Click Due
Click Due

Webinário "Alagoanas da Imagem" inicia discussão sobre mulheres no audiovisual e artes visuais

Texto: Lourdes Rizzatto/ Fotos: arquivo pessoal Larissa Lisboa, Kelcy Ferreira e Rosana Dias|
Webinário Alagoanas da Imagem
Webinário Alagoanas da Imagem / Fotos: arquivo pessoal (Larissa, Kelcy e Rosana)
Webinário Alagoanas da Imagem

 

O webinário “Alagoanas da imagem”, idealizado pelo Alagoar em parceria com a Curadoria do Ser, iniciou na terça (04) o primeiro de seis encontros programados para este mês de agosto, onde serão apresentados recortes sobre a presença feminina na produção do audiovisual e nas artes visuais. No comando desses encontros estão as produtoras culturais Larissa Lisboa, Kelcy Ferreira e Rosana Dias, mulheres com vivências na cena cultural alagoana e que trazem na bagagem uma rica trajetória em aprendizado, pesquisa e preservação da memória da cultura local. Elas irão abordar trajetórias, conquistas e desafios, tanto das pioneiras quanto das mulheres que na atualidade constroem a representatividade do audiovisual e das artes visuais em Alagoas. 

 

O primeiro webinário (seminário na internet) trouxe uma rápida apresentação de Kelcy Ferreira e Rosana Dias aos participantes e, ambas, de forma concisa, falaram sobre alguns dos temas que serão tratados nos próximos encontros. A noite, porém, foi toda de Larissa Lisboa. Jornalista, formada pela Universidade Federal de Alagoas, ao discorrer sobre sua trajetória abordou seu projeto de conclusão de curso em 2008, o Catálogo da Produção do Áudio Visual Alagoano. Atrevo-me a dizer que esse catálogo foi a semente do site mais interessante e informativo disponível atualmente sobre o audiovisual alagoano, o Alagoar.

 

A noite da terça (04) foi um presente para os(as) apaixonados(as) pelo audiovisual. Em pouco mais de duas horas Larissa narrou suas experiências e filmografias, fez um breve histórico sobre a presença da mulher no cinema mundial, brasileiro e alagoano trazendo à tona as batalhas travadas pelas pioneiras Alice Guy-Blaché (primeira cineasta e roteirista de filmes ficcionais, na virada do séc. 19), Cléo Verbena (primeira brasileira a dirigir um filme, em 1931), além da alagoana Ana Severina Conceição, na direção do documentário “A prece do mendigo”, em 1979, em Super 8. 

 

A trajetória de outras grandes diretoras representantes da luta feminina frente a um universo tipicamente masculino foi abordada de forma didática, mas nem por isso menos provocativa a discussão do que fora no passado e do que é atualmente a participação da mulher no audiovisual. A presença feminina destacada por Larissa Lisboa nos Festivais de Cinema de Penedo, na famosa “Quebra do Balcão”, em iniciativas como Ateliê Sesc de Cinema e em uma década da Mostra Sururu de Cinema (2009 a 2019), e em inúmeros outros festivais, em editais públicos, inclusive dos financiados pela Ancine, revela que apesar de conquistar espaço ao longo dos anos no panorama do cinema alagoano, a presença da mulher corresponde a pouco mais de 30% no cenário estadual.

 

De forma instigadora Larissa encerrou o encontro fazendo, inicialmente, uma provocação ao grupo para a realização de futuras pesquisas sobre as primeiras mulheres do cinema alagoano que trabalharam em equipes técnicas. E, na sequência, deu dicas de conteúdos sobre cinema reunidos no site Alagoar e na plataforma de filmes online Cardume. Neste primeiro encontro, o “gostinho de quero mais” ficou entre os participantes do webinário e aumentou a responsabilidade do alto nível dos próximos encontros que acontecerão nos dias 07, 11, 14, 18 e 21/08 das 20h às 22h. Portanto, agora é esperar porque o Click Due acompanhará de perto estes momentos!

 

Próximos encontros

A psicóloga, arte educadora e produtora cultural Kelcy Ferreira apresentará um recorte da produção de mulheres originárias (indígenas), quilombolas e do panorama das artes visuais em Alagoas, e em Arapiraca. 

A produtora cultural Rosana Dias abordará como surgiu o audiovisual no Brasil, cinema lésbico e cinema negro. O foco das produções realizadas em Arapiraca será em filmes que tiveram direção com mulheres ou direção coletiva de mulheres. Nas artes visuais abordará as Irmãs Petuba, além de produções atuais de mulheres na fotografia, pintura e desenho. Larissa Lisboa terá mais um encontro para ampliar o diálogo sobre a presença feminina no audiovisual. 

 

E, para quem quiser conhecer um pouco mais sobre o audiovisual alagoano é só acessar o alagoar.com.br. Para saber mais sobre como está a produção cultural neste período de pandemia, Larissa dá a dica das lives Criar na Quarentena, que acontecerão no @alagoar. No dia 06/08, às 19h, com Maysa Reis e Paulo Silver, e no dia 12/08, com Elizabeth Caldas e Bruna Teixeira, às 20h, também no @alagoar. Vale a pena conferir!

 

A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
A cool cat.
SOBRE O AUTOR

Blog sobre cultura e entretenimento em Arapiraca

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados