Prefeito de Estrela de Alagoas e Arlindo Garrote são afastados dos cargos públicos após pedido da PF

Redação |
Arlindo Garrote, Ângela Garrote e Aldo Lira
Arlindo Garrote, Ângela Garrote e Aldo Lira / Divulgação

O juiz da 12ª Vara da Justiça Federal de Alagoas acatou o pedido da Polícia Federal e afastou o prefeito do município de Estrela de Alagoas, Aldo Lira e o ex-prefeito Arlindo Garrote dos cargos públicos que atualmente ocupam.

Arlindo Garrote está como Coordenador da Coordenadoria Estadual do Departamento Nacional de Obras e Secas (DNOS). O processo que envolve a família Garrote corre em segredo de Justiça, mas os pedidos de afastamento dos cargos serão cumpridos ainda nesta quarta-feira (15) por agentes da Polícia Federal. 

A ação é referente a Operação Aurantium da Polícia Federal,  que investiga um esquema fraudulento com participação de agentes públicos do município de Estrela de Alagoas, juntamente com supostos empresários, contadores e laranjas. 

O grupo, segundo a investigação da PF, teria fraudado dois procedimentos licitatórios, nos anos de 2013 e 2017, a fim de justificarem as contratações de três empresas inidôneas, que serviram apenas para emitirem notas fiscais frias visando acobertar os vultosos desvios de recursos públicos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, Programa Nacional do Transporte Escolar PNATE e Sistema Único de Saúde

Segundo as investigações, já foi comprovado que o grupo causou um prejuízo de quase R$ 20 milhões aos cofres do município.  Tais contratações fraudulentas perduraram de 2013 até 2015 e de 2017 até 2020. Os policiais federais identificaram que, entre 2013 e 2015, a empresa contratada, que existia apenas “no papel”, recebeu  R$ 12.951.213,73 dos cofres públicos de Estrela de Alagoas, sendo comprovado que aproximadamente R$ 10.000.000,00  foram sacados “na boca do caixa”, logo após o dinheiro sair dos cofres do município.

Por conta do segredo de justiça no processo, a Justiça não pode fornecer maiores detalhes sobre a investigação. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados