Kleverson Levy
Kleverson Levy

Postado em 20/03/2017 às 11:10 0

"Não vou mudar meu domicílio eleitoral", diz HH sobre 2018

Ex-senadora esteve na  manhã desta segunda-feira, 20, concedendo entrevista ao jornalista Marcos Rodrigues, na Rádio Maceió AM 1020


Por Kléverson Levy

Arquivo

Heloisa Helena

Muito se fala sobre a possibilidade da ex-senadora e ex-vereadora por Maceió, Heloísa Helena (Rede), mudar o domícilio eleitoral de Alagoas para o Estado do Rio de Janeiro. 

HH esteve na  manhã desta segunda-feira, 20, concedendo entrevista ao jornalista Marcos Rodrigues, na Rádio Maceió AM 1020.

A ex-vereadora falou por um bom tempo sobre sua vida política, Alagoas e o Brasil.

Em meio aos vários questionamentos, a ex-senadora deixou claro que não mudará seu domícilio eleitoral para outro Estado. 

"Meu domícilio eleitoral é aqui em Alagoas. Vamos pensar direito o que fazer na eleição do próximo ano. Vê a possibilidade de ser uma missão política nacionalmente ou coletiva aqui [Alagoas]. Tem muitas pessoas [eleitores, seguidores, correligionários, amigos e admiradores] em Alagoas que - por elas - fazia tudo novamente. Por enquanto, continuo com o projeto da Rede Sustentabilidade em ajudar Marina pelo país afora", disse HH na entrevista.  

Portanto, o futuro político de Heloísa Helena é um tanto quanto incerto pelo menos para a própria ex-vereadora.

HH sabe que a disputa de 2018 é viável devido aos últimos fatos ocorridos no Brasil, a exemplo dos escândalos políticos como a lava-jato. 

Senado Federal

Agora, vale ser candidata ao Senado?

Como publicado na Coluna Labafero: As pesquisas e a chance de Heloisa Helena, aqui no Cadaminuto, o problema, além de convencer Heloísa Helena, é saber se a ex-senadora vai ter uma estrutura financeira mínima para este tipo de eleição.

Até 2018 muitas águas vão rolar. O cenário político alagoano – diante de tantas manchetes nacionais – deve mudar a cada semana.  

Há quem diga que o melhor para Heloísa Helena seria uma candidatura à Câmara dos Deputados, ao invés de Senado, já que o eleitorado em Maceió e região metropolitana ajudaria HH nas urnas.

Leia também: Seguidores criam página para "cobrar" candidatura de HH em 2018

Todavia, boa parte de seus eleitores e seguidores insistem que ela tente - novamente - uma das duas vagas de senador. 

No embate pelas cadeiras no Senado Federal,  Renan Calheiros (PMDB) e Benedito de Lira (PP) pela reeleição; o ex-governador Teotônio Vilela (PSDB); os deputados federais e ministros do governo Michel Temer, Marx Beltrão (PMDB) e Maurício Quintella (PR); além do nome de Ronaldo Lessa (PDT) surgindo como mais uma opção no pleito. 

Será? 

Nova função na Rede

Por fim, a ex-senadora Heloisa Helena assumiu este mês a presidência da fundação vinculada à Rede Sustentabilidade, criada conforme exigência da lei que dispõe sobre os partidos políticos no Brasil (9.096/1995). Entre os objetivos da entidade, estão a promoção de pesquisas sobre a formação do caráter inovador na política e a divulgação dos princípios, valores e competências do partido.

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 


Postado em 17/03/2017 às 10:35 0

Ama foi 'politizada' por Calheiros em evento para prefeitos e aliados

Reunião na Associação dos Municípios Alagoanos), entre diversas autoridades, serviu de palanque Calheirista para eleição do próximo


Por Kléverson Levy

Foto: Agência Alagoas (Márcio Ferreira)

Ama foi 'politizada' por Calheiros em evento para prefeitos e aliados

Se o governador Renan Filho e o senador Renan Calheiros, ambos do PMDB, queriam chamar atenção na reunião da segunda-feira, 13, na Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), não foi bem assim.

Para mostrar força política, Renans (pai e filho) com aval do presidente Hugo Wanderley, atraíram boa parte de seus (deles mesmo) aliados ao evento.

O espaço da festa, no estacionamento da AMA, foi menor e suficiente para preencher as cadeiras que - aparentemente - mostrava um grande público presente.

Por outro lado, esqueceram até do Centro de Convenções Ruth Cardoso. Por quê? 

No entanto, patenteada de "evento peemedebista", o governador e o senador deram início ao projeto de reeleição para 2018. 

Já escrevi aqui no blog que a reunião da segunda-feira (13) foi uma reedição do seminário “Alagoas: Realidade e Perspectivas” - organizado pela Ama, União dos Vereadores de Alagoas (Uveal) e demais entidades, ocorrida em 2013, para dar visibilidade à candidatura de Renan Filho ao governo do Estado. 

Leia também: Renans (pai e filho) reeditam encontro político que deu certo em 2013

Renan Pai e Renan Filho não quiseram falar sobre 2018 ou focar que o evento seria um pontapé inicial para o pleito do próximo ano.

Todavia, o resultado demonstrando uma festa político-partidária evidenciou que os Renans (pai e filho) não terão problemas em atrair os prefeitos alagoanos enquanto Hugo Wanderley estiver sob o comando da Ama. 

Ganharam os Calheiros em ter um aliado de primeira linha que dialoga com os gestores - mesmo sendo apenas assuntos de interesses políticos - sem priorizar o trabalho técnico que tem a entidade.

Ao blog, alguns prefeitos e os presentes reafirmaram que o governador e o senador 'politizaram' a Ama com um evento para engrandecer o PMDB.

Será? 

Agora, a pergunta que não quer calar: quem pagou a conta da segunda-feira? Alguém sabe?

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 


Postado em 14/03/2017 às 10:08 0

Renans (pai e filho) reeditam encontro político que deu certo em 2013

Reunião de ontem (13) na Associação dos Municípios Alagoanos), entre diversas autoridades, serviu de palanque para eleição do próximo ano


Por Kléverson Levy

Foto: Márcio Ferreira (Agência Alagoas)

Renans reeditam encontro político que deu certo em 2013

A reunião de ontem (13) na Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) entre prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, deputados federais e estaduais, secretários estaduais e municipais, e diversos aliados, mais pareceu um evento político-partidário.

Foi o que ficou claro quando os dois personagens principais - o governador Renan Filho e senador Renan Calheiros, ambos do PMDB - chegaram ao local.

De fato, os holofotes se voltaram para os Calheiros como "os caras" que souberam fazer do encontro um pedestal para 2018. 

Para os que estavam presentes, a reunião da segunda-feira foi uma reedição do seminário “Alagoas: Realidade e Perspectivas” - organizado pela Ama, União dos Vereadores de Alagoas (Uveal) e demais entidades, ocorrida em 2013 para dar visibilidade à candidatura de Renan Filho ao governo do Estado. 

À época, o Encontro Regional de Avaliação de Políticas Públicas discutia os principais problemas e apontava soluções para cada região de Alagoas. 

Por outro lado, ontem, 13, a força do Calheiros atraiu ainda os ministros do Turismo, Marx Beltrão, e da Integração Nacional, Helder Barbalho, além dos deputados federais Pedro Vilela (PSDB) e Rosinha da adefal (PT do B); e os deputados estaduais Isnaldo Bulhões e Jó Pereira, ambos do PMDB, e Ségio Toledo (PSC).  

Não esqueçamos de Hugo Wanderley que - sinceramente, não foi! - mas era o afitrião como presidente da AMA. 

Todavia, em entrevista à imprensa, Renan Pai e Renan Filho não quiseram falar de 2018 ou focar que o evento seria um pontapé inicial para o pleito do próximo ano. 

Em poucas palavras, os Renans (os dois concomitantes com os mesmos discursos) aproveitaram a oportunidade para citar os investimentos que Alagoas vêm tendo com apoio do Governo Federal e o trabalho que o Governo do Estado desenvolve, principalmente, no interior de Alagoas.

Renan Pai, em sua fala, apenas dizia aos jornalistas que "Alagoas tem investimentos em todas as áreas. Alagoas vem crescendo com o trabalho do governador". 

Já Renan Filho, obviamente, completava que "Apesar da crise, Alagoas cresceu com obras por todos os municípios, inclusive, as que dão melhor mobilidade e qualidade de vida para os alagoanos". 

No mais, falando apenas no que fazer ainda neste ano de 2017, o senador e o governador preferiram deixar a disputa de 2018 para uma outra oportunidade.

Será?

Mas, cá pra nós: o evento de ontem ficou evidente que os Renans (pai e filho) reeditaram aquele grande encontro político que deu certo em 2013. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 


Postado em 11/03/2017 às 09:09 0

Imposição do PMDB fortaleceu candidatura do PSDB à Uveal

Tayronne Henrique (PMDB), de Pilar, e Domício Júnior ( PSL), de Jequiá da Praia, se uniram ao candidato tucano Diomedes Rodrigues na briga pela presidência da entidade


Por Kléverson Levy

Foto: Cortesia

Cúpula do PSDB ao lado dos vereadores dissidentes (Domício, Tayronne e Del Cavalcante) da chapa do PMDB

Desde ontem, 10, a cúpula do PMDB estava reunida para definir os nomes que formariam a chapa para eleição da União dos Vereadores de Alagoas (Uveal).

Todos os peemedebistas candidatos, incluindo, Anizão Amorim e Renildo Calheiros, ambos de Murici; José Edson dos Santos, o Edinho, de Coruripe; Tayronne Henrique dos Santos, o Tayrone, da cidade do Pilar; e até Domício Júnior ( PSL), de Jequiá da Praia; estavam de "portas fechadas" para tentar chegar ao consenso. 

Porém, não houve!

No vai e vem das conversas e reuniões, o partido do governador Renan Filho e do senador Renan Calheiros provocou um "racha" no grupo que - praticamente - estava preparado para disputar à presidência da entidade.

Com imposição do PMDB, em retirar as candidaturas de Anizão Amorim, Edinho e Renildo Calheiros, quem saiu fortalecido para o pleito foi o PSDB. A questão é que a sigla Calheirista impôs o nome do arapiraquense Fabiano Leão como candidato único do PMDB - ao cargo de presidente da Uveal.  

"Diante das intervenções impositivas do PMDB na escolha da chapa, sugerindo a retirada dos nomes de Anizão, Edinho, Renildo e o meu [Tayronne] para apoiar Fabiano Leão, me juntei ao Domício Júnior, em discordância dessa composição impositiva. Mantivemos o desejo de continuar lutando por uma Uveal ao lado do Diomedes Rodrigues. Seremos uma chapa de oposição ao Fabiano Leão, Edinho, Anizão, Renildo e etc. Queremos resgatar a credibilidade da Uveal e devolvê-la aos vereadores.", explicou Tayronne Henrique. 

Leia também - Uveal: vereador por Arapiraca é o nome de consenso entre peemedebistas

Tayronne Henrique, também do PMDB, e Domício Júnior, do PSL, não ficaram satisfeitos com os acordos e injunções feitas para agradar - principalmente - o governador Renan Filho.

Com isso, os dois vereadores - até pouco tempo candidatos - decidiram apoiar a candidatura de Diomedes Rodrigues da Silva Junior, o Diomedes Rodrigues (PSDB), de Pão de Açúcar, após uma rápida articulação de bastidores. 

"As chapas de oposição ao candidato do PMDB, lideradas pelos vereadores Diomedes Rodrigues, Tayronne Henrique e Domício Júnior, se uniram em torno de um objetivo comum: vencer a eleição e construir 'Uma Nova Uveal'. Essa importante articulação política resultou numa chapa que terá Diomedes como presidente; Tayronne o vice-presidente; e Domício Júnior ficou como secretário geral da entidade", completou Tayronne em conversa com o blog. 

Todavia, agora faz valer o que disse o dirigente do PSDB, Claudionor Araújo, ao afirmar que a candidatura de Diomedes Rodrigues é "algo de extrema importância a evitar que o PMDB tenha hegemonia política no Estado". 

Será?

Lembrando: caso não haja nada de anormal, como vem ocorrendo no decorrer dessa 'novela mexicana' que se tornou a eleição da Uveal, o prazo para que todas as chapas estejam inscritas é até hoje, 11, das 9hrs até 12hrs, na sede da entidade. 

Já a votação está marcada para acontecer no dia 25 de março, também em pleno sábado, das 9hrs até 17hrs. 

Aguardamos! 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 


Postado em 10/03/2017 às 18:15 0

Uveal: vereador por Arapiraca é o nome de consenso entre peemedebistas

PSDB mantém a candidatura a presidente do vereador Diomedes Rodrigues da Silva Junior, o Diomedes Rodrigues, de Pão de Açúcar


Por Kléverson Levy

foto: Roberto Gonçalves

Vereador Fabiano Leão (PMDB)

Entendo que os leitores estão cansados dessa considerada 'novela mexicana' na eleição para presidente da União dos Vereadores de Alagoas (Uveal).

Contudo, ressalto que esta suíte de matéria (No jornalismo: texto complementar ao que já foi publicado anteriormente com novas informações e adendos) é mais um detalhe a ser repassado ao blog. 

A começar pelo título deste post, todavia, é bem verdade que a eleição na Uveal caminha para um consenso entre os candidatos peemedebistas.

Isso se deve ao fato das articulações - que ocorrem via bastidores - estarem sendo 'dialogadas' durante esta sexta-feira, 10.

Como o prazo para que todas as chapas se inscrevam é até amanhã (sábado), 11, das 9hrs até 12hrs, o corre-corre em salas de reuniões é grande para que os nomes do partido do governador Renan Filho e do senador Renan Calheiros, o PMDB, cheguem ao acordo.   

Anizão Amorim e Renildo Vasconcelos Calheiros Sobrinho, o Renildo Calheiros, ambos de Murici; José Edson dos Santos, o Edinho, de Coruripe; e Tayronne Henrique dos Santos, o Tayrone, da cidade do Pilar, devem atender ao pedido dos Calheiros, em especial Renan Filho, pela unificação do partido no pleito. 

Dessa forma, o porta-voz da aliança ficou a cargo do presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) e prefeito de Cacimbinhas, Hugo Wanderley, que trabalha uma chapa única e governista.

Wanderley tem sido o "apaga fogo" para a Uveal não sair das mãos do PMDB alagoano. No "bolo governista", os vereadores Anizão e Domício Júnior (PSL), Renildo Calheiros, Edinho e Tayronne ficariam comandando alguma diretoria na entidade. 

No entanto, surge como opção forte o nome do arapiraquense Fabiano Leão, também do PMDB, em ser consensual para agradar Wanderlei, Calheiros, Luciano Barbosa e demais colegas de partido. É o jogo político - e de interesses - para que não "pulverize" o pleito.

Porém, vale lembrar que o pedido de judicialização do processo eleitoral foi até "abafado" - de certa forma - para chegar ao prazo final de inscrição das chapas neste sábado, 11. Nem Anizão Amorim - que havia denunciado sobre o edital da eleição apresentar "brechas" - falou mais nada e silenciou após ingerência política do governador.

Como escrevi em fevereiro, segundo informações repassadas ao blog, RF já trabalhava e articulava acordos (cargos, inclusive) para o nome de consenso entre os peemedebistas.

Já os tucanos permanecem com a candidatura de Diomedes Rodrigues da Silva Junior, o Diomedes Rodrigues, de Pão de Açúcar, como confirmou o dirigente do PSDB, Claudionor Araújo, ao blog do Vilar.

Claudionor vê a candidatura de Diomedes "como algo de extrema importância e a evitar que o PMDB tenha hegemonia política no Estado", ou seja, nas grandes entidades políticas como Ama e Uveal. 

Agora, podemos dizer: The End?

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 


Postado em 09/03/2017 às 10:31 0

PSD tem ex-prefeito como novo presidente do partido em Alagoas

Além de contar com três deputados estaduais na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), o partido conseguiu eleger oito prefeitos na eleição de 2016


Por Kléverson Levy

Foto: Facebook

Maykon Beltrão, presidente do PSD Alagoas, e César Lira, presidente do PSD Maceió

O ex-prefeito de Feliz Deserto (2009-2016), Maykon Beltrão, já assumiu a presidência do Partido Social Democrático (PSD) em Alagoas. 

Beltrão anunciou - em suas redes sociais - que está atuando como novo presidente da sigla no Estado.

Na última segunda-feira, 06, ele esteve reunido com o presidente do diretório do partido em Maceió, 'visando' organizar o PSD para a eleição do próximo ano na capital alagoana. 

"Encerrando a segunda-feira de trabalho na sede do Partido Social Democrático (PSD), no qual sou presidente da sigla estadual. Numa reunião com o presidente do diretório do PSD Maceió, César Lira, debatemos sobre a eleição de 2018. O partido está empenhado em busca de novos filiados, e na formação de nomes na capital alagoana, para concorrer aos cargos eletivos no próximo ano", informou Maykon Beltrão. 

Antes do carnaval, o blog postou uma matéria confirmando que o ex-gestor havia deixado o PMDB - do governador Renan Filho e do senador Renan Calheiros - para comandar o PSD.

LeiaPSD Alagoas terá novo presidente após o período carnavalesco

Além de contar com três deputados estaduais (Dudu Holanda, Marcelo Victor e João Beltrão) na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), o partido conseguiu eleger oito prefeitos na eleição de 2016.

No sertão, a sigla de Kassab tem Delmiro Gouveia (Padre Eraldo), Palestina (Lane Cabudo) e Olivença (Zé Arnaldo). O agreste ficou com Tanque D’Arca (Wil Valença). A região metropolitana o município é Marechal Deodoro (Cacau).

Já no litoral norte, o PSD tem maior número de prefeitos nas cidades de Passo de Camaragibe (Vânia do Passo), São Miguel dos Milagres (Bureco Ataíde) e Matriz de Camaragibe (Anderson Kennedy).

Filho do deputado João Beltrão e irmão do ministro Marx Beltrão, Maykon também é o atual secretário de Governo da Prefeitura de Coruripe e vice-presidente da Federação Alagoana de futebol (FAF).

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com


Postado em 07/03/2017 às 18:31 0

Audiência Pública discutirá soluções para combater seca em Palmeira

Evento acontece na próxima sexta-feira (10), às 9hs, no Plenário da Câmara de Vereadores do município; requerimento foi proposto pelo vereador Madson Monteiro (PHS)


Por Kléverson Levy

Foto: Assessoria

Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios

Na próxima sexta-feira (10), às 9hs, no Plenário da Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios, acontece uma Audiência Pública para discutir soluções para a seca que afeta o município. 

O requerimento sugerido pelo vereador Madson Monteiro (PHS) pretende debater propostas emergenciais e políticas públicas a serem implementadas no sentido de minimizar os efeitos da seca.

De acordo com a assessoria da casa legislativa, o parlamentar explicou que a intenção é mobilizar a sociedade civil organizada para traçar meios de convivência e enfrentamento à crise hídrica vivenciada no município, tanto na zona urbana quanto na zona rural. 

“É preciso que haja uma grande mobilização para definirmos medidas que ajudem a minimizar o sofrimento vivenciado por todos. Todo tipo de sugestão será bem-vinda, pois será de mãos dadas que iremos superar esse momento. Os pequenos produtores da região dependem de sua produção principalmente para o sustento de suas famílias, que são colocadas em risco e precisam de apoio para viver com dignidade. Já foi constatado que inúmeras pessoas já estão passando fome”, desabafou o parlamentar.

Já o presidente do legislativo municipal, o vereador Júnior Miranda (PSL), disse que a Câmra palmeirense buscará meios, através da bancada federal, para que o Governo Federal possa intervir através de ações que reduzam os danos da longa estiagem. 

Para Audiência Pública foram convidados representantes da Secretaria de Estado de Agricultura, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Prefeitura Municipal, DNOCS, Codevasf, Ministério Público Estadual, Casal, Associações Comunitárias, Sindicatos, entre outras entidades. 

Portanto, vale ressaltar que o convite também se estende a sociedade civil organizada.

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Com informações da Assessoria da Câmara de Palmeira 


Postado em 07/03/2017 às 09:00 0

Falta de diálogo poderá dificultar reeleição de Renan Filho em 2018

Aliados reclamam da blindagem criada ao redor do governador que vem agindo de forma fria e indiferente, inclusive, com os da chamada "base aliada"


Por Kléverson Levy

Foto: Vanessa Alencar/CM

Governador Renan Filho

Restando pouco mais de um ano para as eleições de 2018, o governador Renan Filho (PMDB) vem enfrentando grande insatisfação por parte da classe política alagoana e, em especial, dos integrantes na Casa de Tavares Bastos.

Muitos parlamentares reclamam da blindagem criada ao redor do governador que vem agindo de forma fria e indiferente, inclusive, com os aliados da chamada "base aliada."

Bem ao estilo do seu vice, o arapiraquense Luciano Barbosa, o governador não tem priorizado o diálogo que é considerado uma das maiores virtudes da política.

Prova disso são "inúmeras ligações não atendidas e o chá de cadeira" dado a muitos políticos, principalmente, deputados que ajudaram a eleger prefeitos pelo interior. Prefeitos esses que, muitas vezes, estão recebendo mais atenção que os próprios deputados que reclamam dos ‘dribles’ do governador.

Um dos parlamentares deixados de lado, por exemplo, foi Cícero Cavalcante, aliado de primeira linha, que há mais de 30 anos marcha - politicamente - com a família Calheiros.

A chamada "inabilidade política" do governador fica ainda mais evidente com a recente distribuição de secretarias de seu governo com políticos que - até bem pouco tempo - eram ferrenhos opositores de sua administração. 

A pasta da Assistência Social, por exemplo, foi oferecida à deputada Jó Pereira (PMDB), sobrinha do senador Benedito de Lira (PP), concorrente direto de Renan Filho nas eleições de 2014.

Ao lado do irmão Joãozinho Pereira, atual prefeito da cidade de Teotônio Vilela, Jó foi uma das principais cabos eleitorais do senador Biu que acabou perdendo a disputa para o peemedebista.

Hoje, a Secretaria de Estado da Assistência Social tem no comando o ex-prefeito de Junqueiro e irmão da deputada, Fernando Pereira.

Já a Secretaria de Estado do Trabalho e Emprego passou para as mãos do deputado Antônio Albuquerque (PTB) que foi outro eleitor de Biu de Lira na eleição de 2014.

Quem assumiu a pasta foi o filho de AA, Arthur Albuquerque (PMDB), derrotado nas últimas eleições municipais em Limoeiro de Anadia pelo agricultor Marcelo Rodrigues (PP).

Para quem não lembra, nas prévias eleitorais de 2014, Albuquerque e os Renans (pai e filho) travaram uma verdadeira "guerra" com trocas de farpas de ambos os lados.

O estopim da batalha começou quando o PRTB, então partido de AA, foi excluído da coligação encabeçada pelos Calheiros. 

Sem líder na ALE

Outro caso recente que comprova a falta de articulação política do governador é a falta de um líder do governo na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE).

Após a saída de Ronaldo Medeiros (PMDB), o nome sondado foi também o do peemedebista Ricardo Nezinho. Porém, Nezinho não demonstrou confiança ao governador e acabou sendo 'descartado'.

Sem líder e correndo contra o relógio, o Renan Filho já conversou com pelo menos outros quatro parlamentares - segundo fontes do blog - que não demonstraram qualquer interesse no cargo de líder. 

A (in)aptidão política do governador que, mesmo com a máquina nas mãos, não conseguiu eleger prefeitos nos dois maiores colégios eleitorais de Alagoas (leia-se Maceió e Arapiraca), tem gerado a desconfiança de analistas políticos que preveem uma reeleição difícil para RF. 

Será?

Atrás do Prejuízo? 

Por outro lado, não foi à toa que o senador Renan Calheiros buscou reunir ontem (06) a bancada do partido na ALE para discutir o 'cenário político do estado e estratégias para as eleições de 2018.'

Como já postei aqui, anteriormente, o senador Renan volta à cena pública/política - em Alagoas - para garantir sua reeleição ao Senado Federal e manter o filho no Governo do Estado.

Cabe agora aos Calheiros, todavia, saber agradar aos aliados e correligionários para manter uma base sólida para o pleito vindouro. 

Repito: a eleição do próximo caminha para uma conjuntura política diferente de anos anteriores, seja na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), na Câmara dos Deputados e/ou no Senado Federal. 

Portanto, saberemos se 2018 responderá nas urnas! 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com


Postado em 06/03/2017 às 09:27 0

Chapa vai registrar candidatura a presidente da Uveal

A dupla Anizão/Domício se reuniu com alguns colegas para debater sobre os últimos ajustes da reta final da campanha à presidência da entidade


Por Kléverson Levy

Foto: Cortesia

Vereadores que compõem a chapa "Üma Nova Uveal" devem formalizar as candidaturas

Reunidos no último final de semana, em Marechal Deodoro, os vereadores que compõem a chapa "Uma Nova Uveal" devem formalizar as candidaturas de Anizão Amorim (PMDB) e Domício Júnior (PSL), respectivamente, presidente e vice-presidente à União dos Vereadores de Alagoas (Uveal). 

Até então, firmes e mantendo os nomes no pleito, a dupla Anizão/Domício esteve com alguns colegas para debater sobre os últimos ajustes da reta final da campanha à presidência da entidade.

Traçar metas em busca dos votos e prevalecer com o grupo unido também foi uma das propostas colocadas à mesa.

Com isso, a chapa deverá ser a primeira que vai lançar candidatura ao cargo de presidente da Uveal.

"Estivemos reunidos em Marechal Deodoro para definição da composição da Chapa Uma Nova Uveal. Muito em breve faremos o lançamento. Tratamos também da programação de atividades estratégicas para essa reta final de campanha. Vamos todos por Uma Nova Uveal. Pelo fortalecimento dos direitos dos vereadores e vereadoras de Alagoas!", escreveu a dupla nas redes sociais. 

Portanto, além de Anizão/Domício, Renildo Vasconcelos Calheiros Sobrinho, o Renildo Calheiros (PMDB), de Murici; José Edson dos Santos, o Edinho, de Coruripe; Tayronne Henrique dos Santos, o Tayrone, da cidade do Pilar, também continuam na disputa. 

Lembrando: no edital de convocação, publicado em 22 de fevereiro, as chapas poderão se inscrever até o próximo sábado, 11, das 9hrs até 12hrs.  

Já no próximo dia 25 de março, das 9hrs até 17hrs, acontecerá a eleição para o Biênio 2017-2018 da União dos Vereadores de Alagoas. 

Judicialização do Processo 

Ainda no final de semana, o Jornal Tribuna Independente trouxe uma matéria sobre o pedido de judicialização do processo eleitoral na Uveal.

O candidato a presidente Anizão Amorim explicou que o edital da eleição (ver edital na matéria do link "Leia mais" abaixo) apresentou "brechas" e não deixou claro se parlamentares inadimplentes com a entidade podem ter direito ao voto. 

De acordo com o jornal, Amorim ressaltou que caso seja constatado vícios nas regras a chapa "Uma Nova Uveal" vai pedir a judicialização do processo eleitoral. 

"Que fique claro quem vai votar. O edital está muito aberto. Precisamos ter uma certeza de quais são as Câmaras que estão aptas. O que posso dizer é que se o edital estiver viciado, nós vamos judidicalizar o processo", disse Anizão à Tribuna Independente. 

Leia maisEleição na Uveal está marcada para o próximo dia 25

Redes Sociais: kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 


Postado em 03/03/2017 às 08:14 0

Eleição na Uveal está marcada para o próximo dia 25

No edital de convocação, publicado em 22 de fevereiro, as chapas poderão se inscrever até o próximo sábado, 11, das 9hrs até 12hrs


Por Kléverson Levy

Até que enfim! foi criada uma Comissão Eleitoral da União dos Vereadores de Alagoas (Uveal) convocando todos os vereadores de Alagoas a comparecer na sede da entidade para eleger a nova diretoria. 

No próximo dia 25 de março, em pleno sábado, das 9hrs até 17hrs, os parlamentares dos 102 municípios poderão escolher os represenatantes que comandarão a Uveal no Biênio 2017-2018.

A comisão é formada por três Bacharéis em Direito que já participaram de eleições passadas, além de uma representante dos parlamentares e um funcionário da Uveal.

No edital de convocação, publicado em 22 de fevereiro, as chapas poderão se inscrever até o próximo sábado, 11, das 9hrs até 12hrs.  

O páreo da disputa ainda continua acirrada entre Renildo Vasconcelos Calheiros Sobrinho, o Renildo Calheiros (PMDB), de Murici; Anízio de Amorim, o Anizão (PMDB), também de Murici; Tayronne Henrique dos Santos, o Tayronne (PMDB), de Pilar; e  José Edson dos Santos, o Edinho (PMDB), de Coruripe, na briga pela cadeira de presidente. 

Será? 

Confira o edital completo em anexo abaixo. 

Redes Sociais: kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 


Postado em 24/02/2017 às 16:28 0

PSD Alagoas terá novo presidente após o período carnavalesco

O ex-prefeito de Feliz Deserto e atual secretário de Governo de Coruripe, Maykon Beltrão, assumirá à presidência do partido no Estado


Por Kléverson Levy

Foto: Facebook

Maykon Beltrão assumirá à presidência do PSD em Alagoas

Ao que tudo indica, nos próximos dias, o Partido Social Democrático (PSD) terá novo comando em Alagoas.

Sigla que está sob o domínio político do deputado federal licenciado e ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB), o PSD estadual vai mudar de presidente.

O ex-prefeito de Feliz Deserto e atual secretário de Governo de Coruripe, Maykon Beltrão, assumirá a presidência no Estado.

A informação foi confirmada ao blog e o ex-gestor já deixou o PMDB - do governador Renan Filho e do senador Renan Calheiros - para comandar o partido em Alagoas.

"Logo após o carnaval estarei no comando da sigla em Alagoas. O PSD se tornou um partido forte e terei a grande missão de fazê-lo crescer ainda mais no Estado. Obrigado ao ministro Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, por reconhecer meu nome como importante à frente do partido", disse Maykon Beltrão em suas redes sociais. 

O PSD alagoano, além de contar com três deputados estaduais, a exemplo de Dudu Holanda, Marcelo Victor e João Beltrão), também saiu fortalecido na eleição de 2016 ao eleger oito prefeitos.

Os municípios comandados pelos gestores da sigla de Kassab são: Delmiro Gouveia (Padre Eraldo), Palestina (Lane Cabudo), Olivença (Zé Arnaldo), Tanque D’Arca (Wil Valença), Marechal Deodoro (Cacau), Passo de Camaragibe (Vânia do Passo), São Miguel dos Milagres (Bureco Ataíde) e Matriz de Camaragibe (Anderson Kennedy).

Filho do deputado João Beltrão e irmão do ministro Marx Beltrão, Maykon também é o atual secretário de Governo da Prefeitura de Coruripe e vice-presidente da Federação Alagoana de futebol (FAF).

Já passou ainda pelas pastas de Esporte e Saúde (também em Coruripe) e é ex-prefeito da cidade de Feliz Deserto (2009-2012 e 2013-2016).

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com


Postado em 23/02/2017 às 20:37 0

Vereadores querem barrar PL que cria 36 cargos e aumenta despesas em Prefeitura 

Caso seja aprovado, Executivo vai custear R$ 101.640,00  (cento e hum mil reais e seiscentos e quarenta) a mais nas contas mensais


Por Kléverson Levy

Foto: Cortesia

Marcelo Caldas Nunes, o Marcelo Moringa (PSL), e Hildebrando Tenório de Albuquerque Neto, o Del Cavalcante (PMDB)

Em meio à crise financeira e o cancelamento do Carnaval 2017, nesta sexta-feira, 24, a Câmara de Vereadores de Marechal Deodoro vai analisar o Projeto de Lei (PL) Nº 07/2017 - de autoria do Executivo municipal - para criação de 36 novos cargos comissionados na estrutura administrativa da Prefeitura local. 

Na mensagem enviada ao presidente do legislativo deodorense, vereador André Luiz Barros da Silva, o André Bocão (PSD), o prefeito Claudio Roberto Ayres da Costa, o Cacau (PSD), pediu aos parlamentares apreciação e aprovação do PL alegando que há necessidade de proporcionar estrutura funcional adequada à prestação dos serviços públicos. 

Os cargos (leia-se os 36) atenderão as secretarias de Planejamento, Orçamento e Desenvolvimento Urbano; Educação; Saúde; Assistência Social; Obras e Infraestrutura; Cultura e Preservação do Patrimônio Histórico; e estrutura geral da administração municipal. 

Dois vereadores de oposição querem barrar a aprovação do PL na Câmara Municipal. Marcelo Caldas Nunes, o Marcelo Moringa (PSL), e Hildebrando Tenório de Albuquerque Neto, o Del Cavalcante (PMDB), discordam da proposta apresentada pelo Executivo deodorense. 

Em contato com o blog, Del Cavalcante explicou que o PL Nº 07/2017 contradiz tudo que o prefeito relata em relação ao momento de crise. O parlamentar ressaltou que a atual administração cancela os festejos de Momo, mas, ao mesmo tempo, quer aprovação de um projeto que vai custar mais de R$ 100 mil aos cofres públicos. 

"Somos totalmente contra ao projeto. O prefeito [Cacau] diz que o município não tem dinheiro. Também faltam medicamentos nos Postos de Saúde. O carnaval deste ano, tradição em nossa cidade, foi cancelado com a justificativa de não ter dinheiro para custear. Aí vem o gestor com o Projeto de Lei que cria mais de R$ 100 mil de encargos para o Executivo pagar? Absurdo!  Tanto eu quanto o vereador Marcelo Moringa somos contra o PL. Repudiamos e votaremos contra esse projeto", disse Cavalcante. 

Cargos Comissionados

Para cada pasta - seis no total - será criado o cargo de Superintendente (SUP) com remuneração de R$ 5.000 (cinco mil reais), todavia, custando R$ 30 mil (trinta mil reais).  No entanto, na estrutura geral da administração municipal o valor do comissionado é de R$ 1.800 (hum mil e oitocentos reais) para as trinta (30) vagas que resultará no gasto de R$ 54 mil (cinquenta e quatro mil reais). 

Além disso, soma-se o valor de R$ 17.640,00 (dezessete mil reais e seiscentos e quarenta) que é o imposto sobre os cargos (os 21% do Patronal). Somados os gastos total, a Prefeitura de Marechal Deodoro vai ter que desembolsar - mensalmente - exatos R$ 101.640,00  (cento e hum mil reais e seiscentos e quarenta) a mais nas despesas do Executivo para manter todos os 36 cargos. 

O Projeto de Lei Nº 07, de 13 de fevereiro de 2017, caso seja aprovado, diz em seu parágrafo único que as atribuições para quem ocupar os cargos acimas citados serão regulamentados através de Decretos do chefe do Poder Executivo. 

Já Art. 3º complementa ainda que as despesas decorrentes da Lei serão custeadas de dotações para pessoal civil consignadas no orçamento do município, ou seja, o gestor também estará autorizado a suplementá-las, caso seja necessário. 

Em tempo: O blog entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Marechal Deodoro, contudo, até a publicação desta matéria, não obtivemos uma resposta oficial. 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com