Raízes da África

Fábio Farias traz o legado de dialogar com universos díspares...

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Ele traz o legado de dialogar com universos díspares,e com tenacidade agrega entornos e vai celebrando gentes e  os lugares por onde passou.
Quando o conheci,como secretário de estado da educação, estava eu, na caminhada primeira, gestando caminhos identitários a frente do Núcleo Temático Identidade Negra na Escola, na SEE, e ele trouxe  a essência do apoio, reinterpretando e ressignificando lugares antes tão áridos politicamente.
Observando pelas brechas do tempo, como um #tbt vale afirmar que Fábio Farias foi um parceiro valioso na ruptura de uma série de barreiras quando da nossa construção da educação antiracista nas escolas estaduais, na SEE.
Tempos imemoriais.
Com suas histórias cheias de profundezas,em muitos momentos deixou as intransigências alheias de calças curtas ,construindo pontes sobre hiatos, com novas e outras linguagens.
Conhecer e conviver com Fábio Farias, quando gestor da Secretaria de Estado da Educação foi uma experiência ímpar e ,quando  esse companheiro de aventuras, agora Secretário de Estado do Gabinete Civil  é  agraciado com a  Comenda da Ordem do Mérito Ministro Silvério Fernandes de Araújo Jorge , no grau Grã-Cruz,pelo  Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT/AL), nesse 14 de novembro é tempo de aplaudir  e reafirmar que a honraria é fruto de todas as conquistas do homem público.
Merecidamente.
 Parabéns, Fábio Luiz Araújo Lopes Farias.

Em discurso de abertura, Instituto Raízes de Áfricas, propõe a Renan Filho edições do Governo Presente nos Quilombos.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na manhã do  dia 14 de novembro,em União dos Palmares,a coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, Arísia Barros  fez o discurso de abertura da  solenidade de inauguração do acesso à Serra da Barriga/Quilombo dos Palmares 
Além de fazer uma releitura política do mês da consciência negra, em  seu discurso, propôs ao governador Renan Filho, edições do Governo Presente nos quilombos.
"É preciso  ir além das festividades no novembro da consciência negra.Consciência negra é fazer enfrentamento diário e sair do lugar comum e investir em políticas públicas.
A realização do Governo Presente nos quilombos , além de levar diversas ações e serviços de saúde , cidadania, informações sobre prevenção de doenças,  disponibilização de  exames e consultas especializadas  será palco de escuta de  protagonistas destes territórios e essa  escuta servirá como diagnósticos  necessários para busca de soluções."
 
Ao ouvir a proposta Renan Filho fez sinal de positivo e exclamou: Boa!
Quem sabe a partir de 2020 , Alagoas terá o Governo Presente nos quilombos alagoanos?
Quem sabe?
 

Uma idosa de 77 anos, estuprada dentro de casa, pelo próprio genro. A culpa é da roupa? Do lugar? Do horário? Da bebida?

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Uma idosa de 77 anos foi agredida e estuprada, dentro de casa, pelo próprio genro na noite de sábado, em um povoado de Minas Novas, município com cerca de 30 mil habitantes no Vale do Jequitinhonha. Assim que foi flagrado pela esposa, o criminoso fugiu. A filha da vítima afirmou que saiu rapidamente da residência e, quando voltou, encontrou a casa toda trancada e com as luzes apagadas. Preocupada, ela chegou próximo à janela do quarto da mãe, ouviu gritos abafados e flagrou o crime sexual – com a mãe se debatendo para evitar o ato. A vítima ficou machucada e precisou ser internada.
Uma idosa de 77 anos, estuprada dentro de casa, pelo próprio genro. A culpa é da roupa? Do lugar? Do horário? Da bebida?
A culpa do estupro é do estuprador e SOMENTE do estuprador.


Fonte:Quebrando o Tabu
https://bhaz.com.br/2019/11/17/estupra-sogra/

Indicada pelo Instituto Raízes de Áfricas, Orquestra de Tambores dá show na inauguração do acesso à Serra da Barriga.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A Orquestra de Tambores de Alagoas é  genuinamente alagoana e agrega uma sintonia de ritmos,cores, timbres e sentimentos,como  ecos africanos ampliando territórios de pertencimento.
Criada,a partir de uma oficina improvisada no quintal do moço músico e percursionista Wilson Santos,a Orquestra de Tambores encorpou a maestria da arte preta e sua música foi ocupando lugares no Brasil e no mundo. Em 2010  lançou em Londres (Inglaterra), o primeiro  álbum Bantus e Caetés. 
Contando com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult),o grupo ampliou a atuação com a realização de  oficinas de confecção de instrumentos e ensaios corpo.
E para fazer ecoar toda a musicalidade africana, no 14 de novembro,dia de inauguração do acesso à Serra da Barriga,Quilombo dos Palmares, em União dos Palmares,Alagoas, o Instituto Raízes de Áfricas indicou a Orquestra para fazer parte da programação oficial e o show de musicalidde e ancestralidade se deu,  animando  o governador, Renan Filho, a tocar um atabaque.
"E, eu nem sabia que o governador tocava atabaque tão bem"- diz  admirado, Wilson, o percursionista. E acrescenta: "A Orquestra de Tambores de Alagoas reconhece o momento de inauguração da estrada de acesso a Serra da Barriga como momento importante para o desenvolvimento do turismo, cultura e difusão da cultura afro-brasileira em solo palmarino, o Grupo se sentiu honrado em fazer parte desse momento tão esperado pela comunidade preta de alagoas, acontecimento que sem duvidas ampliará o olhar sobre a rica historia do Quilombo dos Palmares solo de resistência e gloria de grandes lideres que nos deixam um legado de luta e solidariedade, Gratidão a Professora Arisia Barros e ao governo de alagoas por atuarem com tanto afinco pela valorização de nossa cultura;  Axé Salve Dandara, Aqualtune Acotirene, Salve Zumbi dos Palmares."

Renan Filho parabeniza adolescente socioeducativo premiado no Concurso de Poesias para Jovens Pret@s da Periferia.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true


Ele tem 16 anos,  e,  é um dos jovens socioeducandos premiados no Odo-concurso Preto de Poesia para Jovens da Periferia”, inicitiva  do Instituto Raízes de Áfricas, com o apoio do Governo do Estado e Instituto Ilê Axé Legionirê Nitô Xoroquê.
Quando  participou da Oficina de Poesia  ele disse de suas impossibiliaddes. 
-Esse negócio de poesia não é para mim, professora e  falou do pai , que já se "fora", da mãe uma trabalhadora e dele mesmo, que estava  com a alma despida de sonhos.
A história do menino colide com a pobreza e o racismo.
A oficina de poesia foi um  ambiente cheio de narrativas  e convencimentos, um diálogo com caminhos  possíveis. Depois de  um certo tempo  o menino  rascunhou palavras substantivas que falavam das asperezas que orbitavam-lhe a  vida. 
Uma poesia nua e crua.
E essa nova narrativa do menino deu  ele o terceiro lugar na categoria de 14 a 16 anos.
E o melhor  tanto a poesia do menino quanto de outr@s jovens  pret@s das periferias estarão no Odo- O Livro Preto de Poesia, que será lançado em novembro.
E, na manhã do dia 14 de novembro, na  solenidade de inauguração do acesso à Serra da Barriga em União dos Palmares, o menino foi cumprimentado pelo governador Renan Filho, que assegurou o lançamento do livro.
Parabéns, menino!
 

Adequações na programação oficial de inauguração do acesso à Serra da Barriga propostas pelo Instituto Raízes de Áfricas são aceitas pelo Governo do Estado.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true


O acesso à Serra da Barriga em União dos Palmares, em Alagoas foi inaugurado dia 14 de novembro.
Novembro é o mês da consciência negra e a construção do acesso era uma demanda de mais de 20 anos das representações do movimento negro.
Territórios de pertencimento.
E sendo novembro um mês para enfatizar  a luta secular do povo preto, e afirmar  a   ocupação de espaços o Instituto Raízes de Áfricas,a partir do conhecimento da programação oficial iniciou uma série de conversas com os secretári@s da comunicação, cultura e gabinete civil  buscando uma adequação do que estava proposto.
E em dois dias, a partir de argumentações, escuta e respeito ao posicionamento da coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas,o Governo do Estado incorporou a necessidade das adequações e,a  inauguração do acesso a Serra não foi só um momento festivo traduziu, a tradição ancestral da resistência de um povo.
Segundo, Ênio Lins: "As  argumentações, da professora Arísia Barros,  foram extremamente pertinentes , e contribuíram para que a inauguração do investimento histórico  que é a construção desse acesso, pelo Governo do Estado de Alagoas,abrigasse a diversidade de olhares, com ênfase na população negra. 
A estrada que dá acesso à Serra da Barriga,Quilombo dos Palmares, sítio histórico de grande relevância para  a história da humanidade está, oficialmente, inaugurada e estamos todos de parabéns
"- acrescentou.

 

Por não aceitar ter filha mulher, pai espancou e matou a bebê. Infantícidio? Feminicídio?

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true


O blofg faz a reprodução de matéria da fonte abaixo: 
'Um pai foi preso em flagrante por espancar uma bebê de cinco meses de idade até a morte, em São Lourenço da Mata, no Grande Recife. Segundo o Conselho Tutelar da cidade, a mãe da vítima contou que o marido, Augusto Silva da Cruz, de 23 anos, assassinou a filha, Debora Maria Sales da Silva, por não aceitar o fato de a criança ter nascido menina.
“Agora não se pode nem nascer mulher. Por causa desse discurso de ódio, as pessoas acham que podem resolver tudo batendo, espancando e matando. É chocante”, declarou Ana Lúcia Soares, que acompanhou o caso pelo Conselho Tutelar de São Lourenço.
A Polícia Civil informou, nesta segunda-feira, que o crime ocorreu no bairro do Cajá, na periferia de São Lourenço da Mata, na sexta-feira. Augusto da Cruz foi levado para a delegacia da cidade e autuado por homicídio.
O homem passou por audiência de custódia, que determinou a prisão preventiva, de acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Ele seguiu para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana.
O Conselho Tutelar informou, no início da tarde desta segunda-feira, que o corpo de Debora foi liberado do Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área central do Recife. Uma tia do bebê autorizou a remoção do cadáver para permitir o enterro, marcado para o Cemitério de Santo Amaro.
A Secretaria de Assistência Social de São Lourenço afirmou que o município pretende custear o funeral. “Soube pelo Conselho Tutelar que a população tocou fogo na casa da família e que a mãe não voltou para lá. Estamos esperando um contato com uma tia para liberar o corpo”, afirmou a secretária de Assistência Social de São Lourenço da Mata, Kelly Morgana."


Fonte: https://www.obrigadodonacegonha.com/pai-e-preso-por-espancar-bebe-ate-a-morte-por-nao-aceitar-fato-de-ela-ter-nascido-menina/

Feliz Aniversário, minha mãe. Que todo o Universo a proteja.Sua benção!

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Ontem, 9 de novembro,  minha mãe ,Alda Barros fez 88 anos e o primeiro pedaço de bolo do ano , que agora se inicia para ela,  foi oferecido ao Samuel Vitório, meu Dêdei , sobrinho tão amado.
É seu filho mais novo, né?- perguntei a ela,  e prontamente respondeu:- É!
Minha mãe fez 88 anos, ontem, mas continua habilitando-se ao papel de mãe, mesmo sendo avó. Ela é uma dessas mulheres  pretas que foi se construindo fortaleza e mesmo quando a fragilidade da vida a afronta faz planos de reconstruir pontes e continuar caminhando.
Minha mãe Alda foi uma generala, comandante de toda uma tropa e n'agora vê-la tão frágil dá uma sensação de temporalidade.
Aos 88 anos, minha mãe faz planos de chegar aos 100,  e eu cato o vento pelos cantos do Universo e peço a toda espiritualidade que atenda o desejo da matriarca.
Alda Barros fez 88 anos e me desperta tantas reflexões sobre casa, família, filh@s.
Ela me conta que o seu maior desejo é que haja união na família,   e digo a minha mãe que  precisa  aprender a usufruir desse  presente divino de está nessa dimensão e poder orquestrar caminhos.
Filh@s minha mãe-digo eu-  foram feit@s para o mundo, e depois que saem da aba, danou-se.
Minha mãe fez 88 anos e para comemorar aprontei uma decoração, tipo #tbt com  fotos de sua formatura como normalista. Casada com meu pai, não  pôde  exercer o magistério ( naquela época mulher não trabalhava fora)  e guardou  o sonho para uma das filhas. Eu fui a premiada ( mesmo sem muita querência). Tornei-me professora para acalentar o sonho da Alda, minha mãe. E fui uma excelente professora.
Minha mãe fez 88 anos e pergunto-lhe dos caminhos de tristeza que vejo em seus olhos, talvez, cansados de enxergar os desvios do amor materno. Falo de lembranças , e ela com a mente embaralhada por tanta vida se agita no esquecimento.
Minha fez 88 anos e me vejo refletida nela, em muitas solidões d'alma.
E penso que lá no futuro todas nós, mulheres mães ou não, talvez enfrentemos os esquecimentos, lutos  e solidões doloridas, igual  essa mulher preta guerreira, minha mãe, Alda Barros que fez 88 anos.
O tempo.
Feliz Aniversário, minha mãe. Que todo o Universo a proteja.
Sua benção!

No mês da consciência negra, não pinte crianças de preto.Ser pret@ não é fantasia.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true


Pintar crianças de preto se chama blackface .
A palavra blackface, é de origem inglesa, (black, "negro" e face, "rosto")se refere à prática teatral de atores e atrizes  que se coloriam com o carvão de cortiça para representar personagens afro-americanos de forma exagerada, geralmente em shows norte-americanos.
Portanto,  não  promova o blackface na escola, e, em nem em lugar nenhum.
Pintar uma criança de preto ou pôr perucas crespas não é sinônimo de homenagem ou reflexão. É desrespeitoso e nada crítico.
Ser pret@ não é fantasia.

Fonte: Afroinfancia
 

Mais da metade da população de presos provisórios é composta de jovens entre 18 a 29 anos; 64% são negros.

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Por não ter como pagar a passagem de ônibus, Rafael Braga Vieira, por muitas noites, não voltava para casa na comunidade de Vila Cruzeiro, no bairro da Vila da Penha, Rio de Janeiro (RJ). Ele costumava improvisar onde dormir no centro da cidade — local onde foi preso, no dia 20 de junho de 2013, durante um ato do qual ele não participava. A pauta do protesto: a redução do preço da tarifa dos transportes públicos.
Cinco anos depois, o catador de materiais recicláveis cumpre prisão domiciliar e passa por um tratamento de tuberculose, que contraiu no sistema penitenciário. Em 2016, enquanto também cumpria regime aberto com uso de tornozeleira eletrônica, ele foi preso novamente em uma abordagem policial, sem testemunhas.
A defesa de Rafael aguarda a posição do Ministério Público sobre recursos de embargos infringentes contra a sentença em segunda instância, que condenou o jovem negro a 11 anos de prisão.
Os advogados querem a pena por tráfico seja revista e também que ele seja absolvido da condenação de associação ao tráfico. A expectativa da defesa é que os recursos protocolados sejam julgados até o final do ano.
O caso, cheio de idas e vindas, virou símbolo por explicitar o funcionamento da seletividade penal e do racismo institucional no país.
Seletividade penal
Presos em abordagens policiais sem testemunhas, com uma pequena quantidade de drogas e com suspeita de flagrantes forjados, segundo a defesa do jovem. O caso de Rafael Braga descreve muitos outros.
Das mais de 726 mil pessoas encarceradas em junho de 2016, cerca de 40% eram presos provisórios. Mais da metade dessa população era composta de jovens entre 18 a 29 anos; 64% são negros. Os dados são do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen).
A jornalista Luiza Sansão, que acompanha o caso desde 2013, produziu mais de 20 reportagens sobre o processo. Atualmente, ela trabalha em um livro-reportagem que narra a história de Rafael Braga.


Fonte:https://www.brasildefato.com.br/2018/06/20/simbolo-da-seletividade-penal-caso-rafael-braga-completa-cinco-anos/?fbclid=IwAR019R09ejimLbUbjwzpFD5SEe-mVa4dySDrIJHOTdn_LoBFFKZYDkgWUfI

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com