Vanessa Alencar

Ex-deputado lança livro de causos políticos e comenta cenário local e nacional

Vanessa Alencar/CM/Arquivo C3980e7d 0f66 4116 a969 ac5c3fdc5821 Ex-deputado Temóteo Correia


Nesta terça-feira (21), às 19h, o engenheiro civil e ex-deputado estadual Temóteo Correia lança, no Teatro Deodoro, o volume dois do livro “O pitoresco da política no país das Alagoas”. Para o autor, esta é uma obra mais apurada, nascida após a experiência positiva do primeiro volume, que contou com quatro edições e uma tiragem de mais de três mil exemplares.

“Foram inúmeras cobranças por um novo livro, que demandou tempo. Fomos ouvindo, juntando, aprimorando, e o resultado é esse: mais de 130 histórias inéditas, a maioria ilustrada, e protagonizada por personagens reais”, contou em entrevista ao CadaMinuto.

A seguir, os principais trechos da conversa, que o leitor pode conferir na íntegra nos áudios.

Humor apartidário

Lembrando que é hoje o único autor alagoano a se dedicar ao humor no universo político, Correia disse que seu objetivo não é o escárnio, a zombaria, e sim trabalhar o pitoresco sem desmerecer, nem humilhar ninguém, tanto que, na maioria das vezes, os próprios protagonistas o procuram para relatar as histórias.

“Não há preconceito político. O que é história vai para o livro... É um livro isento de paixão política. Só tem humor”.

Supersincero

Sobre as razões que o afastaram da política propriamente dita, após seis mandatos consecutivos na Casa de Tavares Bastos, o ex-parlamentar contou que, devido a um problema de saúde ocorrido em 2010, seu emocional não estava “normal” e um dos efeitos colaterais eram os rasgos de “supersinceridade”. 

“Além das questões de saúde, vislumbrei que o caminho da política não estava bom, embora hoje esteja pior. Não é mais atrativo fazer política com destemor e não tenho mais idade para me expor e expor minha família”, resumiu.

Em relação à política nacional e local, Correia demonstrou inclinação para o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), afirmando que, seja quem for o presidente eleito, precisará ter autoridade para fazer as reformas necessárias ao país.

Decretando a falência do sistema político, onde partidos são meros “cartórios”, o escritor elogiou a internet - especialmente a pressão popular oriunda das redes sociais - como ferramenta que surgiu para ajudar a mudar o Brasil. 

Sobre Alagoas, o ex- deputado disse que a disputa deste ano foi apimentada com a entrada do senador Fernando Collor (PTC) e que a briga pelas duas cadeiras no Senado deve se acirrar ainda mais. Por fim, avaliou: “Em política, ninguém ganha de véspera”.

O lançamento do livro terá encenação de algumas histórias, pelo grupo teatral Joana Cajuru, coquetel e autógrafos ao som de um conjunto de cordas.

 

Alagoas terá cápsula do tempo para ser aberta em 100 anos

Ilustração/Internet C2fba8cb 0ab3 4f72 b77c 689d0e17e77e Ampulheta

Como estará Alagoas em 16 de setembro de 2117? A maioria de nós não irá testemunhar, mas o quê, do presente, você gostaria de eternizar em uma cápsula do tempo?

Conforme o decreto que institui o projeto Cápsula do Tempo, publicado nesta segunda-feira (20), pelo Governo do Estado, ainda em comemoração aos 200 anos da Emancipação Política de Alagoas, o plano será aberto à participação de todos os cidadãos.

Coordenado, executado e mantido pelo Gabinete Civil, o projeto terá a colaboração e guarda do Museu Palácio Floriano Peixoto. A cápsula contendo periódicos, livros, vídeos, fotografias e demais objetos referentes à história do Estado e às comemorações do bicentenário da Emancipação Política de Alagoas, será lacrada pelo tempo de cem anos, a contar do dia 16 de setembro de 2017.

A partir de então, só deverá ser aberta, em solenidade oficial, nas comemorações do tricentenário da Emancipação Política, em 16 de setembro de 2117.

Como o futuro verá o passado?  

Judson apela contra voto nulo e branco: "Não confundam política com políticos"

CadaMinuto 060a3231 6203 47db 8f12 81daa74fa9d6 Judson Cabral

O ex-deputado Judson Cabral (PDT), candidato a voltar à Casa de Tavares Bastos, é mais um dos envolvidos na política a demonstrar preocupação com a quantidade de eleitores que pretendem anular o voto ou votar em branco no pleito deste ano.

Citando alguns dos escândalos e polêmicas que marcaram a história recente do legislativo estadual, a exemplo da Operação Taturana, servidores fantasmas e gratificações milionárias, ele lembrou que muitos políticos usam a ALE como "escudo" contra a justiça. 

