A guerrilha colombiana das Farc anunciou nesta quarta-feira que libertará de maneira unilateral cinco reféns, dois políticos, dois militares e um policial, em uma data ainda por definir, segundo um comunicado de seu comando central publicado no site Anncol.

"A decisão está tomada e a data dependerá das garantias que o governo der para que a (ex) senadora (Piedad) Córdoba possa receber aqueles que serão libertados", indicaram as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

A libertação do major da polícia Guillermo Solórzano, do cabo do Exército Salín Sanmiguel, o fuzileiro Henry López Martínez, e dos vereadores Marcos Vaquero e Armando Acuña, foi anunciada pelas Farc como um gesto de apoio à destituída senadora Piedad Córdoba.

Córdoba foi destituída por decisão da Promotoria colombiana, que achar que ela extrapolou suas funções em seu papel de mediadora ante as Farc.

PIEDAD CÓRDOBA

Durante os últimos três anos, Córdoba, do Partido Liberal, tentou mediar com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) a libertação de reféns da guerrilha.

A Procuradoria considerou que a senadora passou informações à guerrilha e extrapolou suas funções quando participou da mediação.

Córdoba, que perdeu seus direitos políticos por um período de 18 anos, será substituída pelo senador liberal Lidio Arturo García, disse uma fonte do Congresso.

Córdoba facilitou, a partir de 2008, a libertação de 14 reféns das Farc, alguns com a ajuda do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

Segundo a Procuradoria, Córdoba "aconselhou o grupo subversivo sobre o envio de vídeos de reféns e sobre a entrega de provas de vida dos reféns a governos estrangeiros".

Córdoba, que ainda pode apelar ao Conselho de Estado, já disse que levará seu caso à Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

Há duas semanas, um grupo de ex-reféns das Farc pediu a revisão do caso Córdoba, ao destacar "seu trabalho humanitário e seu firme compromisso em busca da liberdade dos ex-reféns e dos que permanecem sequestrados na selva colombiana".

Entre os ex-reféns que pediram por Córdoba estão os ex-congressistas Luis Eladio Pérez, Jorge Géchem, Consuelo González e Orlando Beltrán, o ex-governador Alan Jara e o ex-deputado estadual Sigifredo López.