Vanessa Alencar

“Pode ser besteira... Mas vou contar"

Ilustração/Internet Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

"O que faria você desistir de contar uma história para poucos ou mesmo para muitos?". Eis a pergunta que a psicóloga Tédima Soares Batista faz ao leitor logo no convite do lançamento do livro de sua autoria, "Pode ser besteira... Mas vou contar".

Comprovando que nada a fez desistir de contar essa história, o romance será lançado nesta sexta-feira, 22, às 18h, no Café São Braz, na Ponta Verde.

A obra conta a saga de uma família numerosa, composta por seis irmãos, que migra do interior para a capital, Maceió. As mudanças, ao longo dos anos, dos bairros Ponta Verde, Pajuçara e Ponta da Terra e fatos marcantes da sociedade local servem de pano de fundo para a história do clã.

Serviço:

Lançamento do livro  "Pode ser besteira... Mas vou contar"

Data: 22 de novembro (sexta-feira), às 18h

Local: Café São Braz (Ponta Verde)

 

Galba critica veto a PL que reconhece “paternidade” de leis estaduais

Vinícius Firmino/Ascom ALE Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Galba Novaes

O deputado Galba Novaes (MDB) criticou o veto total do governador Renan Filho (MDB) - publicado no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (19) - ao Projeto de Lei de autoria do parlamentar, que determina a inserção do número do PL e do nome do autor nas leis estaduais.

“Tenho uma proposta que cria o Estatuto da Pessoa com Câncer. Se for aprovado e a lei sancionada pelo governo, a sociedade não saberá quem foi o autor da lei... Tem várias leis que não conseguimos saber de quem foi. É uma dificuldade nos parlamentos em geral”, exemplificou Galba, pedindo aos colegas que o veto seja derrubado quando chegar à Casa.

Ele lembrou que, devido a um PL apresentado por ele quando foi vereador, o nome do autor consta em todas as legislações da capital.

Em aparte, Inácio Loiola (PDT) defendeu o projeto de Galba e disse que, a partir de agora, irá desfraldar a bandeira pela derrubada do veto: “Temos que mostrar quem é o pai”.

Na justificativa do veto, o governador destaca que a matéria afronta ao princípio da impessoalidade previsto na Constituição Federal e na Constituição do Alagoas.

Orçamento Impositivo: confira valores e beneficiários das primeiras emendas apresentadas na ALE

Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Plenário da Assembleia Legislativa (ALE)

Os deputados estaduais começaram a apresentar suas emendas impositivas ao Orçamento do Estado para 2020. Conforme a PEC do Orçamento Impositivo, promulgada em outubro deste ano pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor (Solidariedade), as emendas individuais à Lei Orçamentária Anual (LOA) serão aprovadas no limite de 1% da receita corrente líquida prevista no projeto encaminhado pelo Executivo, sendo metade deste percentual (50%) destinada a ações e serviços públicos de saúde.

Cada parlamentar pode direcionar cerca de R$ 2 milhões e 949 mil para municípios e instituições, que terão que prestar contas dos recursos públicos recebidos, lembrou o deputado Bruno Toledo (PROS), um dos autores da PEC. O Blog listou aqui algumas dessas emendas impositivas que foram protocoladas na quinta-feira passada, 14 de novembro.

Da sua cota, Toledo destinou R$ 1 milhão para o Hospital Sanatório; R$ 500 mil para a Prefeitura de Batalha; R$ 550 mil para o Hospital Veredas; R$ 500 mil para a APAE; R$ 300 mil para a FunBrasil e quase R$ 100 mil para o CREN (Centro de Recuperação Nutricional).

As emendas do deputado Léo Loureiro (Progressistas) beneficiam principalmente a APAE de vários municípios, entre eles Maceió, que receberá o montante de R$ 500 mil; Arapiraca e Maragogi (R$ 200 mil para cada) e Palmeira dos Índios (R$ 270 mil). Loureiro destinou também R$ 500 mil para o Hospital Veredas e R$ 300 mil para o Fundo Municipal de Saúde da Prefeitura de Maragogi.

Entre as emendas apresentadas por Galba Novaes (MDB), quase R$ 975 mil irão para a área de saúde do Instituto Irmã Suzana, cujo nome fantasia é Instituto Galba Novaes de Castro; R$ 700 mil para a Prefeitura de Anadia; R$ 500 mil para Prefeitura de Colônia Leopoldina, sendo R$ 300 mil específicos para a Secretaria Municipal de Saúde; e R$ 200 mil para Prefeitura de Campestre.

Davi Davino Filho (Progressistas) destinou R$ 1,5 milhão para o Hospital Veredas e R$ 500 mil para a APAE. Já Yvan Beltrão (PSD) direcionou R$ 1 milhão para o Hospital Sanatório; quase R$ 476 mil para a APAE; R$ 600 mil para a Prefeitura de Coruripe e quase R$ 135 mil para o Clube de Regatas Brasil (CRB).

O Hospital Veredas também será beneficiado com R$ 900 mil da cota de Marcelo Beltrão (MDB), que destinou ainda R$ 250 mil para a Prefeitura de Marechal Deodoro; R$ 500 mil para o CRB e R$ 800 mil para a Prefeitura de Penedo.

As emendas da deputada Fátima Canuto beneficiam principalmente o município de Pilar, onde o filho da parlamentar é prefeito. Serão R$ 1 milhão para Secretaria de Saúde de Pilar; R$ 400 mil para a Secretaria de Assistência Social e R$ 100 mil para a Secretaria de Educação. A Rede Feminina de Combate ao Câncer receberá R$ 160 mil.

Marcos Barbosa (Cidadania) destinou R$ 1 milhão para o CRB, clube do qual é presidente; R$ 300 mil (Prefeitura de União dos Palmares); R$ 200 mil (São Miguel dos Campos); R$ 300 mil (Rio Largo); R$ 200 mil (Matriz do Camaragibe); e R$ 200 mil (São Luiz do Quitunde).

Flávia Cavalcante (PRTB) mandará R$ 2 milhões para a Secretaria de Saúde de São Luís do Quitunde e quase R$ 850 mil para Secretaria de Educação do município

Entre as emendas já apresentadas por Cibele Moura (PSDB), foram destinados R$ 300 mil para a Polícia Militar de Alagoas; R$ 150 mil para a Secretaria de Estado do Trabalho e R$ 150 mil para a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia.

Já Tarcizo Freire (Progressitas) destinou a maior parte do montante para Arapiraca: R$ 1 milhão 474 mil para a Secretaria de Saúde; R$ 600 mil para o Fundo de Educação e R$574.500 para a própria Prefeitura de Arapiraca.

As emendas que já foram protocoladas estão disponíveis no site da ALE: https://www.al.al.leg.br/processo-legislativo/materias-legislativas

Deputado quer criar Dia do Combate à Intolerância Ideológica: trégua entre “mitos” e “isentões”

Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Cabo Bebeto

Seis de setembro foi a data escolhida pelo deputado estadual Cabo Bebeto (PSL) para comemorar o Dia Estadual do Combate à Intolerância Ideológica, conforme Projeto de Lei (PL) protocolado ontem e lido na sessão desta quinta-feira (14), na Assembleia Legislativa.

Na justificativa, o parlamentar destaca que "nos últimos anos, em razão do agravamento dos casos de corrupção, o País se polarizou entre ideologias, acabando por proliferar um discurso de ódio entre seus simpatizantes, sendo palco de constantes confrontos políticos e ideológicos".

Para o deputado, a polarização ganhou força durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016, e prossegue até hoje. Ele cita que o atrito "entre dois grandes grupos que divergem em suas reivindicações provocaram diversos atos de intolerância e continuam sendo praticados por ambas as partes".

Bebeto finaliza falando que o respeito à diversidade ideológica e política é essencial para o desenvolvimento do país.

A data - na qual, coincidentemente, é comemorado também o Dia do Sexo - até vale como reflexão, mas infelizmente não será capaz de promover sequer uma trégua entre os adoradores dos “mitos” e os mais novos alvos dos radicais: os “isentões”.  

Paulão diz que Bolsonaro está criando “Partidos dos Milicianos”

Foto: Agência Câmara/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Paulão

O deputado federal Paulão (PT) usou sua conta no Twitter nesta terça-feira (12) para ironizar a saída de Jair Bolsonaro do PSL. Segundo o parlamentar, o presidente está criando um novo partido, “o Partido dos Milicianos”.

Paulão também criticou o fato de Bolsonaro estar coletando assinaturas para criação do novo partido em grupos de WhatsApp. Para disputar o pleito municipal, a legenda precisa ser criada até março de 2020.

“Esse presidente é um hipócrita. Quer legalizar um novo partido através de redes sociais. Mas, é contrário ao voto eletrônico”, afirmou o deputado, encerrando a frase com a #BolsonaroEnvergonhaOBrasil.

Hoje à tarde, Bolsonaro anunciou oficialmente a saída do PSL. A ideia é fundar o partido Aliança Pelo Brasil.
 

 

MP apura envolvimento de torcedores em vandalismo e incitação à violência

Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Torcedores atiram ovos em ônibus

Por meio da 37ª Promotoria de Justiça da Capital, com atuação perante o Juizado do Torcedor, o Ministério Público Estadual instaurou Procedimento Preparatório de Inquérito Civil para identificar e apurar o envolvimento de torcedores do CRB - usando a camisa da torcida “Garra” - em atos de vandalismo e incitação à violência. A portaria foi publicada no Diário Oficial do MP desta segunda-feira (11).

No dia 6 deste mês, dois torcedores jogaram ovos no ônibus do CRB, na saída do Aeroporto Zumbi dos Palmares, revoltados com o fato de o time alagoano ter perdido por 5 a 1 a partida contra o Cuiabá, na Arena Pantanal. A cena foi filmada e o vídeo viralizou nas redes sociais.

A portaria destaca que o Estatuto do Torcedor “prevê que a torcida organizada que, em evento esportivo, promover tumulto; praticar ou incitar a violência; ou invadir local restrito aos competidores, árbitros, fiscais, dirigentes, organizadores ou jornalistas será impedida, assim como seus associados ou membros, de comparecer a eventos esportivos pelo prazo de até  três anos”.

O documento do MP também destaca a preocupação da Polícia Militar com o aumento da violência por parte da referida torcida no acesso ao Estádio Rei Pelé nos jogos do CRB.

Em Nota Oficial divulgada à imprensa após o episódio, a diretoria da Torcida Garra informou sobre a expulsão, do quadro de sócios, da dupla de torcedores flagrada atirando ovos contra o ônibus do Clube. 

 

 

JHC formaliza pedido de celeridade a PEC da segunda instância; votação pode ocorrer na segunda

Agência Câmara/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado JHC

O deputado federal JHC (PSB) formalizou nesta sexta-feira (8) um pedido ao presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), para dar celeridade à PEC 410, que trata da possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

Conforme a revista eletrônica Crusoé, Francischini já pautou para a próxima segunda-feira (11), a partir das 14h, a votação da proposta, de autoria do deputado Alex Manente (Cidadania-SP).

A relatora, deputada Caroline de Toni (PSL-SC), apresentou parecer favorável à admissibilidade da PEC. Se for confirmada a votação na segunda, é porque certamente o presidente da CCJ já conta com os votos necessários para aprovação da matéria.

Ricardo Melro explica necessidade de novos cargos na Defensoria e diz que preenchimento dependerá do orçamento

Assessoria/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Defensor Público Geral, Ricardo Melro

Caso sejam realmente criados, os 40 novos cargos comissionados de assessor jurídico, previstos do anteprojeto de lei de autoria da Defensoria Pública do Estado, só serão preenchidos quando houver espaço no orçamento da instituição. Hoje, esse espaço não existe, portanto, a aprovação da proposta não gerará impacto financeiro imediato, explicou o Defensor Público Geral do Estado, Ricardo Melro, em entrevista ao Blog.

A Defensoria possui orçamento para o único impacto financeiro imediato, de R$ 76.524,32, que ocorrerá apenas em relação ao reajuste anual proposto, de 3,75% nos vencimentos dos ocupantes dos cargos comissionados e funções gratificadas.