"Ao longo dos últimos anos, a Casa de Tavares Bastos ficou manchada perante a sociedade e os eleitores alagoanos e esse perfil de corrupção vem afastando cada vez mais o eleitor da participação efetiva na escolha dos seus representantes políticos", analisou Cabral.

Para ele, é fundamental uma reação das pessoas, não com o voto nulo ou em branco, mas com uma maior reflexão: "Não confundam a nobreza da política com os políticos". 

Lembrando que muitos políticos se aproveitam das brechas legais e da carência da população para comprar votos e exercer tráfico de influência, alertou: "É preciso que essa revolta contra o voto seja transformada em um estudo de consciência, pois os políticos que irão trabalhar na política precisam ser analisados".

Assédio em coletivos não é crime de "menor potencial ofensivo", defende deputado

Foto: Ascom/ALE/Arquivo 71f633c1 f995 409b ab27 7c48c00eddaf Deputado Pastor João Luiz

O deputado Pastor João Luiz (PSC) também repercutiu, em entrevista à Comunicação da Assembleia Legislativa (ALE), nesta quarta-feira (15), o assédio sexual sofrido por uma universitária dentro de um ônibus na capital. O vídeo com a reação da vítima diante do criminoso viralizou nas redes sociais e nos meios de comunicação.

O parlamentar lembrou que o caso ocorrido na terça, dia 14, infelizmente não é isolado e vem ocorrendo há muito tempo, principalmente nos ônibus que circulam nos horários da noite e da madrugada, os chamados “corujões”. 

Destacando a importância da adoção de medidas preventivas, como o botão do pânico, para tentar minimizar as ocorrências, ele frisou, no entanto, que elas só surtirão efeito desde que as forças policiais estejam atentas para atendimento imediato: “Já vi, na Avenida da Paz, um acusado pular a janela do ônibus”, contou. 

João Luiz também questionou o fato de o crime ser tipificado como de menor potencial ofensivo: “Não acho que seja. Só quem passou por isso sabe a dor e a marca que ficam”, afirmou, defendendo uma punição mais severa nesses casos: “Se você sabe que será solto na esquina, acaba perdendo o medo e continua fazendo”.

“Quem compartilha é cúmplice”, diz Biu sobre fake news

Reprodução/Facebook Ebfe520e 6e00 4593 b637 08a473958982 Senador Benedito de Lira

O senador Benedito de Lira (PP) afirmou, via redes sociais, que está sendo vítima de fake news e pediu a ajuda da população para denunciar os casos: “Divulgar notícia falsa é crime. Denuncie. Afinal, quem compartilha esse tipo de notícia está sendo cúmplice”, lembrou.

A postagem foi feita ontem (14), no mesmo dia em que o desembargador eleitoral Gustavo de Mendonça Gomes, do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL), determinou um prazo para a retirada, pelo Facebook, de uma postagem ofensiva ao senador.

Conforme divulgado pela assessoria de Comunicação do TRE, no pedido de liminar, o candidato à reeleição destaca que a publicação – um card atribuindo ao senador à autoria da frase “É da natureza da mulher levar umas palmadinhas do marido quando faz alguma coisa errada” – é uma inverdade e uma propaganda ofensiva a sua honra e imagem.

Na decisão, Gustavo Gomes impôs ainda multa diária de R$ 30 mil caso o conteúdo não seja removido.

Carimbão critica Daniela Mercury e cai em “Fake News”

Agência Câmara/Arquivo Cce96772 be1a 469c a3af edb410ba3cfd Deputado Givaldo Carimbão

Em uma brevíssima fala durante a sessão de ontem (13), na Câmara, o deputado federal Givaldo Carimbão (Avante) criticou um comentário feito há quase um mês, em julho passado, pela cantora Daniela Mercury, em relação ao cancelamento da apresentação da peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, no Festival de Inverno de Garanhuns, em Pernambuco.

“Me choca profundamente que os políticos desse país censurem uma peça de teatro, que censurem uma exposição de arte, de grandes artistas. É de uma petulância absurda”, disse a artista, uma das atrações do festival, durante seu show.

O parlamentar alagoano lembrou que a exposição de arte a qual a cantora se referiu “mostrava Maria de pernas abertas” e que os teatros “querem impedir um homossexual de chamar Jesus de bicha”.

O deputado federal defendeu o respeito aos cristãos brasileiros, mas, no final, acabou repercutindo uma “Fake News”: “Não posso aceitar Daniela Mercury dizer que de repente Jesus é bicha. Isso é uma falta de respeito com o povo brasileiro”.

