Ilustração

No ano em que manifestações contra o racismo eclodiram em várias partes do mundo, o diretório do PSOL Maceió inovou ao implantar uma cota racial de 30% do fundo eleitoral para candidatas e candidatos negros, a partir das eleições de novembro deste ano.

Segundo Geysson Santos, pré-candidato a um mandato coletivo, a proposta foi aprovada por unanimidade ontem (2), durante reunião, por videoconferência, entre pré-candidatos. Ele acrescentou que a demanda foi levantada por militantes negros integrantes da legenda e deve ser homologada pelo diretório municipal nos próximos dias.

Para os psolistas, a aprovação da cota racial de 30% coloca o partido na vanguarda na luta pelos avanços da pauta racial na política eleitoral do país, saindo na frente “na defesa de uma bandeira fundamental para a inserção social das negras e negras nos espaços e instituições políticas de Maceió”.

O pleito pela implantação de cotas raciais no processo eleitoral  não é recente, mas ganhou força esse ano no país, em meio ao caldeirão das crises política, econômica e de saúde pública, que irá desaguar em uma eleição inédita e histórica (para o bem ou para o mal).