Raízes da África

Instituto Raízes de Áfricas propõe ao presidente do Tribunal de Justiça, em Alagoas, a construção de agenda positiva.

20b8a3e1 0484 4514 b60b 68b2ac4ec85b

Em reunião acontecida na tarde de da quinta-feira, 21/01 ( Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial), a coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, Arísia Barros, sugeriu ao Tutmés Aira, presidente do Tribunal de Justiça, em Alagoas a necessidade de construção de uma agenda positiva, como uma ação conjunta de enfrentamento a problemas sociais, como o racismo e o suicídio.

Segundo,Tutmés,a priori o problema inicial na questão social do racismo é de competência do Ministério Público e, depois de  formalizado todo o processo é que segue para a alçada do poder da justiça.

Tomando a palavra, a coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas afirmou que, como o crime de racismo ainda não é bem compreendido pelo poder judiciário brasileiro e  que na maioria das vezes,é categorizado como injúria racial é importante uma requalificação sobre o tema.

O presidente afirmou o interesse na agenda e solicitou a oficialização da proposta  para discussão mais acurada em nova reunião.

A criação do Fundo Estadual da Igualdade Racial também foi tema da reunião.

Ainda como pauta da reunião, articulada pela coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, uma comissão de professor@s aposentad@s da rede estadual fez  solicitação de providências, ao presidente, para garantir a  célere tramitação de  um processo  que  faz 18  anos está sob tutela da justiça alagoana.

É preciso que nossos  direitos como profissionais de tão longa data sejam respeitados-frisou a professora  Maria Zélia Pereira

O presidente se colocou a disposição para oportunizar espaços de contribuição na busca de resolução  do impasse .

 

A convite de Daniela Santoro falamos sobre o protagonismo da mulher preta, no TCE em Pauta.

0719d1b7 3a46 41d8 accf 1cdecc441432

 

Danielle Santoro é apresentadora e coordenadora de conteúdo da TV Cidadã, do Tribunal de Contas de Alagoas, e a convite dela fomos entrevistada  sob o tema do  protagonismo da mulher preta, como também  discorremos sobre representatividade étnica, no março, mês da mulher. Falamos de desafios, oportunidades, retrocessos e avanços.

Falamos sobre o racismo como ideologia política no Brasil de Cabral.

Futucamos o silenciamneto das Alagoas de Palmares em relação ao 21 de março, dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial.

Falamos da urgência de transformar o combate ao racismo em política de estado. Falamos das Alagoas  das desigualdades raciais, mesmo sendo a agregadora do Quilombo dos Palmares..

Foi um espaço de fala e nós o ocupamos.

E o diálogo foi produtivo.

Quer saber mais?

Não perca, o programa vai ao ar na próxima segunda-feira, às 18h, na TV Cidadã, canal 35.2. @ Maceió, Brazil.

Assiste, aí...

Sobre o TCE em Pauta.

Segundo Danielle Santoro a proposta do TCE EM PAUTA é aproximar o TCE/AL da sociedade e dos próprios servidores, tornando-o mais acessível, explicando melhor como o órgão atua e mostrando de que maneira a sociedade pode contribuir para o trabalho do Tribunal ser cada vez mais atuante é responsável. Afinal, o Tribunal presta um serviço para o Estado de Alagoas.

O programa é apresentado por ela e Thiago Melo.

 

 

E na passagem para o Orun, Makota Valdina, deixa suas marcas ancestrais, como um grande legado da história de resistência.

A8886342 38cf 4739 b175 a625f114d809

 

“Não sou descendente de escravos. Eu descendo de seres humanos que foram escravizados”- afirmava a educadora, líder e renomada militante das lutas antirracistas e principalmente do respeito à liberdade religiosa,Valdina de Oliveira Pinto, a Makota Valdina.

Foi com D. Neca, a mãe, uma líder comunitária, que a menina teve a primeira referência do fazer política, e  a referência materna levou-a a ser referendada como conselheira ‘mor’ da Cidade de Salvador.

No bairro Engenho Velho Makota nasceu e desenvolveu inúmeras ações educacionais para agregar seu povo.

Makota Valdina  foi porta-voz das religiões de matriz africana. Era filha do terreiro Angola Tanusi Junsara, localizado no Engenho Velho da Federação, em Salvador,Bahia.

Militante se fez sujeito da sua própria história.

Dizia: “Eu não quero que me tolerem, eu quero que me respeitem o direito de ter minha crença"

Era uma pensadora preta, ícone da luta pelas políticas públicas para população negra.

