Minuto Tecnologia

Fake News: Ferramenta criada por Universidades de São Paulo ajuda a detectar a vilã eleitoral

A58468e3 7dfc 43fc 8c0b 7b7227cf0506

Desde o início do período eleitoral a população vem sendo bombardeada por uma série de notícias falsas. As informações circulam principalmente pelas redes sociais. Dentre elas a mais usada para a disseminação dos conteúdos é o WhatsApp.

 As famosas “Fake News” influenciam o imaginário do público, que nem sempre checa a veracidade da notícia e a passa para frente sem se importar com a informação que esta sendo veiculada.

Para ajudar a identificar o que é verdadeiro e o que não é nas redes sociais, duas universidades renomadas se uniram para produzir uma ferramenta baseada em Machine Learning capaz de dizer se uma notícia é fake.

A ferramenta foi criada pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP) em junção com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). De acordo com eles a ideia é que a ferramenta se torne um apoio para o usuário.

O professor do ICMC e coordenador do projeto Thiago Prado diz que o programa faz distinção entre as notícias que são verdadeiras e as que são totalmente falsas, obtendo 90% de precisão na avaliação. Thiago ainda ressalta que as pessoas que propagam Fake News costumam embasar suas mentiras em fatos verdadeiros, mesmo com a ferramenta tendo capacidade de separar as informações o nível de refinamento ainda está sendo aperfeiçoado.

O usuário pode acessar o recurso de duas formas: pelo navegador ou pelo o WhatsApp.

Navegador: é o modo mais simples de utilizar a ferramenta;

1- Acesse o link para checar a notícia;

 

2- Insira o texto que você quer verificar e depois clique em enviar;

3- O resultado aparece logo abaixo

WhatsApp: a checagem é feita por um bot (robô) que analisa as informações. Para acessá-lo siga os próximos passos:

1- Entre pelo smartphone no link para acesso do WhatsApp;

2- Clique em “Enviar”;

3- No seu WhatsApp vai aparecer a seguinte mensagem;

4- Encaminhe a noticia que você quer verificar para o numero da mensagem como você faria com um grupo ou amigo, usando a ferramenta “encaminhar” do WhatsApp;

5- O bot vai informar se a notícia é falsa ou verdadeira.

Caso você queira realizar uma nova consulta só é preciso reiniciar o bot enviando apenas a palavra “Fake” antes de encaminhar um novo link ou texto.

Entenda como é feita a verificação

A análise da noticia verdadeira ou falsa não passa pela checagem humana para não gerar duvidas enquanto a precisão da ferramenta. Para executar a tarefa o grupo criou técnicas de Machine Learning para ensinar o bot a diferenciar os dois tipos de informação.

A princípio a equipe criou um banco de dados com as mesmas quantidades de notícias falsas e verdadeiras, 3,6 mil de cada, totalizando 7,2 mil textos entre janeiro de 2016 e janeiro de 2018. O banco de dados esta disponível para consulta no site do instituto.

As notícias principais são aquelas que focam em politica (58% do total), mas outros temas fazem parte do banco, como celebridades, TV, ciências, tecnologia e religião.

O sistema também foi treinado para avaliar parâmetros de gramática e outras nuances de escrita para distinguir as informações. Segundo Thiago quando uma pessoa esta mentindo inconscientemente a produção de texto é afetada, mudam as palavras que ela usa e as estruturas do texto. Além disso, a pessoa costuma ser mais assertiva e emotiva, por isso uma das formas de detectar textos enganosos é através da mensuração dessas características.

Sendo assim, o grupo passou a observar variações como tamanho do texto, riqueza do vocabulário, número de classe gramatical (verbo, advérbio, adjetivo), erros ortográficos e concluíram que a maior parte das noticias falsas contem muitos erros gramaticais. Com a apuração desses dados foi possível treinar o sistema para chegar a um nível de acerto de 90%.

A pesquisa completa está disponível no site acadêmico do ICMC.

*Estagiária sob supervisão da editoria

Google Assistente amplia recurso de informação para o Enem 2018

7c937b44 b984 4a31 a557 9b9b602a975e

Com a data do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) se aproximando, as buscas na web feitas pelos pré-universitários estimularam a formulação de um novo recurso no Google Assistente. A ferramenta amplia a capacidade de buscas por informações de questões e temas que podem cair na prova.

Na publicação oficial feita pelo Google eles explicam que cada vez que o aluno buscar por “Enem” no Google, informações como datas importantes e horários estarão disponíveis em uma caixa especifica. Já o Google assistente ampliou as lacunas de conteúdo para exibir em seus resultados de busca materiais de interesse para estudo, como resumos de livros, descrições de temas em áudio e informações sobre carreira de trabalho, para que o estudante consiga escolher o curso de graduação e consequentemente sanar as dúvidas sobre o processo seletivo.

O conteúdo do Google Assistente foi feito em parceria com o SENAI, 12min, Adtalem, Estácio e Mito Games. Veja alguns exemplos que demostram a interação com o novo recurso:

  • “Ok Google, falar com Enem 2018” - Resumo de temas mais comuns presentes na prova, por matéria;
  • “Ok Google, falar com Enem Dicas” - Reunião de dicas, as datas e os possíveis temas da prova;
  • “Ok Google, falar com o 12 minutos” - Resumo em áudio de livros que podem cair no Enem, além de dicas de produtividade. Também será possível escutar um livro adicional por dia entre outros títulos disponíveis;
  • “Ok Google, falar com o Rota das Carreiras” - Três sugestões de carreira que mais combinam com o perfil do usuário, bem como descrição das atividades nelas exercidas;
  • “Ok Google, falar com o Senai” - Informações a respeito de cursos técnicos e profissionalizantes para ampliação de currículo.

Com informações de Canal Tech

*Estagiária sob supervisão da editoria

Confira o que o eleitor buscou na web antes de votar

779aa25b 2f13 4ce0 b318 cc6c06982dab

Antes da eleição realizada neste domingo (7), os brasileiros recorreram ao Google para buscar respostas de perguntas como “O que é eleição?”, “Como votar?”, “Como anular o voto?” e “ O que é democracia?”.

As buscas na Web é um reflexo da renovação da consciência politica dos brasileiros. Nos últimos meses uma série de questionamentos foi levantada para tratar a imensidão do cenário politico do País, sendo assim que se informa mais, vota melhor.

 Veja algumas das principais perguntas feitas pelos brasileiros, compiladas pelo Google:

  • O que pode e não pode na campanha eleitoral 2018? - 1158.42%
  • Como votar? - 842.23%
  • Como justificar o voto? - 732.77%
  • O que faz um senador? - 396.16%
  • Como anular o voto? - 376.40%
  • O que é eleição? - 356.21%
  • Quando será o segundo turno das eleições? - 338.35%
  • Como votar em 2018? - 218.82%
  • Quem ganha à eleição 2018? - 138.07%
  • O que é democracia? - 73.88

Um fato interessante é que os eleitores do Nordeste foram os que mais fizeram buscas relacionadas à votação nos sete dias anteriores à eleição.  Na região o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) não obteve a maioria dos votos, levando a disputa presidencial para o segundo turno.

No dia da eleição, o nome de Bolsonaro dominou as buscas na internet com 63% das pesquisas, seguido de Ciro (19%), Haddad (8%), Cabo Daciolo (5%) e Marina Silva (5%). Outras questões como número do candidato (74%), título de eleitor (9,6%), local de votação (7,68%), urna eletrônica (4,51%), biometria (2,55%) e candidatos (1,74%), também foram levantadas no dia da votação.

Em relação aos títulos cancelados, o Nordeste foi a região mais atingida. O cancelamento foi promovido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que anulou os documentos por falta de cadastramento biométrico. No período de 24h antes das eleições as pesquisas sobre biometria dobraram chegando a crescente de 670%%. Vale lembrar que cerca de 336 milhões de brasileiros tiveram seus títulos cancelados.

Já as urnas eletrônicas se tornou motivo de polêmica quando o candidato Jair Bolsonaro questionou sua confiabilidade, incitando aos brasileiros que gravassem vídeos ou fizessem “Lives” em suas redes sociais na hora da votação. A curiosidade foi tanta que os brasileiros recorreram ao Google para entender como funcionam as urnas.

  • Como votar na urna eletrônica? - 820.70%
  • Como funciona a urna eletrônica? - 399.44%
  • Como votar em branco na urna eletrônica? - 367.29%
  • Como votar na urna eletrônica? - 328.98%
  • Como usar a urna eletrônica? - 248.10%
  • Qual a ordem de na urna eletrônica 2018? - 292.91%
  • Por que só o Brasil tem urna eletrônica? - 279.11%
  • Como cancelar o voto na urna eletrônica? - 160.05%
  • Qual foi o primeiro presidente eleito pela urna eletrônica? - 40.10%

Com informações de uol tecnologia

*Estagiária sob supervisão da editoria

 

Bots russos trazidos pelo Grupo Anonymous são acusados de influenciar as eleições de 2018 no Brasil

97843f87 6b76 4d40 b28b 6121c24f47f7

A interferência dos bots (robôs)  russos é antiga. Nas eleições do Estados Unidos em 2016, eles ajudaram a eleger o atual presidente do País, Donald Trump. Em fevereiro deste ano a comunidade americana de inteligência artificial alertou sobre o risco da interferência dos bots nas eleições presidenciais do Brasil.

De acordo com o Jornal Folha de São Paulo, os hackers russos estão interferindo diretamente nas eleições brasileiras. A ação foi descoberta pela empresa de segurança cibersegurança FireEye, que avistou a atividade russa no país durante o mês de setembro até mesmo quando aconteciam os debates presidenciais transmitidos pela televisão.

A responsável pelas investigações de atividades de espionagem na FireEye, Cristina Kittner explicou  que é a primeira vez que uma ação russa pode ser ligada diretamente ao atual ciclo eleitoral brasileiro.

Como foi descoberta somente em setembro, a ação russa no País ainda está em curso nas redes sociais. Ela utiliza a extensão brasileira do grupo internacional Hackers Anonymous, conhecido no Twitter como @anonopsbrazil para se instalar no País . Ainda de acordo com a denúncia, os bots russos foram usados para aumentar o alcance de publicações com a hashtag #OpEleiçãoContraOFacismo, utilizando perfis falsos para que o assunto ganhasse relevância nas redes sociais.

As redes sociais servem para insuflar artificialmente os debates políticos que questionam a democracia do país e outros temas que ressaltam a disputa presidencial como homofobia, preconceito e violência.

Em geral os robôs russos criam publicações que criticam o modelo democrático do Brasil e que questionam a legitimidade das eleições. A técnica é semelhante a outras tentativas de intervenção russa em pleitos mundiais, incluindo as eleições legislativas americanas que ocorreu em novembro de 2017.

De acordo com Kittner a operação russa ainda não tem nenhum candidato específico como alvo, mas as publicações seguem questionando a democracia do País. O principal objetivo é fazer com que as pessoas comecem a questionar o sistema eleitoral brasileiro, atacando diretamente a consciência democrática da nação.

Kittner ressalta que os robôs jogam com a vulnerabilidade do eleitorado brasileiro, utilizando a desilusão como uma de suas principais armas de projeção política para atacar a democracia, causando mais atrito em um momento delicado da história do Brasil.

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Aprenda a fazer backup das configurações e aplicativos do android

81070385 1197 4211 a1ca 7f26ddb5b063

As instalações de aplicativos ajudam o usuário a deixar o celular da maneira que ele gosta. As ferramentas populares de backup, costumam integrar o sistema que auxilia o armazenamento de fotos, contatos e outros arquivos. No entanto os programas e demais configurações ficam de fora desse recurso, o que força o usuário  a restaurá-los manualmente.

Para ajudar na reformulação desse backup, uma versão pouco divulgada pode ser feita via ADB o que envolve o uso de um computador para executar a tarefa. O método é um pouco mais trabalhoso, mas ele consegue obter um resultado muito positivo,já que é possível fazer uma cópia dos apps, jogos e configurações que estão no celular.

Confira como executar o processo e restaurar um backup completo do Android via ADB

Recomendações 

É importante lembrar que o método, realiza uma cópia de aspectos importantes para o Android, que geralmente ficam de fora por conta dos outros meios de backup. Para evitar perdas, recomendamos que o usuário não dispense o backup dos arquivos que estão na nuvem, como fotos e contatos. A introdução do recurso ADB, pode ser feito a partir da versão 4.0 do android. Agora vamos lá!

Ative o modo desenvolvedor

1- Na tela de configurações do aparelho, vá em "Sobre o telefone" e toque sete vezes em "Número da versão". Isto destravará o modo de desenvolvedor no android;

2- Volte para a tela principal de configurações do aparelho, entre na opção programador e habilite a opção depuração USB;

Instalação no computador 

Com o celular pré-configurado, faça a instalação das ferramentas e drivers específicos que o computador precisará para manter a comunicação com o celular. Veja abaixo, os passos para instalar as ferramentas ADB e Fastboot no Windows:

1-Faça a instalação do Android SDK pelo Android Studio em seu computador após baixa-lo por este link;

2-Agora, é preciso ser realizado o download do Fastboot por este link;

3-No “Windows Explorer”, acesse este caminho: %USERPROFILE%;

 4- Crie uma pasta chamada "adb-fastboot" e extraia o conteudo do arquivo baixado do "Fastboot" para ela;  

5- No menu iniciar, procure o item "Exibir configurações avançadas do sistema e acesse-o;

6-  Clique na opção "Variaveis de ambiente";

7-Em variáveis do sistema  selecione a opção "Path" e clique em editar;

8- Acrescente o parâmetro ;%USERPROFILE%\adb-fastboot\platform-tools;

9- clique em "OK";
10- Finalize fazendo a instalação dos "Drivers ADB"  com este link e reinicie a máquina.

Fazendo o backup via ADB

Com o celular e o computador prontos, chegou o momento de realizar o backup, veja como fazer:

1- Abra o "Prompt de comando" como administrador pelo Menu iniciar;

2- Em seguida entre com os comandos conforme aparece na imagem abaixo;

3-Para se certificar que o celular está sendo identificado, entre com o comando: adb devices. Caso ele não esteja sendo reconhecido, certifique-se de permitir a depuração USB no Android, já que ele pode estar parado nesta mensagem;  

4- Acesse o comando: adb backup -apk -shared -all -f backup.adb;

5-  Desbloqueie a tela do celular e coloque uma senha para o backup (opcional). Em seguida clique em “Fazer backup de meus dados” e aguarde o backup ser feito.

Depois que o processo for realizado, você terá um arquivo no formato ADB. O tempo levado para o backup ser feito e seu tamanho, variam de acordo com a quantidade de programas e informações armazenadas no Android. 

Restaurando o backup feito via ADB:

1-No computador, mais uma vez, abra o “Prompt de comando” como administrador pelo “Menu Iniciar”;

2- Acesse os comandos conforme mostra a imagem abaixo para acessar a ferramenta ADB;

3- Certifique que o celular está sendo identificado, entre com o comando: adb devices. Caso ele não esteja sendo reconhecido, certifique-se de permitir a depuração USB no Android, ele pode estar parado nesta mensagem;  

4-Para iniciar o processo de restauração acesse o comando: adb restore backup.adb;

5-Com seu celular desbloqueie sua tela, coloque a senha, caso a tenha definido e clique em “Restaurar meus dados”.

Seguindo esses passos, você saberá como fazer e como restaurar um backup completo do Android utilizando o computador. O método não faz com que você perca o root do aparelho ou custom ROM instalada.

*Estagiária sob supervisão da editoria

O smartphone deixa nosso cérebro mais desatento e preguiçoso, veja como isso acontece

9338e325 5c7c 4204 a2c6 30bc69d357f4

As notificações que chegam aos smartphones ajudam a desprender nossa atenção. Assim que o cérebro humano recebe esse estimulo, ele automaticamente se desvincula de outras ações que estavam sendo executadas e passam a se concentrar em um determinado assunto.

Isso significa que o smartphone não é capaz de ampliar nossas faculdades mentais tão pouco deixar nosso raciocínio mais afiado e nossa memória mais potente ou nos manter mais concentrados. Alguns psicólogos e neurocientistas que estudam o assunto não acharam uma resposta definitiva sobre os efeitos que o celular e outros dispositivos tecnológicos podem ter sobre o cérebro humano, mas eles conseguiram coletar dados que chamam bastante atenção.

De acordo com eles o cérebro recebe um volume gigantesco de estímulos por gadgets que estão relacionados com a deterioração da memória e dificultam a peneira de informações inúteis fazendo com que as taxas de ansiedade e de estresse aumentem o que gera um desperdício da capacidade cerebral.

Para te ajudar a perceber tal desperdício, é muito comum que enquanto estamos assistindo um vídeo no Youtube ou vendo um filme na Netflix que façamos uma pausa assim que chega uma notificação do Whatsapp e ai você se esquece de voltar ao vídeo ou ao filme e abre o Instagram para ver os comentários em alguma foto e antes de terminar de ler já está cansado o suficiente para retornar ao que estava fazendo a princípio.

O gatilho neurológico

Os smartphones, computadores e aplicativos são craques em sequestrar a atenção, eles vivem maximizando seus truques para não conseguirmos deixa-los. Nosso cérebro cai facilmente em todas as armadilhas. O ciclo vicioso do prazer condiciona nosso cérebro a se manter conectado, pois os estímulos criam uma espécie de gatilho neurológico.

O condicionamento cerebral pode ser feito com qualquer coisa, como por exemplo: acordar todos os dias no mesmo horário, passear com o cachorro todo dia de manhã após tomar café ou lavar a louça sempre após o almoço. No entanto, a onipresença dos dispositivos eletrônicos e a imprevisibilidade dos alertas faz com que esse gatilho neurológico não tenha hora nem lugar para disparar.

A diretora do laboratório de neurociência da Nielsen, Janaína Brizante explica que os smartphones nos deixam conectados 24h por dia e cada vez que apertamos a bolinha do celular recebemos uma injeção de neurotransmissores que dão uma sensação de bem-estar, entre eles encontramos a dopamina.

A dopamina

A dopamina é um composto químico derivado do aminoácido tirosina e precursora natural dos neurotransmissores adrenalina e noradrenalina, responsável pelo controle do movimento, memória e sensação de prazer. 

Esse neurotransmissor age em áreas diferentes do cérebro e atinge regiões como o humor, pensamento, atenção e motivação. A sensação de prazer é uma das principais responsáveis pelo condicionamento cerebral. Todas as vezes que recebemos curtidas e comentários positivos no Instagram, por exemplo, sentimos necessidade de postar sempre só para que a dopamina estabeleça novamente em nosso cérebro a sensação de prazer e bem-estar.

Estresse e ansiedade

Devido a esse ciclo vicioso, nosso cérebro nota uma inundação de dopamina e cria uma trava para impedir que meia dúzia de curtidas levem ao êxtase. Digamos que ele cria uma espécie de tolerância para liberar a dopamina, o que antes ocorria em 8 minutos, passa a acontecer em 15 minutos e esse processo vai ficando cada vez mais tardio, levando o usuário ao estresse.

O sistema que libera o neurotransmissor é sensível a pistas de que algo agradável está para acontecer. Nesse momento basta apenas uma notificação para que ele fique em estado de alerta. Esse recurso vai treinando nosso cérebro a uma boa dose diária de estresse para esperar por notificações. O que acaba gerando muita ansiedade, fazendo com que algumas pessoas fiquem todo tempo checando se há novidades no celular.

Além de contar com uma série de gatilhos que abduzem nossa atenção, os smartphones executam inúmeras funções ao mesmo tempo, como tocar música e enviar mensagens. De acordo com os pesquisadores, todas as vezes que pulamos de aplicativo para outro, nosso cérebro paga um pedágio em capacidade de processamento. O que pode comprometer até 40% do tempo produtivo do cérebro como acentua o psicólogo David Meyer.

A constante interrupção nomeada como “loop da dopamina” tem efeitos negativos sobre o desempenho cerebral, já que o efeito libera injeções de cortisol (hormônio do estresse) quando uma atividade é interrompida e de dopamina quando outra se inicia.

Maturação cerebral x Tecnologia

As características multifacetadas dos aparelhos continuam atrapalhando mesmo quando o dispositivo esta desligado, principalmente quando é exigida concentração em uma só atividade.

Os pesquisadores da Universidade de Stanford demostraram que os jovens que estão acostumados com essa enxurrada de estímulos têm cérebros mais preguiçosos e possuem menor capacidade de ignorar informações irrelevantes.

Esses atributos chegam a ser piores em crianças e adolescente que estão em fase de desenvolvimento cerebral. As crianças, principalmente precisam receber estímulos do meio ambiente, mas ao interagir constantemente com os aparelhos eletrônicos isso não acontece e por isso podem sofrer com a linguagem ou com a forma de lidar com o outro, sendo assim não desenvolvem inteligência emocional.

O fato que preocupa ainda mais é quando não conseguimos desvincular a realidade do que é virtual, esperando receber respostas estímulos a nossa volta da mesma forma que recebemos no mundo digital. Para entender melhor, nosso cérebro se desenvolveu e evoluiu para estabelecer interações físicas, vindas da natureza ou da relação direta com outros seres humanos.

Apesar da capacidade de se adaptar, algo chamado de “plasticidade cerebral” ainda não se acostumou com as particularidades do mundo virtual. Por isso muitas vezes o cérebro humano não consegue fazer distinção entre o que é real e o que é virtual. Você já parou para pensar por que os vácuos nas redes sociais te incomodam tanto? A resposta é simples, nosso cérebro entende que a pessoa esta na nossa frente e não nos responde porque prefere nos ignorar, mas nós sabemos que isso não é de fato real.

O problema não é o que a gente sabe, mas a curva que o nosso cérebro ainda não conseguiu fazer que é aquela que separa o virtual do real e por isso lidamos com os dois do mesmo jeito. Situações como essa disparam a ansiedade e o estresse. As redes neurais que processam a dor física é a mesma que analisa a dor social e por isso os términos dos namoros nas redes sociais costumam causar muito sofrimento.

Controle

Para se manter distante dessas interferências cerebrais é preciso adotar uma dieta equilibrada com a tecnologia. Isso não quer dizer que precisamos proibir tudo. O caminho mais fácil para conseguir esse equilíbrio é restringir o uso do smartphone em momentos em que a atenção é crucial.

As atualizações em algumas redes sociais possuem ferramentas que ajudam a controlar o tempo de uso nos aplicativos. A grande polemica que gira em torno do assunto é se eles estão realmente preocupados com o tempo gasto nos smartphones ou em receber processos de saúde como os que existem na indústria do cigarro.

É claro que a responsabilidade do consumo diário do smartphone é realmente dos usuários, mas ficar atento aos riscos que uso do aparelho pode causar é crucial para manter as relações sociais e o cérebro sempre saudáveis.

 
*Estagiária sob supervisão da editoria

 

 

Veja como utilizar a versão digital do título eleitoral

Db01ca22 a0f0 428d bd72 46b8a3d3bc2c

Em 2018 os brasileiros elegerão presidente, deputados, senadores e governadores.  O primeiro turno acontecerá no dia 7 de outubro e o segundo turno está previsto para o dia 28 do mesmo mês. Com as eleições se aproximando é muito comum que as pessoas esqueçam onde guardaram seus títulos eleitorais. Para resolver esse problema o Governo Federal disponibilizou a versão digital do documento.

O e-Título é um aplicativo da Justiça Eleitoral que substitui o documento impresso. No aplicativo o eleitor pode acessar informações sobre sua situação cadastral, zona eleitoral e o titulo de eleitor digital. A partir de agora o eleitor não precisa mais se preocupar com o documento físico, na hora de votar só é preciso levar o smartphone.

No entanto se o eleitor não tiver feito o cadastro biométrico é necessário que ele apresente além do aplicativo um documento oficial com foto. Para aqueles que já fizeram o cadastro da biometria os documentos com foto são dispensados, pois o e-Título vem acompanhado com foto 3x4.

Veja como utilizar o e-Título:

1-Na loja do aparelho faça o download do aplicativo;

2- Abra o app e preencha os dados solicitados;

3-Depois de preencher as informações você terá acesso ao documento digital;

4-No menu localizado no final do documento, é possível acessar o local de votação, a certidão de quitação  com a justiça eleitoral, assim como a certidão criminal da justiça eleitoral;

5- No canto superior esquerdo, acesse o menu que permite que cheque informações como locais para justificar o voto e até mesmo verificar a autenticidade de outros documentos emitidos pela justiça eleitoral com código QR;

Pronto, agora você usurfruir da versão digital do seu título eleitoral.

*Estagiária sob supervisão da editoria

Novo golpe no WhatsApp vitimiza eleitores de candidato à presidência

3ad6e04f ca8d 4054 afc1 755311aeac91

Os golpes nas redes sociais é algo muito comum no Brasil, já vimos de quase tudo, empregos falsos, brindes de lojas, noticias fakes tudo isso gerando um amontoado de golpes.  Não é por acaso que as eleições se tornaram um solo fértil para proliferação de golpes eleitorais principalmente no whatsapp.

Os Cibercriminosos entendem que as eleições funcionam como um momento perfeito para disseminar links maldosos pelo Whatsapp onde o compartilhamento é feito de maneira mais rápida, quase sem nenhum controle e tão pouco bom senso. Um dos primeiros golpes nacionais reconhecidos pela empresa de segurança virtual Kaspersky tem como vítimas os eleitores do candidato à presidência Jair Messias Bolsonaro.

Nos golpes de Whatsapp, o usuário é coagido a acessar um link para ter direito a um “brinde gratuito” ou para ter acesso a mais informações a respeito do assunto mencionado na notícia. No caso do candidato à presidência o golpe promete ofertar uma camisa em apoio ao candidato, para aqueles que preencherem seus dados pessoais após o redirecionamento.

O analista sênior de segurança da Kaspersky Lab, Fabio Assolini explicou que os danos causados variam de acordo com o dispositivo utilizado para acessar os links maldosos: “É a mesma tática de golpes anteriores que utilizam um tema de grande interesse da população; neste caso, os candidatos à presidência no Brasil. O criminoso ganha de muitas formas: Pelos milhares de Page-views no site cheio de propaganda, pela instalação dos aplicativos sugeridos pela página, num esquema de pay-per-install ou até mesmo com a oferta de instalação de apps maliciosos, como já vimos anteriormente”.

Os sites onde as vítimas são redirecionadas solicitam a permissão do navegador para enviar notificações, o que ajuda a criar uma base de dados consideráveis e que podem ser utilizados para futuros novos golpes.

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Fique atento aos sinais que indicam que está na hora de formatar seu celular

5af03917 925b 45ca 8f92 dea11e6c4e4d

Por se tratar de um recurso que não da mais pra "viver" sem, os smartphones precisam de certos cuidados para manter seu funcionamento sempre em ordem. Alguns sinais dado pelo aparelho indicam o momento que o usuário deve parar um pouco e formatá-lo.

A tarefa de formatação exige tempo e atenção e é por isso que muitas pessoas acabam deixando o recurso para ser usado somente em último caso e ai precisam recorrer a restauração de fábrica do aparelho excluindo assim todos os dados armazenados no dispositivo, gerando um desgaste muito maior. A formatação ajuda o aparelho a voltar a funcionar com menos problemas e com um pouco mais de memória. Por isso listamos alguns sinais para auxiliar você na correção de falhas no smartphone.

Smartphone travando muito

A lentidão é uma característica comum nos aparelhos que estão com problemas e é um dos primeiros sinais que pode ser facilmente visualizado pelos usuários. Se o aparelho estiver demorando muito para abrir os aplicativos ou até mesmo para ligar é bom ficar atento e investigar o que está acontecendo, observe se o armazenamento está muito cheio e se as falhas começaram após a instalação de algum aplicativo ou depois de uma atualização. No entanto se seu aparelho estiver travando muito e você não conseguir usá-lo sem precisar reiniciar pelo menos duas vezes é bem provável que ele esteja com um problema bem grave que prejudica seu funcionamento, mas uma solução que é muito eficaz é a formatação.

Bateria dura pouco

 A bateria, também é um dos primeiros componentes do smartphone que dão sinais que tem algo de errado com a "saúde" do dispositivo. Então fique atento se o seu telefone esta descarregando muito rápido, veja qual é causa dessa drenagem de energia. Se a causa do problema for algum aplicativo, desinstale e veja se algo mudará. Se nada mudar é provável que o próprio sistema como Wi-Fi ou um app nativo esteja contribuindo com a falha. Para solucionar isso é preciso fazer uma formatação no smartphone, porém se o celular estiver desligando de forma inesperada, observe o que acontece antes do celular desligar. Se mesmo depois da formatação o problema continue, pode ser que seja necessário uma troca física da bateria do dispositivo.

Os aplicativos estão deixando de funcionar

Se o seu aparelho começa a apresentar diversas mensagens de erro todas as vezes que você tenta abrir um aplicativo ou quando você esta com um aplicativo aberto ele para de funcionar. É possível que algumas falhas no sistema do seu celular estejam causando esse comportamento inesperado. Se os erros forem constantes, verifique na loja de aplicativos de seu aparelho se há comentários negativos citando o mesmo erro. Caso contrário opte pela formatação.

 

O smartphone está apresentando um comportamento estranho

 

Se você notar que seu smartphone está apresentando comportamentos incomuns como a exibição de propagandas ou envio de mensagens desconhecidas para seus contatos, é possível que tenha sido infectado por vírus. Para eliminar as suspeitas você pode baixar um antivírus ou formatá-lo como uma maneira de afastar de uma vez por todas as ameaças.

 

O aparelho fica muito quente,mesmo quando não está sendo utilizado

 

Se o aparelho fica muito quente, mesmo quando não está sendo usado, é possível que algum aplicativo ou algum componente esteja estimulando recursos em segundo plano. Se o celular for android é possível consultar isso rapidamente nas configurações do sistema. Se o culpado for uma ferramenta do próprio sistema é provável que seja necessária uma formatação.

 

Atenção

Se caso você decida formatar seu smartphone, preste atenção em alguns detalhes cruciais . A princípio faça uma cópia de seus arquivos pessoais isso evitará que você perca informações importantes, além disso crie uma consciência sobre os aplicativos que são realmente necessários para você. Fazendo isso você evitará a sobrecarga do seu dispositivo assim como o retorno de problemas antigos.

 

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Serviço de Internet móvel no Brasil alcança mais de 95% da população

E61a0db6 b888 464f 984b a429cc1a1b12

De acordo com o levantamento realizado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), cerca de 98% da população utiliza o serviço de internet móvel no Brasil ou seja 206 milhões de pessoas usam diariamente dados móveis em seus dispositivos e somente 3,8 milhões de pessoas estão fora do serviço. Pode-se dizer que quase todo Brasil tem acesso à internet móvel e que essa é uma característica comum de quem precisa se manter conectado mesmo quando está longe da rede wi-fi.

Devido à mobilidade dos aparelhos a Anatel entende que os 3,8 milhões de brasileiros que não utilizam o serviço no país, é porque não usam celular como principal meio de comunicação.

A Telebrasil já vinha alertando em seus estudos e propostas sobre a necessidade de usar fundos setoriais como o Fust (Fundo de Universalização de Serviços de Telecomunicações), para inserir serviços de internet e telefonia em escolas e biblioteca, redes de alta velocidade para teleconferências e alterar o marco regulatório para permitir o atendimento a áreas remotas e à população de baixa renda.

Outro fato importante é que as licenças de cobertura de internet móvel, não incluem todos os distritos, em tese as regras preveem o atendimento de 80% da área urbana do distrito sede e mais uma faixa de 30 quilômetros além das delimitações do distrito principal e por isso os distritos que estão fora dessa região não são obrigados a ter cobertura móvel.

Segundo a Telebrasil, as redes das prestadoras de serviço no Brasil tem uma cobertura muito maior do que o definido nas regras e assim conseguem alcançar vários locais onde o acesso à internet móvel não seria possível. A cobertura 3g está presente em 5.301 municípios, onde moram 99,3% da população do país, já o 4g está disponível em 4.122 municípios brasileiros e alcança cerca de 94% da população.

A Telebrasil ainda defende que as operadoras façam mais para ampliar o serviço, ela entende que as telecomunicações e as tecnologias da informação devem ser consideradas como essenciais para o governo, pois são as principais engrenagens que estimulam o desenvolvimento sustentável, a inclusão social gerando empregos e renda para a população.

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com