Essa Roda de Conversa com pipoca, me trouxe a lembrança de como um dia já fui feliz- disse a mulher presa.

5feebd61 b65d 449f 80a0 c5e3078248dc

A Roda de Conversa com Fé, Sabores e Axé: o afeto como alimento que faz bem à alma, idealizada pelo Instituto Raízes de Áfricas, com apoio da SERIS,,aconteceu na  segunda-feira,30/04 quando é  comemorado o Dia Nacional da Mulher, instituído pela Lei nº 6.971/1980.

A Roda de Conversa se deu na cozinha improvisada,ambientada em dos espaços do Presídio Feminino Santa Luzia, em Maceió,AL,com cheiro de pipoca estourando na lembrança da infância.

Uma cozinha simples, rústica é verdade, mas, feita de partilhas e possibilidades de recomeços.

Nossa cozinha improvisada alinhou comida com afetos substantivos. Fé, Sabores e Axé

Alinhou 31 mulheres reeducandas.Um grupo encorpado com suas culpas, expiações e passos adiantes.

E teve muito afeto quando o pai da menina Milena acendeu o fogo e fez o milho ganhar vida própria, transformando-os em barulhentas pipocas..

A Roda de Conversa foi uma intervenção idealizada pelo Instituto Raízes de Áfricas, cuja argamassa traz uma ampla dimensão afetiva. Discutir relações humanas e afetivas na prisão.

A cadeia é uma escola- já dizia a moça lá atrás. Aqui aprendi a valorizar a vida- complementou.

Na nossa roda que aconteceu na cozinha improvisada teve  o eco da canção de Renato Russo, cantarolado pela a menina Milena Santos e endossado pelo coro das presas: “Mas é claro que o sol vai voltar amanhã. Mais uma vez, eu sei...”

Teve dinâmicas importantes, ministradas pela advogada Ana Karine, uma das integrantes da Campanha Escolha a Calma.

Teve a dinâmica de como lidar com a raiva. Karine demonstrou para as mulheres enclausuradas, como pôr a raiva no colo e acalmá-la.

Teve a dinâmica do riso, com direito a nariz de palhaço e tudo.

Precisamos  de quando em vez fazer a troca de vestir-se de outr@- afirmou Karine.  

Roqueline, uma das mulheres enclausuradas relatou que participar da  Roda trouxe  a lembrança da reunião em sua família. Quando faziam uma bacia de pipoca ,sentavam no entorno dela e ficavam brincando, rindo, sendo feliz. E ela corria na frente para encher as mãos com as pipocas, antes que acabassem.

Esse momento  me trouxe a lembrança de como um dia já fui feliz- finalizou.

E, antes da equipe do Instituto Raízes de Áfricas,  ir embora entre abraços e agradecimentos, lá no fundo de cada uma, ecoava a canção do Russo: Mas é claro que o sol vai voltar amanhã. Mais uma vez, eu sei...

E a roda virou ciranda...

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Eles vão matar a gente também, mãe?- pergunta a menina de 9 anos.

3cd22925 fb35 4f5f 9a52 458c13739c67

Duas frases não saem da cabeça de Rossana Rodrigues, 49, desde que seu filho Douglas morreu aos 17 anos, assassinado por um policial militar que disse que a arma disparou sozinha.

A primeira é a que Douglas falou ao receber o disparo: “Por que o senhor atirou em mim?” A indagação está no muro da casa da costureira, na zona norte, e nas camisetas que ela usa dia e noite desde o episódio, há quatro anos. Sua gaveta tem mais de dez modelos da vestimenta.

A segunda frase é a última que ela ouviu do filho: “trabalhei a semana inteira, deixa eu me divertir”. Além de estudar, Douglas trabalhava durante a semana e entregava pizza sábado à noite. Morreu em um raro período de descanso.

“Quando ele partiu, me senti culpada de não ter deixado ele se divertir mais”, diz Rossana. Por isso, com seu outro filho, hoje de 17 anos, resolveu ser mais flexível com horários, com uma precaução. Acompanha ele e seu grupo de amigos noite adentro.

A caçula de nove anos também vive com ela. Outro dia, a garota perguntou, ao ver uma viatura: “eles vão matar a gente também, mãe?”

O caso de Douglas foi concluído em 2016, com o autor do tiro absolvido. Ele já havia sido demitido da PM em 2014. A Justiça aceitou a versão de que o tiro foi acidental, após um especialista afirmar que a arma pode disparar sem que o gatilho seja pressionado.

Rossana decidiu processar a fabricante da arma. “Se a empresa provar que a arma não tem esse defeito, vão ter que reabrir o caso do Douglas.”

Fonte:https://www.geledes.org.br/de-trans-donas-de-casa-mulheres-expiam-em-grupo-dor-da-violencia/

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Roda de Conversa com Fé, Sabores e Axé acontece no Presídio Santa Luzia, no Dia Nacional da Mulher.

5844cadc dc90 4b99 ac7d f3e5fef3b3d3

Na segunda-feira, 30/04 é comemorado o Dia Nacional da Mulher, instituído pela Lei nº 6.971/1980. A data tem como referência homenagear o nascimento de Jerônima Mesquita, líder do movimento feminista  e uma das fundadoras do Conselho Nacional da Mulher.

O 30 de abril  busca reforçar a luta  das mulheres nos espaços socais, e para pontuar a data o Instituto Raízes de Áfricas, com o apoio institucional da Secretaria de Estado Ressocialização e Inserção Social,  realiza no Presídio Feminino Santa Luzia, a Roda de Conversa com Fé, Sabores e Axé:  O afeto como alimento que faz bem à alma.

A proposta da Roda é criar um  ambiente participativo de abordagens afetivas e discutir  as experiências, vivências e a cultura ancestral da alimentação e  a relação entre afetos e sabores da comida.

A Roda acontece das 9 às 12 horas  e conta com a seguinte programação:

Roda de Conversa com Fé, Sabores e Axé.

 O afeto como alimento que faz bem à alma.

9h-Iniciando

Música é comida pra alma- abertura

Com Milena Santos (modelo mirim/estudante)

9h30- Sentindo

Escolha a Calma- Ana Karine Advogada

10h-Inspirando
Dinâmica – As lembranças que a comida me traz

Vivência reflexiva ( conversa participativa)

12h-Encerrando
Roda de encerramento

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Sou um pedreiro de 44 anos de idade, pai de cinco filhos, e estou concluindo o curso de Bacharelado e Licenciatura em Geografia na USP.

88e7a531 fbfb 4e46 97e2 c9fc627296de

O professor Henrique Cunha Junior, uma  referência no Ceará sobre Africanidades e Afrodescendênciada e professor da  Universidade Federal do Ceará, recebeu faz uns dois anos esse e-mail de um se  aluno chamado  Djalma Costa, rememorando a conquista  do aluno e  ainda emocionado em 2018,  o professor afirma: “um email recebido que fez pensar e chorar.

Eis o e-mail:

“Bom dia Professor Henrique, certamente o senhor não lembrará de mim, sou um pedreiro de 44 anos de idade, pai de cinco filhos e ex aluno do NCN, neste momento estou concluindo o curso de bacharelado e licenciatura em Geografia na USP, nesta segunda agora dia 25 de abril farei a defesa do meu TGI (trabalho de graduação individual), com o titulo:” O espaço da consciência negra na USP", que ocorrerá as 18:00 hs no departamento de geografia, sei que é quase impossível contar com a sua presença, o que seria uma honra imensa, mas de qualquer forma fica o convite. 
Espero que este trabalho possa de alguma forma contribuir com a nossa justa causa, tenho plena consciência de minha  limitação teórica, mais de qualquer forma espero contribuir demonstrando que sempre se deve lutar pelos seus sonhos  por mais utópicos que estes possam parecer, segue em anexo o meu trabalho. Estou lhe enviando este por acreditar que de alguma forma ele te fará pelo menos um pouquinho mais feliz, e principalmente para te agradecer junto com a Jupiara e o Wilson, por fundarem o NCN 
Um grande e sincero abraço de um admirador do seu trabalho e da sua luta em favor do povo NEGRO!”

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Raimundo não queria que a filha namorasse um negro, por isso mandou matar Emanuel,de 20 anos.

2ae5d2a9 44ee 45ea 9503 a792d9a8cae2

 

Raimundo Nonato Ferreira Neves tem  60 anos e um mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Racista Raimundo não aceitava que a filha namorasse com um homem negro, Emanoel de Oliveira Reis, de 20 anos e pediu a integrantes do tráfico de drogas que matassem o rapaz.

Pelo menos oito traficantes da quadrilha participaram do crime.

Emanuel foi morto na última quarta (18) na comunidade da Rua Sete, em Duque de Caxias.

Emanuel é uma prova concreta do racismo que exclui,desvaloriza e mata.

O racismo letal.

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

A menina de 8 anos saiu para comprar pão,e no caminho encontrou o prefeito do PSDB, que se dizia policial e a estuprou.

9421fa40 1c1d 4b26 b217 0640c5758eb6

A menina tem 8 anos e mora no bairro José Regino,município de  em Bauru (SP),  saiu de casa para comprar pão,e no caminho encontrou o prefeito interino,Paulo Henrique Barros de Araújo do PSBD, 34 anos, que se disse policial.

-Ele disse que era policial e falou que era perigoso eu andar pela cidade sozinha e me fez entrar no carro.

O prefeito,se passando por policial, levou a menina para o Vale do Igapó e abusou da criança. A menina conta que conseguiu fugir depois que o carro do prefeito ficou preso numa vala. Um casal a encontrou  e a levou  para os pais.

Quando soube do fato a família, imediatamente,acionou a polícia, que encontrou o prefeito caminhando pela região, no sábado 21/04. Ele foi conduzido  para o plantão policial e, à noite, encaminhado à prisão.

A menina detalhou os fatos em seu depoimento, que foi acompanhado pelos pais e o Conselho Tutelar da cidade.

Paulo Henrique foi eleito vereador pelo PSDB nas últimas eleições de 2016 e como presidente da Câmara ele assumiu a prefeitura de Bariri em janeiro de 2017 após os candidatos a prefeito e vice mais votados terem candidatura cassada , com base na Lei da Ficha Limpa. 

Em nota, nesta segunda-feira (23), o PSDB  informou que Araújo foi desligado de forma sumária.

Novas eleições para prefeitura de Bariri(SP) estão marcadas para o dia 3 de junho.

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Você ainda não conhece o Mirante das Águas, em União dos Palmares? Então, está na hora de conhecer.

9a31ed93 06c0 45ea a7fd 10dd064f462a

O Mirante das Águas  fica localizado no Povoado Taquari, uns 700 metros do Centro de União dos Palmares, às margens do Rio Mundaú.

União dos Palmares é cidade pólo da zona da mata alagoana. Conhecida como a Terra da Liberdade. Em seu território surgiu o primeiro grande grito de esperança de negr@s escravizad@s, vindo do alto da Serra da Barriga.

O  Balneário  é comandado pelo Adeilto Lima Lima e seu irmão.Adriano Lima.

Toma aí o zap-zap do Adeilto pra falar  direto com ele ( 82 99931-3397)

O Mirante das Águas é uma mistura de bons agrados que fazem um bem danado pra alma e a vida da gente. É meio um espaço rústico  cercado de beleza natural por todos os lados. Tem mais verde do que alcança nossa vista.

É um balneário substancialmente aconchegante. Um  daqueles lugares próprios para relaxar e esquecer esses tempos difíceis.

Lá  tem  música ao vivo pra  todos os gostos, do brega, forró, MPB. 

 Tem até aquela música da Dona Maria.

Tem gastronomia de qualidade. Comida boa para encher os olhos, e claro, o estômago.

E o melhor é que os preços não têm nada de salgados. Dá pra passar um dia todinho no Mirante sem desfalcar o orçamento ( afinal, vivemos tempos apertados)

No Mirante tem uma piscinona cheia de azul pra você molhar a pele com a essência da liberdade. Sentimento tão intrínseco das terras de Palmares.

Tem drinks  que transbordam novidades. Todos so dias.

Tem redes pra deitar após a refeição.

Tem acolhimento na chegada e na saída.

Tem tanta coisa que só indo lá conhecer e se apaixonar.

Você não vai perder essa oportunidade de conhecer o Mirante das Águas.

Vai?!

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

O Prefeito rouba da gente- afirmou o menino, morador de Abrigo.

5376dbac 2bd1 4efc 89dc 68494ad1a746

A I Conferência Livre dos Direitos das Crianças e Adolescentes da Cidade de Maceió que aconteceu, dia 11 de abril,  em parceria com a UFAL, AABB Comunidade e CMDCA  reuniu crianças e adolescentes de diversas instituições, dentre elas, meninos e meninas de Instituições de acolhimento da capital  Maceió.

Meninos e meninas à espera de serem adotados.

A proposta da Conferência Livre foi repensar/reinventar, a cidade, a partir da discussão sobre políticas públicas de direitos e deveres, do olhar e da vivência do público participante.

 A Conferência foi um  terreno fértil de encontros, afetos e  produção de saberes.

