Por que Alagoas não tem uma delegacia de combate à corrupção? Esse foi o tema que norteou o debate no programa “Começando com o Pé Direito” desta segunda-feira, dia 10. O deputado estadual Cabo Bebeto e o delegado da Polícia Civil Fábio Costa trataram do assunto com o delegado e presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia Civil (Sindepol/AL), Rubens Martins.

O deputado Cabo Bebeto lembrou que no dia 12 de março propôs a indicação ao governo do Estado para a criação da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção. Em entrevista a uma rádio local, no dia 07 de julho, o governador Renan Filho chegou a anunciar que enviaria à Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) o projeto de lei, no entanto, até o momento não foi enviado, lembrou o parlamentar, reforçando que, se isso não acontecer até esta sexta-feira, dia 14, Alagoas deixará de receber um rateio de cerca de R$ 1.637.913,00.

“O problema não é a perda do repasse financeiro, mas a sensação de que o governo do estado não quer essa delegacia”, afirmou o deputado.

Rubens Martins comentou que a necessidade de delegacias especializadas é grande, já que os policiais que fazem parte de seu quadro são treinados para abordar tipos específicos de delitos. “O combate à corrupção urge ainda mais neste momento de pandemia, onde o dinheiro ‘corre solto’”, lembrou o sindicalista.

Fábio Costa destacou as barreiras e dificuldades para investigar crimes do “colarinho branco” em Alagoas e comentou a importância da especialização na área. “Quando não há esse tipo de delegacia, quem lucra com isso são os corruptos. Essa falta de estrutura beneficia algumas pessoas e, por isso, acho que não há interesse, já que haveria uma equipe totalmente voltada com foco para investigar esses crimes”.

“Os estados precisam entender a importância desse equipamento. Eu confio na polícia e é preciso deixar a polícia trabalhar”, comentou Cabo Bebeto. E destacou que, “se Alagoas ficar de fora, não é por falta de interesse da população ou da polícia, é por falta de interesse do governo” e falou que espera que Renan Filho “desperte, acorde e cumpra com sua palavra”.

“A direção da PC quer a delegacia de combate à corrupção, a ALE aprovou, o Ministério da Justiça quer, o Ministério Público do Estado se pronunciou a favor, os cidadãos também querem e o governo do estado parece ser o único a não querer”, lamentou o Cabo Bebeto.

Em Alagoas, atualmente há 144 delegacias e 90 delegados, ou seja, apenas 47% dos municípios estão com um delegado titular e ainda há aqueles que respondem por até sete cidades, explicou o presidente do Sindepol.

A segurança pública é uma pauta que atinge a todos, sejam ricos ou pobres, afirmou o sindicalista.

“Não sei a quem interessa que Alagoas não tenha uma delegacia de combate à corrupção”, disse Cabo Bebeto, afirmando ainda ter esperança de que o governador envie o PL à ALE até esta sexta-feira. Seguindo o mesmo pensamento, Fábio Costa também se disse otimista para que isso aconteça.

Acompanhe o programa “Começando com o pé direito” no canal do Cabo Bebeto, no YouTube, transmitido ao vivo, toda segunda-feira, às 20h.