Um servidor da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) é considerado foragido da polícia, após policiais militares cumprirem um mandado de prisão em sua residência por envolvimento em um esquema de corrupção ativa e passiva e de sonegação fiscal praticado por donos de granjas em Alagoas e Pernambuco. 

Os policiais não encontraram o servidor em sua residência, no município de Ibateguara, na manha desta quinta-feira (08). A operação ganhou o nome de Pirâmide Feudal devido a maneira como o esquema das organizações criminosas funcionavam. 

Leia mais: Pirâmide Feudal: donos de granjas são alvo de operação por sonegação fiscal e corrupção

De acordo com a Polícia, durante as investigações foi possível perceber que a atuação dos investigados se comparava como de uma pirâmide feudal.  

Donos das Granjas - eram igualados aos Reis, que enriqueciam através da sonegação fiscal, adulteração de documentos e venda de frangos inapropriados para consumo mediante corrupção de Agente Público; 

Donos das Avícolas - atuavam como o clero que em conjunto com a nobreza e os servos faziam de tudo para que suas compras chegassem em suas avícolas sem maiores problemas, sobretudo com as fiscalizações;

Lobistas e negociantes -  assemelhavam-se à nobreza, que faziam com que a organização criminosa funcionasse sonegando impostos, corrompendo pessoas, e sobretudo burlando as fiscalizações;

Segurança e Informantes -  e por fim, os envolvidos na parte de transporte e escolta  que seriam os servos que cooperavam para que a mercadoria chegasse a seu destino final.