A frase (polêmica) atribuída pelo parlamentar à cantora foi, na verdade, dita pelo cantor pernambucano Johnny Hooker.

Ex-deputado lança novo livro de causos sobre a política alagoana

Ascom ALE/Arquivo 1300216247temoteo correia Ex-deputado Temóteo Correia

Quinze anos depois do lançamento do primeiro volume, em 2003, o ex-deputado estadual Temóteo Correia lança, no dia 21 deste mês, o segundo volume do livro “O pitoresco da política no país das Alagoas”.

Com 240 páginas e o selo da Viva Editora, o livro será lançado às 19h, no Teatro Deodoro.

Nesta nova edição, o escritor promete causos inéditos envolvendo personagens históricos da política alagoana.

A leitura das histórias contadas pelo ex-parlamentar, ele próprio um personagem e tanto da pitoresca política local, é um alívio cômico (necessário) em meio às tensões de um ano eleitoral e em meio a tanta piada de mau gosto.

Deputado quer polícia investigando “cara de pau” de distribuidoras de combustíveis

Foto: Divulgação Cd2ca2dd 9965 4ad9 95eb e922ff2e2345 Postos de combustíveis

Em pronunciamento na Câmara, na semana passada, o deputado federal JHC (PSB) parabenizou o Ministério Público e a Polícia Civil do Paraná pela Operação Margem Controlada. Na ação, deflagrada no final de julho, oito pessoas ligadas às distribuidoras BR, Raízen (da Shell) e Ipiranga foram presas, suspeitas de controlar os preços de combustíveis vendidos nos postos.

Segundo o parlamentar alagoano, na “cara de pau”, as distribuidoras colocavam motoboys para pressionar donos de postos, controlando o preço antes mesmo de o combustível chegar às bombas, “inclusive obrigando os empresários a tirarem fotos e enviar o quanto estão cobrando pelo litro”.

Para JHC, a operação feita em Curitiba pode ser imitada em todo o Brasil.

Na mesma sessão, o deputado federal anunciou que já contava com mais de 62 assinaturas em seu pedido para instalação de uma CPI para investigar denúncias de oligopólio e o controle dos combustíveis praticados pelas distribuidoras do País.

Aborto: parlamentar alagoano acusa STF de usurpar prerrogativas da Câmara dos Deputados

Foto: Agência Câmara/Arquivo 35a72a12 cf86 4c8d a159 ff86ebcabbfc Givaldo Carimbão

Autor de um projeto de lei que torna o aborto crime hediondo, o deputado federal Givaldo Carimbão (Avante) afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) quer usurpar as prerrogativas da Câmara dos Deputados.

“Não é competência do Supremo decidir aborto, é da Câmara”, frisou, em vídeo divulgado nas redes sociais,

O parlamentar protocolou na Casa uma solicitação para que a Câmara discuta o tema de “forma imparcial e não como o STF quer”.

Durante dois dias, no começo desta semana, o STF realizou audiências públicas para debater se o aborto deve deixar de ser crime se for realizado até a 12ª semana de gestação.

Caberá a ministra Rosa Weber relatar a ação, proposta pelo PSOL, sobre o assunto. Com a conclusão do voto, o processo deve ser inserido na pauta de julgamento do plenário do STF.

 

JHC propõe CPI para investigar "máfia" das distribuidoras de combustíveis

Agência Câmara/Arquivo C883b732 1880 4c7c 9f1f c1898a283910 Deputado JHC

O deputado federal JHC (PSB) propôs, na sessão desta quinta-feira (09), na Câmara dos Deputados, a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suspeitas de oligopólio e controle de preços dos combustíveis, praticados pelas principais distribuidoras do país, e apurar a “estranha relação” entre a ANP e essas empresas.

Conforme divulgado pela assessoria de Comunicação de JHC, mais de 60 parlamentares já assinaram o requerimento para abertura da CPI para averiguar o que ele classificou de "máfia".

“Essas distribuidoras estão controlando preços, antes mesmo dos combustíveis chegaram aos postos. Nós fomos aos sindicatos, postos, toda a rede de proteção e chegamos a conclusão de que há uma forte organização, um grande oligopólio dessas distribuidoras na distribuição dos combustíveis no Brasil”, afirmou JHC.

Ainda por meio da assessoria, o alagoano frisou que, atuando como “atravessadores”, as distribuidoras têm prejudicado o livre comércio e encarecido o preço do combustível, que pode ser reduzido em até 20% para o consumidor final.

É do parlamentar também o Projeto de Decreto Legislativo apresentado na Câmara para suspender parte de uma resolução da ANP e permitir que os produtores de etanol possam comercializar o produto diretamente para os postos de combustíveis de todo o país.

.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com