Ele pontuou que os cargos de assessoramento - de livre nomeação e exoneração - têm previsão constitucional (Art. 37, II, V, da Constituição Federal) e existem nos órgãos componentes do Poder Judiciário e no Ministério Público, que têm carreiras análogas as da Defensoria Pública.

Ricardo Melro destacou a necessidade de mão de obra jurídica para auxiliar os 84 defensores que atuam em todo o Estado e, consequentemente, melhorar os serviços prestados à população: “Hoje os defensores trabalham praticamente sem assessoramento, sem agentes de apoio, quando o ideal seriam dois assessores para cada um deles, o que se justifica pela enorme demanda, mas é impossível no momento”.

Sobre o auxílio-alimentação, também proposto no anteprojeto, o defensor disse que o benefício também é adotado no Judiciário e no MP e, no caso da Defensoria, visa valorizar e atrair os profissionais “em larga maioria, de nível superior, com muitos bacharéis em direito, que não têm permanecido na instituição em face dos parcos valores remuneratórios ofertados, motivo que leva a uma constante descontinuidade dos serviços com prejuízos ao fluxo de trabalho e a população”.

Frisando que não é preciso concurso público para o preenchimento das vagas de assessor, Melro disse que, em termos de cargos efetivos, a necessidade da Defensoria hoje é para a área administrativa, mas por questões orçamentárias ainda não há previsão de quando o certame pode ser realizado. “Estamos trabalhando anualmente nas propostas orçamentárias para contemplar a criação do referidos cargos”, acrescentou.

“A prioridade é melhorar o serviço da atividade fim. Estamos buscando isso com a presente proposta, mas está em nossos planejamentos organizar a atividade meio, de genuína administração. O orçamento é pouco e não podemos fazer tudo que precisamos ao mesmo tempo. São escolhas que devemos fazer e não temos como fugir de escolher a atividade fim, que trabalha diretamente com o povo”, finalizou o defensor.

Projeto cria 40 novos cargos comissionados na Defensoria Pública do Estado

Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Sede da Defensoria Pública

Um anteprojeto de lei de autoria da Defensoria Pública do Estado cria 40 novos cargos comissionados de Assessor Jurídico (ASSJUR) - com remuneração em torno de R$ 3 mil - na instituição (que hoje conta apenas com um assessor desta natureza), a serem providos mediante dotação orçamentária.

Serão criados também 24 cargos comissionados de Agente de Apoio (com salários de aproximadamente R$ 2 mil), para substituir os 24 já existentes, conforme o anteprojeto protocolado nesta quarta-feira (6) na Assembleia Legislativa.

A matéria prevê ainda o reajuste de 3,75% nos vencimentos dos ocupantes dos cargos comissionados e funções gratificadas da Defensoria Pública, com efeito a partir de janeiro deste ano.

Os servidores comissionados que ocuparão os novos cargos também terão direito a auxílio-alimentação, pago em dinheiro, em valor a ser fixado posteriormente, em ato do Defensor-Geral. 

O Blog entrou em contato com a Defensoria Pública, por meio de sua assessoria de Comunicação, e aguarda retorno sobre a justificativa da proposta.

Mano Walter pode receber homenagem na Assembleia Legislativa

Som Livre/Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Mano Walter

Um Projeto de Resolução de autoria do deputado Davi Maia (DEM) concede a Comenda Ledo Ivo ao cantor Mano Walter, que é natural de Quebrangulo, reduto eleitoral do parlamentar.

Na justificativa, Maia destaca que a homenagem se deve aos relevantes serviços prestados pelo artista em prol das artes e da cultura do estado, e pelo fato de Mano Walter levar o nome de Alagoas para o restante do país.

Ele lembra ainda que este ano o alagoano foi indicado ao Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum de Música Sertaneja”, com o álbum Ao Vivo em São Paulo –  Mano Walter.

O projeto ainda não foi votado, mas deve ser aprovado sem intercorrências. Será que Mano Walter fará o "Juramento do dedinho" na Assembleia Legislativa de Alagoas?

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com