O Dia Mundial do Coração é comemorado nesta terça-feira (29). A data tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de cuidar da saúde cardiovascular e manter hábitos de vida saudáveis. De acordo com a  Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), doenças relacionadas ao coração são a principal causa de morte no mundo.

José da Silva Leitão, cardiologista do Hapvida Maceió, explica as causas das doenças cardiovasculares e faz um alerta: é preciso cuidar do coração mesmo em meio à pandemia da covid-19.

"Geralmente, elas estão associadas ao estilo de vida do indivíduo, como obesidade, sedentarismo, tabagismo e uso de anticoncepcional sem orientação médica.  Mas também podem estar atreladas a distúrbios genéticos ou ao histórico familiar do paciente, como trombofilias, vasculites e arritmias", afirma.

Recentemente, a Sociedade Brasileira de Cardiologia apresentou um dado preocupante: as mortes por patologias relacionadas ao coração aumentaram 49,9% durante a pandemia no Brasil. Em Nova York, por exemplo, mortes por infarto agudo do miocárdio subiram oito vezes durante esse mesmo período.

" A causa mais comum é o medo dos pacientes procurarem os serviços de urgência e emergência, mesmo com sintomas típicos, com receio de se contaminarem com o coronavírus. No entanto, os cuidados com a saúde não devem ser evitados", ressalta o médico.

CORONAVÍRUS E CARDIOPATIAS

Cada vez mais pesquisas têm apontado as consequências da covid-19 para a saúde cardiovascular. Conforme explica Leitão, o novo coronavírus é capaz de desencadear uma resposta inflamatória em vários órgãos do corpo e também pode afetar o coração.

"O vírus pode levar a insuficiência cardíaca, arritmias, infarto e AVC. Também é importante destacar que mais de 40% dos pacientes internados com coronavírus são cardiopatas", diz.

"É extremamente importante reforçar os cuidados com o vírus e também com a saúde do coração, mesmo em pacientes jovens. O Dia Mundial do Coração é uma data para lembrar que cuidar-se é um ato de amor", conclui Leitão.