Uma visonária adiante do seu tempo.A vida de Makota Valdina trouxe novos significados e sentidos para os espaços reservados do sagrado. Para o Candomblé. E na passagem para o Orun, Makota Valdina, deixa suas marcas ancestrais como um grande legado da história de resistência.

Makota continua viva!

 

O presidente ama os americanos, e eu adoro Coca-Cola, a Disneylândia - disse Paulo Guedes, o ministro.

B49702c6 4294 4fa0 917a d2fcc940222b

Fala de Paulo Guedes, ministyrto da Economia do Brasil de Jair Messias,aos estadunidenses hoje.

Por Luiz Alberto Guimarães

"50% dos funcionários públicos vão se aposentar nos próximos 5 ou 6 anos. E adivinha o quê? Nós não vamos recontratar novos no lugar. Se eles se aposentarem, nós vamos digitalizar e nós vamos fazer encolher a economia do Estado".

“Estamos abertos para negócios. Se vocês forem lá podem comprar várias coisas, podem comprar imóveis” ... Nós estamos vendendo. Sexta-feira passada nós vendemos 12 aeroportos. Daqui 3 a 4 meses nós vamos vender petróleo, o pré-sal. Estamos abertos para investimentos privados”.

"Agora com o novo governo, o Brasil merece um 'tratamento diferente' dos Estados Unidos, por ter deixado de 'pular com a perna esquerda' e passado a 'pular com a perna direita'.

E a pérola final:

“Merecemos um tratamento diferente daquele que tínhamos antes. Nosso presidente ama a América, eu amo a América. O presidente ama os americanos, e eu também. Claro, estudei aqui. Adoro Coca-Cola, a Disneylândia”.

 

Bem que a população de Maceió poderia entrar no “Desafio do Lixo”. Se cada um fizer a sua parte, podemos ter uma cidade mais limpa, não é mesmo?

Ec426249 87aa 45b3 a681 4e9d9827df1c

A internet tem uma proposta interessante para que a gente possa deixar o planeta mais limpo. É o “Desafio do Lixo“, uma brincadeira sustentável que tomou conta das redes sociais.

A ideia surgiu quando um usuário do reddit  publicou fotos de uma área repleta de lixo, em que uma pessoa mostrava o antes e depois do local. ( E tem um monte de areas assim  em Maceió,não é mesmo?).

A mensagem ia mais longe e desafiava os outros a fazer o mesmo: “Aqui vai um novo desafio para vocês, adolescentes entediados. Tire uma foto de uma área que precisa de um pouco de limpeza ou manutenção, então tire uma foto depois que você tiver feito algo sobre isso e poste aqui“.

Após a publicação, os usuários da plataforma decidiram em conjunto utilizar a #trashtag para postar imagens de áreas que passaram por suas intervenções. Só no Instagram, mais de 24 mil pessoas já utilizaram a hashtag, mostrando o resultado do desafio.

No reddit, um fórum com mais de 1,5 mil inscritos foi criado para compartilhar os resultados e mostrar que, se cada um fizer a sua parte, podemos juntos caminhar rumo a um mundo mais limpo. 

E aí, quem de Maceió, ou de qualquer município em Alagoas, topa participar do Desafio do Lixo?

Todo mundo ganha e o  planeta agradece.

Fonte:https://www.hypeness.com.br/2019/03/desafio-do-lixo-e-o-melhor-desafio-que-a-internet-ja-viu-e-voce-deveria-aderir/?

 

 

Em menos de 24 horas duas meninas,10 e 11 anos, se mataram, ou precisamos romper com a cultura do silenciamento.

F7f9f259 b076 47b2 9a9d 461bb1eb1aa0

A menina de 10 anos morava em São Caetano do Sul (SP) e na manhã do domingo (17), ela se matou. A outra garota tinha 11 anos de idade e foi encontrada morta, na noite deste domingo (17), em Mundo Novo, a 462 quilômetros de Campo Grande.

As duas mortes por arma de fogo que os pais guardavam em casa.

A  mãe da menina de 10 anos morreu tem só oito meses, e ela  morava   com o pai.

Depois que a mãe morreu, a criança falava abertamente sobre suicídio.

E ninguém prestou atenção?

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul está apurando as circunstâncias da morte, da menina de 11 anos.

Em menos de 24 horas duas meninas, 10 e 11 anos se mataram, ou precisamos  romper com a  cultura do silenciamento sobre  o suicídio de crianças e adolescentes.

Precisamos falar sobre suicídio, como problema de saúde pública.

A segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo é o suicídio que, no Brasil, está em quarto lugar entre a mesma faixa etária.

 Conforme a publicação Mapa da Violência, que se baseia em dados coletados pelo Ministério da Saúde, as faixas em que as taxas de suicídio mais cresceram no Brasil, entre 2002 e 2012, foram as dos 10 aos 14 anos (40%) e dos 15 aos 19 anos (33,5%).

Situações desse tipo estão se tornando mais comuns nesta década, segundo diferentes levantamentos, resultando em aumento de mortes entre crianças e adolescentes. E por que esse comportamento está em ascensão? Estudiosos da questão citam indícios e hipóteses, como o sentimento de abandono, a experiência de abusos físicos ou sexuais, a desorganização familiar, o desajustamento na escola ou em casa e a desesperança em relação ao futuro são alguns dos fatores que aparecem como motivadores.

Uma forma de violência institucional, que é o bullying, está fortemente associada ao suicídio no adolescente.

Precisamos de pesquisas e de uma política específica de promoção da vida, prevenção ao suicídio de crianças e adolescentes, e ajuda aos sobreviventes.

Precisamos falar sobre o suicídio como problema de saúde pública, ou precisamos  romper com a  cultura do silenciamento sobre  o suicídio de crianças e adolescentes..

 

 

Já está chegando a hora do meninozinho ser parido para o mundo...

F241a4ed 92d4 4a30 ab57 6b723aa35998

Ele acarinha, demoradamente, o cordão umbilical que o liga a mamãe.

O alimento da vida.

É uma despedida da piscina-útero que o faz sentir-se bem confortável. Em casa.

Tchau, tchau, piscininha, amor!- pensa ele.

Ele, o meninozinho, está prestes a nascer, e do seu lugarzinho aconchegante acompanha as arrumações frenéticas, na preparação para  sua chegada.

Mamãe arruma a mala da maternidade e desembrulha emoções.

O meninozinho vai conhecer o mundo grande, cheio de gente.

Agora são só ele e ela, em um universo povoado de afetos, e sons que vem das profundezas da alma dessa mulher que o carrega no ventre.

Tem horas que o meninozinho fica bem silencioso pra escutar  os sinais do corpo da mãe: intestino, respiração, estômago,e principalmente, o coração.

Quando escuta o tum-tum do coração da mamãe fica calminho, calminho.Se sente protegido. Seguro.

E quando a mamãe conversa com ele, então, o mundo todo vira festa.

O lugar que habita, está um tanto apertado, e, nem pode mais se espreguiçar direito, às vezes, acidentalmente acerta uns chutes nas costelas da mamãe, que se comprime de dor, e mesmo assim sorri.

O meninozinho e sua mãe são uma equipe substantiva.

Já está chegando a hora do meninozinho, feito de afetos e multiplicidades de sentidos, ser parido para o mundo.

E ele está achando essa experiência fantástica e amedrontadora: - Como será sua relação com esse outro mundo desconhecido? –fica matutando, mas, daí despreocupa-se porque sabe que a mãe o guiará.

São companheiros nessa grande aventura do nascer.

A mãe é seu abrigo, abraço, sua zona de conforto.

O meninozinho,que tem o nome de Caio, trazendo consigo um acúmulo de sonhos,  está prestes a nascer.

Abrindo portas e revelando um novo ano novo, principalmente no coração de sua mãe.

Que ansiosa murmura:- Vem logo, meu filho!

 

A nigeriana Jare, de 6 anos,considerada a menina mais bonita do mundo, agora é modelo Internacional.

C39f8931 3fc6 4085 94cc 9f0e136b7fe8

Em 2018 o fotografo Mofe Bamuyiwa postou em seu perfil no instagram, as fotos da menina nigeriana, Seun Durojaiye Jare, de 5 anos,conhecida como Jare,  se tornaram  sensação na internet. Sua beleza preta, seus olhos expressivos  correram o mundo e atiçaram a cobiça de alguns fotógrafos internacionais.

Considerada a menina mais bonita do mundo, ou a Barbie negra, atualmente,Jare,  estampa a campanha de uma marca de luxo,de  alta costura para crianças,A Princesa Ford

Jare é um modelo internacional.

De sucesso.

Parabéns, Jare!

Fonte:https://www.legit.ng/1227956-nigerias-beautiful-girl-world-international-model.html?fbclid=IwAR0C3LcbmxSuqVIpgCAGlkzLXiUw9yo7nfeLq1011h8vhsvbHjo9SuEq1cghttps://www.legit.ng/1227956-nigerias-beautiful-girl-world-international-model.html?

Meu sonho é fazer magistratura, e me tornar juíza da vara da infância-diz a menina, aos 17 anos, ou, seu nome é Vitória.

Bfaf3e3d b4b2 405b 904a 000f66276207

 

A menina Renata Vitória tem 17 anos e é ex-aluna da escola SESI/SENAI. Foi aprovada na Faculdade de Direito, na Universidade Federal de Alagoas. Fez 860 pontos na redação.

A menina  conta que nem ela mesma acreditava que passaria assim, de primeira. E diz: "Não acreditei, achei que só seria possível, talvez, na lista de espera, até porque não me achava pronta em relação aos demais colégios como Contato e Coc, para 26 vagas. Achei que não seria possível, mas,consegui.”

Eu sou  filha de Maria Malta e José Renato, uma gente bem simples, moradora do bairro do Bom Parto e acreditava que cursar Direito não era uma coisa pra mim, uma menina preta, cabelos crespos e moradora da periferia. Talvez, eu tenha concebido o auto boicote, internalizando conceitos de uma sociedade racista."

Mesmo morando em um lugar da periferia, o amor e apoio que meus pais me deram transcenderam todas as dificuldades. Meus pais nunca me permitiram em nenhum momento  cultivar a desesperança.

O nome dela é Vitória e como adolescente curiosa, esmiuçou  caminhos de crescimento e conheceu a militância: “Participei do Conselho de Direitos, na capital Maceió,em Alagoas, como representante dos adolescentes e mudei conceitos e percepções. Nas conferências e caravanas que participei aprendi meu lugar de fala,  como cidadã,  e o quanto as pessoas que não conhecem os seus direitos podem ser lesadas, enganadas, e por isso vi no Direito uma oportunidade para amenizar isso."

A menina Vitória tem sonhos  e faz planos que abarca um coletivo: "O  que eu mais quero é que jovens como eu, principalmente, pret@s, acreditem que SIM, nós podemos chegar lá. Assim como o Ex- Presidente do STF Joaquim Barbosa chegou."

O nome dela  nome é Vitória é preta, linda, valente, tem fé em Deus  e diz que vai se tornar uma juíza, porque  quer proporcionar melhorias efetivas aos grupos marginalizados, que não recebem ainda a importância que merecem.

O nomé dessa menina preta é Vitória.

Precisa dizer mais alguma coisa?

 

“Nem todo homem negro é meu irmão, nem todo homem branco é meu inimigo”-afirma o sul-africano,Lucke Dube.

8b613768 13d8 4ac7 9e5a 8b2ae8e10b4a

Luís Mendes escreve em sua rede social:

Fernando Holiday,  o ornitorrinco.

Fernando Holiday é uma espécie de ornitorrinco. Uma criatura onde contém várias outras. Um Frankenstein! Um homem negro com pedaços de mau caratismo, um pouco de capitão do mato e cérebro de idiota. Muito comum entre os negros que negam seus ancestrais. Negros que fazem seus assentamento aos revolucionários orixás Exu e Yansan e depois beijam a mão do sinhozinho. São pessoas que a direita adotam para vigiar a casa grande. Uma espécie de cachorro sabujo. Como pagamento recebem bolsas para estudar em alguma fundação lá na Suíça ou Genebra. Ou recebem simplesmente ossos como os demais cachorros, na maioria dos casos. Alguns negros e negras como o Fernando Holiday cumprem esse papel de vassalos. A direita malta quatrocentona precisa de idiotas para latir quando as idéias democráticas entram em seus quintais. Precisam de cachorros sabujos e bem adestrados. Sérgio Mouro cumpriu esse papel. Hoje é um cachorro sabujo da família Bolsonaro, os novos donos do condomínio. Fernando Holiday é aquilo que chamamos de negro útil! Ao longo da história havia vários deles, desde Henrique Dias até ao ex prefeito Pitta. Os negros que nao são úteis ao sistema, são fuzilados ou mortos por engano. As negras violentadas e igualmente mortas ou ficam na solidão. Com uma migalha de poder nas mãos Fernando Holiday ofende e persegue professores. Como um verdadeiro idiota espalha o ódio e propaga mentiras em seus capengas discursos. Difama a memória de Marielle Franco. Ofende a nossa memória ancestral. Quando vejo figuras como Fernando Holiday e outros tantos negros e negras que fazem o papel de sabujos da casa grande sempre lembro de Lucke Dube: Not every black man is my brother, not every white man is my enemy.

#LULALIVRE e Jah rastafári bless

Fonte: https://www.facebook.com/profile.php?id=100001898863512

 

 

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com