Justiça mantém prisão de empresário acusado de chacina em Arapiraca

20/04/2024 14:19 - Justiça
Por Redação
Image

A Justiça de Alagoas decidiu, neste sábado (20), pela manutenção da prisão do empresário e atirador esportivo (CAC) Reginaldo da Silva Santana, acusado de ser autor da chacina que vitimou quatro pessoas, em Arapiraca.

A audiência de custódia foi realizada na manhã deste sábado.

O caso

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Gustavo Xavier, o empresário confessou o crime e está preso. Ele teve a ajuda de dois homens nas mortes das quatro vítimas e na ocultação dos corpos. Um dos cumplices é sobrinho dele.

"Estamos trabalhando para conseguir prender esses outros dois indivíduos que participaram do crime. Não sabemos ainda o paradeiro deles, mas não descansaremos até encontrá-los", afirmou o delegado.

Ainda segundo Gustavo Xavier,  o crime aconteceu na madrugada do sábado (13) para domingo (14). O delegado contou que o empresário estava as duas jovens no local e os dois homens foram "caçados", supostamente teriam furtado objetos da propriedade que pertence ao empresário. Eles foram encontrados e levados para a chácara.

O homem contou que houve um disparo acidental, que atingiu a cabeça de uma das vítimas. Após este primeiro disparo ele teria decidido matar os outros.

O delegado conta que o homem mudou a versão do crime e disse que as jovens apareciam na chácara esporadicamente para pedir dinheiro e mantimentos.

"Elas, vez ou outra, pediam alimento, mantimentos, dinheiro. Versão apresentada, saliento, mais uma vez, por ele. Saíram daqui da propriedade, foram até o centro de Arapiraca, a agência do Banco do Brasil e houve o saque do dinheiro por parte do autor dos crimes, o homicida", explicou o delegado.

O homem contou à polícia que após realizarem o saque na agência bancária, o grupo foi a uma pizzaria, compraram uma pizza e levaram para a chácara. O homem contou que, ao chegar, foi avisado por um sobrinho que os dois jovens, namorados das meninas, estavam no local e teriam furtado um celular e outros objetos da propriedade.

Os corpos foram encontrados nesta sexta-feira (19). A mãe de Lucas da Silva Santos e Letícia da Silva Santos, irmãos vítimas do crime, registrou boletim de ocorrência na última terça-feira (16), apontando o desaparecimento dos filhos. Nessa quinta-feira (18), a Polícia Civil recebeu informações que levaram os agentes até o Sítio Laranjal e ao local onde os corpos foram encontrados.

“Ele vai ser ser autuado em flagrante delito pelo crime de ocultação de cadáver, praticando também crime ambiental, posse irregular de arma de fogo, e  muito provável também que ele seja indiciado pelos  homicídios”, concluiu o delegado. 

Comentários

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Carregando..