Ascom PM-SE
Cristyano Rondynelli

A defesa do sargento José Matias da Silva, suspeito de ter assassinado o soldado alagoano Cristyano Rondynelli, de 34 anos, disse que o tiro disparado foi acidental. O crime aconteceu no sábado passado, dia 19, em uma rodovia no município de Monte Alegre, em Sergipe. Ambos estavam dentro de um veículo

Por meio de nota, a defesa afirmou que os policiais eram amigos e que nunca houve discussão e desentendimento entre ambos, frisando que o tiro que matou o alagoano foi um acidente. 

Segundo a defesa, no retorno para casa o sargento Matias, embriagado, teve um surto. Os advogados alegaram ainda que o sargento é pai de família e sempre cumpriu com suas obrigações legais e lamenta o ocorrido com o soldado.

O sargento foi preso em flagrante, mas teve a liberdade provisória concedida pela Justiça de Sergipe na segunda-feira (20).

Cristiano Rondynelli ingressou na PM de Sergipe em 2015 e estava lotado no 7º Batalhão. Natural de Santana do Ipanema, ele deixou esposa e dois filhos.

Um inquérito foi instaurado para investigar o caso que está sendo coordenado pela Corregedoria da Polícia Militar.

*Com G1/SE