Raízes da África
Raízes da África

Em dia de resistência, uma das mais importantes lideranças negras cariocas vestiu a camisa do Instituto Raízes de Áfricas.

Raízes da África|

Texto de 2018 para rememorar o grande, Marcos Romão, que agora repousa no Orun.

Obrigada, Marcos!

Marcos Romão, uma das mais importantes lideranças negras cariocas, foi  sociólogo, radialista, ativista e responsável pela Rádio Mamaterra.

Em 1980, criou o SOS Racismo, na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro.

Foi o primeiro sociólogo negro brasileiro a entrar para um serviço público. Era concursado como sociólogo, na Fundação Leão XIII, base da Secretaria de Promoção Social, e de lá foi demitido em 1986 no governo de Moreira Franco. Sofreu perseguições.

Morou 21 anos fora do Brasil, na Alemanha e visionário  construiu tenazmente, a primeira rede de comunicações com olhar afro-indígena e feminino a partir da Europa.

Foi o representante do Brasil na Alemanha, na Conferência Brasileiros no Mundo promovida pelo Itamaraty, em 2009.

E no domingo 25/02,2018, numa banca de jornal na cidade de Niterói, Marcos Romão, vestindo a camisa do Instituto Raízes de Áfricas, comemorava a volta da edição impressão do Jornal do Brasil, que segundo ele: “O JB foi um jornal fundamental no combate ao racismo durante a ditadura militar e depois dela.”

Como a imagem fala mais do que mil palavras: obrigada Romão pela divulgação do ativismo do Instituto Raízes de Áfricas, nas terras de Palmares,

O ativismo preto, alagoano, continua em movimento.

Ubuntu!

SOBRE O AUTOR

Raizes da Africa

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados