Blog do Dr Edvenis Vital
Blog do Dr Edvenis Vital

Conheça 6 tipos de alopecia e seus possíveis tratamentos

Blog do Dr Edvenis Vital|

Ainda que muita gente associe ou conheça esse tipo de doença pelo título de calvície, o termo se refere apenas a um dos tipos de alopecia, uma condição que apresenta queda de cabelo ou de pelo em qualquer parte do corpo. 

Essa perda de cabelo acontece de maneira bem expressiva nas regiões afetadas pela alopecia, deixando à mostra a pele que antes era coberta por pelos ou cabelos. Isso ocorre porque esse distúrbio causa a interrupção no ciclo de crescimento dos fios. 

Se você está passando por isso e quer entender melhor, eu vim para ajudar! Preparei este post para você conhecer um pouco mais sobre os tipos de alopecia e como identificar quais são eles para procurar o tratamento adequado. Continue lendo!

1. Alopecia areata

Embora boa parte dos seus portadores possua menos de 20 anos de idade, esse tipo de alopecia pode atingir qualquer faixa etária, sendo geralmente identificada pela perda de cabelo em áreas arredondadas ou ovais. 

Ela é uma condição autoimune e pode estar associada a fatores genéticos, estresse ou reações do sistema imunológico causadas por microorganismos. Pacientes portadores de doenças como lúpus e vitiligo também podem apresentar esse tipo de alopecia. 

2. Alopecia androgenética 

Com casos mais comuns entre os homens, a alopecia androgenética nada mais é do que a famosa “calvície”, uma forma de queda de cabelos geneticamente determinada. 

Além disso, apesar de dar sinais mais aparentes apenas depois dos 40 ou 50 anos, esse tipo de alopecia começa a surgir ainda na adolescência. A partir daí, o indivíduo apresenta fios cada vez mais finos a cada novo ciclo e, consequentemente, o couro cabeludo vai ficando mais vago e aberto. 

3. Alopecia frontal fibrosante 

Se a calvície é um caso com maior destaque entre homens, esse outro tipo de alopecia é o mais comum entre as mulheres, especificamente as que já estão dentro do período conhecido como “pós-menopausa”. 

Assim como a calvície, é possível perceber aberturas na parte frontal do couro cabeludo devido ao recuo da linha do cabelo, ocasionado pela doença. 

4. Alopecia por tração 

Assim como homens com algum histórico genético acabam recebendo muitas orientações para evitar a calvície, as mulheres também devem se manter atentas a alguns hábitos que, a princípio, podem parecer apenas pequenos incômodos inofensivos, mas que também resultam em casos de alopecia. 

A alopecia por tração ocorre quando o folículo capilar é danificado devido à força e pressão empregadas na realização e permanência de alguns penteados como tranças e rabos de cavalo, que acabam puxando muito o cabelo. 

5. Eflúvio telógeno

Seguindo ainda com os problemas que podem atingir mais mulheres do que homens quando o assunto é alopecia, quem nunca se pegou fazendo ou ouvindo alguma queixa sobre queda excessiva de cabelo? 

Como foi dito no último tópico, é importante estar atento a alguns sinais dados pelo próprio corpo, que acabam indicando o desencadeamento de algum problema mais grave.  

Nesse caso, é necessário também agir com cautela. O eflúvio telógeno apresenta a queda de 300 a 500 fios de cabelo por dia causando a perda de volume. No entanto, apesar de ser uma perda a longo prazo, esse tipo de condição também se apresenta de modo temporário, podendo haver a reversão do quadro e a recuperação dos fios em até seis meses. 

Ele pode se manifestar tanto devido à falta de vitaminas e minerais no organismo quanto por desequilíbrio da tireóide, o parto, cirurgias ou casos de febre.  

6. Alopecia cicatricial 

Por fim, e não menos importante, a alopecia cicatricial é a menos comum entre os casos mais recorrentes da doença. No entanto, pode se manifestar de modo muito aparente e mais fácil do que se imagina. 

Nesse caso, as inflamações que geram o crescimento do tecido cicatricial são capazes de causar danos aos folículos capilares e, com isso, a queda de cabelo na região afetada. Dentro desse cenário, também é possível observar o surgimento de inchaço, coceira e lesões de cor branca e vermelha no couro cabeludo. 

Depois de ler todos esses pontos, certamente ficará muito mais fácil identificar os sinais da alopecia, as razões para o seu surgimento e que tipo de tratamento você deve procurar para cada caso. 

Ainda assim, vale ressaltar que a avaliação e acompanhamento de um profissional especializado é fundamental para que sejam tomados os devidos cuidados. Na EVA Clínica, você encontra uma equipe formada por dermatologistas e esteticistas que oferecem tratamento especializados para diferentes tipos de alopecia. Entre em contato!

A cool cat.
SOBRE O AUTOR

Edvenis Vital Albino possui o título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e atua como membro ativo das sociedades brasileiras de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e de Medicina Estética (SBME). Com oito anos de dedicação aos estudos da pele, ele conta em seu currículo com especializações em Dermatologia Cirúrgica e em Medicina Estética. Referência em procedimentos injetáveis e em operações que envolvem laser médico, ele também possui passagem pelo Ospedale Delmati di Sant’Angelo Lodigiano Milão - IT, onde fez um Fellowship em Clínica Médica.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados