Coluna Labafero

Em pesquisa, Bolsonaro ganha de Haddad no segundo turno

Cortesia Metro Jornal D2f36846 7438 4619 812a 0cefbbc7f928 Bolsonaro e Haddad

As eleições estão cada vez mais próximas e para ajudar (ou não) os eleitores pesquisas tem simulado diversos resultados e enfrentamentos de candidatos.

O site O Antagonista, publicou nesta segunda-feira, dia 17, a pesquisa FSB/BTG  que mostra um segundo turno onde o candidato Jair Bolsonaro, do PSL, aparece com 46% das intensões de voto, estando oito pontos à frente de  Fernando Haddad (PT), que ficou com 38%.

Aguardemos o dia 7 de outubro para ver o que os eleitores vão de fato decidir.

 

 

Aproveitando-se da saída de Collor, Basile deve intensificar seu discurso anti-Renan

Assessoria E0108f0c 7f20 409e b601 22565f9ffa15 Basile Christopoulos

Definitivamente, a saída do senador Fernando Collor da disputa pelo governo do estado de Alagoas mexeu com todo o cenário eleitoral de 2018.

Aproveitando-se desse momento, o candidato Basile, do PSOL, deve intensificar seu discurso anti-Renan, uma vez que suas chances podem ter crescido.

A pergunta é: será que vai dar certo?

Vice de Collor também desiste de candidatura e diz que vai trabalhar para eleger a esposa

4f818901 8e50 43aa 8305 97608ab4e167 Kelmann e Collor

Depois do anúncio do senador Fernando Collor, do Partido Trabalhista Cristão (PTC), que nesta sexta-feira (14) divulgou em suas redes sociais que abriu mão de sua candidatura ao governo do estado de Alagoas, foi a vez de seu vice Kelmann Vieira anunciar que estava deixando o pleito.

Ele teria afirmado novamente ao PP e ao PSDB que também desistiu da candidatura e que agora vai apenas trabalhar para eleger sua esposa, Flávia Cavalcante do PMDB.

O que mais virá por ai?

Meirelles "patrocina" candidatos do MDB ao governo, menos Renan

Foto: Wilson Dias / Agência Brasil 77ad2973 e9e9 4716 aec8 a4d2eed5b188 Henrique Meirelles

O presidenciável Henrique Meirelles, do MDB, está bancando a impressão de material gráfico e a contratação de pesquisas eleitorais para os candidatos do partido ao governo país afora.

Segundo a nota divulgada pela revista Crusoé – e repercutida no site O Antagonista – o único que ficou de fora da benesse foi o governador de Alagoas e candidato à reeleição, Renan Filho.

O motivo é óbvio.

Renan Pai e Renan Filho estão em plena campanha pelo candidato a presidente do ex-presidente Lula, Fernando Haddad (PT).

Página na internet viraliza ao avaliar banheiros em Maceió

Reprodução web F50965f4 cdcc 414b bae4 63e7c0048f73 Página "Onde Cagar em Maceió?"

“Onde Cagar em Maceió?”. O título, um tanto curioso, dá nome a um perfil no Instagram que tem feito sucesso entre o público alagoano. Com mais de mil seguidores, a página avalia os banheiros de estabelecimentos comerciais e espaços públicos da capital alagoana.

A intenção da página, que tem apenas duas semanas de existência, é de informar aos seguidores os melhores locais para fazer o famoso número dois. As notas vão de zero a cinco nos quesitos higiene, infraestrutura e privacidade.

Dentre os lugares avaliados, os que se destacaram negativamente foram o Estádio Rei Pelé e Mercado Público de Maceió, que nem chegaram a ser utilizados devido as condições precárias que apresentaram.

 

Melquezedeque e candidatos da chapa do PCO têm candidaturas indeferidas pelo TRE/AL

E0a5c828 7256 4acc a8f7 d320152e94a5

O candidato Melquezedeque Farias Rosa (PCO) teve seu pedido de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AL). A mesma decisão se estendeu para os candidatos da chapa nos cargos de vice-governador, senador e seus suplentes e deputado federal.

O que pesou mesmo contra o partido foi a ausência do diretório estadual e as irregularidades no preencimento dos dados e as respostas das diligências solicitadas pela Jusitça. “Jamais tinha visto tanta irregularidade em registro de atos de partidos”, colocou o relator do processo, o desembargador Luiz Vasconcelos Netto.

Apesar da decisão que coloca o candidato fora da disputa ao governo do estado, a decisão do Pleno do TRE ainda cabe recursos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Por que Sânia Tereza nunca foi julgada pela morte do vereador Luiz Ferreira?

Reprodução - internet 1324388898imagem Vereador Luiz Ferreira foi morto numa emboscada

Setembro é o mês que todos os anadienses recordam um crime que marcou a política local e deixou mais um rastro da violência política no estado. A principal acusada do homicídio nunca foi a julgamento e aguarda após sete anos sentar no banco dos réus em prisão domiciliar.

Todos os envolvidos – o ex-esposo de Sânia e o executores – foram julgados e condenados pela morte, mas ela considerada a mandante do crime continua impune, mesmo tendo sido denunciada pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Pedindo Justiça e julgamento da acusada, familiares lançaram um carta aberta contra  impunidade.

Leia a íntegra do manifesto: 

Luiz Ferreira, presente!

Em um dos sonetos de Camões, de que Luiz mais gostava, o do verso “Sete anos de pastor Jacob servia…”, cantava-se a lealdade amorosa, “a vida na esperança de um só dia”, a persistência do Amor em meio a intempéries da vida…

Na esperança de melhores dias para sua cidade natal, Anadia, em Alagoas, Luiz Ferreira, sem saber, acabou dando a própria vida, enredado numa trama trágica, em que foi enganado por pessoas de seu convívio político na cidade, que tanto amava, enquanto exercia o segundo mandato de vereador e estava sendo cotado para ser o prefeito do município. Pessoas a que ele deu assistência como médico, cuidando de suas dores e feridas, e aliviando seus sofrimentos, traíram-no covardemente e o atacaram levando-o à morte. Pessoas que sentaram com ele à mesa para partilhar o convívio de sua família, o alimento físico e afetivo, tudo que representava para ele e para nós, sua família, encontro de mentes e espíritos solidários; essas pessoas o assassinaram em uma emboscada que feriu a ele e a todos nós que o amávamos.

Mesmo desconfiando dos crimes que seus colegas políticos pareciam cometer às escondidas, mesmo tendo conhecimento da disputa pelo poder, nunca acreditou que sua vida corresse risco! Temos certeza de que, se assim desconfiasse, teria optado pela vida, mesmo sendo um apaixonado pela política. Também, nunca acreditou que no momento em que confirmasse suas suspeitas e denunciasse crimes ou armações, essas pessoas fariam de tudo para calá-lo. Acreditava estar lutando por justiça social para um povo tão sofrido.

Acreditava que a política não foi feita para ser “modo de sustento” de ninguém; por isso, de maneira ingênua, chegou a tentar votar, em seu mandato de 2011, um projeto de diminuição salarial dos vereadores. Achava que, como em alguns países acontecem, um político deveria receber o mesmo salário que recebera em sua profissão anterior, apenas tendo uma licença de tempo para exercer o cargo para o qual fora eleito. E pensava que esses gastos poderiam ser usados para políticas públicas voltadas para a saúde e a educação. Para muitas pessoas, na política partidária, estar na política significa enriquecer às custas do povo, e apenas isso.

Nós, de seu núcleo familiar mais íntimo, não gostaríamos de ano após ano ter essa marca tão doída, quase física de tão lancinante, do episódio de 3 de setembro. Gostaríamos de lembrar apenas as coisas boas, a pessoa doce, amorosa, divertida, responsável e comprometida que era, pois assim como era com sua família, era também com as pessoas de seu convívio social, profissional e político. Era, sobretudo, honesto. E, infelizmente, no mundo em que vivemos a honestidade parece ter sido transformada em ingenuidade. De repente parece ingênuo acreditar que é possível fazer política pelo povo, que é possível lutar por justiça social.

Esses sete anos não podem ficar esquecidos na memória dos cidadãos, pois foi um crime político em que um cidadão honesto e amoroso, imbuído de valores de positividade, foi assassinado cruelmente por não concordar com as armações e crimes da então prefeita da cidade, que se encontra em prisão domiciliar com tornozeleira, em sua cidade natal, ainda aguardando julgamento com mais dois comparsas que executaram o crime. Ao total, foram seis pessoas acusadas. Três delas já foram julgadas e condenadas. A prefeita e mais dois estão aguardando julgamento e aproveitando do dinheiro público com que desonestamente construiu o próprio patrimônio. Dinheiro esse que poderia estar sendo investido em educação, saúde, segurança pública, mas que está investido em patrimônio pessoal, em altos salários de advogados para a defenderem.

Essas mesmas pessoas covardes continuam lesando qualquer valor de honra e decência, fazendo-se passar por pessoas honestas. Continuam a enganar as pessoas como se fossem perseguidos políticos. Como se sempre estivessem ao lado do povo contra os grandes coronéis alagoanos. Acontece que a história não é feita apenas pelo que se fala, é feita de fatos. E as pessoas não são burras! Nossa família sempre soube o que é a luta pela melhora da vida do povo, sempre se colocou ao lado dessas lutas. Seja na luta por educação ou por saúde pública de qualidade, seja nas defesas políticas, nossa família, impregnada dos valores do Luiz, adotou a honestidade e a justiça como princípios básicos.

Sabemos perfeitamente o que são pessoas perseguidas politicamente, como vimos no momento sombrio da ditadura militar, como vemos hoje, também, em situações políticas. E sabemos que não combina, com nada disso, pessoas que enriquecem com dinheiro público, que fazem de tudo para não largar o poder, que contratam assassinos de aluguel quando encontram oposição aos seus planos. Esses, que tentam enganar o povo são os mesmos coronéis de sempre, homens ou mulheres desonestas, tentando se fantasiar de justiceiros.

Em tempos em que há tanto crescimento do discurso de ódio em nosso país, é sempre importante saber quem está, de fato, na política pelo bem do povo, ou apenas para benefício próprio.

Para a sociedade, a impunidade é tão violenta quanto o próprio crime! A impunidade pelo assassinato cruelmente planejado, e que, como dito em delação premiada de um dos participantes do crime, estava preparado para ser realizado na casa de Luiz Ferreira, com quem estivesse em casa, e só não foi feito dessa maneira, segundo os próprios assassinos revelaram no inquérito policial, por questões “práticas” para eles.

Um assassinato pago a preço de “tabela”, como quem paga uma mercadoria. Pago pela ex-prefeita e por seu então marido naquela época, hoje, já condenado. Um assassinato encomendado não só para calar um opositor e possível concorrente para a prefeitura, mas para calar as denúncias do desvio de verba de uma cidade já quase sem recursos. Um assassinato encomendado para manter sua boa vida às custas do povo. Sete anos não são sete dias! A justiça, nesse caso, não é só para nossa família, é para a sociedade, a sociedade anadiense, em especial.

Para a família, o esclarecimento, o julgamento e a condenação dos criminosos é um dever do Estado. A dor da saudade permanecerá sempre em nossos corações e junto com as melhores lembranças daquele que tanto amamos. Mas as piores lembranças daquele dia, há 7 anos atrás, não conseguiremos apagar.

Lembrar esse triste dia não é somente um desabafo familiar, mas, é, sobretudo, um pedido a Justiça, para que fique vigilante e recuse a impunidade, para que outras famílias não sofram como ora sofremos e não passem pelo que doloroso e tragicamente passamos. A dor pela ausência de Luiz constitui um sofrimento que integra nossa história, mas nos ensina a continuar sua luta.

LUIZ FERREIRA, PRESENTE!

Rita e Mariana Namé, e família.

 

Ex-prefeito volta ao centro das investigações de desvio na previdência social

Divulgação/Arquivo 3d727586 56d3 4117 aac0 cd204c9037da Prefeitura de Atalaia

O Ministério Público Estadual (MPE) vai aprofundar as investigações contra o ex-prefeito de Atalaia pelos desvios ocorridos na previdência social do Município de Atalaia/AL – ATALAIAPREV.

Manoel da Silva Oliveira, conhecido como professor Mano, foi retirado do cargo do prefeito depois de diversas irregularidades na cidade, inclusive deixando muitos aposentados sem receber seus dinheiros.

De acordo com o MP, os desvios ocorreram entre 2013 e 2014. Com a abertura de um inquérito civil público, o promotor Paulo Roberto de Melo irá realizar novas diligências complementares para encontrar as provas necessárias à responsabilização dos gestores ou servidores envolvidos.

Candidato a deputado estadual desmente apoio a Collor e Biu

Cortesia ao CM 3248ffc5 ab91 4be0 89a5 32180498c941 João Lyra

O músico e candidato a deputado estadual, João Hugo (PSB), divulgou por meio de sua rede social no Facebook, um vídeo desmentindo um detalhe que aparece como fundo em sua propaganda eleitoral na televisão: o apoio aos candidatos Fernando Collor (PTC) e Benedito de Lira (PP).

Ao lado do também músico alagoano, Philipe Seixas, João explica aos eleitores que seu apoio pertence aos candidatos JHC (PSB) e Rodrigo Cunha (PSDB); e que não votaria em Collor e tampouco Biu. “Isso aí não existe não. Isso aí é só questão política mesmo de coligação”, finaliza o candidato.

Veja o vídeo:

 

Paraná Pesquisas/Crusoé confirma Bolsonaro líder e Ciro em segundo

21e47c64 cd1f 44a2 bdd0 6ff75d1740ee

Na manhã de hoje (12/09) o Instituto Paraná Pesquisas e a Revista Crusoé divulgaram os números de uma pesquisa exclusiva para presidente da República. Assim como no Ibope e no Datafolha, a pesquisa aponta Bolsonaro na liderança, com 26,6% e Ciro Gomes em segundo, com 11,9%.

Atrás dos dois aparecem pela sequencia; Marina Silva com 10,6%, Geraldo Alckin com 8,7%, Fernando Haddad com 8,3%, Alvaro Dias com 3,7% e João Amoedo com 3,3%.

Ainda de acordo com a Pesquisa Crusoé-Empiricus, feita pelo Instituto Paraná Pesquisas, Bolsonaro tem 34% dos votos válidos, liderada em praticamente todos os grupos demográficos .

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com