Blog do Tinho

Brasília: JHC vota com Bolsonaro para manter o veto 52

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true JHC e Pres. Bolsonaro

O deputado federal JHC (PSB/AL), pré-candidato a prefeito por Maceió, sempre transparente, informou que vai votar favorável ao Veto 52 do Presidente Jair Bolsonaro.

A proposta, aprovada na Câmara, destinaria cerca de R$ 30 bilhões do orçamento da união para uso por meio das emendas impositivas, esse valor é quase 1/4 das verbas discricionárias do Governo Federal, que estão, nesse ano, por volta de R$ 135 bi. Desse modo, o Presidente Bolsonaro vetou essa alteração que dá poder de decisão ao relator do Orçamento.

O veto está na ordem do dia da Câmara Federal e tem gerado diversos embates e posicionamentos favoráveis e contrários, de Alagoas, o Deputado Federal JHC(PSB/AL), se posicionou favorável a Bolsonaro.

“Votarei favorável ao #Veto52. A emenda impositiva trouxe mais independência aos congressistas, que, por muito tempo, foram chantageados para votarem com o Governo em troca de verbas no orçamento. Uma compra de votos institucionalizada!”, disse.

“A diferença do remédio para o veneno é a dose, e aqui nós temos uma dose cavalar, concentrando um orçamento impositivo bilionário nas mãos de um único parlamentar do Congresso que pode vir da Câmara ou Senado. Fica difícil provisionar o orçamento e executar políticas públicas do Executivo, fere-se a independência dos poderes”, afirmou JHC, ao declarar apoio a Bolsonaro quanto ao veto.

O Congresso Nacional vai promover sessão conjunta nesta terça-feira (3) para análise de vetos presidenciais. Entre os pontos a serem analisados está este do veto à proposta que torna obrigatória a execução das emendas orçamentárias do relator-geral do Orçamento (VET 52/19).

 

Na primeira sessão de março, Jó Pereira destaca números sobre feminicídio e violência contra a mulher

Foto: Ascom Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputada Jó Pereira

Os 141 casos de violência contra as mulheres no período carnavalesco deste ano, em Alagoas, e os quatro feminicídios registrados nos dois primeiros meses, três em janeiro e um em fevereiro, foram o tema do pronunciamento da deputada Jó Pereira na sessão desta terça-feira (3), na Assembleia Legislativa.

No início do Mês Internacional da Mulher, a parlamentar pediu o apoio de todos no enfrentamento a violência e ao machismo, lembrando que, conforme dados oficiais do Estado, 103 mulheres foram assassinadas nos últimos três anos e dois meses no estado. 

“Falo em nome de milhões de mulheres ainda submetidas diariamente a atos dessa vergonhosa e ultrapassada cultura machista... Em janeiro foram três mulheres assassinadas em Alagoas e agora, no fevereiro do carnaval, mataram Joyce Mariele, a jovem de 16 anos que apenas não mais queria namorar, ficar... se relacionar. Em pleno 2020. Até quando? Foram 34 em 2017, 21 em 2018 e 44 em 2019. Covardemente mortas, 103 alagoanas que viraram estatística de uma vergonhosa violência diária contra milhões de mulheres em todo o Brasil”, destacou Jó.

Pontuando que a solução em relação à violência passa, além da atuação policial, por uma educação acessível a todos, de qualidade, tecnológica, e inclusiva, a deputada cobrou mais valorização da mulher nas discussões de gênero e que o equilíbrio fique mais próximo, permitindo que muitas mulheres não se transformem em estatísticas negativas nos próximos anos.

“Queremos justiça, queremos mudanças, queremos que todas tenham o direito de ser mulher. Mulher livre e feliz, para fazer suas escolhas... Não somos números estatísticos, somos mulheres. Somos mães, filhas, esposas, jovens e meninas com toda uma vida pra ser vivida. Quando perguntam por que da luta por empoderamento das mulheres, uma única e imediata palavra me vem logo à cabeça: equilíbrio! Se somos metade dos seres humanos vivos, porque tão numericamente inexpressiva é a participação feminina nas decisões, comunitárias, empresarias, de conselhos, de postos públicos de decisões, ocorrendo também o mesmo no ambiente familiar?”, questionou.

Exceções

Em relação especificamente ao carnaval, Jó lembrou que, como todo evento de massa, a festa também carrega suas desvirtuações de comportamento, mas atribuiu isso a exceções de certos indivíduos e coletivos.

“Isso ocorre no futebol, outra paixão do brasileiro, mas essas exceções não mudam a essência do evento, que é alegria, congraçamento e muita diversão cultural, genuinamente brasileira. Essas exceções engrossam estatísticas, e reflete o nosso problema de educação e formação de indivíduos. São minorias, mas são notícias”, explicou, destacando o potencial econômico e de geração de renda para milhões de brasileiros do carnaval.

Fundeb

Durante o pronunciamento, a deputada também voltou a apelar para que os deputados integrantes da 7ª Comissão de Administração da Casa se reúnam para apreciar e produzir o parecer acerca do projeto de lei, de origem governamental, que autoriza o rateio das sobras dos recursos do Fundeb com os professores. De autoria de Jó Pereira, o requerimento de urgência para apreciação do PL foi aprovado por unanimidade no início da sessão.

“Como todos da Casa sabem, o projeto só poderá ser apreciado em plenário depois que a 7ª Comissão se reunir e fizer o seu parecer. Quando isso acontecer, poderá ser pautado pelo presidente para apreciação desse plenário. Por isso faço um apelo aos colegas da sétima comissão para apreciarem e darem seu parecer, assim também, apelo para que o senhor presidente, de forma contínua, paute o projeto para nossa apreciação em plenário”, concluiu Jó.

Apartes

Em aparte, a deputada Cibele Moura (PSDB) lembrou que o assunto é recorrente na tribuna, levado tanto por Jó Pereira quanto pelas demais integrantes da bancada feminina. “É um problema cada vez mais assustador a violência contra a mulher. A cada quatro minutos uma mulher é agredida no país por um homem... Costumamos ver alarde grande quando é descoberta doença nova, como o coronavírius. É assustador, mas a violência no Brasil mata mais do que no mundo... 70% dos casos ocorrem em casa, onde ela deveria estar protegida”, lembrou Cibele.

Também em aparte, o deputado Cabo Bebeto criticou o fato de, em Alagoas, não poder ser mostrado o rosto de assassinos presos em flagrante, como o caso do suspeito do feminícidio de Joyce Mariele.

JHC destina R$ 1,2 milhões para o Projeto Recriar da Arquidiocese de Maceió

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true JHC e Dom Muniz

 

A Arquidiocese de Maceió, para além de suas atividades religiosas, dirigidas pelo Arcebispo Dom Antônio Muniz, líder religioso de visão, empreendedor e de forte trabalho missionário, tem realizado um amplo trabalho à frente do Projeto Recriar.

O projeto, que tem como um de seus coordenadores o Jovem Cauê Castro, reúne 14 comunidades terapêuticas e tem ajudado a transformar, recuperar e resgatar a vida de centenas de jovens, pais e mães de família, inclusive.

Para esse fim, o projeto, a arquidiocese, e o Arcebispo Dom Muniz, tem contado com a parceria e o poio do Deputado Federal JHC (PSB/AL), pré-candidato a prefeito de Maceió, que desde o início do seu mandato já destinou mais de Um milhão e duzentos mil para o projeto e à reintegração e reinserção na sociedade e no mercado de trabalho dos acolhidos.

A convite do Arcebispo e Presidente do Projeto Recriar, Dom Antônio Muniz, JHC participou na última quinta-feira (27) de um encontro onde pode conhecer várias ações do projeto e destacou a importância da ação e da transformação da vida das pessoas proporcionada pela Arquidiocese.

“Superação. Essa é a lição que fica de um dia como hoje, onde pude conhecer ainda mais de perto o Projeto Recriar. Conheço e apoio esse trabalho que já contou com mais de R$ 1.2 milhões de minhas emendas”, disse.

Além de pontuar sobre a superação, JHC mostrou-se entusiasmado com os resultados do projeto do ponto de vista da reinserção social, familiar e do mercado de trabalho. “Aqueles que encontram forças para superar o vício das drogas têm muito o que nos ensinar. Eles agora irão reconstruir as suas vidas junto de suas famílias e poderão se tornar exemplos de superação”, Afirmou JHC.

 

 

Com 351 parlamentares, Arthur Lira amplia e lidera maior bloco de Centro da Câmara

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Arthur Lira

 

Um novo bloco partidário foi formado dentro da Câmara dos Deputados. Com partidos do Centrão além de siglas como MDB e PSDB, o bloco reúne formalmente 14 partidos e 351 parlamentares, o equivalente a 68% da Câmara. A quantidade de deputados é suficiente para que o bloco sozinho consiga aprovar até matérias que exigem maioria qualificada, como propostas de emenda à Constituição.

Líder do novo bloco, o deputado Arthur Lira (PP-AL) ressaltou que a formação do grupo não vai se refletir na distribuição das comissões permanentes, já que esse cálculo leva em conta a composição do início de 2019. "O bloco é harmônico, não tem cunho ideológico nem partidário. Nada impede que outros partidos venham se juntar a nós. Defendemos o orçamento impositivo e ele deve ser partilhado por todos os congressistas", afirmou ao Congresso em Foco. Segundo ele, a intenção dos partidos é ter maior espaço dentro da Comissão Mista de Orçamento.

A aliança é composta por legendas de centro e de direita, mas não reflete necessariamente coesão programática ou de posicionamentos. Algumas dessas legendas, inclusive, afirmam que não se enquadram no Centrão.

No novo bloco, cuja formação foi protocolada ainda antes do Carnaval, estão partidos de pouca afinidade ideológica, como, por exemplo, MDB e PSL.Compõem o bloco o PSL, PL, PP, PSD, MDB, PSDB, Republicanos, DEM, Solidariedade, PTB, PROS, PSC, Avante e Patriota.

 

Com: CongressoemFoco

O Café já é servido frio para Rui Palmeira

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Rui Palmeira

 

Na reta final do mandato, sem muita tinta na caneta, sem partido raiz em mãos, sem ter criado um bom nome para a sucessão, pode até importar, mas e a confiança e os espaços? E sem a perspectiva de um novo mandato, já que só concorrerá a algo em 2022, o Café já é servido frio para o prefeito Rui Palmeira na sede da governança municipal.

A prova do esvaziamento, da debandada e da falta de assédio ao político em fim de mandato foi comprovada pela executiva Nacional do PSDB, quando Rui tentou, por meio de documento, a indicação de nome para a sucessão municipal, e foi duramente ignorado. O prestígio agora é do Senador Rodrigo Cunha (PSDB) que tem longos anos no Senado Federal e está em ascensão política.

E não apenas isso, Rui Palmeira ao ser colocado na cena em uma possível União, por baixo dos panos, com os Calheiros(PMDB), viu muitos aliados fortes, nomes presentes nos momentos mais difíceis do seu mandato, se voltarem contra e dar o ultimato de que estariam desembarcando de sua gestão,  um exemplo claro disso foi o presidente da Câmara de Maceió, Kelman Vieira(PSDB), que inclusive sinalizou apoio a Davino(PP) ou a JHC(PSB).

Rui Palmeira talvez tenha oportunidades e meios de garantir presença forte no cenário eleitoral de 2020 e ainda, de não ser colocado na vala do esquecimento da política alagoana. É preciso ter cuidado, pois podem ter colocado um antolho dificultando-lhe a visão para os lados.

Fortes chuvas: JHC vai à Defesa Civil Nacional por atenção especial aos bairros de Maceió

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true JHC vai à Defesa Civil Nacional.

 

No mesmo dia em que o Deputado Federal JHC(PSB/AL), discutiu em Brasília a questão do Saneamento Básico para o país e para Alagoas, a cidade de Maceió deixou evidente sua fragilidade quanto ao tema ao ser inundada no dia de hoje(20), após às fortes chuvas que caíram na capital alagoana.

Ao tomar conhecimento das inundações, de imediato e preocupado, em especial, com a situação dos bairros afetados por afundamentos do solo; Pinheiro, Bom Parto, Mutange e Bebedouro, JHC acionou a Defesa Civil Nacional no sentido de acompanhar, monitorar e propor medidas preventivamente com relação às inundações por qual passa a capital de Alagoas.

“Estive no Centro de Gerenciamento de Desastres para falar sobre as chuvas que atingiram Maceió, com uma preocupação especial em relação ao Pinheiro, Mutange, Bebedouro e Bom Parto. A informação que obtivemos é a de que os 30mm por hora de hoje não foram suficientes para comprometer esses bairros e que a perspectiva é de que a chuva continue até amanhã (sábado) de forma moderada/fraca. Fiquemos todos seguros”, afirmou JHC.

 

 

 

Equatorial: JHC é contra reajuste de 12,02% na energia e convoca população a opinar em Consulta Pública da ANEEL

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Federal JHC

O deputado federal JHC(PSB/AL), reagiu contra o possível aumento de 12,02 % nas contas de Energia solicitados pela Equatorial Alagoas Distribuidora de Energia S.A e convocou a sociedade a se manifestar e a participar da consulta pública disponibilizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. 

 

Interessados podem enviar contribuições no período de 05 de fevereiro a 20 de março de 2020 para o e-mail [email protected] A consulta terá ainda uma sessão presencial, a Audiência Pública 001/2020, prevista para ocorrer no dia 05 de março de 2020, em Maceió (AL). 

 

JHC disse que a decisão da ANEEL de abrir consulta pública foi acertada e que às reclamações e indignações da população, com um possível reajuste da Tarifária Extraordinária (RTE) da Equatorial Alagoas Distribuidora de Energia S.A é pertinente e considerável. 

 

Seguem abaixo os índices propostos em consulta: 
   

Empresa 

Equatorial Alagoas Distribuidora de Energia S.A. 

Classe de Consumo – Consumidores cativos 

Baixa tensão 
em média 

11,36% 

Alta tensão 
em média (indústrias)

13,74% 

Efeito Médio 
para o consumidor 

12,02% 
         
De acordo com a ANEEL, os índices propostos foram impactados por custos da atividade de distribuição e transmissão de energia elétrica. Os índices definitivos serão aprovados após a consulta pública para entrar em vigor em 3/5/2020. 
 
Interessados podem enviar contribuições no período de 05 de fevereiro a 20 de março de 2020 para o e-mail [email protected] A consulta terá ainda uma sessão presencial, a Audiência Pública 001/2020, prevista para ocorrer no dia 05 de março de 2020, em Maceió (AL). 

 

 

Pré-candidaturas laranjas e os ataques a JHC, líder nas pesquisas para Prefeito de Maceió

Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true JHC visita Bom Parto

O momento exige responsabilidade, comprometimento, clareza de ideias, propostas e transparência às pré-candidaturas postas para a Prefeitura de Maceió.

 

Mas, além de tantos nomes sérios, como  Lessa, Davino, Moreno, Barbosa e JHC, de diversos partidos como PSB, DEM, PDT,PT, PSOL e PP,  há também os candidatos, ditos e conhecidos popularmente como poca urnas, ou mesmo os laranjas, que usam o processo eleitoral tão somente para destruir ainda mais a política partidária e com fins espúrios no sentido de desmerecer, destratar, criar fake news  e tentar desconstruir nomes bons da nossa política, como os já citados.

 

Pois bem, mesmo alvo desses ataques, o deputado federal JHC, pré-candidato a prefeito por Maceió, tem liderado, com ampla vantagem, todas às pesquisas até o momento divulgadas.

 

Para desespero de possíveis laranjas, a população parece estar mais atenta do que nunca e, acredito, o Tribunal Regional Eleitoral, que já puniu, laranjas em eleições passadas, também está atento ao desserviço dessas pré-candidaturas.

 

Não é simples apontar quem são, porém é fácil perceber que são nomes sem expressão, nem estrutura suficiente para serem candidatos aos postos que pleiteiam, claro direito constitucional.

 

É simples perceber qual o propósito deles: porque em todos os cantos, todos os lados, todas as entrevistas e falas, o alvo é o mesmo; a figura do deputado JHC, bem como de outros nomes éticos da política alagoana.

 

 

O sonho de uma nova política, por Cauê Castro

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Cauê Castro

Vivemos tempos difíceis na política. De um lado temos o extremismo que afasta cada vez mais e do outro o desinteresse de grande parte da população. Tudo isso, reflexo de anos de governos que não têm dado ao povo uma resposta concreta sobre os problemas que vivenciamos no cotidiano. Nesse momento, surge uma nova aposta para tentar resolver esse problema: a juventude!

Sempre ouvimos que o jovem é “o futuro da nação”. Longe do romantismo e da idealização de uma juventude perfeita, falo aqui do jovem que percebeu que não é mais o futuro que importa, mas o agora, e por isso busca, cada vez mais, ocupar a política tradicional com vigor e representatividade. Cientes do momento, os jovens sabem que não se implode de uma vez uma estrutura que há anos existe, por isso constroem tijolo por tijolo um novo ideal.

Rumo à promoção de uma renovação política, precisamos compreender que os velhos costumes e métodos que convivemos não serão mudados do dia para a noite, mas que é preciso dar o primeiro passo. Mudança política demanda tempo e paixão. Por isso, para que o processo de renovação continue brotando, precisamos oxigenar o processo eleitoral e motivar cada vez mais a juventude para ser protagonista desse novo tempo.

Hoje, não há dúvidas de que o Brasil respira política a todo momento, por isso precisamos seguir o processo da construção da nossa democracia com os olhos para o futuro, mas certos de que a mudança que precisamos começa agora.

 

Cauê Castro

Professores: JHC anuncia R$ 327 milhões dos Precatórios do Fundef para a Educação de Maceió

Júnior Tigre Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true JHC anuncia R$ 327 Milhões de Precatórios para Maceió


 

 

O Deputado Federal JHC(PSB/AL), proponente da Comissão Externa dos Precatórios do FUNDEF e integrante da Comissão da Educação na Câmara Federal, acaba de anunciar o direito do município de Maceió a receber R$ 327 milhões oriundos dos Precatórios do Fundef.

"Tivemos acesso ao processo de número 0807260-82.2017.4.05.8000, que tramita na 13ª Vara Federal de Maceió e que trata dos Precatórios do FUNDEF da capital alagoana. O valor é de R$ 327 milhões, e, desses, R$ 260 milhões já estão bem próximos da liberação", disse JHC.

O deputado tem defendido, e ganhado apoio em todo o país, que os recursos do Fundef sejam destinados aos Professores, Profissionais da Educação, como determina a própria lei do FUNDEF e FUNDEB, em que disciplina, no mínimo, 60% para essa finalidade.

"Reafirmo meu compromisso com o direito dos professores em receber, no mínimo, 60% desse valor, ou seja: aproximadamente R$ 196 milhões de reais", disse.

JHC adiantou que, dentro de suas competências, estará, imediatamente, acionando os órgãos e instituições competentes para garantir a aplicação integral dos recursos para a melhoria e o desenvolvimento educacional em Maceió, preservando-se o percentual de direito dos Professores.

"Como sou Deputado Federal e não posso propor leis municipais, enviarei hoje mesmo um ofício à Câmara de Vereadores de Maceió com um anteprojeto de lei já reconhecido pela própria Justiça Federal para garantir que esse direito seja garantido aos professores. Vale lembrar, que o percentual relativo aos 40%, deve ser aplicado, exclusivamente, na educação, melhorando acesso e a infraestrutura das escolas, bem como as condições para o ensino e a aprendizagem de alunos e professores, para que possamos, verdadeiramente, avançar nos índices e na qualidade educacional de Maceió”, concluiu JHC

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 [email protected]
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 [email protected]