Voney Malta
Voney Malta

A revolta no Twitter após Bolsonaro lamentar morte de Paulo Gustavo

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro / Foto: EVARISTO SA / AFP

Jair Bolsonaro lamentou a morte de Paulo Gustavo, mas tenho imensa dúvida sobre se o sentimento do presidente é verdadeiro.  

De qualquer forma, pelo menos Bolsonaro evitou repetir que temos que deixar de ser maricas, que é uma gripezinha, que não é coveiro e não negou a eficácia das vacianas.

E de repente, por conta da CPI no Senado, quem sabe o presidente começa a dar bom exemplo ao usar e a aconselhar os brasileiros a se protegem com máscara e a evitar aglomerações.

Seria outro Jair Bolsonaro, não é mesmo?

“Meus votos de pesar pelo passamento do ator e diretor Paulo Gustavo, que com seu talento e carisma conquistou o carinho de todo Brasil. Que Deus o receba com alegria e conforte o coração de seus familiares e amigos, bem como de todos aqueles vitimados nessa luta contra a Covid”, publicou ele.

E em sua rede social, milhares reagiram. "Você tinha como ter salvado ele e mais milhares de pessoas. Mas você preferiu rir da doença, negar as vacinas, debochar de quem perdeu pessoas pra doença, fazer pouco da dor de todo mundo", postou @lelIycosta.

"Teu projeto segue de vento em popa. É a tua 'imunidade de rebanho', é o seu tratamento precoce, que custa a vida de pessoas brilhantes como o Paulo. Lava tua boca pra falar dele, seu verme", disse @mariabopp.

"Primeiro vamos matar, depois lamentamos. Viva a cloroquina! Viva 70 milhões de doses de vacina rejeitadas, viva meu pai que não pude abraçar hoje e nem desejar feliz aniversário, graças a você! 400 mil mortes nas suas costas. O mundo inteiro já sabe disso e o futuro te espera!", afirmou @imcainesh.

Leia aqui outras reações no Twitter.

 

 

SOBRE O AUTOR

Blogueiro do Cadaminuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados