Vanessa Alencar

Líder do governo amplia pedido de esclarecimentos à Braskem

Cristovão Santos/CM/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Moradores do Pinheiro, Mutange e Bebedouro realizam protesto

Depois de requerer que a diretoria da Braskem preste esclarecimentos, na Assembleia Legislativa, sobre a indenização a ser paga ao CSA - pela saída do clube do Estádio Gustavo Paiva, no Mutange - o deputado Sílvio Camelo (PV), líder do governo, apresentou um novo requerimento, ampliando o pedido de explicações.

No documento, protocolado na terça-feira (26), o parlamentar solicitou à Mesa Diretora da Casa que convide a diretoria da mineradora para prestar informações também sobre a transferência dos moradores dos bairros Mutange, Pinheiro, Bebedouro, Bom Parto e demais regiões atingidas pelas rachaduras e pelo afundamento do solo.

A sede do CSA faz parte dos 400 imóveis que serão evacuados no Mutange, conforme o plano apresentado pela Braskem na terça-feira passada, dia 19, durante uma reunião na Defensoria Pública do Estado. A mineradora anunciou que irá pagar aluguel social para os moradores e que os imóveis serão avaliados para as futuras indenizações por danos materiais e morais.

Líder do governo quer que diretoria da Braskem vá à Assembleia explicar indenização ao CSA

Foto: Vinícius Firmino/Ascom ALE/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Silvio Camelo

O deputado Sílvio Camelo (PV), líder do governo na Assembleia Legislativa, quer que a diretoria da Braskem vá ao plenário da Casa prestar informações aos parlamentares a respeito da indenização que será paga ao CSA pela saída do clube do Estádio Gustavo Paiva, no Mutange.

O requerimento solicitando que a Mesa Diretora faça o convite à diretoria da mineradora foi protocolado na ALE na manhã desta segunda-feira (25) e pode ser lido na sessão ordinária de amanhã, terça-feira.

Em entrevistas à imprensa na semana passada, o presidente do CSA, Rafael Tenório, disse que a mudança deve ocorrer até o dia 15 de dezembro deste ano e que o aluguel do Estádio Nelson Peixoto Feijó, novo espaço do Clube, será pago pela Braskem. A sede do CSA faz parte dos 400 imóveis que serão evacuados no Mutange.

O plano de evacuação foi apresentado na terça-feira passada, dia 19, durante uma reunião na Defensoria Pública do Estado. A mineradora anunciou que irá pagar aluguel social para os moradores e que os imóveis serão avaliados para as futuras indenizações por danos materiais e morais.

Cerca de 1.500 pessoas desses 400 imóveis terão as vidas modificadas com a realocação. Seria interessante que o líder do governo ampliasse o foco do convite para que a Braskem informe sobre o andamento das indenizações que devem ser pagas a todos os atingidos, em todos os bairros afetados na capital, não somente ao CSA.

Brasília: deputado alagoano é cotado para presidir CPI do Óleo

Carlos Ezequiel//Estadão/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Manchas de óleo em Alagoas

O deputado federal Isnaldo Bulhões, do MDB, é um dos nomes cotados nos bastidores para assumir a presidência da CPI do Óleo, que pode ser instaurada ainda este mês na Câmara dos Deputados. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (22), em reportagem do portal Congresso em Foco.

A Comissão que irá investigar a origem e os impactos das manchas de óleo que atingem o litoral nordestino foi proposta pelo deputado João Campos, do PSB de Pernambuco. De Alagoas, assinaram o requerimento para criação da CPI, os deputados Paulão (PT), Isnaldo Bulhões, JHC (PSB), Marx Beltrão (PSD), Nivaldo Albuquerque (PTB) e Sérgio Toledo (PL).

Em entrevista ao Congresso em Foco, Isnaldo Bulhões destacou que a CPI não deve virar embate entre direita e esquerda: “Tem que ser um trabalho isento para, por meio da política, levar uma solução para o problema”.

O parlamentar alagoano não negou as discussões envolvendo seu nome para comandar a Comissão, mas disse que isso só será confirmado após a instalação do colegiado - que contará com 34 titulares e 34 suplentes – e posterior votação.

 

“Pode ser besteira... Mas vou contar"

Ilustração/Internet Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

"O que faria você desistir de contar uma história para poucos ou mesmo para muitos?". Eis a pergunta que a psicóloga Tédima Soares Batista faz ao leitor logo no convite do lançamento do livro de sua autoria, "Pode ser besteira... Mas vou contar".

Comprovando que nada a fez desistir de contar essa história, o romance será lançado nesta sexta-feira, 22, às 18h, no Café São Braz, na Ponta Verde.

A obra conta a saga de uma família numerosa, composta por seis irmãos, que migra do interior para a capital, Maceió. As mudanças, ao longo dos anos, dos bairros Ponta Verde, Pajuçara e Ponta da Terra e fatos marcantes da sociedade local servem de pano de fundo para a história do clã.

Serviço:

Lançamento do livro  "Pode ser besteira... Mas vou contar"

Data: 22 de novembro (sexta-feira), às 18h

Local: Café São Braz (Ponta Verde)

 

Galba critica veto a PL que reconhece “paternidade” de leis estaduais

Vinícius Firmino/Ascom ALE Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Galba Novaes

O deputado Galba Novaes (MDB) criticou o veto total do governador Renan Filho (MDB) - publicado no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (19) - ao Projeto de Lei de autoria do parlamentar, que determina a inserção do número do PL e do nome do autor nas leis estaduais.

“Tenho uma proposta que cria o Estatuto da Pessoa com Câncer. Se for aprovado e a lei sancionada pelo governo, a sociedade não saberá quem foi o autor da lei... Tem várias leis que não conseguimos saber de quem foi. É uma dificuldade nos parlamentos em geral”, exemplificou Galba, pedindo aos colegas que o veto seja derrubado quando chegar à Casa.

Ele lembrou que, devido a um PL apresentado por ele quando foi vereador, o nome do autor consta em todas as legislações da capital.

Em aparte, Inácio Loiola (PDT) defendeu o projeto de Galba e disse que, a partir de agora, irá desfraldar a bandeira pela derrubada do veto: “Temos que mostrar quem é o pai”.

Na justificativa do veto, o governador destaca que a matéria afronta ao princípio da impessoalidade previsto na Constituição Federal e na Constituição do Alagoas.

Orçamento Impositivo: confira valores e beneficiários das primeiras emendas apresentadas na ALE

Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Plenário da Assembleia Legislativa (ALE)

Os deputados estaduais começaram a apresentar suas emendas impositivas ao Orçamento do Estado para 2020. Conforme a PEC do Orçamento Impositivo, promulgada em outubro deste ano pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor (Solidariedade), as emendas individuais à Lei Orçamentária Anual (LOA) serão aprovadas no limite de 1% da receita corrente líquida prevista no projeto encaminhado pelo Executivo, sendo metade deste percentual (50%) destinada a ações e serviços públicos de saúde.

Cada parlamentar pode direcionar cerca de R$ 2 milhões e 949 mil para municípios e instituições, que terão que prestar contas dos recursos públicos recebidos, lembrou o deputado Bruno Toledo (PROS), um dos autores da PEC. O Blog listou aqui algumas dessas emendas impositivas que foram protocoladas na quinta-feira passada, 14 de novembro.

Da sua cota, Toledo destinou R$ 1 milhão para o Hospital Sanatório; R$ 500 mil para a Prefeitura de Batalha; R$ 550 mil para o Hospital Veredas; R$ 500 mil para a APAE; R$ 300 mil para a FunBrasil e quase R$ 100 mil para o CREN (Centro de Recuperação Nutricional).

