Funcionários da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social se reuniram nesta quarta-feira (1º) com a família do mineiro que está entre as vítimas de uma chacina no México. A equipe esteve em Sardoá, no leste de Minas, para preparar a documentação para o translado do corpo de Juliard Aires Fernandes, de 20 anos .

A família de um segundo mineiro, que está desaparecido, também foi visitada. Segundo o Itamaraty, o documento dele foi localizado no local da chacina, mas o corpo não foi reconhecido. Juliard e Ermínio Cardoso do Santos, de 24, tentavam entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Eles partiram de Sardoá no dia 3 de agosto em direção aos EUA para tentar uma vida melhor.

A equipe da secretaria esteve na prefeitura da cidade para saber mais informações sobre os jovens e também se encontrou com uma prima de Juliard . Os representantes da secretaria estiveram ainda na casa do pai de Ermínio Cardoso do Santos, na zona rural do município. O órgão vai enviar um formulário para pedir a certidão de óbito de Ermínio, caso seja confirmada a morte dele. Ele pode estar entre as 72 pessoas mortas após se recusarem a trabalhar para o trafico.

A embaixada do México no Brasil divulgou a informação de que governo mexicano pagaria os custos do translado dos corpos. Segundo a prima de Juliard, nenhum representante fez contato com a família.