Blog do Celio Gomes
Blog do Celio Gomes

Final do Campeonato Alagoano de Futebol expõe incompetência de clubes e federação

Blog do Celio Gomes|
Torcedores do CRB: sufoco pra entrar no Trapichão
Torcedores do CRB: sufoco pra entrar no Trapichão / Foto: Paula Góes

O Campeonato Alagoano de Futebol chegou ao fim marcado por tumulto e desorganização. Na noite desta quarta-feira o CRB conquistou o título após derrotar o ASA por 2 a 0 em Arapiraca. No primeiro jogo da decisão, quatro dias antes em Maceió, o Galo já havia superado o rival por 2 a 1. O campeão de 2022 festeja o triunfo com a torcida – fanática como qualquer torcida, de qualquer time, de qualquer tempo, de todo lugar. A festa, no entanto, não pode abafar os episódios lamentáveis de desrespeito a milhares de pessoas que pagaram ingresso para as partidas.

Nas duas datas, os organizadores do evento se mostraram à altura das melhores tradições da cartolagem alagoana. Isso inclui, naturalmente, a direção incompetente da federação estadual e os irresponsáveis dirigentes dos clubes. Como se sabe, em todo o Brasil essas patotas vandalizam o esporte desde os primórdios. São sócios de um desmantelo ético e gerencial.

Fui ao Trapichão no sábado ensolarado pra ver o primeiro duelo. Uma multidão de torcedores do CRB foi deslocada de um portão a outro e, depois de longa espera numa fila quilométrica, volta ao portão inicial. A menos de uma hora pra bola rolar, uma massa de gente se espremia entre os portões e barreiras de ferro armadas na calçada do estádio. Gritaria. Palavrões. Revolta.  

Ao passar pelo portão, vinha a revista feita por policiais militares. Casais eram separados de modo grosseiro para que homens e mulheres fossem revistados por PMs masculinos ou PMs femininas. Tudo no improviso, uma histeria inexplicável por parte de senhores fardados, um comportamento que só piorava as coisas. Bagunça generalizada. 

Para manter o mesmo “brilho” do jogo inicial, a disputa pelo campeonato acabou com mais de mil torcedores do ASA barrados no estádio de Arapiraca. Não viram um único lance da partida final. O CADAMINUTO divulgou vídeos com imagens e depoimentos de torcedores que – mesmo com ingresso na mão – foram avisados já com a bola em campo que a lotação “estava esgotada”. Fala sério!

A direção do ASA informou em nota que vai ressarcir os torcedores que ficaram no prejuízo. Beleza. É o mínimo a ser feito. E os responsáveis por essa presepada toda? Alguém vai prestar contas? Alguém será punido? As perguntas são retóricas – porque sabemos que nada vai acontecer. 

É um paradoxo e tanto: o futebol tem seu lado fascinante, mas a banda podre, eternamente no comando, é imbatível nos esquemas, na patifaria e no amadorismo que, muitas vezes, pode ser fatal.

SOBRE O AUTOR

Sou formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Tenho quase trinta anos de jornalismo. Comecei, com estágios e trabalhos temporários, a partir de 1990. Em 1991 entrei na TV Gazeta de Alagoas. Na empresa exerci os postos de editor, produtor, chefe de redação e diretor de jornalismo. Depois fui editor de política em O Jornal. Adiante, trabalhei como editor de política e editor-chefe no jornal Gazeta de Alagoas. Tive também uma passagem pela TV Pajuçara como editor de telejornais. Exerci ainda o cargo de coordenador editorial na Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Durante essa trajetória, nos diferentes veículos, escrevi reportagens e tive um blog com textos diários

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados