Foto: Reprodução / Internet
Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, já criticou datas similares e negou racismo no Brasil

A Fundação Palmares não terá atividades de comemoração ao mês da Consciência Negra, em novembro. A informação é da coluna de Guilherme Amado, na revista Época. 

A instituição abriu somente um edital este ano, um prêmio de R$ 690 mil para cem iniciativas culturais afro-brasileiras.

A fundação diz que a premiação do edital vai acontecer em novembro e, assim, o mês não ficará completamente esquecido. 

O secretário Sérgio Camargo, responsável pela fundação, já criticou o Dia da Consciência Negra e afirmou que não há racismo no Brasil. A posição de não ter nenhuma programação específica para o mês da Consciência Negra, portanto, não é surpreendente.

Segundo a coluna, os dados foram disponibilizados após pedido via Lei de Acesso à Informação feito por Marivaldo Pereira, militante do movimento negro que foi candidato pelo PSOl ao Senado em 2018.