A  praça dos Palmares, no centro de Maceió,AL ( uma relíquia  abandonada da luta de [email protected], quilombolas) fica mergulhada numa semi-escuridão, quando a tardinha cisma de virar noite ,e mesmo  o ponto de ônibus abarrotada das gentes , (a pandemia acabou?) a sensação de insegurança é permanente.

É sexta-feira, quase 18 horas, e com pressa de logo chegar em casa chamo um carro de aplicativo da 99.

Depois de um tempo, sou avisada pelo celular  que o carro já está no local. Procuro o veículo pela placa e não encontro, daí resolvo perguntar ao motorista onde está.

Continuo a procurar, visualmente, e de repente, um homem,  põe a cabeça pra fora do carro e  me chama pelo nome.

Informa que o carro que chamei é aquele. Digo-lhe que a placa não confere e o homem alega que mudou a placa,  é nova. Informo que, como a placa  é diferente, não irei.O homem, já alterado,áspero  diz que eu cancele e chame outro  carro.Afirmo que é isso mesmo que farei.

A experiência estranhíssima me  ligou o alerta  e, ao relatar o caso ,  um motorista  da 99 falou que desconhece a possibilidade do profissional se cadastrar com uma placa, fazer mudança e não informar à empresa.  

É preciso ficar [email protected] e sempre conferir a placa,o nome e a foto do motorista,  antes de entrar no carro

Com a palavra a  empresa 99.