E teve também o clima de uma eleição de brincadeira, levada a sério.

A Conferência Livre discutiu a consciência política e possibilitou que meninos e meninas se tornassem “candidat@s” ao  cargo de prefeito "de mentirinha". E foi nessa construção de diálogos, que o meninozinho, aos 9 anos,  expressou sua visão de mundo  sobre o que o  prefeito faz em uma cidade.

A partir da fala-inocência do menino, mas que reflete a robustez desse  pensar coletivo, precisamos urgentemente, revisitar o sentido real do verbete política,como partilha, vida em coletividade.

"O povo do Brasil  é quem menos confia em sua classe de políticos, entre 137 países avaliados pelo mundo. A constatação faz parte do ranking de competitividade, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial." 

O mais triste dessa história é que o meninozinho, aos 9 anos, já foi contaminado  por essa visão nefasta da política.

Não temos crença em quem nos representa e somos uma  “sociedade do cansaço”, entretanto,apesar da indignação, continuamos inertes, ou  retroalimentando a omissão, diante da leitura que o meninozinho tem dos políticos: Rouba da gente!

E só!

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

É preciso instrumentalizar o diálogo, como essência da boa política educacional na gestão da SEE, Excelência Renan Filho.

C4a6611a 534e 4fc7 866e ba2acc03e292

Fazer educação tem um sentido plural. É a troca entre as muitas e diversas visões do mundo formal e dos saberes  das vivências populares. A oralidade versus o registro da escrita.

Fazer educação é espalhar perspectivas e possibilidades nas realidades complexas  que habitam o universo escolar.

É o aprendizado de ter o olhar curioso para fazer leituras do mundo e com isso se reinventar, numa transformação positiva.

A transformação positiva de cada menina ou menino  potencializa e fortalece as bases dos avanços institucionais.

E a construção de uma política educacional exige ,sobretudo a promoção efetiva do diálogo,da receptividade de quem gesta a SEE, às demandas da sociedade.

Educação não é, nem pode ser uma via de mão única, ou políticas gestadas em gabinetes emparedados pelo autoritarismo acadêmico.

Fazer educação, Excelência é repensar novas posturas entre as ações políticas da SEE, as práticas educativas, e os saberes populares, para que sujeitos sociais tenham espaços de voz no bom e velho  diálogo, ao respeito e à democracia.

É preciso instrumentalizar o diálogo, como essência da boa política educaional da SEE, Excelência Renan Filho.

Faz tempo.

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Dia 5 de Maio, a UNIT tem uma proposta para você pessoa transgênera, travesti, transexual. Quer saber qual?

7b64212a d8da 4d1a 9b18 ab19bf1f5a32

 

Dia 5 de Maio de 2018 vai rolar um mutirão de retificação de nome, lá na UNIT/AL. Como faz para participar?

No dia 20/04 vai acontecer a triagem para quem deseja fazer a mudança de nome e no dia 05/05 essas pessoas vão buscar o processo finalizado.

Mas quais documentos eu preciso levar?

Carteira de Identidade e CPF (obrigatório)

Cópia de comprovante de residência (conta de água, luz ou telefone) (obrigatório)

Certidão de Nascimento ou Casamento (obrigatório)

Cópia da Certidão de Nascimento ou Casamento dos pais do requerente (obrigatório)

Cópia da Certidão de Nascimento dos filhos (se houver);

Título de eleitor, com a mudança de nome (se houver);

Documentos em que é reconhecido(a) socialmente pelo nome social (ex: matrícula de instituição de ensino, documentos profissionais, prints de perfil nas redes sociais...) (se possuir)

Relatório/Parecer/Laudo psicológico ou psiquiátrico (se possuir)

Certidões negativas (Polícia Civil, Polícia Federal, Justiça Estadual Cível, Justiça Estadual Criminal, Justiça Federal Cível e Criminal, Justiça Eleitoral, Justiça Militar da União, Justiça Militar Estadual e SPC/Serasa) (obrigatório)

Fotos (rosto, corpo inteiro, com amigos/família/trabalho)

Exames referentes à transição de gênero (receitas de hormônio, resultados de exames, declaração de atendimento do Ambulatório de Saúde para pessoas Transexuais e Travestis) (se possuir)

Relatório individual expondo que Declara o gênero (obrigatório)

Para mais informações ou dúvidas?

Núcleo de Práticas Jurídicas da UNIT

Telefone: (82) 3311-3138

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com