Coluna Labafero

Rui pode apoiar JHC em 2020

Foto: Cristovão Santos / Cada Minuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB)

Não está fora de cogitação o apoio de Rui Palmeira à candidatura de JHC a prefeito de Maceió na eleição de 2020.

Em algumas conversas políticas, Rui tem revelado que esse apoio pode acontecer caso o atual chefe do Ministério Público Estadual, Alfredo Gaspar de Mendonça, seja o candidato à sua sucessão apoiado pelos Calheiros, Renan pai e Renan Filho.

E já tem tucano de bico grande fazendo a ponte entre Rui e JHC, haja vista que há fontes vindas do Palácio República dos Palmares garantindo que as conversas entre o governador e o procurador-geral de Justiça andam avançadas nesse sentido.

Site e Portal da Transparência da Câmara de Maceió são invadidos por hacker

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O site da Câmara Municipal de Maceió foi invadido por hacker pela segunda vez consecutiva somente esta semana. Uma mensagem foi colocada pelos invasores na página e segundo a assessoria da Casa, técnicos já trabalham para restabelecer o site.

Em nota, a Câmara de Maceió lamentou a invasão ao site e ao portal da transparência do poder legislativo municipal, "afinal eles são importantes instrumentos de aproximação com a população e mecanismos de controle dos gastos públicos. Estamos atuando para reestabelecer o sítio eletrônico e reforçar a segurança para que um dos maiores sites em volume de informações do Norte e Nordeste não fique vulnerável a ações criminosas".

Com dívida de "gratidão", Cabo Bebeto sai em defesa do presidente na guerra do PSL

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Como diz o velho ditado: “gratidão é dívida que não se paga”! E parece tem sido o sentimento do deputado estadual Cabo Bebeto com o presidente Jair Bolsonaro. 

Bebeto foi eleito na força da sigla do PSL e, agora em plena “guerra” interna do partido, ele saiu em defesa do presidente e ainda jogou na cara de outros parlamentares que se beneficiaram da imagem do Bolsonaro para ganhar as eleições a fazer o mesmo. 

“Estou com você presidente, e peço aos deputados federais, que se elegeram, assim como eu com a força do Bolsonaro que apoiem nesse momento e honrem por quem está lutando em busca de um país melhor”, disse Bebeto.

Descontentes: 62% dos maceioenses desaprovam governo de Jair Bolsonaro

Foto: Reuters Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Jair Bolsonaro

O cenário parece ter mudado e muito para o presidente Jair Bolsonaro perante aos seus eleitores em Maceió. Uma pesquisa do Instituto Ibrape mostrou que 62% dos maceioenses reprovam a maneira como Bolsonaro vem governando o Brasil.

Vale lembrar que na última eleição, Bolsonaro foi o candidato à presidência mais votado na capital alagoana. Após nove meses de sua gestão, a aprovação do governo chegou a pouco de 35%.

Para apenas 5% do eleitorado, Bolsonaro tem sido ótimo no cargo. Outros 24% consideram bom, 17% considera regular, 26% considera ruim e péssimo, respectivamente.

Confira os resultados nos gráficos: 

 

 

Orçamento 2020: Marx Beltrão apela a Paulo Guedes por mais recursos para o Turismo

Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O deputado federal e ex-ministro do Turismo Marx Beltrão (PSD) fez um apelo ao ministro da Economia, Paulo Guedes, em busca de ampliar o orçamento do Ministério do Turismo para 2020. O corte no orçamento da pasta para 2020 foi de 58%, saindo de cerca de R$ 600 milhões para R$ 200 milhões. O pleito de Beltrão foi feito em audiência na Câmara dos Deputados.

“O ministro Paulo Guedes precisar rever este corte drásticos dos recursos do Ministério do Turismo. Reduzir os investimentos de uma área que cada vez mais cresce e gera empregos no país é andar na contramão. O Ministério precisa de fomento e apoio, porque um Ministério forte significa um turismo forte. O presidente Bolsonaro afirmou na campanha de 2018 que investir em turismo seria prioridade. E queremos crer que a promessa será cumprida”, disse Beltrão.

Em tempo: além de diversas outras ações, os recursos do Ministério do Turismo são investidos em ações de promoção e divulgação dos destinos nacionais para o público consumidor brasileiro e estrangeiro, além de obras de infraestrutura turística em estados e municípios. Especialistas em políticas para o setor também criticam duramente a previsão de redução nos investimentos da pasta para 2020.

Conselheiro Anselmo Brito perde duas ações movidas contra jornalista

Foto: TCE/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Anselmo Brito

O Conselheiro do TCE-AL, Anselmo Brito que há três anos acusou o Diretor de Comunicação daquela instituição, Geraldo Câmara de se locupletar comercialmente da TV Cidadã, explorando-a e recebendo “jabás” acaba de receber uma ducha fria com as decisões do Ministério Público e da Justiça.

Ambas as acusações, de improbidade e de peculato foram devidamente arquivadas por absoluta inconsistência e falta de provas quanto às acusações daquele conselheiro.

Na época o acusador utilizou as sessões plenárias e as redes sociais dele para imputar a todos os jornalistas da TV Cidadã a acusação de “TV Bajulação e Jabá” colocando em xeque a seriedade dos profissionais daquela emissora liderados por Geraldo Câmara.

Com absoluto constrangimento, apesar de ter respondido publicamente a acusação, o diretor Geraldo Câmara que está no cargo pela segunda vez na gestão do presidente Otávio Lessa, permaneceu todo este período no aguardo das decisões que ora se apresentam através do Ministério Público e da 3a Vara Criminal, em ambos os casos inocentando-o e não deixando dúvidas quanto à sua integridade moral. 

Indagado sobre o que pretende fazer Câmara disse estar se reunindo com os advogados para tomar as medidas cabíveis que o levem a ser ressarcido, sobretudo moralmente dos prejuízos sofridos apesar de manter inabalável sua credibilidade junto à opinião pública de Alagoas que bem o conhece.

Eleição para Conselheiro Tutelar volta à pauta e gera embate entre vereadores

Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Câmara Municipal de Maceió

A eleição para Conselheiro Tutelar parece ainda não ter sido superada por um grupo de vereadores em Maceió, que voltaram a discutir o assunto durante a sessão desta terça-feira (15), com direito a troca de farpas e pedidos de provas. 

O assunto estava morno até que o vereador Beto da Farmácia lamentou a morte o pequeno Danilo Almeida, no bairro do Clima Bom, e a vereadora Silvânia Barbosa destacou a importância do papel do conselheiro em preservar a vida das crianças e adolescentes dentro das comunidades. 

Mas o embate maior ficou mesmo entre os vereadores Chico Filho e Luciano Marinho. Durante seu aparte, Marinho afirmou que o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) mantinha uma forte interferência política, inclusive servindo como “trampolim político” para algumas pessoas. 

Chico Filho respondeu ao colega dizendo que ele estava “levantando falso testemunho e se tivesse provas que apresentasse”. “Estamos perdendo tempo e gastando energia, enquanto temos que ficar focado em resolver o problema para que não volte ocorrer no próximo pleito”, emendou Chico Filho. 

O assunto continuou rendendo e vai continuar rendendo ainda por um bom tempo dentro do parlamento.

O discurso de Collor, sanduíches, laranjas e Milagres

Divulgação/Setur Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true São Miguel dos Milagres

A operação Arremate, que teve Fernando Collor e alguns de seus assessores como alvo, desencadeou um discurso contundente do senador e vem preocupando outros grupos políticos no Estado.

O empresário Tarso Sarmento, assessor de Collor, principal alvo da operação e bem conhecido na “alta roda” de Maceió , tinha ou já teve participação societária em academias, loteamentos e em uma das maiores empresas de promoção de eventos em Alagoas, responsável entre outras coisas, pela maior festa de réveillon de Maceió.

Uma fonte ouvida por esta coluna disse que os próximos passos desta operação podem apresentar alguns “Milagres” de uma turma que mistura laranja e sanduíches ... Enquanto isso, o que resta a fazer é apagar as fotos do Instagram.

Origem de vídeos denegrindo imagem do reitor da Ufal será investigada pelo MPF

Cortesia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Josealdo Tonholo

O Ministério Público Federal (MPF) irá analisar as imagens contidas em vídeos que denigrem a imagem do reitor da Universidade Federal de Alagoas, o professor Josealdo Tonholo, e mais duas servidoras.

O órgão requisitou todo o conteúdo divulgado durante o processo eleitoral para a escolha de reitor da Ufal e afirmou, por meio de nota, que adotará as medidas cabíveis caso constatada a materialidade e a autoria.

O pedido de investigação foi feito pelo próprio reitor, que na época ainda estava no processo eleitoral. Os vídeos foram publicados em redes sociais.

Confira a nota do MPF:

Ministério Público Federal em Alagoas pediu informações ao denunciante a fim de investigar a verdade real do fatos narrados na representação. Foi pedido ao cidadão as imagens apócrifas que alega atingir sua própria imagem e a de outras duas servidoras da Universidade Federal de Alagoas, por ocasião do último pleito para escolha do novo reitor.

Uma vez constatada a materialidade e a autoria dos fatos narrados na representação, o MPF adotará as medidas cabíveis contra o (s) autor (es).

Vídeo: alvo de operação, Collor ataca PF e MPF: “Inquisidores movidos por má-fé”

Agência Senado Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Senador Fernando Collor

Na sessão desta segunda-feira (14), o senador Fernando Collor (PROS) atacou a Polícia Federal e o MPF ao falar sobre a operação Arremate, da qual foi alvo na sexta-feira passada. Ele disse que não tem vinculação com os fatos e que a suspeita surgiu de um "vazamento seletivo, objetivo e cruel".

"Desafio que mostrem as provas, abram o jogo e discutam à luz do dia. Deixem o ambiente de sigilo e da fofoca. Exibam fatos. Procurador não é juiz. Ilação não é prova. Suspeição não é sentença.”, destacou Collor, acrescentando que foi vítima de uma violência em decorrência da busca e apreensão residencial baseada, “não em indícios veementes, mas em mera e irreal suposição de inquisidores destituídos de bom senso, prudência e responsabilidade funcional, porém, movidos por manifesta má-fé e espírito emulativo.".

“É preciso dar um basta nessa irresponsabilidade acusatória. O processo penal não pode se converter em instrumento de arbítrio estatal, tampouco de palanque a serviço de conveniência autopromocional, de inquisidores ocasionais e justiceiros de plantão”, continuou, defendendo a aprovação de regras para impor limites à atuação do Estado na apuração da prática de crimes. 

Segundo as investigações, o senador pode ter utilizado o assessor parlamentar Tarso de Lima Sarmento como laranja na aquisição de imóveis, em leilões, avaliados em R$ 6 milhões. O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a execução de16 mandados de busca e apreensão na residência de Collor e de pessoas ligadas ao assessor.

Veja o vídeo:

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com