Vanessa Alencar

Cientista político tucano lembra que PSDB e PT bebiam na mesma fonte

Foto: Tribuna Hoje Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Eduardo Magalhães

Filiado ao PSDB desde 1992, o cientista político Eduardo Magalhães lembrou, recentemente, algo que parece esquecido na era da polarização: até pouco tempo, seu partido e o PT partilhavam dos mesmos ideais ou, nas palavras dele, “tomavam água na mesma fonte”.

Por meio da assessoria de Comunicação da sigla, Magalhães repercutiu trechos de sua fala durante um evento que reuniu juventude tucana na semana passada, em Maceió, onde destacou que “o PSDB é ferramenta fundamental no enfrentamento da crise”, comparada por ele ao período de 1964.

Apesar de estar vivendo uma “amargura imensa como cidadão brasileiro”, Magalhães disse que, diferente do que ocorreu há 50 anos, hoje a situação é outra, onde existem alternativas e um ambiente propício para o surgimento de novas lideranças e ideias revolucionárias.

Quando o cientista político relembrou a história da Social Democracia e falou das semelhanças entre ela o Partido dos Trabalhadores, alfinetou que, nos últimos 13, 14 anos, surgiu uma “pequena diferença” entre ambos: “o compromisso com a decência e a dignidade”.

Segundo ele, o PT se afastou desses ideais para “produzir esse tipo de governo que envergonha a todos os brasileiros, que vivem em uma situação de medo de um futuro que não se pode mais controlar”.

No pleito passado, Magalhães chegou a ser candidato ao Senado, mas deixou a disputa pouco depois da renúncia – que precipitou uma debandada no ninho tucano - do cabeça de chapa, Eduardo Tavares.

“Cinquenta tons” de época: alagoana lança romance erótico em Maceió

Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Catarina Muniz

“Não esperem um típico romance água-com-açúcar”, avisa a escritora alagoana Catarina Muniz, ao falar sobre seu segundo livro, “A dama de papel”, que conta a história de amor entre uma prostituta e um empresário, tendo como inusitado cenário um bordel na periferia da Londres Vitoriana de 1875. O lançamento acontece em Maceió, nesta sexta-feira, 13, às 19h, na livraria Leitura.  

Formada em Comunicação Social, Catarina Muniz, escritora e funcionária pública, alcançou o sonho da maioria daqueles que escrevem: ter os textos publicados por uma editora nacional, neste caso, a Universo dos Livros, de São Paulo. A história que terá mais um capítulo nesta sexta-feira, 13, começou em 2012, quando decidiu escrever contos em um blog anônimo.

O sucesso da página virtual impulsionou o lançamento do primeiro romance, “O segredo de Montenegro”, publicado de forma independente e, reeditado em seguida por uma editora carioca. Daí para o segundo título, o caminho foi rápido, com uma terceira obra finalizada e mais duas sendo escritas.

Para o lançamento de “A dama de papel”, que acontece menos de seis meses após a apresentação do primeiro livro, em Maceió, no começo de junho deste ano, a autora convida os leitores, em especial os conterrâneos, para uma “viagem repleta de sedução e erotismo em pleno século XIX”.

Catarina promete altas doses de sensualidade na história que narra a paixão entre uma prostituta e um herdeiro de um complexo têxtil, no auge da Revolução Industrial. “É um romance cheio de surpresas, polêmicas, encontros e desencontros, com dois personagens fortes, que enfrentam as imposições da época e suas próprias limitações na tentativa de viver esse grande amor”, disse a escritora em entrevista ao Blog.

Sobre a expectativa para o lançamento desta sexta-feira, ela destaca que, por mais excitante que seja estar sendo publicada em todo País, é especial ter o reconhecimento dos leitores alagoanos.  

“Tenho parentes e amigos aqui, pessoas cujas opiniões são muito importantes pra mim. Além disso, conheço muitos autores locais que desenvolvem um belíssimo trabalho e espero poder, de alguma forma, ajudar a abrir portas para que eles também possam se lançar em todo o Brasil, e não apenas em Alagoas”, contou a autora que marcou presença na X Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, realizada em outubro.

“A dama de papel” já está à venda na Amazon, onde figurou por diversas vezes entre os mais vendidos nas categorias Romance/Ficção Eróticos, em outros sites de compras do Brasil, e em Maceió, nas livrarias Leitura, Nobel e Cia dos livros.

É como Catarina gosta de repetir: “Algumas vezes, nós escolhemos o caminho. Mas noutras, é o caminho que nos escolhe”.

Câmara revoga portaria que autorizava diárias a vereadora

Foto: reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Portaria revogando a anterior

O presidente da Câmara Municipal de Maceió (CMM), vereador Kelmann Vieira (PMDB), publicou na edição desta quinta-feira, 12, do Diário Oficial do Município, a portaria de 0257/2015, revogando a portaria anterior, onde autorizava a concessão de três diárias a vereadora Tereza Nelma, para que ela participasse do evento PSDB/Mulher, em São Paulo.

Ontem, ao ser questionado sobre o custeio, pela Câmara, da ida de uma vereadora a um evento partidário, o presidente afirmou que o pedido da vereadora foi indeferido e a decisão fora publicada por engano.

Kelmann garantiu que a portaria seria revogada hoje.

Registre-se: cumpriu.

 

Câmara autoriza diárias para vereadora participar de evento partidário em SP

Foto: Reprodução/DOM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Portaria publicada no Diário Oficial

O presidente da Câmara Municipal de Maceió (CMM), Kelmann Vieira (PMDB) autorizou a concessão de três diárias a vereadora Tereza Nelma (PSDB), no valor unitário de R$ 450 – totalizando R$ 1.350 - para o pagamento de despesas referentes ao seu translado, alimentação e estadia em São Paulo (SP), onde a vereadora participa do evento partidário PSDB/Mulher.

A portaria de número 0256/15, de 10 de novembro, foi publicada na edição desta quarta-feira, 11, do Diário Oficial do Município.

Questionado sobre a razão pela qual a Câmara custearia a ida da vereadora a um evento partidário, o presidente respondeu, por meio da assessoria de Comunicação da CMM, que Tereza Nelma realmente solicitou as diárias, mas o pedido foi indeferido.

Kelmann afirmou que o documento foi publicado erroneamente, por engano, e garantiu que amanhã (12) será divulgada uma nova portaria tornando sem efeito a de hoje.

Então tá.

Frente parlamentar assume bandeira pela redução da conta de luz

Foto: Ilustração Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Lâmpada acesa

Foi lançada nesta semana, na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar em Defesa da Redução do Preço da Energia Elétrica no Brasil. A ideia dos parlamentares que integram o grupo é debater e discutir propostas em tramitação na Casa, visando basicamente o barateamento das tarifas e a garantia de investimentos para o setor.

De acordo com matéria veiculada pela Agência Câmara, o presidente da Frente Parlamentar, deputado Fabio Garcia (PSB/MT), destacou que os aumentos abusivos que ocorreram esse ano, com reajustes de até 70% em alguns estados, são fruto de políticas equivocadas, entre elas a medida provisória (MP 579/12) que reduziu a tarifa de energia em até 20% há três anos.

Já o assessor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Leandro Caixeta Moreira, argumentou que os aumentos recentes foram necessários para evitar o colapso do setor elétrico e trazer sustentabilidade.

Marcos Franco Moreira, diretor de gestão do setor elétrico do Ministério de Minas e Energia, admitiu que os preços das tarifas de energia elétrica estão altos, mas frisou que o setor caminha em meio a riscos, como longos períodos de estiagem, que afetam a produção das hidrelétricas.

Moreira também apontou que os subsídios concedidos a consumidores específicos, como o desconto de 73% incidente sobre a irrigação, por exemplo, estão entre os fatores que encarecem a tarifa. “Quem paga somos nós, consumidores. Deveria ser uma política de Estado”, defendeu.

O que é mesmo que os consumidores não pagam?

Fica a pergunta e a torcida para que a Frente avance.

Prazo para conclusão da auditoria na folha da ALE deve ser prorrogado

Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Ronaldo Medeiros

O prazo para conclusão da auditoria realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) na folha de pagamento dos servidores efetivos (ativos, inativos e pensionistas) da Assembleia Legislativa deve ser prorrogado em dois meses, de acordo com o vice-presidente da Casa, deputado Ronaldo Medeiros (PT).

O trabalho que começou em junho passado deveria ser concluído agora em novembro, segundo anunciou o primeiro secretário da Casa, deputado Isnaldo Bulhões (PDT), na ocasião do início da auditoria que custou R$ 1,5 milhão aos cofres da Casa de Tavares Bastos.

Presidente em exercício, Medeiros explicou que o atraso se deu porque os técnicos da FGV encontraram dificuldades para localizar a parte legal necessária ao andamento da auditoria. “Eles adiantaram que irão formalizar o pedido de prorrogação para conclusão e acreditamos que, agora que já concluíram a análise da parte legal, em dezembro começarão a entregar os relatórios sobre a folha de pagamento em si”, pontuou o parlamentar.

Medeiros garantiu que, até o momento, dos relatórios mensais entregues pelo pessoal da Fundação, constam apenas algumas recomendações, mas nada – ainda – relativo – ao “X” da questão: a folha do Poder Legislativo.

Exploração sexual: Quem avisa... Amigo (da criança) é

Foto: Assessoria/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Vereadora Fátima Santiago

O prefeito Rui Palmeira sancionou o Projeto de Lei 6.487, de autoria da vereadora Fátima Santiago (PP), que torna obrigatória a fixação permanente de placa com a mensagem "Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é Crime! Denuncie! Ligue para o Disque 100 e faça sua denúncia!", em estabelecimentos como hotéis, motéis, pensões e locais onde ocorram eventos artísticos ou musicais noturnos, entre outros.

O estabelecimento que descumprir a lei pode ser punido com multa diária de R$ 2 mil, suspensão das atividades pelo período de 60 dias, em caso de reincidência, e até cancelamento da licença de funcionamento.

Por meio de sua assessoria de Comunicação, Fátima Santiago destacou que é fundamental que práticas de incentivo às denúncias sejam difundidas entre a população. “A colocação de um aviso, bem visível, nesses locais de diversão, certamente vai trazer maior conscientização, e, de certo modo, inibir a prática desumana de utilização de menores para diversão de adultos”, frisou a vereadora.

Torcemos para que surta efeitos positivos, ao tempo que lamentamos a necessidade da criação de lei para algo que poderia ser adotado espontaneamente – e de bom grado - por parte de empresários do ramo.

Histórias íntimas apimentam VI Flimar, em Marechal Deodoro

Foto: FolhaPress Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Mary Del Priore

A partir da noite desta quarta-feira, 11, até o próximo domingo, 15, acontece a VI Festa Literária de Marechal Deodoro (Filmar), que nesta edição homenageia o poeta Jorge de Lima e o músico Nando Cordel.

Na programação organizada pelo intrépido Velho Capita, Carlito Lima – secretário de Cultura de Marechal - shows musicais, exposições, teatro, feira cultural e uma série de conversas com escritores de todo o País, entre eles Ignácio Loyola Brandão, autor de 41 livros, sendo o mais recente, “Os olhos cegos dos cavalos loucos”, e a historiadora Mary Del Priore, autora dos livros Histórias íntimas e Uma breve história do Brasil.

Mary Del Priore participa de duas mesas redondas, na sexta, 13, e no sábado, 14, no auditório do Espaço Cultural, respectivamente, com os temas “Beije-me onde o sol não alcance”, mediada por Carlito Lima, e “Histórias íntimas – sexualidade e erotismo na história do Brasil”, mediada pelo escritor Geraldo Majella.

Se a prosa falada da historiadora for tão leve e envolvente quanto à escrita, os bate-papos serão imperdíveis.

Confira a programação completa no www.6flimar.blogspot.com ou no Facebook  “6ª Festa Literária de Marechal Deodoro”.

 

Para diminuir a violência, Justiça pune comerciantes em três cidades alagoanas

Imagem ilustrativa/FolhaPress Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Bar fechado

Em uma portaria publicada nesta sexta-feira, 06, a juíza da Comarca de Viçosa, Lorena Carla Sotto-Mayor, determinou que os proprietários de bares e estabelecimentos congêneres, e produtores de eventos dos municípios de Viçosa, Chã Preta e Mar Vermelho, só estão autorizados a funcionar em horário comercial até o limite de 22 horas em todos os dias da semana.

A medida é justificada com base nos níveis de criminalidade e violência existentes na comarca “que se agravaram sensivelmente no último mês”, e considerando “que tais níveis de criminalidade vivenciados por esta comarca (homicídios, arrombamentos e furtos de residências e estabelecimentos comerciais, estupros, etc), praticados tanto por menores como por adultos, devem-se, em grande parte, ao uso abusivo de bebidas alcoólicas por parte da comunidade”.

Na mesma portaria é determinado ainda que as forças de segurança Exército Brasileiro, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Guarda Municipal adotem as providências em relação àqueles que descumprirem qualquer dispositivo da portaria.

Em outro trecho do documento, a magistrada destaca que, “embora a Constituição Federal proteja a propriedade privada, a livre concorrência e assegure a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, estes devem ser exercidos para a consecução dos desideratos entabulados pelos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça”.

Alega ainda que as medidas limitativas de horários vêm sendo adotadas com eficácia comprovada no que se refere à diminuição dos índices de criminalidade na localidade em que vige tal proibição.

Acredito que as considerações são pertinentes, os objetivos a serem alcançados nobres e as intenções contidas na portaria, as melhores possíveis, mas o documento me lembra da piada do homem traído que, para solucionar o problema, vendeu o sofá onde flagrou a mulher com outro.

A Associação dos Legisladores Escandalosos

Foto: Reprodução/Facebook Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Alari Romariz

Conhecida por não ter papas na língua, principalmente quando o assunto envolve os integrantes da Casa de Tavares Bastos, a ex-presidente do Sindicato dos Servidores Aposentados da Assembleia Legislativa lançou recentemente seu primeiro livro, "Alari Romariz, a velhinha das Alagoas", reunindo parte de mais de mil textos escritos por ela nos últimos 12 anos.

No livro, assim como em suas postagens nas redes sociais, ela não poupa quase ninguém e dá nome aos bois ao contar episódios antigos e outros bemmm recentes acerca de diversas autoridades, como deputados, ex-deputados, ex-governadores e até ex-presidentes.

O título de um dos artigos resume o espírito da coisa: “Associação dos Legisladores Escandalosos – ALE”.

Embora a obra conte também com textos mais leves e pessoais, a parte política é, sem sombra de dúvidas, a mais saborosa.

Segundo a autora, o livro publicado pela editora Luminata, de Campinas/SP, é um presente das irmãs e a realização de um sonho acalentado desde 1985.

"Alari Romariz, a velhinha das Alagoas" está à venda na livraria Viva, na Jatiúca.

 

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com