Coluna Labafero

Deputado Arthur Lira diz que não há votos para aprovar a previdência

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Arthur Lira

O líder do Partido Progressista (PP) na Câmara, Arthur Lira, disse em entrevista à Rádio Eldorado que não há votos para aprovar a previdência.

“Não adianta levar a pauta na marra ao plenário de 513 deputados que ninguém controla. Falar em rapidez quando não se tem voto é arriscado”, disse Arthur. Ainda segundo ele, hoje, não se tem os 308 para aprovar a reforma.

Ainda de acordo com o líder do PP, “quanto mais se discutir e buscar por uma reforma minimamente consensuada, maior a chance de ter os 308 votos necessários”.

Radialista atribui demissões na Gazeta a manobras de Collor

Foto: DM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Fernando Collor

Em um áudio que viralizou nos grupos de whatssap, o radialista Batista Filho atribui as demissões ocorridas na rádio Gazeta e Jornal Gazeta de Alagoas a manobras realizadas pelo senador Fernando Collor, um dos maiores acionistas da Organização Arnon de Melo. 

Batista foi desligado a rádio gazeta, juntamente com 15 profissionais que passaram anos realizando a programação da Gazeta AM. Além dos 15, houve também a demissão de mais de 30 profissionais do Jornal. 

"Você já disse tudo meu irmão. Foi exatamente isso!Uma ação do Fernando Collor de Melo, mais uma!", diz em um trecho da gravação.

No twitter, Paulão chama de "aberração jurídica" proposta de Sérgio Moro

Foto: Assessoria/CDHM/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputado Paulão

O Projeto de Lei proposto por Sérgio Moro vem recebendo crítica de diversos setores ligados ao Movimento Negro Brasileiro. Através do seu twitter, o deputado federal Paulão também criticou a medida e a intitulou de "aberração jurídica".

A proposta do ministro da Justiça é que policiais que venham a cometer homicídio não deverão ser punidos nos casos em que a execução tenha ocorrido em decorrência de “escusável medo, surpresa ou violenta emoção”.

E Paulão completou: "O projeto do Moro é legalização do genocídio contra a população jovem, negra e pobre".

"Não há o que ser comemorado", diz Renan sobre o Dia do Trabalhador

Foto: Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Calheiros

Nas redes sociais, o senador Renan Calheiros gravou um vídeo afirmando que no dia do trabalhador não há o que ser comemorado. O senador criticou o desemprego e a medida do governo em congelar o salário mínimo.

“A fórmula atual, com crescimento real do mínimo pela variação do PIB, foi criada quando presidi o Congresso Nacional e foi responsável pela redução dos índices de pobreza”, disse Renan.

Para ele, é preciso enfrentar batalhas para criar empregos e proporcionar melhorias reais na vida dos trabalhadores.

"É o fim!", lamenta ex-superintendente do MT/AL sobre mudança no pagamento do PIS

Foto: Arquivo / Cada Minuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Israel Lessa

O ex-superintendente do Ministério do Trabalho em Alagoas (MT/AL), Israel Lessa, divulgou, em sua rede social, um vídeo lamentando a retirada do abono salarial de mais de 20 milhões de trabalhadores brasileiros, com a Reforma da Previdência.

O ex-superintendente também alerta para o fato de que atualmente recebem o abono os trabalhadores que ganham até dois salários mínimos, beneficiando mais de 24 milhões de trabalhadores. No entanto, com a reforma, o benefício será pago somente a quem recebe até um salário mínimo.

No vídeo, Lessa afirma que milhares de trabalhadores alagoanos serão prejudicados. Ele explica que na exposição de motivos da reforma conta a retirada de “grande parte desse direito” e que mais de 95% dos trabalhadores que recebem o abono salarial, conhecido como PIS/PASEP.

Israel Lessa conclui afirmado que vários setores da atividade econômica serão prejudicados e questiona: “será que é tirando os poucos direitos dos trabalhadores mais simples que iremos resolver os problemas financeiros do nosso país?”.

Na legenda da postagem, Lessa escreveu: É o fim!

Veja o vídeo:

 

Revista Veja: Marx Beltrão questiona e governo nega privatização do BNB

Reprodução/Internet Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true BNB

A Coluna Radar da Revista Veja publicou nesta terça-feira (30) nota sobre resposta do Ministério da Economia ao requerimento do deputado federal Marx Beltrão (PSD), com questionamentos sobre a suposta idéia de privatização do Banco do Nordeste do Brasil (BNB). 

O gabinete do parlamentar recebeu resposta ao documento protocolado no começo de março dirigido ao ministro Paulo Guedes, da Economia, em busca de informações sobre o possível processo de venda da instituição.

Na resposta, o Ministério da Economia nega que haja, ao menos no momento, planos para privatizar o BNB. “Não há no momento estudo ou nota técnica que suporte uma decisão de privatização do BNB. Qualquer decisão só será tomada após a prévia realização de estudos e de avaliação da política pública desempenhada pela estatal”, afirma o ofício de resposta ao requerimento de Marx Beltrão, assinado por Fernando Antonio Ribeiro Soares, Secretário de Governança das Estatais do Ministério.

A Coluna Radar da Revista Veja relembra que “o parlamentar nordestino questionou a pasta oficialmente sobre a possível desestatização do banco de fomento. Beltrão enviou requerimento em busca de explicações após circular nos bastidores do governo que o BNB seria privatizado ou extinto”. 

Em missão da Comissão de Turismo da Câmara em Portugal, Marx disse que “a resposta é tranqüilizadora, mas não parece conclusiva. Portanto, todos nós que defendemos o BNB e seu papel social precisamos ficar atentos e não permitir a venda desta instituição de fomento ao Nordeste.

A nota da Coluna Radar está no link https://veja.abril.com.br/blog/radar/ministerio-da-economi-nega-privatizacao-do-bnb/ .

Em vídeo, Rodrigo Cunha diz que está cobrando entrega de laudo da CPRM

Foto: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Senador Rodrigo Cunha

O senador alagoano Rodrigo Cunha gravou um vídeo nesta terça-feira (30) afirmando que está cobrando dos diretores para que o laudo sobre as rachaduras nos bairros de Bebedouro, Mutange e Pinheiro seja entregue hoje.

Segundo Rodrigo na tarde dessa segunda-feira (29), ele entrou em contato com a direção da CPRM e foi informado que o relatório seria entregue aos ministérios nesta terça.

“Estamos aguardando para os próximos passos. Estou cumprindo meu papel e exigindo o respeito que vocês merecem”, afirmou Rodrigo.

 

Renan Filho se posiciona após fala de Bolsonaro: "respeito à nossa gente e as nossas mulheres"

Foto: Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Renan Filho

Após o presidente Jair Bolsonaro ter usado a frase polêmica de que quem quisesse fazer sexo com uma mulher ficasse “à vontade”, alguns estados lançaram campanhas contra o Turismo Sexual, entre eles, Alagoas.

O governador Renan Filho se posicionou na sua conta no Twitter afirmando que “Alagoas tem lugares incríveis para se visitar” e que o estado está preparado e de braços abertos para receber bem o turista, de um jeito prestativo e com o sorriso no rosto.

Esse é o Turismo que queremos. Turismo sexual, não! Respeito à nossa gente, a nossas mulheres, esse é nosso princípio condutor”, afirmou o governador.

"Não há guerra entre a Polícia Civil e Militar", diz vice-presidente do Conseg

Ascom MPE Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Subprocurador geral do MPE, Márcio Roberto

O vice-presidente em exercício do Conselho Estadual de Segurança (Conseg), promotor Márcio Roberto Tenório disse que só quem trata como “guerra” entre a Polícia Civil e a Militar é o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), Ricardo Nazário.

Segundo ele, os sindicatos e os comandos não entendem que essa “guerra’ ocorra, mas que foram registrados alguns fatos pontuais.

“Para o próprio Conseg não existe guerra, mas sim problemas pontuais que podem ser enfrentados o mais rápido possível. Por isso reunimos todos para que discutíssemos e buscássemos soluções sobre esses casos”, afirmou o vice-presidente.

"Advogado-estrela" dos políticos assume defesa de Collor

Reprodução/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Advogado Kakay

O famoso advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, responsável por defender 17 envolvidos na Operação Lava Jato, assume a defesa técnica do senador licenciado Fernando Collor (PROS).

O anúncio, que parece ter sido escrito pelo próprio Kakay, foi feito nas redes sociais oficiais de Collor, nesta sexta-feira (26):

“KAKAY ASSUME DEFESA TÉCNICA DE COLLOR - Em relação às notícias veiculadas hoje sobre as Alegações Finais apresentadas pelo Ministério Público Federal, na Ação Penal 1025 do STF, informo que meu escritório assumiu nesta data a Defesa Técnica do ex-presidente Fernando Collor”.

Entre os clientes ou ex-clientes ilustres de Kakay em Brasília, estão José Dirceu, o ex-prefeito Paulo Maluf, os ex-senadores Romero Jucá e Aécio Neves e outros políticos famosos enrolados com a justiça.

Ontem, em alegações finais, fase que antecede o julgamento do mérito de uma ação, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, requereu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a aplicação das penas de prisão e de perda de mandato de Collor pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, pelo recebimento de quase R$ 60 milhões em propinas, pagas entre 2010 e 2014, a uma organização criminosa que atuava nas diretorias da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras.

 

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com