Comandante Paulo Amorim completa dois anos à frente da Polícia Militar nesta quarta (15)

15/05/2024 12:16 - Roberto Gonçalves
Por Redação com Agencia Alagoas
Image

Gestão tem como destaque valorização dos veteranos e excelentes índices operacionais

Fernanda Alves e Marília Morais / Ascom PM

 

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Amorim, completa nesta quarta-feira (15) dois anos no cargo. O Oficial Superior foi nomeado pelo governador Paulo Dantas na edição do Diário Oficial de 15 de maio de 2022 e desde então tem gerido a Corporação pautando as ações sobretudo na legalidade, aparelhamento operacional, valorização e capacitação da tropa.

 

Ao longo de dois anos de comando, Paulo Amorim esteve à frente das reuniões sobre a importante reestruturação institucional pela qual a Polícia Militar passou recentemente, através da efetivação da Nova Organização Básica da PM-AL, com a publicação do Decreto nº 93.446. O documento viabilizou a criação de novas unidades de policiamento, tanto na capital, quanto no interior.

 

 

“Estar a frente da Instituição é motivo de muito orgulho. São dois anos dedicados aos desafios de garantir a paz e tranquilidade em Alagoas. Agradeço ao governador Paulo Dantas e ao secretário Flávio Saraiva pela confiança depositada. Aos meus comandados, a gratidão pela abnegação e dedicação. Foram mais de 4 mil promoções militares, redução de índices e valorização do efetivo. Seguiremos firmes na missão de proteger o estado mais bonito da Federação”, disse o comandante. 

 

No âmbito operacional e administrativo, o DOB reorganizou quadros, setores, redistribuindo atribuição e inovando em diversos aspectos. Redesenhou abrangências, nomenclaturas e funções.

 

A reimplantação do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pela Polícia Militar representa mais do que um marco na Segurança Pública. Os resultados da metodologia foram contabilizados e publicados no Relatório Estatístico elaborado pela Subseção de Estatística e Ciência Aplicada da 2ª Seção do Estado-Maior Geral (EMG) da Corporação com base nos dados da Central de Atendimento e Despacho (CAD) da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

 


 

Campo operacional

E no campo operacional, atividade-fim e função constitucional da PM, a instituição também coleciona feitos. O relatório da Segurança Pública mais recente indicou o segundo abril menos violento da série histórica (desde quando o Governo divulga os dados oficialmente). Ainda segundo dados do Núcleo de Estatística e Análise Criminal da Secretaria Estadual da Segurança Pública (Neac/SSP), o primeiro quadrimestre de 2024 foi o melhor para a segurança pública desde 2012.

 

A PM tem participação direta na redução da criminalidade e no combate às ilicitudes. Atua nos 102 municípios, do Litoral ao Sertão, prevenindo, combatendo crimes das mais diversas naturezas, detendo suspeitos e apreendendo armas, drogas, munições e outros itens ilícitos. Um trabalho que sempre existiu, mas que ganhou novo foco e estratégias, foi o cuidado com a comunidade escolar, promovendo e reforçando a segurança das unidades de ensino.

 

Um exemplo recente foi a Operação Paz nas Escolas, desenvolvida pelo Comando de Policiamento Metropolitano e pelo Batalhão de Polícia Escolar (BPEsc). A operação reforçou a segurança de 104 escolas estaduais, 146 municipais e 266 particulares, das cidades de Maceió, Marechal Deodoro, Rio Largo, Pilar, Satuba, Coqueiro Seco, Santa Luzia do Norte, Paripueira e Barra de Santo Antônio.

 


 

Valorização e capacitação da tropa

Outra frente prioritária do atual Comando diz respeito às ações de valorização e capacitação da tropa, através das políticas de promoção de saúde mental, programas voltados à qualidade de vida e bem-estar, destravamento de promoções, direitos a policiais com familiares com necessidades especiais e valorização da figura do veterano.

 

No período de dois anos, a PM viabilizou a realização de 100 cursos, representando mais de 2.600 policiais militares capacitados ou em processo de capacitação nos cursos que se encontram em andamento.

 

Neste período, foram realizados tanto os chamados cursos obrigatórios, aqueles para ingresso ou para a ascensão na carreira militar, bem como os cursos de especialização, nas áreas de inteligência, trânsito, policiamento montado, direitos humanos, radiopatrulhamento, licitações e contratos e os mais exigentes como Curso de Operações Especiais (Coesp) e Curso Operacional de Rotam (COR), entre outros.

 

 

Comentários

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Carregando..