"Marginal e fora da lei": procurador-geral determina instauração de procedimento criminal contra empresário

Gabriela Flores|
Márcio Roberto Tenório de Albuquerque
Márcio Roberto Tenório de Albuquerque / Ascom MPAL

O procurador-geral de Justiça, Márcio Roberto de Albuquerque chamou de “marginal” o empresário responsável pela festa clandestina realizada neste final de semana no Francês e determinou que a promotoria de Marechal Deodoro instaure procedimento criminal para que as responsabilidades sejam apuradas.

Albuquerque disse que, para ele, “não se trata de um empresário, mais sim de um marginal, um fora da lei”, uma vez que realizou uma grande festa numa chácara no município de Marechal Deodoro, sem autorização de qualquer autoridade e ainda aglomerou centenas de pessoas, num espaço sem qualquer protocolo de defesa sanitária ou de distanciamento social. 

O procurador comentou ainda que vai pedir que seja apurada a responsabilidade de todos os que contribuíram para a realização do evento. 

A Prefeitura de Marechal Deodoro informou nesta tarde, que já identificou os realizadores da festa e está junto ao Ministério Público Estadual e a Polícia Militar tomando as devidas providências.

Uma reunião com a Força Tarefa de Combate à Covid-19 do MP foi agendada para esta semana para que avaliar as providências que serão tomadas contra os responsáveis.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados