sagrados aos que lutam sem rendição nem covardia! Avante!!!", escreveu a ex-senadora. 

Entretanto, o voto considerado de "minerva" para sua saída do PT se deu após - em discurso no plenário do Senado Federal -  HH afirmar que "votaria contra reforma da previdência por que ela não fazia nada pelos excluídos".

Reveja o discurso válido, inclusive para os dias atuais, no vídeo abaixo!

 

Em tempo, Heloísa Helena continua viajando o país discutindo os 18 eixos estratégicos da plataforma de propostas para o Brasil e democratização de conhecimento como presidente da Fundação Rede Brasil Sustentável.

E 2018?

A ex-senadora já disse na imprensa que vai em busca de uma das nove cadeiras - em Alagoas - para Câmara dos Deputados. HH é uma das poucas personalidades políticas sem mandato que ainda mantém o eleitorado fiel, a mesma ética moral e preceitos políticos que não foram surrupiados pelo Poder. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Reunião define nome do deputado João Beltrão à reeleição em 2018

Foto: Cortesia 33a53bb4 8836 463a a853 04719a98b3ea Reunião decidiu nome de João Beltrão para reeleição em 2018; parlamentar vai para 7ª disputa à ALE

Em agosto deste ano, o Blog divulgou uma matéria em que o deputado estadual João Beltrão (PSD) deixaria a disputa de 2018 na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) para dar lugar a outro familiar. 

Porém, no último final de semana JB recuou, voltou atrás e decidiu que vai em busca da sua reeleição após receber apoio do prefeito de Coruripe, Joaquim Beltrão (PMDB), secretários municipais, vereadores  e lideranças  políticas do município. 

Numa reunião ocorrida na residência do parlamentar, o acordo foi concretizado para que JB dispute sua sétima (7ª) eleição para Casa de Tavares Bastos.

Com isso, o apoio em Coruripe está fechado com a maioria dos membros da Câmara de Vereadores, prefeito e demais lideranças local. 

Além do gestor coruripense e secretários, estiveram presentes os vereadores Gutte Brêda, Mesaque, Ailton do Nelson, Edinho, Hugo Beltrão, Elieser, Roberta Beltrão,  Neguinho do Newton, Laranjinha, Juarez, Zé da Ní, Di do Jazon, Maurício da Farmácia, Dalmo e Neto Mota

No pleito de 2014, JB obteve mais de 31 mil votos que garantiram a 12ª colocação na ALE. Atualmente, o deputado estadual é um dos parlamentares alagoanos com mais mandatos na Assembleia Legislativa de Alagoas.    

Câmara dos Deputados 

Já em outubro passado, dos quinze (15) vereadores que fazem parte da Câmara Municipal de Coruripe, 14 - e os suplentes - decidiram também "marchar" juntos do candidato a deputado federal da família Beltrão. 

Com isso, o presidente do Partido Social Democrático (PSD) e ex-prefeito de Feliz Deserto, Maykon Beltrão, é o pré-candidato a deputado federal da família em 2018.

Leia mais aquiVereadores "fecham" apoio ao nome da família Beltrão para deputado federal

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Morte de ex-deputado diminui (?) 'rixa' entre famílias Cardoso e Ferro

CadaMinuto - Arquivo 1325784953ferro0003 Cícero Ferro

Com a morte do ex-deputado estadual Cícero Ferro, ocorrida na última sexta-feira, 01, aos 63 anos, em decorrência de uma parada respiratória, a cidade de Minador do Negrão ganha um novo capítulo na política local. 

Sem Cícero Ferro, as disputas eleitorais não terão mais o 'acirramento' eleitoral existente há vários anos entre às famílias Cardoso e Ferro. 

Atualmente, o comando da cidade negrense está nas mãos do grupo político da ex-prefeita Socorro Cardoso (PSDB) que, no ano passado, elegeu o sobrinho Gleysson Cardoso (PMDB) para sucedê-la na Prefeitura. 

Gleysson foi eleito prefeito por maioria do eleitorado da cidade com 1.831 votos (50,10%). 

Pela terceira vez consecutiva, Cardoso derrotou nas urnas o ex-deputado estadual. Ferro também esteve atrás do segundo colocado, o empresário José Aprígio que obteve 1.268 votos (34,69%), e arcou uma derrota de 556 votos (15,21%) ficando na última colocação.  

Socorro Cardoso está sob o domínio do Poder Executivo desde 2008, quando venceu o pleito contra Eladja Ferro (esposa do ex-deputado). Na reeleição, em 2012, a ex-prefeita foi candidata única após Thalita Ferro (PSC), filha de Cícero, renunciar à candidatura  por questões pessoais e problemas de saúde. 

Em Minador do Negrão, Cícero Ferro deixou também um grande número de correligionários e eleitores que continuavam a seguí-lo em pleitos eleitorais.

Contudo, após seu falecimento abriu-se um "vácuo" na política da cidade, principalmente, para os que acreditavam - ainda - no retorno dele (Ferro) ao mandato de deputado estadual. 

Por outro lado, disse um leitor do Blog: "a 'rixa' das famílias Cardoso e Ferro pode não acabar, mas não será tão intensa como era com o ex-deputado que 'peitava' seus inimigos políticos a cada ano eleitoral". 

Será?

Já o domínio do município de Minador do Negrão permanece - ainda mais forte - nas mãos das famílias Cardoso e Barros.  

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

PSDB perde mais um prefeito por ingerência do governador

39f9df82 c105 4548 9d3a af1f0a62d8be

Ontem, 30, o último dia de novembro foi de mais uma baixa no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) alagoano.

É que o prefeito do Pilar, Renato Rezende Rocha Filho, o Renato Filho ou Renatinho Rezende, deixou o ninho tucano do ex-governador Téo Vilela.

Por intervenção do governador Renan Filho (PMDB), o prefeito do Pilar abonou sua ficha de filiação ao Partido Verde (PV). 

A reunião para receber o novo "verdista" contou, inclusive, com a presença do próprio chefe do Executivo alagoano. 

Desde o primeiro semestre deste ano que o prefeito pilarense havia sido chamado patra fazer parte da sigla comandada pela família Calheiros no Estado: o PMDB. 

Contudo, Renatinho só não foi parar na ala peemedebista por conta de seu tio e adversário político, o ex-prefeito Carlos Alberto Canuto (derrotado nas urnas), grande fi-aliado do senador Renan Calheiros.

Por outro lado, garantiu a Renan Filho que deixaria o PSDB por outra sigla. Cogitou-se, todavia, até a ida do gestor para o Partido Republicano Brasileiro (PRB). Não aconteceu!

Porém, ontem (30) Renato Rezende atendeu ao pedido do governador, deixou o tucanato e deu a resposta ao novo 'amigo-político' que tem levado benefícios para população do Pilar.

Nas redes sociais, o governador também fez questão de postar a reunião de ontem na sede do partido. 

A ida do prefeito do Pilar ao PV dar um reforço a sigla que tem em seus quadros de filiados a ex-superintendende do Ima e Ibama em Alagoas, Sandra Menezes; a ex-suplente de senadora, Ada Mello; e o vereador por Maceió, Sílvio Camelo. 

Ressalte-se: Quem (leia-se os prefeitos, vereadores e lideranças), diante de tantas benesses levadas para melhorar a vida da população do município, vai dizer NÃO ao governador?

É dessa maneira que o Renan Calheiros Filho vai ganhando mais prefeitos aliados. Leia tambémPrefeitos mudam para o PMDB após 'agrados' do governador

No mais, repito: quem vem perdendo é o PSDB de Vilela que - aos poucos - vai ficando 'pequeno' para 2018.  

Será?

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Ministros estarão em AL para inaugurar obra no sertão

Foto: Brasil 247 5f37a095 7392 4998 9b5d 8ef26d871a8d Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e o ministro do Turismo e alagoano, Marx Beltrão.

Após uma semana em que o governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), esteve promovendo a 8ª edição do Governo Presente, no sertão de Alagoas, agora é a vez dos ministros do Governo Michel Temer (PMDB) inaugurarem a nova linha de alta tensão na região. 

O município de Olho d’Água das Flores recebe no próximo sábado, 02, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e o ministro do Turismo e alagoano, Marx Beltrão. 

Evento liderado pela Eletrobras-Alagoas, o sertão alagoano vai ganhar a linha de Distribuição que interliga a subestação do município olho-daguense com a de Delmiro Gouveia. 

O investimento ultrapassa os R$ 25 milhões e contempla mais de 80km da linha de Distribuição de alta tensão, além da ampliação das subestações de Delmiro Gouveia e Olho d’Água das Flores.

Mais de 20 municípios sertanejos serão beneficiados com esta obra que - claramente - será um grande ato político, principalmente, por conta da necessidade de se investir em fornecimento de energia numa região 'pouco lembrada' pelos mandatários alagoanos. 

“Mais de 277 mil clientes da Eletrobras já estão sendo beneficiados pela nova linha, que traz uma importante melhoria no nível de tensão dos municípios, além de propiciar à Distribuidora uma maior confiabilidade na automação do sistema elétrico”, expliocu Adjar Vieira Barbosa, presidente da Eletrobras Alagoas. 

Água Branca, Batalha, Belo Monte, Cacimbinhas, Dois Riachos, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Major Izidoro, Monteirópolis, Olho d’Água das Flores, Olho d'Água do Casado, Santana do Ipanema, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Pão de Açúcar, Pariconha, Poço das Trincheiras, Senador Rui Palmeira, São José da Tapera, Traipu e Carneiros estarão sendo comtemplados com essa nova linha de Distribuição da Eletrobras em Alagoas. 

Quanto ao fato político é uma outra história.

Os beneficiários, óbvio, são os moradores - em torno de mais de 270 clientes - sertanejos. Mas há a certeza de que os ministros receberão cada prefeito, vereador, lideranças políticas e quem estiver presente no evento.

Contudo, não devemos esquecer que Alagoas é - atualmente - um Estado que tem recebido grandes obras e investimentos dos Governos Federal e Estadual. 

Ou seja, 2018 está chegando aí... 

Será? 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

"Gente que se diz esclarecida, sabe o que está fazendo e vota na bandidagem", diz HH

Foto: Correio do Seridó 2873ffb7 33be 4d81 a48d c326b03d61e2 Heloísa Helena (REDE)

Na segunda-feira, 27, procuradores do Ministério Público Federal (MPF) que integram as forças-tarefas relacionadas à operação Lava Jato em Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo divulgaram uma carta intitulada de "Carta do Rio de Janeiro" que reforça a necessidade do aperfeiçoamento da legislação no combate à corrupção. 

O recado é claro e serve, principalmente, de alerta para quem tem o Poder de mudar essa realidade política em 2018: o eleitor!

Pegando um gancho nesse quesito eleitor e corrupção, a ex-senadora e ex-vereadora por Maceió, Heloísa Helena (REDE), divulgou um vídeo nas redes sociais falando - justamente - sobre o processo eleitoral que corroe a vontade das pessoas do interior.

Em entrevista à imprensa, HH também afirmou que tem muita gente que se diz esclarecida, sabe o que está fazendo e mesmo assim vota na bandidagem.

"Fico muito triste e muitas vezes indignadas. Essas coisas são extremamentes deseducativas quando os que ganham o processo eleitoral estão envolvidos em crimes contra administração pública. Isso é a pior das impunidades! A pior das impunidades é das urnas. É quando a grande maioria de um povo, na forma livre e nas urnas, vota nessa bandidagem. Eu sei que tem muita pressão. Eu sei que tem muito dinheiro. Essa máquina de moer gente, sonhos e dignidades que muitas vezes é o processo eleitoral. Muitas vezes a pressão gigantesca e o medo corroendo a vontade das pessoas do interior. Mas também tem muita gente que se diz esclarecida, sabe o que está fazendo e mesmo assim vota na bandidagem", explicou HH na entrevista. (Ouça o áudio completo logo abaixo!)

"Carta do Rio de Janeiro"

Por outro lado, a carta divulgada pelos membros das Forças Tarefas da Lava Jato reforçam a tese de que a corrupção no Brasil está bastante disseminada no modo de funcionamento do sistema político nas esferas federal, estadual e municipal, assim como, o dinheiro dessa parte corruptiva que enriquece criminosos e financia campanhas, o que deturpa a democracia, gera ineficiência econômica, acirra a desigualdade e empobrece a prestação de serviços públicos.

"Se a luta contra a Corrupção depende essencialmente do Congresso, é preciso que a sociedade continue atenta aos movimentos dos atuais parlamentares, manifestando-se contra qualquer tentativa de dificultar ou impedir as investigações criminais de pessoas poderosas. Por fim, é crucial que em 2018 cada eleitor escolha cuidadosamente, dentre os diversos setores de nossa sociedade, apenas deputados e senadores com passado limpo, comprometidos com os valores democráticos e republicanos e que apoiem efetivamente a agenda anticorrupção. Olhando o passado, não podemos descuidar do futuro", assinam os membros do MPF-PRRJ. 

Já o procurador Deltan Dallagol atentou para um fato corriqueiro e que é de grande atenção em pleitos eleitorais de todo país. Dallagnol disse que o combate aos maus políticos e contra corrupção não depende apenas do MPF, mas do eleitor que tem o papel fundamental em 2018. 

"2018 é a batalha final da LavaJato porque as eleições determinarão o futuro da luta contra corrupção no nosso país. É a eleição de deputados federais e senadores que determinará se existirão retrocessos ou não na luta contra a corrupção. E se existirão rformas e avanços que possam trazer um país mais justo com índices - efetivamente - menores de corrupção e impunidade", concluiu Deltan Dallagol. 

Por fim, só nós (eu, você e o eleitor) temos o Poder de mudar esta realidade no próximo ano. Lembre-se que o título de eleitor é a arma do cidadão em 2018. 

Portanto, a decisão é sua (eleitor) cidadão. 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com 

Com informações do MP/PRRJ

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Prefeitos mudam para o PMDB após 'agrados' do governador

Foto: Facebook 080aeb5e d589 406a 8ae2 235920ae9c2c Henrique Vilela, de Porto de Pedras, e o governador Renan Filho (PMDB)

Se tem uma situação que o governador Renan Filho (PMDB) tem trabalhado em suas relações com os prefeitos - em ano pré-eleitoral (que fique claro!) - é saber agradar, principalmente, os que eram (ou são?) adversários políticos. 

Pensando em 2018, óbvio, e querendo atrair um grande número de aliados para fortalecer sua reeleição no próximo ano, o chefe do Estado de Alagoas não perde tempo ao ir nos municípios em que saiu derrotado no pleito de 2016. 

Fazendo o retorno para rever aliados e atrair os novos "amigos" da política, RF mostrou que quem é do Palácio República dos Palmares não deve se importar com os acordos que ele - o governador -  faz ter ao lado no grupo palaciano alguns desejáveis prefeitos. 

Isso ficou claro no último final de semana, na 8ª edição do Governo Presente, ocorrida no alto sertão alagoano. Renan Filho deu um "banho" de ações governamentais (saúde, infraestrutura, segurança e outras) para agradar os gestores.

Com essa atitude meramente politica e arquitetada, RF consegue - de certa forma - inserir até prefeitos no próprio PMDB. 

Por quê?

Quem (leia-se os prefeitos, vereadores e lideranças), diante de tantas benesses levadas para melhorar a vida da população do município, vai dizer NÃO ao governador?

É dessa maneira que - nos últimos dias - o PMDB ganhou mais dois prefeitos aliados do governador. 

Paula Santa Rosa, em Belém, e Henrique Vilela, de Porto de Pedras, ambos antes do PSDB.

Santa Rosa, que derrotou o ex-prefeito de Inhapí, o Bel, irmão de Celso Luiz e um aliado de RF, foi pega para ir ao PMDB após o Governo de Alagoas asfaltar a cidade, perfurar poços artesianos e levar grandes obras ao município. Sem dúvidas, me disse um Santa Rosista, a prefeita não poderia dizer "não ao governador que investe em Belém."

Tudo bem! Pula para o PMDB. 

Já Vilela, no litoral norte, além de receber o apoio do Governo do Estado, andava insatisfeito com póprio parente e deputado federal, Pedro Vilela, que, em seu pleno mandato na capital federal, pouco "se importa' em levar recursos para Porto de Pedras. Aliás, levou, contudo, bem menos que outros colegas da bancada federal. 

Nesse vazio de apoio político familiar, todavia, RF foi e conquistou o gestor do norte.

Portanto, o governador entende que sua reeleição depende de um número maior de apoios nos municípios alagoanos. Com isso, tem feito o que pode - à frente do mandato - para não deixar espaços abertos ou brechas que entrem os adversários. 

O PSDB, dos Vilelas e agora do prefeito Rui Palmeira (PSDB), é um alvo de ganho político para Renan Filho que - se não houver sinal de alerta - vai ficando cada dia 'pequeno' em Alagoas. 

Já Renan Calheiros Filho, claramente, faz o jogo de xadrez correto para 2018. Quer sua reeleição garantida! 

É o jogo sendo jogado - em tempo - para não perder o tempo/momento.

Política é política! 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Aliados "de branco ou white" dão cor a caravana de RF em AL

Fotos: Agência Alagoas/Márcio Ferreira B200b524 c5a3 4dae 8a5b dbe1fd66ab5f Governador abre a 8ª edição do Governo Presente em Piranhas

Tem chamado atenção - aos que observam - que a maioria dos que fazem parte da comitiva do governador Renan Filho (PMDB) acompanha o chefe até na hora de se vestir. 

Esse foi uma indagação feita por um leitor do blog, no qual resolvi escrever este texto. 

Porquanto, de branco ou "white", os aliados - leiam-se secretários, comissionados e até "amigos" - dão a cor da caravana governamental do Estado de Alagoas pelo interior. 

O uso da cor branca já é um padrão de identidade escolhido pelo próprio senador Renan Calheiros (PMDB), repassada para o filho-governador que, consequentemente, atingiu os seguidores Calheiristas e até a primeira-dama.

O branco é sinônimo de cândido e, ao mesmo tempo, de cor franca, sincera e simples. Branco ou "white", analisam os especialistas em marketing político, é a melhor cor (impressão) para sair em fotos, imagens e vídeos para televisão.  

Po outro lado, de branco, azul, cinza ou não, aconteceu a 8ª edição do Governo Presente hoje, 23, no sertão alagoano, como mais uma "agenda positiva" para percorrer o Estado entregando obras e passar nas cidades para dizer que "2018 está chegando". 

Tanto que o apelo do governador na cidade administrada pela prefeita Maristela (PP), em Piranhas, foi palco também de uma partida de sinuca no simples "Boteco" da cidade.

Coisa que chefe de Estado (eu nunca vi) nenhum faria caso estivesse apenas de passagem ou sem pensar em eleição (2018). 

Normal? 

Faz parte do jogo (estratégia) político e pré-eleitoral.

Contudo, o que mais tem sido comentado - via bastidores - é que os aliados de RF devem se alinhar até na cor (modelo adotado) padrão do chefe para se destacar no meio da multidão.

Ou seja, em ano pré-eleitoral se vale de tudo para mostrar - positivamente - o trabalho realizado na gestão RF. 

Já a cúpula  "branco ou white" dizem que vai aumentando a cada ação do Governo de Alagoas. 

Será? 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Juiz suspende eleição antecipada da Câmara de Pilar

Foto: Ascom TJ/AL 639fe418 745f 481f a692 f4e55dcec29c Juiz Sandro Augusto dos Santos

Há quase três meses que os vereadores Anderson Benvindo (PSDB), Djacy Maia (PMDB), Guel Farias (PMDB), Tayronne Henrique (PMDB), Paulo Buarque (PSC) e Deuza Lages (PSDB) entraram com um mandado de segurança pedindo a anulação da eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Pilar. 

O blog deu em primeira mão o assunto publicado no dia 28 de agosto: Vereadores vão à Justiça contra antecipação da eleição na Câmara de Pilar

Os seis vereadores de oposição à atual gestão avaliaram que o Projeto de Resolução 003/2017 e o Requerimento de Urgência 007/2017 - que definiu a data da antecipação da mesa - estavam repletos de irregularidades regimentais, o que deveria invalidar toda ação posterior referente à antecipação da eleição. 

Por entenderem que 'haviam vícios e erros na aprovação das matérias', os parlamentares ingressaram  com mandato de segurança na Justiça e solicitaram a anaulação de todos os atos decorrentes da aprovação dessas proposições, inclusive, o ato que elegeu a nova Mesa Diretora para biênio 2019-2020. 

O atual presidente da casa legislativa, o vereador Rosenaldo Cavalcante (PRTB), foi reeleito para ficar mais dois anos à frente do parlamento pilarense ao lado de Joeli Lopes (vice-presidente), Rarisson Ariel de Amorim (1º secretário) e Clewinho Cavalcante (2° secretário). 

Decisão do juiz 

Contudo, no último dia 16, o juiz da comarca de Pilar, Dr. Sandro Augusto dos Santos, suspendeu a eleição antecipada feita pela atual mesa diretora para biênio 2019-2020, através do mandado de segurança - Nº: 0700707-56.2017.8.02.0047 - com pedido de liminar interposto pelos parlamentares de oposição. 

Na decisão, o magistrado deferiu o pedido dos seis vereadores e determinou a suspensão dos efeitos dos atos da casa legislativa que ocasionaram a eleição antecipada da mesa diretora, ocorrida no dia 28.08.2017, mediante sessão extraordinária, por violar normas do Regimento Interno da Câmara de Pilar.

"Determino, ainda, em cumprimento ao que preconiza o art. 3º, da Lei nº 4.348/64, segundo a redação que lhe foi dada pelo art. 19, da Lei nº 10.910/04, expeça-se mandado para notificação pessoal do impetrado, da existência do presente “writ”, bem como para que, no prazo de 10 (dez) dias, querendo, preste as informações que julgar necessárias, nos termos do art. 7º, inciso I da Lei nº. 12.016/2009", ressalta a decisão do juiz Sandro Augusto. 

Para o vereador Tayrone Henrique, nenhuma das exigências regimentais foi observada pela atual mesa diretoria da casa, bem como, a tramitação correta da matéria respeitando o regimento interno, Lei Orgânica Municipal e a Constituição Federal.

"Ilegítimo o desejo dos vereadores Rosenaldo e Rarisom em tentarem suas reeleições, todavia, para tal, é imprescindível que eles observem a tramitação correta da matéria respeitando o regimento interno, Lei Orgânica Municipal e a Constituição Federal. Nosso regimento obriga, nos casos de projeto de resolução, votos de maioria absoluta para aprovação, discursão em dois turnos e, em caso de urgência, uma justificativa plausível. Mas nenhuma das exigências regimentais acima foi observada pela atual diretoria da casa", explicou  Tayronne Henrique.

Mandando de Notificação

Ontem, 21, a Câmara de Vereadores de Pilar foi notificada da decisão do juiz Sandro Augusto dos Santos. Nela, o juiz deu um prazo de dez (10) dias para que o presidente da casa, o vereador Rosenaldo Cavalcante (PRTB), cumpra a liminar que determinou a suspensão dos efeitos dos atos da casa legislativa que ocasionaram a eleição antecipada. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

PRTB pretende eleger seis à ALE e um na Câmara dos Deputados

Foto: A Notícia Ea7e76c3 37ee 439a 985b 41fcd30bbbc7 Presidente do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), em Alagoas, Adeilson Bezerra

O comando do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), em Alagoas, pretender - em 2018 - alçar voos altos na 'briga' por cadeiras na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) e Câmara dos Deputados em Brasília. 

Foi o que disse o presidente do PRTB local, Adeilson Bezerra, ao afirmar que 2018 será o ano de 'projeção política da sigla' após o resultado da eleição no Estado. 

O PRTB alagoano já foi "grande" e teve em sua lista de filiados/eleitos, em 2014, nomes como os atuais deputados Antônio Albuquerque, Jairzinho Lira e João Beltrão (estaduais), além de Cícero Almeida (federal), e tantas outras personalidades políticas que passaram pelo partido em anos anteriores. 

Contudo, entre os nomes dos pré-candidatos para o próximo ano muitos já são conhecidos do eleitorado alagoano por terem ocupados ou ainda ocupam cargos nas administrações públicas.

Ex-prefeitos, ex-secretários municipais e estadual, prefeitos e até ex-deputados estaduais fazem parte da lista do partido para concorrer aos cargos de deputados estadual e federal em outubro vindouro.  

Como já informou o próprio Adeilson Bezerra, o PRTB se caracteriza pela independência e que seu papel - enquanto presidente do partido - é buscar líderes que tenham densidade eleitoral semelhante. 

"Projetamos eleger - pelo menos - seis deputados estaduais e um deputado federal na eleição do próximo ano", explicou. 

Com isso, nomes como do ex-prefeito de Palmeira dos Índios, James Ribeiro; do superintendente de Limpeza Urbana de Maceió (Slum), Davi Maia; da esposa do ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, a empresária Izabelle Lins; do ex-deputado Jota Cavalcante; do empresário Ferreira Hora; do atual prefeito de São José da Laje, Bruno Rodrigo; são nomes de 'peso' que estão no páreo do pleito de 2018.

Vejamos a lista de pré-candidatos enviada pelo presidente do PRTB ao blog. 

Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE)

- Izabelle Lins (esposa de Toninho Lins)

- Cidoca (vereador por Penedo)

- Breno Albuquerque (Arapiraca)

- James Ribeiro (ex-prefeito de Palmeira dos Índios)

- Alves Correia (radialista e ex-deputado estadual)

- Ferreira Hora (empresário em Maceió) 

- Bruno Loureiro (ex-prefeito de Japaratinga)

- Jota Cavalcante (ex-deputado estadual)

- Gilmar Dentista 

- André Monteiro

- Oziel Barros (ex-prefeito de Pilar)

- Davi Maia (Slum)

- Zé de Dorinha (ex-prefeito de Água Branca)

- Jorge da Sorte

- Marçal Fortes (ex-deputado estadual)

- Marcos Ferreira (ex-deputado estadual)

Câmara dos Deputados

- Bruno Rodrigo (prefeito de Saõ José da Laje)

 - Val Amélio (suplente de deputado federal)

- Emanuel Fortes (médico)

- Doge do Queijo (ex-vereador por Arapiraca

- Adoniran Guerra (empresário arapiraquense)

- Aderval Viana (servidor público)

- Pastor Barbosa

Todavia, o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) apresenta nomes que tenham densidade eleitoral e possam ajudar o partido a fazer uma bancada forte na ALE e eleger um deputado federal. 

Sendo assim, reitero: 2018, afinal, é uma outra nova história! 

Será? 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com