Raíssa Aryadne de Andrade Lima  é nascida no interior de Alagoas, do município de São Miguel dos Campos,  estudante do último período de ciências econômicas na Universidade Federal de Alagoas , e, é hoje, uma  trainee 2021.

No universo de 22,5 mil inscritos , Raissa ficou entre os 19  [email protected] [email protected] no primeiro programa de trainee exclusivo para [email protected], protagonizado no Brasil, todinho pelo  Magazine Luiza, o Magalu.  

Raissa, que já está em treinamento em São Paulo, fala "O racismo sempre me afetou. Tenho 30 anos, mas, sou preta só há 7 anos, desde que assumi meu cabelo e passei a lidar e entender minha negritude. Durante todo esse processo, tive momentos de muita dor, solidão e dúvida. Hoje eu estou mais perto das minhas raízes , melhorei minha autoestima e consigo viver melhor comigo.

Participar, concorrer e ser selecionada em um processo de trainee do Magalu foi como uma  nova abolição, uma possibilidade concreta  da luta pela igualdade de oportunidades, derrubando muros do racismo estrutural que se vale da meritocracia para criar fossos abissais entre gentes e territórios.

No começo do processo eu não botava muita fé, mas quando cheguei na 5ª, lembro de comentar com “Mainha” que talvez eu tivesse alguma chance.  E olha eu aqui: . Prazer, Alagoas, sou Raissa, trainee Magalu!"

Sobre o protagonismo do Magalu, Marta Nunes, professora universitária, química e  ativista preta em terras gaúchas comenta : "A Dona Luiza Trajano e o Magazine Luiza tem feito mais pela diversidade étnico-racial entre seus colaboradores do que as universidades brasileiras, que produzem 76834102 teses (nunca lidas), todo o ano, sobre o assunto!"

Salve Raissa, a preta alagoana!