Equipe alvinegra vive expectativa de eleições para sua nova diretoria e planeja 2021, onde terá três competições

O time do ASA celebra nesta sexta-feira (25) seus 68 anos de fundação. Vem enfrentando dificuldades financeiras e sua direção tem trabalhado bastante para organizar o clube, que em 2021 terá Copa Alagoas, Campeonato Alagoano e Campeonato Brasileiro da Série D. Na noite de ontem, foi realizada uma assembleia para prestação de contas com Conselheiros e Sócios Patrimoniais. A equipe vivencia a expectativa da eleição, que vai escolher a diretoria para o biênio 2021/2022.

Com o estádio Coaracy da Mata Fonseca sendo modernizado, o objetivo é voltar a entusiasmar o torcedor. É o ASA Gigante, que enfrenta altos e baixos na sua história, mas que segue firme e como diz a letra do seu hino: Ide a avante, Lutai, Lutai.  Logo mais às 19h no canal oficial do ASA no Youtube, ASATVOficial, vai acontecer uma live comemorativa com o Grupo de Pagode Gingado, Julinho Porradão e Dona Flô.

Foram confeccionadas medalhas com 70mm de diâmetro, em alto-relevo e baixo-relevo, para homenagear os 68 anos do clube. As medalhas estão sendo comercializadas a R$ 68,00 e, segundo o vice-presidente de Marketing do ASA, a proposta é lançar a cada ano uma medalha comemorativa no aniversário do clube, que foi fundado em 25 de setembro de 1952.

Também já estão sendo vendidas as camisas comemorativas, na Loja do ASA, no Estádio Municipal Coaracy da Mata Fonseca, ao preço de R$ 70,00 à vista ou em até 10 vezes no cartão de crédito. Quem desejar mais informações, pode obter através do (82) 9.9609-1708, celular e whatsApp do sócio-torcedor com Lílian Rose.

Em termos de atividades, está sendo feito um trabalho na base com o técnico Riva, ex-jogador do clube. Já o ex-volante Jota, é o responsável por treinar o time feminino do ASA.

A História

No dia 25 de setembro de 1952, com o nome de Associação Sportiva de Arapiraca (ASA), surgia a equipe alvinegra da força empreendedora do Sr. Antônio Pereira Rocha, o primeiro presidente, contando com o apoio de vários desportistas da época.

Em 1953 conquistou seu primeiro título estadual, que só foi reconhecido na década de 90, através da luta empreendida pelo advogado José Pereira Neto, que contou com o apoio do jornalista Lauthenay Perdigão. O ato que colocou o ASA de Arapiraca na lista dos campeões alagoanos está exposto no Museu dos Esportes do Estádio Rei Pelé. Graças a esse primeiro título, o ASA também ficou conhecido como "O time que já nasceu campeão".

Além do título de 1953, o alvinegro também conquistou as competições estaduais de 2000, 2001, 2003, 2005, 2009 e 2011.

Conquistou também a Copa Alagipe em 2005 e a Copa Alagoas desta temporada 2020, que lhe garantiu vaga na série D em 2021.

Em 2013 foi vice-campeão da Copa do Nordeste. Em 2009 vice-campeão brasileiro da Série D e garantiu acesso a Série B, tendo disputado a segunda divisão nacional em 2010, 2011, 2012 e 2013, onde infelizmente amargou rebaixamento para a série C.

Outro feito histórico foi eliminar o Palmeiras em 2002 na Copa do Brasil, fato lembrado frequentemente. E não há como esquecer o acesso a série B em 2009, na famosa batalha do Acre, eliminando o Rio Branco em plena Arena da Floresta, em Rio Branco. 

Fatos históricos:

Na década de 60 o ASA ficou conhecido como “Fantasma das Alagoas” em razão das suas brilhantes excursões pelo Nordeste brasileiro, desbancando times da região.

Em 1973, Mané Garrincha jogou por quase noventa minutos com a camisa do ASA. Correu, driblou, mas não fez gol. O alvinegro venceu o CSA por 1x0.

Em 1977, a associação passou a ser AGREMIAÇÃO SPORTIVA ARAPIRAQUENSE, continuando a ser o mesmo ASA.