Filipe Valões
Filipe Valões

Receita "histórica" em Marechal Deodoro: Cacau, a faca e o queijo

Filipe Valões|

Se o título desta coluna de hoje lhe causa estranheza, calma. Leia até o final e vou te explicar o significado dessa metáfora com “faca” e “queijo”.

A população da histórica cidade de Marechal Deodoro acompanha um drama, há um bom tempo. A política no município, como em qualquer outro, tem seus lados. Mas o caso em questão é muito próprio, diferente dos demais. Nas eleições de 2016, Claudio Roberto Ayres, o Cacau, venceu o seu oponente direto, José Gilvan Filho, mais conhecido como Júnior Dâmaso. Mas essa disputa representa muito bem o quanto Marechal está dividida, desde então.

Júnior Dâmaso, na época filiado ao MDB, tinha o apoio do então prefeito, Cristiano Matheus, aliado do governador Renan Filho. Mas Renan também apoiava Cacau. Surge a primeira divisão nessa história toda, com um governador se vendo na difícil situação de escolher entre dois aliados. O resultado nas urnas revelou outra divisão, ainda maior: Cacau ganhou de Júnior por apenas 8 votos de diferença, um atestado do quanto a própria população deodorense esteve dividida naquele momento.

Nos quatros anos seguintes, entre 2016 e 2020, Cacau teve seu primeiro mandato com todas as condições favoráveis. A considerável máquina pública de um dos principais municípios de Alagoas nas mãos, de certa forma a prefeitura dos sonhos de qualquer político, seguiu imprimindo um ritmo acelerado de grandes obras, novas escolas, uma saúde padrão A, tendo também um deputado federal representando a cidade, seu sogro Sérgio Toledo, a providencial filiação ao partido do governador Renan Filho e o bônus de ter o próprio irmão, Alexandre Ayres, ocupando secretaria de Estado.

Ainda assim, em 2020, quando partiu para a reeleição, ficou evidenciado que a gestão de Cacau não conseguiu desfazer a divisão em Marechal Deodoro. Nas urnas, enfrentou novamente Júnior Dâmaso, venceu, porém com uma diferença de votos que falou muito: ganhou por 21 votos.

Como explicar que, depois de 4 anos de inegáveis serviços prestados à população, Cacau tenha obtido 50,04% dos votos contra os 49,96% de Júnior, que não ocupou nenhum cargo político no mesmo período de 2016 a 2020?

A resposta, de acordo com os observadores e comentaristas da política alagoana, possivelmente esteja no que foi o ponto forte de Cacau: ele fez obras. Muitas. Ocupou seu tempo com elas e se tornou um gestor de obras. Mas… e o povo?

Sim, ele fez e realizou para o povo. Mas, se relacionou com os deodorenses? Manteve o Diálogo? Tornou acessível à população o contato com seu prefeito?

De toda forma, 2021 começou, o prefeito reeleito retomou os trabalhos e, agora às vésperas do fim do primeiro semestre de seu segundo mandato, uma pesquisa realizada no dia 25 de Junho pelo Instituto Data Sensus trouxe dados preocupantes para Cacau. A cidade continua dividida e desmotivada pela atual gestão.

Quando perguntados se aprovam ou desaprovam os seis primeiros meses da atuação de Cacau em 2021, os deodorenses apenas confirmaram o resultado das urnas em 2020:

50,5% - aprovam

41,1% - desaprovam

8,4% - não sabe, não opinou

Considerando a margem de erro da pesquisa, 4%, Cacau pode viver novamente o drama das últimas duas vitórias, mas em outra disputa. Sérgio Toledo e Alexandre Ayres vão encarar as urnas em 2022 e contam com a influência de Cacau.

A situação de Cacau, entretanto, é positiva. Ele recebeu mais um mandato das mãos do povo, continua bem cercado de aliados, portanto está com a faca e o queijo nas mãos. Nesse caso, basta saber dividir direito sua atenção, suas energias e não dividir ainda mais a população entre os que o apoiam e os que não estão do seu lado.

E, como o prefeito reeleito de Marechal já viu, obras não conquistam eleitores, é preciso algo mais para chegar ao coração do deodorense. Empatia, carinho, atenção, atitudes que criem laços humanizados, coisas nas quais Cristiano Matheus e Junior Dâmaso se consagraram campeões.

Cacau tem muitas virtudes, espero que uma delas seja ouvir conselhos. E, se considerar este válido, pode usar à vontade: 

"Prefeito Cacau, siga sua consciência e seu coração, ninguém tem dúvidas de que você sabe governar. Mas tenha cuidado com quem te cerca, pois alguns dentre eles acabaram te afastando do povo."

Não há dúvidas, Marechal Deodoro durante 2021 está se preparando para as eleições em 2022. Júnior Dâmaso quer ser Deputado Federal, Cristiano Matheus já se movimenta com o mesmo objetivo e os dois sabem, quem conquistar pelo menos 7 mil votos para uma vaga na Câmara Federal em Marechal Deodoro, já terá meio caminho andado para a vitória em 2024. O segredo aí está em unir, não em dividir.

Eita Marechal que surpreende!

SOBRE O AUTOR

Coluna sobre Política, Tecnologia

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados