Foto: Cortesia
Caso Bia: perfis que compartilharam fotos do corpo da vítima podem responder por crime virtual

Após a autuação Associação AME, que atende mulheres vítimas de qualquer tipo de violência em Alagoas, outros casos de estupros na cidade, com o mesmo modus operandi surgiram e o homem que é acusado de matar e estuprar a menina Ana Beatriz Rodrigues, também é o principal suspeito. Na manhã deste sábado (08), a advogada e responsável pela instituição Júlia Nunes, disse em sua rede social que uma outra vítima do acusado chegou a ser localizada. 

O Caso: População se revolta após corpo de menina com sinais de estupro ser encontrado; veja vídeo

"Na época do fato, essa mulher foi encontrada como se estivesse morta, ficou mais de trinta dias em um hospital em estado gravíssimo e não morreu por muito pouco. Talvez se ele tivesse sido preso pelo crime que cometeu contra essa mulher, hoje a Bia estivesse viva”, disse a advogada. 

Caso Bia: perfis que compartilharam fotos do corpo da vítima podem responder por crime virtual

Ainda segundo Júlia, outras mulheres também foram vítimas de violência sexual na região e devem ser ouvidas pelas autoridades e destacou que a instituição encontrou mais provas que façam com que o criminoso permaneça preso. “Estamos aqui reivindicando aos poderes que haja justiça. Iremos formalizar essas denúncias. As pessoas que ouvimos, ainda não foram ouvidas. O saco que a criança foi encontrada dentro, ele tinha outros pertences, ele tinha lata de bebida e provas que não foram recolhidas, e é por isso a nossa profunda tristeza”. 

Júlia finalizou comentando que saiu da cidade com o dever cumprido e que todas as forças serão empenhadas para que a justiça seja efetivada e que caso ele tenha cometido outros crimes, que seja punido. 

“O importante é a gente trabalhar para que ele não seja solto, quando chegamos não havia provas contundentes, que garantissem que foi ele. Estamos saindo daqui com a sensação de dever cumprido, pois hoje a gente sabe que existem inúmeras provas que ele é o culpado e quem tem outros crimes”. 

Sepultamento 

O corpo da criança foi sepultado, na manhã deste sábado, na cidade onde a vítima morava e onde ocorreu o fato. Populares contaram que o cortejo seguiu pela cidade até as ruas do cemitério da cidade, onde houve o momento do último adeus. 

*Sob supervisão da editoria