Raízes da África
Raízes da África

Idoso é acusado de furto, agredido, e sua esposa morre, ao tentar defendê-lo, ou, como funciona o racismo estrutural. Até em hospitais.

Arísia Barros|

Quem nos conta o fato é Odair Goulart do grupo Alô Gravataí:


"Na madrugada deste sábado  (18) , Everaldo da Silva Fonseca de 62 anos foi agredido fisicamente e verbalmente por funcionários do Hospital Dom João Becker, em Gravataí, no Rio Grande do Sul. Eles o acusaram de furto de celular de uma das técnicas de enfermagem. Durante a madrugada o idoso falou que foi muito humilhado, deram um soco em suas costas. Sua esposa, Maria Gonçalves Lopes, assistindo a cena, ficou agitada, gritou pedindo para não agredirem seu marido, teve uma parada cardíaca e veio a falecer.
"Ela tentou gritar para pedir ajuda, foi humilhada também, reviraram a cama, tiraram as fraldas dela para ver se não achavam o celular." Relata Everaldo.
Mandaram ele se retirar do hospital, ficou na rua, chorando, longe de sua esposa que estava tendo um ataque cardíaco. Após a humilhação, foi encontrado o celular em outra sala dos próprios funcionários do hospital. Devido a situação, foram pedir desculpas a ele, tentaram o agradar, mas isso não trará de volta sua companheira há 32 anos.
"Depois de tudo eles queriam me agradar, trouxeram maçã, pão e suco, como se isso fosse amenizar a humilhação que passei e a vida da minha esposa, estou destruído por dentro." Desabafa Everaldo.
A família compareceu nesta tarde ao hospital, foi registrado o Boletim de Ocorrência. Eles alegam que seu Everaldo possa ter sofrido racismo, já que sem provas, por ele ser o único negro naquele momento, o acusaram de furto.
Lamentável essa situação, acusar sem provas e agredir um senhor de idade, e depois da morte de sua esposa tentar pedir desculpa com fruta e um pão é algo muito desumano."


Fonte: https://www.facebook.com/alogravatai

SOBRE O AUTOR

Raizes da Africa

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados