Coluna Labafero

Oposição em Arapiraca dá sinais de união para a disputa de 2020

Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

 

Fotos postadas nas redes sociais mostram o vice-governador Luciano Barbosa ao lado do deputado federal Severino Pessoa, dos deputados estaduais Breno Albuquerque e Ricardo Nezinho, e da vice-prefeita, Fabiana Pessoa, todos juntos prestigiando as festividades juninas em Arapiraca. Completaram o grupo o ex-vice-prefeito de Arapiraca, Yale Fernandes, e os vereadores Léo Saturnino e Fábio Henrique.

As fotos que se espalharam rapidamente pelas redes sociais podem ter “azedado” os planos de reeleição do prefeito Rogério Teófilo que, em Arapiraca, tem como aliado apenas o deputado estadual Tarcizo Freire e a Câmara de Vereadores. 

Uma das esperanças do grupo situacionista seria a possibilidade da família Pessoa lançar candidato próprio e, com isso, dividir votos com o candidato indicado pelo governador e com o próprio prefeito, que não consegue reverter sua alta rejeição em Arapiraca.

A provável união da oposição poderá mudar completamente o cenário político em Arapiraca. Na manhã deste domingo (16) surgiu a informação que pelo menos cinco vereadores da base de sustentação do prefeito poderão pular do barco nos próximos dias e juntarem-se ao “rolo compressor”, assim como está sendo denominado o recém-formado grupão da oposição.

Renan Calheiros e Rui Palmeira fazem embate nas redes sociais

Foto: Senado Federal / Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Calheiros e Rui Palmeira trocam farpas nas redes sociais.

Em meio à polêmica envolvendo o ministro da Justiça, Sérgio Moro, o senador alagoano Renan Calheiros aproveitou para fazer uma provocação ao prefeito de Maceió, Rui Palmeira, que prontamente respondeu a afronta.

Ao citar  a porcentagem de investigação de recebimento de propina na operação Lava Jato, divulgada em uma das conversas vazadas entre Moro e Deltan Dallagnol pelo site "The Intercept Brasil”, Renan citou o caso da Odebrecht afirmado que todos os envolvidos teriam que ser investigados e não apenas os 30% conforme sugerido no diálogo.

“A lei não separa quem investiga e quem investigar”, disse o senador.

Renan lembra que foram deixados 70% dos envolvidos e diz: “Dentre eles, o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, mesmo depois de seu nome ter vazado como peneira”.

A "provocação" foi feita pelo emedebista no Twitter e compartilhada em suas redes sociais. No post, o senador ainda marcou Rui e usou a hastag #VazaJato.

O prefeito de Maceió não deixou barato e logo respondeu. Rui pediu respeito e lembrou Renan dos seus “inúmeros processos”.

“O senador Renan Calheiros tem mania de nivelar todos pela sua régua. Me respeite e vá cuidar dos seus inúmeros processo no STF”, rebateu o tucano.

Algum tempo depois, o senador replicou. Disse "que não é desespeito quando o que se defende é a investigação" e que sempre fez isso. " Especialmente agora, ao descobrir que juiz e MPF só investigaram 30% dos citados pela Odebrecht. O que, infelizmente, é o seu caso", completou Renan.

 

Atualizada às 15h30

Prefeitura propõe benefícios fiscais a Pinheiro, Mutange e Bebedouro

Foto: Marco Antonio/Secom Maceió Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Bairro do Pinheiro

O prefeito Rui Palmeira envia nesta segunda-feira (17) à Câmara Municipal de Maceió (CMM) o Projeto de Lei  que concede benefícios fiscais a pessoas físicas e empresas que foram atingidas por rachaduras e afundamentos ocorridos nos bairros do Bebedouro, Mutange e Pinheiro. 

Pelo texto, que será publicado na edição desta segunda do Diário Oficial do Município (DOM), ficam isentos dos tributos municipais, pelo período de cinco anos, os imóveis urbanos – independentemente da forma de utilização – e as pessoas jurídicas, públicas ou privadas, além de profissionais autônomos localizados na região. O projeto também concede remissão dos débitos dos tributos municipais relativos ao exercício deste ano.

Prefeito de Pilar está de malas prontas para o MDB

Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renato Filho

O prefeito Renato Filho, de Pilar, hoje sem partido, está de malas prontas para o MDB, a convite do governador Renan Filho. A mudança deve ocorrer já nesta segunda-feira (17).

Desde as eleições do ano passado, Renan Filho tem trabalhado e vem conseguindo angariar vários prefeitos para a base do partido.

No caso de Renatinho, que foi eleito pelo PSDB e depois passou pelo PV, além da óbvia capilaridade eleitoral, o governador leva, de bônus, a popularidade e a boa avaliação do prefeito.

Apoio de Téo a candidatura de JHC em Maceió

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O ex-governador Teotônio Vilela pode ser um aliado importante para JHC levar o PSDB para sua chapa em uma candidatura a prefeitura de Maceió. Se JHC for eleito, o sobrinho de Téo, Pedro Vilela herdaria a vaga de JHC na Câmara Federal, o que seria importante para o PSDB.

Lembrando que JHC já teria o apoio de outro importante membro do partido em Alagoas, o senador Rodrigo Cunha. Faltaria a JHC convencer o prefeito Rui Palmeira.

Rodrigo Cunha diz que vai participar ativamente das eleições de 2020

Roque de Sá/Agência Senado Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Senador Rodrigo Cunha

Em entrevista ao programa do França Moura, o senador alagoano Rodrigo Cunha (PSDB) disse que em 2020 vai participar “ativamente das eleições municipais”.

Segundo Rodrigo, ele não é candidato a prefeito de Maceió e nem ao Governo, mas disse que vai estimular que a política tenha novos nomes.

Sérgio Moro pede desculpas ao CSA nas redes sociais

Foto: BBC Brasil Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Sérgio Moro

O ministro Sérgio Moro publicou uma foto nas redes sociais – ao lado do presidente Jair Bolsonaro – em um jogo do Flamengo e pediu desculpas ao CSA.

Moro escreveu: “O CSA que me perdoe, hoje foi dia do flamengo. Mas compensamos em outra data”.

Moro foi ovacionado quando chegou ao estádio, em Brasília, durante o jogo de CSA contra Flamengo.

 

Após votar contra decreto de armas, senador alagoano recebe crítica nas redes sociais

Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Senador Rodrigo Cunha

Após votar contra o decreto de armas do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o senador alagoano Rodrigo Cunha (PSDB) recebeu várias mensagens nas redes sociais de eleitores que se dizem “inconformados” de Rodrigo ter sido contra o decreto.

Um dos eleitores escreveu: “Pegou carona nos eleitores do Bolsonaro e agora vota contra o que a maioria dos eleitores apoia. Você é uma vergonha”.

O senador respondeu: “Não precisei usar candidato algum para me eleger. Fiz minha campanha independente e minhas ações sempre foram pautadas na transparência e em aquilo que acredito ser correto”.

Outra internauta escreveu: “Que vergonha senador... que voto perdido. Foi esse meu deus que dei, mas não se preocupe porque esse será o seu primeiro e último mandato, quando eu penso que Alagoas está se livrando dos políticos ruins que só pensam neles próprios, aí vem você e me confirma que continua tudo igual”.

Rodrigo respondeu a internauta afirmando que “é contra a flexibilização do porte de armas porque não acredita que seja armado as pessoas que a vai diminuir a violência instalada, mas que respeita quem pensa diferente”.

Trio de senadores de AL vota contra decreto das armas na CCJ

Montagem CM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Senadores alagoanos

Na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), os três senadores alagoanos, Renan Calheiros (MDB), Rodrigo Cunha (PSDB) e Renilde Bulhões (PROS) votaram favoravelmente aos decretos legislativos tornando sem efeito o decreto, do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que flexibiliza o porte de armas no Brasil.

Rodrigo e Renilde são integrantes titulares da Comissão e Renan está na CCJ como suplente.

A Comissão rejeitou, por 15 votos a 9, o parecer do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), favorável ao decreto das armas.

Agora os decretos aprovados hoje serão apreciados em regime de urgência no plenário.

Pelo menos nesta questão, os senadores alagoanos estão unidos.

Previdência: estados e municípios estão fora até que governadores arrumem votos, avisa Arthur Lira

Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Arthur Lira

Em entrevista divulgada no Twitter oficial da Câmara dos Deputados, o líder do PP, Arthur Lira, defendeu que estados sejam incluídos na reforma da Previdência apenas se governadores garantirem mais votos para a aprovação do texto.

“A discussão com os governadores é se eles vão contribuir com votos, que hoje são contra, ou não, para que a gente decida sobre estados em municípios”, afirmou o parlamentar, acerca de um dos assuntos discutidos nesta quarta-feira (12), em reunião na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), com o relator da Comissão Especial da reforma, Samuel Moreira (PSDB).

“Chegamos em um encaminhamento viável: o relator retira estados e municípios do projeto na comissão e se os governadores trouxerem os votos contra para que fiquem a favor do plenário, a gente retorna estados e municípios, com a ajuda dos que hoje são contra. Sem a ajuda deles, eles continuarão fora”, "desenhou" Arthur Lira.

E agora? Será que os governadores acharão justa a proposta ou se sentirão chantageados?

Veja aqui o vídeo. 

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com