Oxi... Isso é Fake!

HGE não está transferindo pacientes com Covid-19 para Arapiraca por superlotação

Imagem: Reprodução / Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Está circulando em grupos de WhatsApp um áudio com informações falsas, falando que o Hospital Geral do Estado (HGE) estaria superlotado de pacientes com Covid-19 e que, por isso, outros pacientes estariam sendo transferidos para Arapiraca, na região do Agreste. No áudio, também atribuem o aceleramento das obras em unidades de referência à fiscalização de órgão federais.

“Cada vez que você atinge 200 mortes, o dinheiro que vem é bem, bem superior ao que já tinha vindo. (...) Só que ele [Renan Filho] tá vendo que a coisa não é bem assim, porque a Polícia Federal, a PGE, lá o [Augusto] Aras, ele tá tomando providências e processando os governadores, obrigando eles a prestarem contas. (...) Então ele já conseguiu [o dinheiro] e o que é que vai fazer, ele tá desesperado correndo e construindo”, diz parte do áudio.

Segundo informações da Agência Alagoas, o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) já negaram o repasse e recebimento de recursos por mortes registradas. Em nota, a Sesau disse que as obras voltadas para o atendimento de pacientes com coronavírus são prioritárias. “As obras estão em andamento e consideradas prioritárias porque são novos equipamentos de saúde pública para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 e fortalecimento da rede hospitalar estadual”, explicou.

O mesmo áudio também fala sobre superlotação no HGE, o que estaria causando a transferência de pacientes para Arapiraca, na região do Agreste. Um trecho diz: “O HGE é um hospital de emergência, não pode ter paciente de Covid lá e teve e tem, e tem enfermarias topadas de Covid porque ele não tem pra onde mandar. (...) Outra coisa, eu conversando com meu amigo, que ele é subsecretário lá de Arapiraca, o Aérton… O Aérton disse ‘(...)Renan tá mandando paciente com Covid de Maceió pra Arapiraca’”.

Aérton Lessa, que é subsecretário de saúde em Arapiraca, se manifestou sobre o assunto numa rede social. “Informo que nunca tive esse tipo de conversa, nem com a pessoa que fez o áudio, nem com nenhuma outra pessoa, nem pessoalmente nem pelas redes. Além de me citar indevidamente, me usa para fazer uma crítica que não fiz. Por isso informo que é FAKE NEWS”, afirmou.

Sobre a situação do HGE, a Sesau disse que o hospital tem recebido pacientes com sintomas semelhante ao do novo coronavírus, o que tem aumentado a demanda, mas esclareceu que depois da confirmação da doença, eles são transferidos para unidades de referência, como UPAs, o Hospital da Mulher, Hospital Metropolitano, Hospital de Campanha e demais hospitais filantrópicos que têm contrato com o Governo de Alagoas.

 

*Com Agência Alagoas

É falso e-mail que pede atualização de assinatura eletrônica da Caixa Econômica

Ilustração/Internet Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Fake News

Um e-mail, supostamente enviado pela Caixa Econômica Federal, pedindo a atualização da assinatura eletrônica está sendo recebido por várias pessoas. Segundo o texto do e-mail, o procedimento seria obrigatório e motivado pela pandemia de coronavírus. A Caixa alerta que a informação é falsa. Em nota, o banco disse que não envia e-mails ou mensagens pedindo informações, nem realiza ligações para os cidadãos.

O e-mail falso diz: “Devido ao isolamento social pelo surto do novo coronavírus, a Caixa Econômica Federal solicita uma atualização obrigatória da sua Assinatura Eletrônica. Para confirmar utilize abaixo o botão CONFIRMAR e efetue a validação”.

A Caixa Econômica faz um alerta para que o cliente não clique em links enviados em nome da instituição: "Qualquer tentativa de contato com o cidadão caracteriza-se como uma tentativa de fraude e deve ser desconsiderada, bloqueada e reportada aos órgãos fiscalizadores competentes”, diz a nota.

Órgãos do Governo, Polícia Federal, lojas de aplicativos e a própria Caixa monitoram e bloqueiam serviços falsos, criados com o intuito de causar danos ou golpes à população. De acordo com dados repassados pelo banco, 60 sites e aplicativos fraudulentos foram desativados em pouco menos de um mês.

A orientação é que o cidadão fique atento aos aplicativos e serviços oferecidos em meios não oficiais sobre o Auxílio Emergencial e a pandemia do coronavírus, sobre registro para receber vacinação e itens de proteção, como máscaras e álcool em gel, e até mesmo sobre o agendamento para testes de Covid-19.

“É muito importante que os cidadãos utilizem única e exclusivamente os canais oficiais da CAIXA ou do Governo para buscar informações e acesso aos serviços. Neles são utilizados fatores complementares de segurança baseados em informações, código de verificação, além do próprio dispositivo para garantir o devido nível de segurança do processo”, enfatiza o banco.

É falso que Pam Salgadinho faz exames sem liberação do CORA em pessoas com Covid-19

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Mais uma mensagem falsa tem circulado por  grupos de WhatsApp de Alagoas dizendo que pacientes diagnosticados com Covid-19 podem fazer exames de tomografia e eletrocardiograma no Pam Salgadinho sem precisar de liberação do Cora, o Complexo Regulador de Maceió. A informação é falsa.

“No caso da Tomografia, só necessita trazer APAC, preenchida e assinada pelo(a) médico(a) e juntamente com o cartão SUS e um documento pessoal, a apac não precisa está liberada pelo cora, agora só serve se for pra pacientes do covid essa situação, e o Eletro com a guia médica e a justificativa assinada pelo médico todas essas informações foram passadas pelo coordenador do bloco”, diz um trecho da mensagem.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disse que as informações não procedem e esclareceu que nenhum exame é feito sem passar por regulamentação ou fluxos definidos pelo Município. O CORA é um sistema usado pelo município para a marcação de consultas e exames pelo SUS.

No caso de pacientes com sintomas da Covid-19, a secretaria ressaltou que o atendimento é diferenciado: “Os usuários que tiverem a indicação médica para a realização desses exames serão encaminhados das unidades de referência em síndromes gripais e das UPAs geridas pelo Município (Benedito Bentes e Trapiche), portando formulário devidamente assinado que será entregue na unidade executante [que irá realizar os exames], que pode ser o PAM Salgadinho ou Hospital Sanatório”, disse.

Ainda de acordo com a secretaria, a intenção desse atendimento diferenciado é evitar a demora na realização dos procedimentos e aglomerações de casos suspeitos ou confirmados da doença.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890.

*Com assessoria

É falso que os governos estaduais recebem recursos por cada óbito de Covid-19

Foto: Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true É falso que os governos estaduais recebem recursos por cada óbito de Covid-19

Em diversas redes sociais tem circulado mensagens sugerindo que os Estados estariam aumentando o número de mortes registradas por Covid-19. A motivação, de acordo com o texto, é que os Estados receberiam mais de R$ 16 mil por cada morte confirmada pela doença. A informação é falsa. Em nota, o Ministério da Saúde desmente a informação e afirma que todos os recursos repassados são para ações e serviços públicos de saúde em geral.

A mensagem falsa diz: “Para cada óbito no hospital pela Covid-19 o estado recebe R$ 16.450,00. Entenderam porque os números só crescem?”.

O Ministério da Saúde confirma que não há repasse de verbas por mortes registradas. "O Ministério da Saúde informa que não repassa verba para registro de morte. Esta verba é usada por secretarias estaduais e municipais de saúde para custeio dos serviços, aquisição de insumos básicos para o funcionamento dos postos de saúde e de hospitais, por exemplo, além de proporcionar equipamentos e recursos humanos a estados e municípios”, explicou o órgão.

A Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) explicou que parte dos recursos que chegam ao Estado é destinada à testagem de pacientes, a ações para combater a propagação do novo coronavírus e ao tratamento das pessoas já diagnosticadas. Nenhum recurso é decorrente das mortes registradas pela doença.

Ainda de acordo com a Sesau, qualquer cidadão pode conferir a origem dos recursos recebidos e onde estão sendo aplicados, por meio de uma página exclusiva dentro do Portal da Transparência.

“As informações podem ser acessadas por todos os cidadãos alagoanos. Para facilitar a navegação do usuário, a Controladoria-Geral do Estado (CGE) implantou uma melhoria no site: todos os investimentos referentes à Covid-19 foram agrupados em uma página exclusiva, que pode ser acessada por meio do menu do Portal da Transparência”, disse a secretaria em nota.

Médico Luís Eduardo de Magalhães desmente áudio ensinando tratamento da Covid-19

Ilustração/Internet Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Fake News

Circula em diversos grupos de WhatsApp, em Alagoas, um áudio atribuído ao médico Luís Eduardo de Magalhães Lima, no qual ele supostamente comenta algumas teorias sobre o novo coronavírus. O áudio é acompanhado de um texto dizendo que o médico seria um dos sócios do Hospital Arthur Ramos e presidente da Associação dos Médicos de Alagoas. Tanto o áudio quanto o texto são falsos.

O médico Luís Eduardo de Magalhães Lima, além de não trabalhar em nenhuma das instituições citadas na mensagem que está circulando, também diz que o áudio não foi gravado por ele, que é cardiologista, trabalha no Hospital Universitário e no Hospital do Coração, além de ser vice-presidente da Sociedade Alagoana de Cardiologia.

No áudio, o homem indica a compra de remédios e a automedicação pela população: “Vai vir o teste rápido dentro de 15 a 20 dias no Brasil inteiro [...] Em 15 minutos você sabe o resultado, deu positivo [...] inicia o tratamento com a hidroxicloroquina [...] É um caso onde a observação médica superou a ciência [...] A comprovação está vindo depois [...] 90% das pessoas não vão ter nada [...] Não precisa desse isolamento horizontal”.

O médico Luís Eduardo de Magalhães chegou a dar entrevista em rádio para desmentir o caso. “Estou muito triste por ser vítima de fake news. Nesta manhã, um programa na rádio colocou esse áudio falso no ar e minutos depois eu entrei por telefone para desmentir. Nem a voz, nem as ideias são minhas. No momento, estou em casa em quarentena, afastado das minhas atividades em virtude da suspeita de Covid-19”, explicou o médico.

Vale ressaltar que a Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) emitiu um parecer considerando precoce o uso de Hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19 e alertando para os efeitos colaterais. O uso do remédio é decidido pelos médicos, avaliando cada caso, e não deve ser feito por conta própria, por meio de automedicação.

Quem gravou o áudio também diz que 86% dos municípios brasileiros não registraram casos do novo coronavírus, mas essa informação também é falsa. De acordo com um levantamento do Brasil.IO, com dados das Secretarias de Estado da Saúde, o coronavírus já atinge 61% dos municípios brasileiros.

Foto de "garçom" que teria morrido devido à quarentena é falsa

Foto: Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Foto de "garçom" que teria morrido devido à quarentena é falsa

Circula nas redes sociais, em Alagoas, a foto de um homem que supostamente seria garçom e teria falecido devido aos decretos estaduais que estabelecem o distanciamento social e o fechamento de serviços não essenciais. A fotografia e toda a história por trás dela são falsas. A foto não foi tirada em 2020, muito menos em Alagoas.

A imagem integra o perfil do famoso e premiado fotógrafo suíço Thomas Leuthard, conhecido por registrar a realidade da vida cotidiana nas ruas. O clique foi feito há seis anos, em 03 de fevereiro de 2014, em Bangkok, capital da Tailândia, e foi batizado de "Whithout alcohol, money e facebook... the World would be a better place", em tradução livre: “Sem álcool, dinheiro e facebook... o mundo seria um lugar melhor”.

Na imagem aparece ainda o governador de Alagoas, Renan Filho, e os seguintes dizeres, totalmente falsos: “Este é Pedro, pai de três filhos, trabalhava como garçom antes da quarentena. Este é o vírus que matou Pedro. Fora Renan, Impeachment Já”.

Imagem de Projeto de Lei com antecipação de feriados em Alagoas é falsa

Foto: Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Imagem de Projeto de Lei com antecipação de feriados em Alagoas é falsa

Circula nas redes sociais uma imagem com um texto, atribuído ao Gabinete do Governador de Alagoas, com o que seria um Projeto de Lei alterando para a última semana de maio os próximos feriados estaduais e municipais, em razão da pandemia do novo coronavírus. A informação, no entanto, não é verdadeira.

No texto alguns feriados são citados, como Corpus Christi, São João, São Pedro, Emancipação Política de Alagoas, Dia do Servidor Público e Dia da Consciência Negra. “Estado de Alagoas, Gabinete do Governador, Lei Nº, de, de, 2020. Altera a data de comemoração dos feriados estaduais e municipais nos termos que especifica. Art.1 Os feriados estaduais e municipais serão comemorados, excepcionalmente no exercício de 2020, em razão da Covid-19 (coronavírus), conforme as datas expostas abaixo”, diz o texto contido na imagem.

O Gabinete Civil do Estado se manifestou dizendo que até o momento não há previsão de antecipação de feriados em Alagoas. Todas as medidas que forem adotadas serão anunciadas por meio da publicação de um decreto nos canais oficiais do Governo do Estado, entre eles o site da Imprensa Oficial. 

Segundo a assessoria de comunicação da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE-AL), até o momento o parlamento estadual também não recebeu propostas relativas a este tipo de mudança.

Novo decreto do Governo de AL que circula nas redes sociais é falso

Foto: Márcio Ferreira / Assessoria / Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Filho

Circula nas redes sociais um suposto novo decreto do Governo de Alagoas com a data do dia 20 de maio. Entretanto, segundo a assessoria de comunicação do Governo, esse decreto que está sendo compartilhado é falso. 

Nesta quarta-feira (20), o governador Renan Filho vai anunciar o novo decreto que deve sair com medidas mais restritivas de isolamento. Ontem, o Cada Minuto mostrou que o índice de isolamento em Alagoas continua baixo, mesmo com mais de 4.000 mil casos confirmados da covid-19.

É falso que supermercados fecharão a partir de quarta-feira em municípios alagoanos

Foto: Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true É falso que supermercados fecharão a partir de quarta-feira em municípios alagoanos

Informações sobre medidas restritivas que levariam ao fechamento de supermercados têm preocupado a população. “É verdade ou é fake news essa conversa de que vão fechar todos os supermercados a partir de quarta-feira?”, questiona uma cidadã em um áudio que foi enviado a esta editoria. Esta informação, no entanto, não procede.

A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) ressalta que supermercados são serviços essenciais, ou seja, livres para funcionar em qualquer situação. A mesma regra se aplica a padarias, distribuidoras de água e outros serviços do mesmo gênero. Um exemplo disso é que em municípios do estado do Maranhão e também na cidade de Fortaleza, assim como em todas as outras cidades que já decretaram o fechamento total (lockdown), esses serviços continuam funcionando normalmente.

No momento, está em vigor em Alagoas o Decreto Estadual 69.722, que tem o objetivo de reduzir o contágio pelo novo coronavírus. Em vigor até o dia 20 de maio, o decreto não proíbe o funcionamento de supermercados ou estabelecimentos do gênero.

A norma estadual proibiu a circulação na orla de praias, rios, lagoas e outros espaços públicos, tornou obrigatório o uso de máscaras de proteção, trouxe regulamentações para o funcionamento do transporte público e determinou mais rigor na fiscalização do cumprimento das medidas.

*Agência Alagoas

Farmex não está distribuindo hidroxicloroquina para pacientes com Covid-19

Imagem: Reprodução / Agência Alagoas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Mais uma fake news está circulando em grupos de Whatsapp, em Alagoas. É falso o texto com informações de que a Farmex (Farmácia de Medicamentos Excepcionais), ligada à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), estaria distribuindo hidroxicloroquina para pacientes diagnosticados com Covid-19.

Segundo o falso texto, o cidadão teria que se cadastrar por e-mail: "Hidroxicloroquina é dispensada pela farmácia do estado, que fica ao lado do Portugal Ramalho, para pacientes cadastrados. O cadastro é feito até por e-mail, com receita médica para lúpus, malária e Covid. Tem tudo no site da Sesau", diz a mensagem.

De acordo com a Sesau, a informação não procede, uma vez que a Farmex disponibiliza hidroxicloroquina apenas para pacientes com Lupus Eritematoso ou Artrite Reumatóide e com prescrição médica.

A secretaria destaca que, quando o médico decide por esse tratamento, o remédio é disponibilizado aos pacientes com sintomas de Covid-19 nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) do Jacintinho, Tabuleiro do Martins, Benedito Bentes e Trapiche da Barra; na Central de Triagem do Ginásio do Sesi e do Benedito Bentes; e nas Unidades Sentinelas Walter Moura e Jorge Duarte.

 

*Com informações da Agência Alagoas

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 [email protected]
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 [email protected]