Coluna Labafero

Pesquisa: avaliação do governo Bolsonaro tem rejeição de 53% dos nordestinos

Assessoria/Presidência Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Jair Bolsonaro

Os comentários do presidente Jair Bolsonaro têm repercutido negativamente e resultando numa baixa avaliação dos nordestinos. Segundo publicação do site Época, o governo de Bolsonaro foi avaliado como ruim e péssimo alcançando por  53% dos entrevistados da pesquisa XP Investimentos/Ipespe.

As entrevistas foram feitas nos dias 5, 6 e 7 de agosto, portanto duas semanas após o presidente se referir aos governadores nordestinos pejorativamente como "paraíbas".

Em janeiro, a avaliação do presidente no Nordeste tinha 33% de ótimo e bom, 31% de regular, 26% de ruim e péssimo e 11% da população que não quis ou não soube responder.

Na medição de agosto, a avaliação do presidente na região tem 20% de ótimo e bom, 24% de regular e53% de ruim e péssimo. 3% da população não quis ou não soube responder.

*Com informações do site Época. 

O que motiva mesmo o pedido de suspensão da licitação da Sima?

Crédito: Secom Maceió Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Sima

A bem da verdade, o MPde Contas está pedindo a suspensão da licitação para a iluminação pública de Maceió, baseado em um processo que atende recomendações feitas por ele mesmo!

Em nota, a Superintendência Municipal de Iluminação Pública (Sima) e a Agência Municipal de Regulação de Serviços delegados (Arser) esclareceram que o processo licitatório/concorrência número 02/2019, com origem no processo administrativo número 6800.080715, teve início em 2018 e foi apreciado pelos órgãos de controle externo, tendo sido, inclusive, objeto de recomendação do Ministério Público de Contas de número 1792/2018/ 5ªPC, que foi acatada integralmente.

Ou seja, não há de novo nos autos que o MPdeContas não tenha conhecimento e contribuído para sua devida legalidade.

Então, qual o X da questão?

Cochicham lá no Tribunal de Contas do Estado que o nó está em quem relatará o processo, tipo, não há nada de irregularidade na licitação, apenas uma arrelia entre os egos.

Coisas da política de poder da nossa Alagoas.

Após fala de deputado, Cibele diz que política não é para incitar o ódio

Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputada Cibele Moura

Repercutiu, pelo menos fora do plenário, uma fala do deputado Antonio Albuquerque na sessão de quarta-feira passada, na Assembleia Legislativa. Ao criticar a atuação da SMTT na capital, o parlamentar disse que o homem preso após incendiar uma viatura do órgão deveria ter incendiado todas.

Albuquerque sugeriu ainda que o homem deveria ter colocado fogo em outros veículos, “de pessoas mais importantes”, para, quem sabe, chamar mais a atenção.

Segundo ele, em uma “máfia estabelecida entre a empresa (de guincho) e muitos desses órgãos”, a SMTT pratica “furto” ao guinchar veículos estacionados sem a presença de seus proprietários: “Se o carro está em estacionamento proibido, que seja aplicada a multa, que o motorista seja chamado à atenção... Mas o carro ser levado? Isso é absurdo”, frisou.

O deputado prosseguiu dizendo que bancaria o advogado para o acusado, caso ele não tenha.

Albuquerque já tinha deixado o plenário quando a deputada Cibele Moura lamentou o pronunciamento dele.

“É triste ver um parlamento incitando a violência... É triste que a gente diga aos cidadãos que a gente pode colocar fogo em carros de fiscalização e controle”, disse a deputada, registrando também que não cabe chamar de “furto” o fato de a SMTT estar apenas cumprindo a lei.

“Daqui a pouco a gente vai dizer que é certo colocar fogo em ônibus quando tiver greve, em carro da polícia quando acharmos que ela não tá servindo a gente... A gente faz política para mudar a vida das pessoas, não para incitar o ódio”, concluiu a - sensata - mais jovem deputada estadual do país.

Renan Calheiros pede afastamento de Deltan Dallagnol do MPF

Foto: Framephoto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros (MDB/AL) entrou com um pedido no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) para o afastamento do do procurador Deltan Dallagnol.

Segundo a coluna do Estadão, para Renan, Deltan tentou intervir na sua reeleição, influenciando na sua disputa pela presidência do Senado.

Segundo ele, Dallagnol fez comentários em redes sociais que o prejudicaram e deixaram um claro viés eleitoral.  

Na opinião do senador, Dallagnol funciona como “ativista do cotidiano político”.  

Prédios da TV Gazeta e antigo Jornal Gazeta vão a leilão

Cortesia Ucho.com Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Fernando Collor

No próximo dia 16, o prédio onde hoje está instalada a Organização Arnon de Mello, conhecido como “prédio da TV Gazeta”, no Farol e o prédio da faculdade Facina, no Tabuleiro, onde nos tempos áureos funcionou o Jornal Gazeta de Alagoas, estarão indo a leilão pela Justiça Federal.

Os imóveis, que são de propriedade do senador  Fernando Collor de Mello (Pros/AL) estão avaliados em R$ 26.206.400,00, sendo em R$ 8.282.400,00 (TV Gazeta) e  R$ 17.924.000,00 (Facima).

Mas se engana quem acha que essa “bolada” vai para os bolsos do senador. Segundo a Justiça Federal  a dívida da OAM está orçada em R$ 14.467.269,96. Com o “troco” o que se espera é que esse valor, caso haja compradores, seja revertido para pagar as dívidas, principalmente as trabalhistas.

TCE aponta que 80% municípios não cumprem a Lei da Transparência em Alagoas

Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Sede do TCE/AL

Dos 102 municípios, apenas 13 cumprem a determinação de manter os Portais da Transparência atualizados. O dado foi divulgado após um levantamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que divulgou ainda que 11 municípios se quer tem o sistema implantado.

O prazo para que os gestores implantassem os Portais se expirou em 2013. De acordo com a Lei da Transparência, os municípios com mais de 50 mil habitantes são obrigados a divulgar seus gastos em tempo real, mas isso não ocorrer em muitas cidades alagoanas.

De acordo com o TCE, algumas cidades dispõem do Portal da Transparência, no entanto não mantém a atualização devida das receitas e despesas atualizadas. Os 11 municípios que ainda não tem o Portal são: Batalha, Barra de São Miguel, Estrela de Alagoas, Flexeiras, Cajueiro, Capela, Joaquim Gomes, Santa Luzia do Norte, São Brás, São José da Tapera, União dos Palmares.

Proposta por Marx, pauta legislativa do Pinheiro será apresentada dia 19

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

No dia 19 de agosto, membros do Movimento SOS Pinheiro e da associação de empresários do bairro vão apresentar uma pauta de demandas para vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores. As pautas serão individualizadas em três ofícios voltados um para o município, outro para o estado e um para a União.

“Vamos fazer um movimento para articular a Câmara de Vereadores de Maceió, o Governo de Alagoas e o Governo federal. Vamos cobrar resposta de forma unificada para os problemas do Pinheiro, do Mutange e do Bebebouro” disse Marx Beltrão. 

A sugestão do deputado foi dada em uma reunião dos movimentos com integrantes da bancada federal como a deputada Tereza Nelma (PSDB), deputado estadual Cabo Bebeto (PSL), os vereadores Cleber Costa (Progressistas) e Francisco Sales (PPL). Também compareceram representantes do deputado federal JHC (PSD) e do senador Rodrigo Cunhas (PSDB

Sindjornal emite nota em solidariedade a jornalista “atacado” por Renan Filho

CadaMinuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Filho durante coletiva

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Alagoas (Sindjornal)  divulgou nesta terça-feira, dia 06, uma nota em solidariedade ao jornalista Arnaldo Ferreira e cobrando a “retratação do governador Renan Filho pelos ataques ofensivos e desnecessários dirigidos ao profissional no exercício de suas funções, durante entrevista coletiva na manhã de ontem (05)”.

 

Na nota, o sindicato lembra que o Governador, no lugar de responder com objetividade à pergunta que lhe foi feita pelo jornalista “optou pelo ataque ao profissional, na clara intenção de atingir o dono da empresa de comunicação onde ele trabalha (o senador Fernando Collor), seu desafeto político”.

A respeito do mal estar que ficou na Sala de Despachos do Palácio de Governo, que inclusive estava lotada de jornalistas, o Sindjornal reforçou que o governador “errou feio ao mudar o foco de sua ira, direcionando-a ao entrevistador – que é diretor-geral de Jornalismo da OAM e estava ali no exercício da função de repórter”.

Renan Calheiros em guerra contra os “robôs” do Twitter

Foto: Agência Brasil Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Calheiros

Segundo o blog Radar, da revista Veja, a equipe do senador Renan Calheiros (MDB) está trabalhando, nas redes sociais, para derrubar supostos perfis “robôs”, especialmente no Twitter, rede na qual o alagoano é bem atuante.

Conforme o blog, o trabalho vem sendo feito há cerca de dois meses e o senador já apresentou denúncia oficial contra quase três mil contas, listando outras 14 mil como “em análise”.

As denúncias onde são especificadas as atividades de cada perfil parece que estão dando resultado.

Ainda segundo o blog, mais da metade dos perfis denunciados já foram tirados do ar.

OAM repudia "ataque e intimidação" de Renan Filho a jornalista do grupo

CadaMinuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Filho durante coletiva

A Organização Arnon de Mello divulgou uma nota na tarde desta segunda-feira (5), em repúdio ao tratamento dado pelo governador Renan Filho (MDB) ao jornalista Arnaldo Ferreira, durante uma coletiva nesta manhã.

“Sob pretexto de tratar da Segurança Pública de Alagoas, Renan Filho conseguiu converter numa miniatura o seu papel de governador do Estado”, inicia a nota, intitulada "Miniatura de um governo". 

O texto prossegue: “Sem respostas objetivas às perguntas feitas, lançou mão da pequena e velha prática da intimidação. Buscou desqualificar o jornalismo dos veículos da OAM e, ao mesmo tempo, atacar o jornalista Arnaldo Ferreira, que possui quarenta anos de jornalismo e respeitável passagem pela imprensa brasileira. 

Na democracia, a imprensa fiscaliza e exercita a crítica a quem controla o erário. Ao governante, resta explicar - sem álibi franzino. A sociedade sabe que, na vida real, os problemas na Educação, Saúde e Segurança, por exemplo, se avolumam cada vez mais e estão bem distantes do universo digital palaciano, já miniaturizado.

A OAM presta solidariedade ao seu profissional e vai prosseguir em sua jornada, defendendo o interesse público e prestando serviço ao cidadão”.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com