Foto: Ascom TJ
Desde sua criação, NPF faz mil reconhecimentos de paternidade por ano

Mais de 12 mil reconhecimentos de paternidade já foram feitos pelo Núcleo de Promoção da Filiação (NPF) do Judiciário de Alagoas, desde a sua criação em 2008. São cerca de mil reconhecimentos por ano, no órgão que é coordenado pela juíza Ana Florinda Dantas.

Tanto as mães como os filhos (mesmo adultos) que desejem oficializar a paternidade podem procurar o NPF, normalmente no Fórum da Capital, mas no momento, por conta do distanciamento social, pelos telefones 4009-3561 e 99381-4257 ou pelo e-mail [email protected]

Atualmente há mais de 1.600 processos em andamento no Núcleo. Além da procura da população, o órgão atua de forma proativa, pois é informado pelos cartórios de registro civil toda vez que uma criança é registrada apenas com o nome da mãe.

O NPF promove mutirões em presídios e Varas de Família da Capital para o reconhecimento espontâneo da paternidade. Também vai às escolas públicas, onde é feito um levantamento pela assistência social de quantas crianças são matriculadas sem constar o nome do genitor na documentação.

O Núcleo também é responsável por viabilizar adoções unilaterais, que é quando o marido, a esposa, o companheiro da mãe ou companheira do pai já estabeleceu vínculos afetivos com a criança, e deseja adotar. 

Há ainda as ações simbólicas realizadas pelo órgão, como a homenagem feita no último fim de semana, no Dia dos Pais, quando o NPF homenageou os pais que estavam na Maternidade Nossa Senhora de Fátima, em Maceió, dando assistência às mães, com entrega de brindes.

*com Ascom TJ