As emendas do deputado Léo Loureiro (Progressistas) beneficiam principalmente a APAE de vários municípios, entre eles Maceió, que receberá o montante de R$ 500 mil; Arapiraca e Maragogi (R$ 200 mil para cada) e Palmeira dos Índios (R$ 270 mil). Loureiro destinou também R$ 500 mil para o Hospital Veredas e R$ 300 mil para o Fundo Municipal de Saúde da Prefeitura de Maragogi.

Entre as emendas apresentadas por Galba Novaes (MDB), quase R$ 975 mil irão para a área de saúde do Instituto Irmã Suzana, cujo nome fantasia é Instituto Galba Novaes de Castro; R$ 700 mil para a Prefeitura de Anadia; R$ 500 mil para Prefeitura de Colônia Leopoldina, sendo R$ 300 mil específicos para a Secretaria Municipal de Saúde; e R$ 200 mil para Prefeitura de Campestre.

Davi Davino Filho (Progressistas) destinou R$ 1,5 milhão para o Hospital Veredas e R$ 500 mil para a APAE. Já Yvan Beltrão (PSD) direcionou R$ 1 milhão para o Hospital Sanatório; quase R$ 476 mil para a APAE; R$ 600 mil para a Prefeitura de Coruripe e quase R$ 135 mil para o Clube de Regatas Brasil (CRB).

O Hospital Veredas também será beneficiado com R$ 900 mil da cota de Marcelo Beltrão (MDB), que destinou ainda R$ 250 mil para a Prefeitura de Marechal Deodoro; R$ 500 mil para o CRB e R$ 800 mil para a Prefeitura de Penedo.

As emendas da deputada Fátima Canuto beneficiam principalmente o município de Pilar, onde o filho da parlamentar é prefeito. Serão R$ 1 milhão para Secretaria de Saúde de Pilar; R$ 400 mil para a Secretaria de Assistência Social e R$ 100 mil para a Secretaria de Educação. A Rede Feminina de Combate ao Câncer receberá R$ 160 mil.

Marcos Barbosa (Cidadania) destinou R$ 1 milhão para o CRB, clube do qual é presidente; R$ 300 mil (Prefeitura de União dos Palmares); R$ 200 mil (São Miguel dos Campos); R$ 300 mil (Rio Largo); R$ 200 mil (Matriz do Camaragibe); e R$ 200 mil (São Luiz do Quitunde).

Flávia Cavalcante (PRTB) mandará R$ 2 milhões para a Secretaria de Saúde de São Luís do Quitunde e quase R$ 850 mil para Secretaria de Educação do município

Entre as emendas já apresentadas por Cibele Moura (PSDB), foram destinados R$ 300 mil para a Polícia Militar de Alagoas; R$ 150 mil para a Secretaria de Estado do Trabalho e R$ 150 mil para a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia.

Já Tarcizo Freire (Progressitas) destinou a maior parte do montante para Arapiraca: R$ 1 milhão 474 mil para a Secretaria de Saúde; R$ 600 mil para o Fundo de Educação e R$574.500 para a própria Prefeitura de Arapiraca.

As emendas que já foram protocoladas estão disponíveis no site da ALE: https://www.al.al.leg.br/processo-legislativo/materias-legislativas

Deputado quer criar Dia do Combate à Intolerância Ideológica: trégua entre “mitos” e “isentões”

Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Cabo Bebeto

Seis de setembro foi a data escolhida pelo deputado estadual Cabo Bebeto (PSL) para comemorar o Dia Estadual do Combate à Intolerância Ideológica, conforme Projeto de Lei (PL) protocolado ontem e lido na sessão desta quinta-feira (14), na Assembleia Legislativa.

Na justificativa, o parlamentar destaca que "nos últimos anos, em razão do agravamento dos casos de corrupção, o País se polarizou entre ideologias, acabando por proliferar um discurso de ódio entre seus simpatizantes, sendo palco de constantes confrontos políticos e ideológicos".

Para o deputado, a polarização ganhou força durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016, e prossegue até hoje. Ele cita que o atrito "entre dois grandes grupos que divergem em suas reivindicações provocaram diversos atos de intolerância e continuam sendo praticados por ambas as partes".

Bebeto finaliza falando que o respeito à diversidade ideológica e política é essencial para o desenvolvimento do país.

A data - na qual, coincidentemente, é comemorado também o Dia do Sexo - até vale como reflexão, mas infelizmente não será capaz de promover sequer uma trégua entre os adoradores dos “mitos” e os mais novos alvos dos radicais: os “isentões”.  

Paulão diz que Bolsonaro está criando “Partidos dos Milicianos”

Foto: Agência Câmara/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Paulão

O deputado federal Paulão (PT) usou sua conta no Twitter nesta terça-feira (12) para ironizar a saída de Jair Bolsonaro do PSL. Segundo o parlamentar, o presidente está criando um novo partido, “o Partido dos Milicianos”.

Paulão também criticou o fato de Bolsonaro estar coletando assinaturas para criação do novo partido em grupos de WhatsApp. Para disputar o pleito municipal, a legenda precisa ser criada até março de 2020.

“Esse presidente é um hipócrita. Quer legalizar um novo partido através de redes sociais. Mas, é contrário ao voto eletrônico”, afirmou o deputado, encerrando a frase com a #BolsonaroEnvergonhaOBrasil.

Hoje à tarde, Bolsonaro anunciou oficialmente a saída do PSL. A ideia é fundar o partido Aliança Pelo Brasil.
 

 

MP apura envolvimento de torcedores em vandalismo e incitação à violência

Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Torcedores atiram ovos em ônibus

Por meio da 37ª Promotoria de Justiça da Capital, com atuação perante o Juizado do Torcedor, o Ministério Público Estadual instaurou Procedimento Preparatório de Inquérito Civil para identificar e apurar o envolvimento de torcedores do CRB - usando a camisa da torcida “Garra” - em atos de vandalismo e incitação à violência. A portaria foi publicada no Diário Oficial do MP desta segunda-feira (11).

No dia 6 deste mês, dois torcedores jogaram ovos no ônibus do CRB, na saída do Aeroporto Zumbi dos Palmares, revoltados com o fato de o time alagoano ter perdido por 5 a 1 a partida contra o Cuiabá, na Arena Pantanal. A cena foi filmada e o vídeo viralizou nas redes sociais.

A portaria destaca que o Estatuto do Torcedor “prevê que a torcida organizada que, em evento esportivo, promover tumulto; praticar ou incitar a violência; ou invadir local restrito aos competidores, árbitros, fiscais, dirigentes, organizadores ou jornalistas será impedida, assim como seus associados ou membros, de comparecer a eventos esportivos pelo prazo de até  três anos”.

O documento do MP também destaca a preocupação da Polícia Militar com o aumento da violência por parte da referida torcida no acesso ao Estádio Rei Pelé nos jogos do CRB.

Em Nota Oficial divulgada à imprensa após o episódio, a diretoria da Torcida Garra informou sobre a expulsão, do quadro de sócios, da dupla de torcedores flagrada atirando ovos contra o ônibus do Clube. 

 

 

JHC formaliza pedido de celeridade a PEC da segunda instância; votação pode ocorrer na segunda

Agência Câmara/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado JHC

O deputado federal JHC (PSB) formalizou nesta sexta-feira (8) um pedido ao presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), para dar celeridade à PEC 410, que trata da possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

Conforme a revista eletrônica Crusoé, Francischini já pautou para a próxima segunda-feira (11), a partir das 14h, a votação da proposta, de autoria do deputado Alex Manente (Cidadania-SP).

A relatora, deputada Caroline de Toni (PSL-SC), apresentou parecer favorável à admissibilidade da PEC. Se for confirmada a votação na segunda, é porque certamente o presidente da CCJ já conta com os votos necessários para aprovação da matéria.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 [email protected]
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 [email protected]