Blog do Celio Gomes
Blog do Celio Gomes

A novidade é uma eleição indefinida

Blog do Celio Gomes|
Paulo Dantas, Rodrigo Cunha e Rui Palmeira
Paulo Dantas, Rodrigo Cunha e Rui Palmeira / Foto: rede social

Uma eleição duríssima, com ao menos três candidatos que, se não estão de todo embolados, talvez forçando a barra, diria que é quase isso. Uma disputa que não será resolvida no primeiro turno. O cenário de 2022 é o oposto do que se viu em 2014 e 2018, quando Renan Filho não teve adversário. Essa é a maior novidade na atual corrida pelo governo de Alagoas. Para quem reclamava de tédio, isso acabou. 

A briga acirrada foi detectada em levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, contratado pela TV Pajuçara. Os pré-candidatos Rodrigo Cunha, Rui Palmeira e Paulo Dantas formam, até agora, um pelotão mais adiante. O senador do União Brasil tem 28,6% das intenções de voto; o ex-prefeito do PSD aparece com 22,9%, e o deputado do MDB crava 17% das preferências.   

Em quarto lugar, bem mais afastado do trio que lidera, com 6,1%, vem o deputado Antônio Albuquerque, agora no Republicanos, braço da Igreja Universal. As paredes da Assembleia Legislativa ouviram que a candidatura de Albuquerque é espuma. Daqui a pouco, ele vai desistir e concorrer ao mandato de número oito no parlamento estadual. Vai virar estátua.

Voltando aos candidatos pra valer. Os números do Paraná mostram que a disputa vai para o segundo turno. E essa é a única quase certeza sobre o panorama visto na pesquisa. Pela curta distância entre eles, os três primeiros podem brigar pela vaga no segundo turno. A margem de erro é de 2,6 pontos. Assim, Cunha e Rui estão virtualmente empatados, e o mesmo se dá entre Rui e Dantas.

Embora tenha comemorado a liderança, Rodrigo Cunha esperava muito mais. Ao longo ano passado, ele aparecia em posição bem isolada em primeiro lugar. Tomou um susto agora ao sentir o bafo de adversários antes subestimados. O senador tenta emplacar sua agenda com falas ensaiadas em redes sociais.

Não é preciso mais nada para reafirmar o acirramento da eleição alagoana. Mas a temperatura pode subir caso o senador Fernando Collor decida entrar nessa briga. Como todo mundo já sabe, Collor pode fazer essa escolha caso venha entender que a disputa com Renan Filho pela única vaga no Senado seria suicídio.

Seja como for, vale o clássico lugar-comum eleição indefinida. É o máximo que dá pra bancar diante da reveladora pesquisa divulgada pela TV Pajuçara. Como disse no começo, tudo bem diferente das últimas temporadas eleitorais.

SOBRE O AUTOR

Sou formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Tenho quase trinta anos de jornalismo. Comecei, com estágios e trabalhos temporários, a partir de 1990. Em 1991 entrei na TV Gazeta de Alagoas. Na empresa exerci os postos de editor, produtor, chefe de redação e diretor de jornalismo. Depois fui editor de política em O Jornal. Adiante, trabalhei como editor de política e editor-chefe no jornal Gazeta de Alagoas. Tive também uma passagem pela TV Pajuçara como editor de telejornais. Exerci ainda o cargo de coordenador editorial na Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Durante essa trajetória, nos diferentes veículos, escrevi reportagens e tive um blog com textos diários

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados