Foto: Lucas Gottardi

Para nós, que moramos no Nordeste, não há um período determinado para dançar um bom forró. De janeiro a janeiro, é só marcar hora e lugar, que a galera já se anima para dançar juntinho o ritmo que exala alegria e aconchego, características bem nossas. Em Arapiraca, o arrasta-pé é garantido pelo grupo Forró do Cabrunco, que exalta a vertente tradicional, mas também faz bonito com os forrós modernos.

Os jovens arquitetos Tadeu Nascimento, Elias Querino, Kátryson Muniz, João Marcos Alves e Jader Petuba; e o farmacêutico Victor Lima compõem o sexteto que carrega uma história peculiar. Todos eles são graduados pela Universidade Federal de Alagoas de Arapiraca. Foi lá, nos corredores da universidade, que eles deram os primeiros passos para a formação do grupo.

“A banda surge a partir de dois momentos, entre 2013 e 2014. O primeiro, através de um projeto musical de alguns membros da banda, "Swing da Sexta". Nós levávamos os instrumentos, tocávamos e deixávamos aberto pra quem também quisesse tocar. O segundo, durante uma viagem de faculdade para Minas Gerais, em 2014. Levamos alguns instrumentos pra "fazer zuada" e o repertório de ida e volta foi o bom e velho forrozinho”, relembra o baixista Jader.

O que era um hobbie virou projeto musical. Apesar de alguns membros terem bandas de rock, na época, foi o forró que se impôs, naturalmente, à medida que os convites para tocar foram surgindo. “Tinha uma aceitação positiva, éramos (mais) jovens com uma pegada descontraída, tocando músicas consideradas velhas, mas que todo mundo conhecia e curtia”, avalia o músico.

Eles são antenados com as músicas modernas, porém a valorização da cultura nordestina está no DNA da banda. “O forró tradicional é onde o Forró do Cabrunco se encontra. É o ponto em comum dos seis da banda. É o que nos uniu e é o que nos faz continuar. Sentimo-nos orgulhosos em vestir essa camisa e poder contribuir um pouco pra que a cultura nordestina permaneça viva”.

 

Agenda cheia

Nos últimos dois anos, o Forró do Cabrunco virou preferência do público – e não só em Arapiraca, mas também em outras cidades do interior de Alagoas. Este ano, foram 12 shows somente em junho, entre eles, o Aravantu. Para dar conta do recado, os meninos ajustam as rotinas – eles têm ainda uma “vida normal” e os shows.

“Os meses de junho dos últimos anos realmente têm sido bem intensos. Em nenhuma outra época, somos tão solicitados. Sabendo disso, já entramos nessa fase preparados pra dedicar mais tempo e sacrificar algumas coisas pra manter o compromisso que esse mês pede. Nossa prioridade, em junho, torna-se,  de fato, o Forró do Cabrunco”, afirma Petuba.

A banda tem recebido o apoio de amigos e de algumas empresas, como do professor Rafael Rust, do jornalista e artista Breno Airan, dos músicos Janu Leite e Andrey Felipe, além da CCTS Arapiraca, e da Cerveja Delacruz.

Vem novidade aí

Para 2019, a banda Forró do Cabrunco deve lançar o seu primeiro clipe, com música autoral e inédita e direção do cineasta Tarcísio Ferreira. “Ainda não temos uma data específica para o lançamento. Será em breve e estamos preparando tudo para que seja um dia de comemoração e muito forró”, garantiu o baixista. A gente já está na expectativa.

Quer acompanhar a banda e ficar por dentro da agenda dos shows? Segue na rede social: https://www.instagram.com/forrodocabrunco/