Minuto Tecnologia

Ameaças de e-mail cresceram 16% e colocaram o Brasil em 2° lugar no ranking mundial

52c36e61 b16c 4d71 a069 535bd174e5e5

O relatório mensal “Smart Protection Network”, da Trend Micro empresa de segurança cibernética, referente ao mês de outubro, aponta que o Brasil continua como segundo colocado no Top 5 dos países com o maior número de ameaças de e-mail bloqueadas pela empresa.

A quantidade de ameaças cresceu cerca de 16% em relação a setembro, sendo mais de 316 milhões de e-mails bloqueados. O pais líder em ameaças é o Estados Unidos, com mais de 1 bilhão de ameaças bloqueadas.

De acordo com a pesquisa, o aumento não ocorreu apenas no Brasil, o número de ameaças de e-mail bloqueadas cresceu 11% em relação ao total do último relatório. Foram mais de 4,5 bilhões ameaças no período do levantamento.

Os cibercriminosos buscam cada vez mais inovar em seus golpes, mas ainda assim não abondaram práticas antigas de ataque, por isso é necessário que as empresas mantenham atenção redobrada.

Em relação aos malwares, o Brasil aparece como o terceiro colocado no Top 5 dos países com o maior numero de malwares Pos detectados.

Esse malware  afeta os dispositivos point-of-sale ( PoS),que são máquina que permitem que as localizações de varejo aceitem pagamentos com cartão, conseguindo roubar informações de clientes sobre transações  financeiras, incluindo informações de crédito.

No relatório de setembro, o Brasil nem aparecia na classificação, em agosto estava na quinta colocação, enquanto no mês de outubro foram três casos de malwares bloqueado, esse fato colocou o Brasil em posição de destaque na lista.

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Melhores Smartphones para comprar no período natalino

9084d27e af94 4d45 985b c7cd2251d54b

Os celulares são computadores que cabem no bolso e atualmente eles fazem de tudo um pouco, estão se tornando centros de multimídias que transitam na palma da mão. Serve para ouvir música, ver séries, jogar games legais, tirar fotos, gravar vídeos e muito mais. Portanto se você está pensando em comprar um bom aparelho no Natal, não é preciso pedir ajuda do Papai Noel, nós escolhemos os melhores modelos para você. Observem as dicas a seguir:

Se você quer gastar um pouco mais de mil reais o LG Q6 Plus é uma ótima pedida. O aparelho é bem básico, mas tem tela infinita em proporção 18 por 9, em uma excelente definição, apresentando cores reais e bom nível de detalhamento de imagens. Assim você pode visualizar seus jogos e séries sem problemas. Além disso, o Q6 tem uma ótima bateria, que dura um dia inteiro de uso constante. A câmera do aparelho é de 13 megapixels e 64 gigas de memória. A configuração do Q6 também é perfeita para rodar jogos e aplicativos mais leves.

LG Q6 Plus

 

Se seu orçamento for um pouco mais alto e você puder gastar até dois mil reais, temos o Galaxy A8 Plus. Ele é um celular intermediário, bastante completo fabricado pela Samsung. Sua tela é de seis polegadas Super AMOLED. A câmera traseira possui 16 megapixels e a frontal 8 megapixels, são ótimas para fazer fotos em geral e selfies. Além desses recursos o aparelho possui 64 gigas de armazenamento. Sua configuração conta com o processador Exynos 7885 e 4 giga de RAM, roda muito bem jogos e aplicativos.

Galaxy A8 Plus

Agora vamos te dar uma dica diferente, se você tem até três mil reais para investir em um aparelho nós temos o Galaxy S8 Plus classificado como top de linha em 2017. Esse modelo da Samsung possui 64 gigas de memória interna. A câmera traseira é 12 megapixels e a frontal de 8 megapixels fazem fotos incríveis em qualquer ambiente. Sua tela infinita de 6,2 polegadas e resolução Full HD exibem vídeos e jogos com uma qualidade quase que perfeita. Sem contar que a bateria do aparelho é de 3500 miliampere e consegue suportar todas as funções multimídia do celular durante o dia inteira. E sua configuração com processador Exynos 8895 e 4gb de RAM consegue rodar jogos e aplicativos sem deixar o aparelho lento.

Galaxy S8 Plus

Outra dica de celular é o Moto Z3 Play. Esse aparelho tem uma ótima tela de seis polegadas Full HD, memória interna de até 128 gigas, Tv Digital, carregador ultrarrápido, processador e memória RAM que executam muito bem qualquer tarefa, aplicativos ou games. No entanto o que torna o Z3 o aparelho mais legal são os SNAPS, acessórios que podem conectar na traseira do celular e transformar o telefone em uma central multimídia.

Com os SNAPS você pode plugar o aparelho em uma caixa de som da JBS, uma câmera Polaroid, uma câmera para tirar fotos em 360 graus, colocar uma bateria auxiliar para carregar o telefone entre outras coisas. E ainda assim comprando vários desses acessórios, você gastará menos do que se for compra outro modelo top de linha.

Moto Z3 Play

 

 

Com informações de olhar digital 

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Descubra se vale a pena comprar Notebook na Black Friday

Cf9663d4 b86b 45a1 a515 afa1e2cf27d9

A Black Friday deste ano acontece na próxima sexta-feira (23) e o momento pode ser ótimo para quem quer comprar um notebook novo por um preço mais baixo. O levantamento do Google mostra que cerca de 44% das compras feitas durante esse período são de eletrônicos e 71% dos consumidores brasileiros já aproveitaram a ocasião para adquirir novos produtos.

Relembre os principais descontos em Notebooks na Black Friday de 2017 para te ajudar a decidir se vale a pena comprar um novo aparelho durante o evento que move a economia brasileira todos os anos. A lista reúne modelos com grandes descontos, de diversos fabricantes, além dos mais buscados no Brasil, de acordo com o levantamento feito pelo Zoom.

  • Acer

Durante a Black Friday de 2017 a Acer teve vários modelos de notebook com desconto. O modelo Aspire VX com processador Intel Core i5, 8GB de RAM e 1TB de HD, foi o produto mais procurado entre os consumidores. Na época das promoções o produto teve variação de preço de 64%, com valores entre R$ 3.039,05 e R$ 4.999,00. O mesmo notebook na versão superpotente com 16GB de RAM e placa de vídeo GeForce GTX1050 Ti, estava disponível com preços entre R$ 3.899,00 e R$ 7.494,19.

Além desses modelos a fabricante fez sucesso com o Aspire 5  que teve variação de preço de 105% com valores que partiram dos R$ 1.708,20 e chegaram até R$ 3.503,41. A Acer também reduziu os preços em 400 reais para o modelo gamer Aspire Nitro 5, o 2 em 1 Switch 5 e o conversível Spin 5. Já o Predator 17X teve desconto de mais de R$ 6 mil, indo de R$ 20.000 para R$ 13.399 durante a promoção.

  • Avell

Os produtos da marca brasileira de notebooks gamers receberam descontos de até R$ 450. O modelo Titanium G1513 XTi com tela Full HD de 15,6 polegadas, placa gráfica GeForce 1050 Ti de 4GB e processador Core i5, saiu por R$ 3.999 em 2017. O Titanium G1511 MXTi com a mesma placa e dobro de memória RAM e Core i7 custou R$ 5.199. No entanto o notebook Titanium G1555 MX US, com GTX 1060 GPU de 6 GB e processador i7 77700 HQ foi vendido por R$ 5.999 durante o período.

  • Dell

Entre os produtos mais procurados na Black Friday de 2017, temos as diferentes versões do Dell Inspiron 5000. O modelo com processador Core i7, 8GB de RAM e HD de 1TB teve variação de 14%, custando entre R$ 2.339,10 e R$ 2.659,05. A opção com Core i3, memória RAM de 4GB e armazenamento de 1TB teve preços entre R$ 1.424,05 e R$ 2.225,99. Já os valores da versão com Core i5, 8GB e 1 TB ficaram entre R$ 2.249,99 e R$ 3.680,99.

  • HP

O HP Series G Intel Core i5 7200 foi um dos modelos mais buscados no ano passado. Com o processador Intel Core i5 de 7ª geração e memória RAM de 8GB, o notebook traz HD de 1TB, tela de 14 polegadas e Windows 10. O modelo sofreu variações de preço de 71% durante a ocasião, sendo encontrado por valores entre R$ 1.899,05 e R$ 3.254,46.

  • Samsung

Os modelos das linhas Expert e Essentials da Samsung foram os mais procurados durante a Black Friday de 2017. O primeiro modelo apareceu em duas versões com valores distintos: a variante com Core i5 custou entre R$ 1.994,05 e R$ 3.621,58 enquanto a opção com processador i7 teve preços de R$ 2.399 até R$ 3.865,00. O notebook da linha Essentials com Core i3 e 4GB de RAM custou entre R$ 1.439,10 e R$ 2.499,00. O modelo mais potente com Core i7 e 8GB de RAM teve variação de preço de 56%, com valores entre R$ 2.,609,99 e R$ 4.071,90.

  • Vaio

O notebook do fabricante, modelo Vaio Fit 15S recebeu 33% de desconto durante a Black Friday. O modelo com tela Full HD de 15,6 polegadas traz especificações poderosas, incluindo processador Intel Core i7, memória RAM de 8GB e HD de 1TB. O preço do produto caiu de R$ 4 mil para R$ 2.699.

  • Lenovo

O notebook Lenovo IdeaPad 300 também apareceu na lista dos mais buscados em 2017. O modelo possui processador Core i5, memória RAM de 8 GB e HD de 1 TB custou entre R$ 1.799,99 e R$ 2.999,00, com variação de preço de 67%. Já a versão Core i7 e placa de vídeo GeForce 940MX teve preços entre R$ 2.544,10 e R$ 4.074,36, variando em 60% do valor original do produto.

Em 2018 a expectativa de preços é ainda maior, portanto fique atento às especificações do notebook e pesquise bastante antes de efetuar a compra.

Com informações de Tech Tudo

 

* Estagiária sob supervisão da editoria

A era Black Mirror chega para todos e em breve estaremos nos comunicando diariamente com robôs

Divulgação 59e04acc 71af 40ed 91f3 76526da4e0dd Imagem da série norte-americana Black Mirror

De acordo com levantamento feito pelo Gartner Brasil, até 2020 as pessoas estarão falando mais com robôs do que com humanos . O que há algum tempo parecia apenas ficção cientifica já se tornou uma realidade. Através dos chamados chatbots presentes nos mais diversos canais de empresas e outros segmentos.

Alguns estudos apontam que houve um crescimento de investimentos em robôs interativos sendo superior rao aplicado no desenvolvimento de aplicativos móveis tradicionais. Essa tecnologia assume tarefas padronizadas e tende a liberar os profissionais para interações de maior qualidade.  Segundo a Grand View Research a recita global prevista para o ramo dos ChatBots até 2025 é de US$ 1,25 bilhão.

Empresas de todos os tamanhos e segmentos investem pesado em tecnologia principalmente na forma de atender os clientes. Como exemplos dessas empresas podemos citar Gol, Renner , Estácio entre outras que contam com o serviço robótico para compreender e responder com precisão e agilidade as duvidas dos consumidores diminuindo assim o tempo de espera nas filas.

Apesar do rápido desenvolvimento tecnológico temos que ficar atentos com tal evolução para não sermos engolidos por ela. Por essa razão é importante saber como funciona o chatbot  e  como é executado o processo de treinamento dos robôs.

Os chatbots é um sistema operacional que simula o jeito humano nas conversas e aprende a desenvolver interações utilizadas para complementar o trabalho de um humano. Eles são capazes de se relacionar com o público como se fosse uma pessoa comum por meio de um post em uma rede social ou atraves de conversas diretas com consumidores.

Antes os robôs eram programados para respo9nder dúvidas de acordo com a palavra contida na pergunta. A partir dos avanços tecnologicos e da inteligencia artificial, entrou em cena o que chamamos de linguagem natural que interpreta de forma eficaz o que o usuário humano está falando, potencializando o uso dos robôs de maneira rápida.Porém quando o bot não consegue responde a algum questionamento recorrente a equipe técnica responsavel inclui em seu aprendizado tal questão.

Mesmo que muitos chatbots assumam a postura de "robôs" assim que iniciam uma interação, algumas pessoas acreditam estar falando com um ser humano por conta da fluidez e naturalidade do atendimento. Podemos usar como exemplo a Gal, robô de atendimento digital da Gol que recebe e agradece elogios. 

Os robôs ja são uma realidade e vieram para ficar. Daqui há algum tempo nem lembraremos como viviamos antes da era dos robôs.

 

Com informações de Olhar Digital 

 

* Estagiária sob supervisão da editoria

Aprenda a liberar espaço no Windows com armazenamento ilimitado do Google Fotos

Divulgação E066c285 b21e 4b1f 9e81 ffff2f8c1d0f

Ao fazer transferência de fotos da câmera ou do celular para o Windows é normal que as imagens fiquem na pasta do próprio sistema operacional. Essas fotos muitas vezes ficam esquecidas e acabam consumindo um grande espaço em disco.

Para quem utiliza Android essa situação é contornada com mais facilidade já que é possível deixar o Google Fotos configurado para manter os arquivos apenas na nuvem. No Windows o processo exige um pouco mais de desempenho manual.

Veja o passo a passo para liberar espaço no Windows deixando os documentos da pasta de Imagens no Google Fotos com armazenamento ilimitado:

1-Acesse este link e, em “Backup e sincronização”, clique em “Fazer o download”;

2- Ao fim do download, execute o arquivo para realizar a sua instalação;

3- Após instalado, clique em “Primeiros passos”;

4- Realize o login com uma conta do Google ou, se preferir, crie uma;

5-Selecione a opção “Fazer backups dos vídeo e fotos”;

6- Agora, marque a opção de “Imagens” e “Alta qualidade”;

7- Ao clicar em “Iniciar”, você começará a fazer o upload das imagens. Depois de concluir o processo de subir as imagens, você pode apagar as que estavam no armazenamento local do computador.

Os arquivos armazenados no Google não mantem a qualidade original, mas em compensação o espaço que tem nele é ilimitado. Ao utilizar um celular Android ou iPhone é possível acessar as imagens da mesma forma que estava no computador através na nuvem sem consumir espaço no aparelho, para conseguir o acesso é preciso somente efetuar o mesmo login.

 

Com Informações de Olhar Digital

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Saldo das eleições: No Twitter os direitos civis foi o tema mais discutido no dia da votação

00ea053f 0be4 4c87 8ad2 5d2dd4309504

Durante o segundo turno conversas em torno do tema somaram cerca de 8 milhões de tuítes no mundo. De acordo com a rede social de 0h às 20h de domingo (28) os temas mais comentados no Twitter foram Direitos Civis, Corrupção, Segurança, Educação e Economia.

No geral as conversas a respeito do dia da votação somaram 7,7 milhões de Tweets no mundo, o volume é considerado 83% maior do que o dia de votação do segundo turno das eleições de 2014.

Assim como o Twitter, outros aplicativos de mensagem, como o WhatsApp  tiveram um papel determinante durante o período eleitoral de 2018. Muitos especialistas definem o WhatsApp como sendo o maior disseminador de boatos conseguindo assim esvaziar o poder do debate político.

Se em 2014, o horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão ainda tinha papel importante na decisão do voto em 2018 a popularização dos Smartphones e de aplicativos fizeram com que os eleitores e políticos migrassem suas estratégias de comunicação para plataformas digitais.

Todos os núcleos de vida sociais se tornaram cabos eleitorais engajados, compartilhando inúmeras mensagens por dia, por vezes falsas como foi atestado na avaliação de 347 grupos de WhatsApp feita pelos professores Pablo Ortellado (USP), Fabrício Benvenuto (UFMG) e a Agência Lupa de checagem de fatos. O estudo demonstra que apenas 8% dos conteúdos compartilhados podiam ser classificados como verdadeiros.

 

*Estagiária sob supervisão da editoria

Links Patrocinados ou SEO - Existe a melhor estratégia?

Os buscadores tornaram-se fontes de consultas fundamentais para todo mundo que utiliza a internet. Seja com anúncios de links patrocinados ou com resultados da busca orgânica, a presença de seu site no Google, transmite profissionalismo a seu cliente.

Antes de contratar um serviço, provavelmente o cliente pesquisará sobre a reputação da empresa na rede e se você não for visto, diminuem as chances de fechar negócio.

Os internautas não querem dedicar muito tempo vasculhando as infinitas páginas de resultados do Google e aí entra a necessidade de ter um bom posicionamento no ranqueamento de páginas dos buscadores.

Antes de começarmos a definir qual é a melhor técnica para aparecer no Google, é preciso compreender de fato que há diferentes maneiras de fazer isso.

Afinal, você sabe a diferença entre links patrocinados e SEO? Se sua resposta foi negativa, não se preocupe. Hoje, vamos esclarecer melhor esse assunto.

O que são links patrocinados? 

A pergunta sobre o que são links patrocinados frequentemente é feita por quem possui interesse em investir em marketing digital, mas que não sabe por onde começar.

Quando pesquisamos uma palavra no Google, um algoritmo recebe um comando para encontrar sites relevantes que contenham aquela palavra-chave que você digitou.

Esse algoritmo, também conhecido como robô do google, estabelece uma série de critérios e organiza a ordem das páginas de acordo com a relevância do site. 

Obviamente, manter-se no topo dos resultados vai trazer indicadores melhores para sua empresa, mas o bom posicionamento não é tão fácil de alcançar quanto parece.

Criou-se então a possibilidade de investir para aparecer no começo dos resultados - quando alguém faz isso, dizemos que a pessoa investiu em google ads, os links patrocinados google.

SEO 

Lembra que mais acima falamos sobre o tal robô do google que organiza os sites de acordo com sua relevância para determinada palavra-chave? Pois é aqui que acontece a mágica do SEO.

O SEO, Search Engine Optimization é uma série de estratégias que são adotadas para deixar seu site em um bom posicionamento na busca orgânica, que diferente dos anúncios Google não requer pagamento de valores ao buscador.

Qual a melhor estratégia? 

O SEO apresenta resultados em médio ou longo prazo, pois é necessário criar conteúdos para o seu site. Por outro lado, as performances dessa técnica são mais duradouras do que anunciar site no google.

Os links patrocinados geram resultados mais rápidos e é possível elaborar uma campanha assertiva, ajustando o público-alvo a ser impactado.

O ideal, portanto, é combinar essas duas técnicas para conquistar os melhores resultados possíveis.

Uma equipe especializada pode realizar a otimização de sites e ao mesmo tempo administrar sua campanha de links patrocinados no google ads.

A Webfoco é o lugar ideal e confiável para você solicitar uma consultoria de links patrocinados e consultoria seo. Os planos de serviço se encaixam ao tamanho de sua empresa. Entre em contato e amplie as possibilidades do seu negócio com a Webfoco!

Fake News: Ferramenta criada por Universidades de São Paulo ajuda a detectar a vilã eleitoral

A58468e3 7dfc 43fc 8c0b 7b7227cf0506

Desde o início do período eleitoral a população vem sendo bombardeada por uma série de notícias falsas. As informações circulam principalmente pelas redes sociais. Dentre elas a mais usada para a disseminação dos conteúdos é o WhatsApp.

 As famosas “Fake News” influenciam o imaginário do público, que nem sempre checa a veracidade da notícia e a passa para frente sem se importar com a informação que esta sendo veiculada.

Para ajudar a identificar o que é verdadeiro e o que não é nas redes sociais, duas universidades renomadas se uniram para produzir uma ferramenta baseada em Machine Learning capaz de dizer se uma notícia é fake.

A ferramenta foi criada pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP) em junção com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). De acordo com eles a ideia é que a ferramenta se torne um apoio para o usuário.

O professor do ICMC e coordenador do projeto Thiago Prado diz que o programa faz distinção entre as notícias que são verdadeiras e as que são totalmente falsas, obtendo 90% de precisão na avaliação. Thiago ainda ressalta que as pessoas que propagam Fake News costumam embasar suas mentiras em fatos verdadeiros, mesmo com a ferramenta tendo capacidade de separar as informações o nível de refinamento ainda está sendo aperfeiçoado.

O usuário pode acessar o recurso de duas formas: pelo navegador ou pelo o WhatsApp.

Navegador: é o modo mais simples de utilizar a ferramenta;

1- Acesse o link para checar a notícia;

 

2- Insira o texto que você quer verificar e depois clique em enviar;

3- O resultado aparece logo abaixo

WhatsApp: a checagem é feita por um bot (robô) que analisa as informações. Para acessá-lo siga os próximos passos:

1- Entre pelo smartphone no link para acesso do WhatsApp;

2- Clique em “Enviar”;

3- No seu WhatsApp vai aparecer a seguinte mensagem;

4- Encaminhe a noticia que você quer verificar para o numero da mensagem como você faria com um grupo ou amigo, usando a ferramenta “encaminhar” do WhatsApp;

5- O bot vai informar se a notícia é falsa ou verdadeira.

Caso você queira realizar uma nova consulta só é preciso reiniciar o bot enviando apenas a palavra “Fake” antes de encaminhar um novo link ou texto.

Entenda como é feita a verificação

A análise da noticia verdadeira ou falsa não passa pela checagem humana para não gerar duvidas enquanto a precisão da ferramenta. Para executar a tarefa o grupo criou técnicas de Machine Learning para ensinar o bot a diferenciar os dois tipos de informação.

A princípio a equipe criou um banco de dados com as mesmas quantidades de notícias falsas e verdadeiras, 3,6 mil de cada, totalizando 7,2 mil textos entre janeiro de 2016 e janeiro de 2018. O banco de dados esta disponível para consulta no site do instituto.

As notícias principais são aquelas que focam em politica (58% do total), mas outros temas fazem parte do banco, como celebridades, TV, ciências, tecnologia e religião.

O sistema também foi treinado para avaliar parâmetros de gramática e outras nuances de escrita para distinguir as informações. Segundo Thiago quando uma pessoa esta mentindo inconscientemente a produção de texto é afetada, mudam as palavras que ela usa e as estruturas do texto. Além disso, a pessoa costuma ser mais assertiva e emotiva, por isso uma das formas de detectar textos enganosos é através da mensuração dessas características.

Sendo assim, o grupo passou a observar variações como tamanho do texto, riqueza do vocabulário, número de classe gramatical (verbo, advérbio, adjetivo), erros ortográficos e concluíram que a maior parte das noticias falsas contem muitos erros gramaticais. Com a apuração desses dados foi possível treinar o sistema para chegar a um nível de acerto de 90%.

A pesquisa completa está disponível no site acadêmico do ICMC.

*Estagiária sob supervisão da editoria

Google Assistente amplia recurso de informação para o Enem 2018

7c937b44 b984 4a31 a557 9b9b602a975e

Com a data do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) se aproximando, as buscas na web feitas pelos pré-universitários estimularam a formulação de um novo recurso no Google Assistente. A ferramenta amplia a capacidade de buscas por informações de questões e temas que podem cair na prova.

Na publicação oficial feita pelo Google eles explicam que cada vez que o aluno buscar por “Enem” no Google, informações como datas importantes e horários estarão disponíveis em uma caixa especifica. Já o Google assistente ampliou as lacunas de conteúdo para exibir em seus resultados de busca materiais de interesse para estudo, como resumos de livros, descrições de temas em áudio e informações sobre carreira de trabalho, para que o estudante consiga escolher o curso de graduação e consequentemente sanar as dúvidas sobre o processo seletivo.

O conteúdo do Google Assistente foi feito em parceria com o SENAI, 12min, Adtalem, Estácio e Mito Games. Veja alguns exemplos que demostram a interação com o novo recurso:

  • “Ok Google, falar com Enem 2018” - Resumo de temas mais comuns presentes na prova, por matéria;
  • “Ok Google, falar com Enem Dicas” - Reunião de dicas, as datas e os possíveis temas da prova;
  • “Ok Google, falar com o 12 minutos” - Resumo em áudio de livros que podem cair no Enem, além de dicas de produtividade. Também será possível escutar um livro adicional por dia entre outros títulos disponíveis;
  • “Ok Google, falar com o Rota das Carreiras” - Três sugestões de carreira que mais combinam com o perfil do usuário, bem como descrição das atividades nelas exercidas;
  • “Ok Google, falar com o Senai” - Informações a respeito de cursos técnicos e profissionalizantes para ampliação de currículo.

Com informações de Canal Tech

*Estagiária sob supervisão da editoria

Confira o que o eleitor buscou na web antes de votar

779aa25b 2f13 4ce0 b318 cc6c06982dab

Antes da eleição realizada neste domingo (7), os brasileiros recorreram ao Google para buscar respostas de perguntas como “O que é eleição?”, “Como votar?”, “Como anular o voto?” e “ O que é democracia?”.

As buscas na Web é um reflexo da renovação da consciência politica dos brasileiros. Nos últimos meses uma série de questionamentos foi levantada para tratar a imensidão do cenário politico do País, sendo assim que se informa mais, vota melhor.

 Veja algumas das principais perguntas feitas pelos brasileiros, compiladas pelo Google:

  • O que pode e não pode na campanha eleitoral 2018? - 1158.42%
  • Como votar? - 842.23%
  • Como justificar o voto? - 732.77%
  • O que faz um senador? - 396.16%
  • Como anular o voto? - 376.40%
  • O que é eleição? - 356.21%
  • Quando será o segundo turno das eleições? - 338.35%
  • Como votar em 2018? - 218.82%
  • Quem ganha à eleição 2018? - 138.07%
  • O que é democracia? - 73.88

Um fato interessante é que os eleitores do Nordeste foram os que mais fizeram buscas relacionadas à votação nos sete dias anteriores à eleição.  Na região o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) não obteve a maioria dos votos, levando a disputa presidencial para o segundo turno.

No dia da eleição, o nome de Bolsonaro dominou as buscas na internet com 63% das pesquisas, seguido de Ciro (19%), Haddad (8%), Cabo Daciolo (5%) e Marina Silva (5%). Outras questões como número do candidato (74%), título de eleitor (9,6%), local de votação (7,68%), urna eletrônica (4,51%), biometria (2,55%) e candidatos (1,74%), também foram levantadas no dia da votação.

Em relação aos títulos cancelados, o Nordeste foi a região mais atingida. O cancelamento foi promovido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que anulou os documentos por falta de cadastramento biométrico. No período de 24h antes das eleições as pesquisas sobre biometria dobraram chegando a crescente de 670%%. Vale lembrar que cerca de 336 milhões de brasileiros tiveram seus títulos cancelados.

Já as urnas eletrônicas se tornou motivo de polêmica quando o candidato Jair Bolsonaro questionou sua confiabilidade, incitando aos brasileiros que gravassem vídeos ou fizessem “Lives” em suas redes sociais na hora da votação. A curiosidade foi tanta que os brasileiros recorreram ao Google para entender como funcionam as urnas.

  • Como votar na urna eletrônica? - 820.70%
  • Como funciona a urna eletrônica? - 399.44%
  • Como votar em branco na urna eletrônica? - 367.29%
  • Como votar na urna eletrônica? - 328.98%
  • Como usar a urna eletrônica? - 248.10%
  • Qual a ordem de na urna eletrônica 2018? - 292.91%
  • Por que só o Brasil tem urna eletrônica? - 279.11%
  • Como cancelar o voto na urna eletrônica? - 160.05%
  • Qual foi o primeiro presidente eleito pela urna eletrônica? - 40.10%

Com informações de uol tecnologia

*Estagiária sob supervisão da editoria

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com