Coluna Labafero

Unidos por Maceió: JHC, Marx e Tereza Nelma causam “preocupação” nos bastidores da política

Cortesia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true JHC, Tereza Nelma e Marx

Não é novidade para ninguém, que desde que começaram os problemas no Bairro do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, o Deputado Federal JHC(PSB/AL), dentro de suas competências legislativas, tem se notabilizado como a voz amiga daqueles residentes, inclusive em colaboração com o SOS Pinheiro em ações e tomadas de providências.

Agora, JHC foi mais longe, percebendo uma morosidade nas ações, a pouca eficiência e mobilização de alguns setores e órgãos de governo, o deputado, de mãos dadas com outros parlamentares, inclusive de Alagoas, criou a Comissão Externa do Pinheiro, para ter ainda mais força e respaldo no sentido de cobrar medidas e soluções para o problema que hoje já afetada direta e indiretamente todo o município de Maceió.

Em Alagoas, a comissão externa uniu Marx Beltrão, Tereza Nelma e JHC, essa união, ao que parece, vai render, tanto em Brasília como em Maceió, e, diga-se de passagem, já é tema da ciumeira e preocupação de corredores nos gabinetes por aí afora.

Assim, a comissão externa do Pinheiro, além de dar uma chacoalhada no comodismo da empresa responsável que caminhava para o relaxamento e esquecimento dos fatos geradores dos afundamentos de solo e que não aponta nenhuma resposta real para a celeuma que aflige a população, também movimentará a política da capital.

Cid Gomes ataca Arthur Lira, que denunciará senador ao Conselho de Ética

Fotomontagem: CN7 Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Cid Gomes e Arthur Lira

O senador Cid Gomes (PDT-CE) e o deputado federal alagoano Arthur Lira (PP) trocaram farpas nesta quinta-feira (4), por meio de entrevistas concedidas ao Estadão. Primeiro a falar com o veículo de comunicação, Gomes disse que Lira seria um futuro Eduardo Cunha (ex-deputado federal cassado e preso na Lava Jato) e afirmou: “Esses caras a gente tem de matar ou denunciar no começo, antes de virar presidente da Câmara”.

Gomes prosseguiu chamando Lira de “achacador” que cobra propina no debate da proposta que definiu critérios para distribuição do dinheiro do megaleilão do petróleo, marcado para novembro.

Classificando o senador de irresponsável e ignorante, Lira disse que entrará na Justiça e no Conselho de Ética contra Gomes. “Todos os líderes vão entrar com processo contra ele. Foram levianas (as declarações). Aqui, a gente conversa, dialoga, coisa que ele não é acostumado a fazer no Ceará há muito tempo... Brasília não é o quartel do Ceará que eles comandam a mão de ferro há 20 anos”.

A briga é motivada pela falta de consenso entre o Senado e a Câmara na divisão dos recursos – cerca de R$ 100 bilhões - provenientes da venda de petróleo. A discussão emperrou nas porcentagens destinadas a estados e municípios.

 
 

Heloisa Helena: Não sou parte da farsa da polarização entre Lulistas e Bolsonaristas

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A ex-senadora Heloisa Helena foi a entrevistada desta semana do Programa Cadaminuto e atacou o que ela classificou de “farsa da polarização entre Lulistas e Bolsonaristas” e espera que na próxima eleição, várias alternativas se apresentem para o eleitor, “Sejam de esquerda, de Centro, Cristão, Ateu, Mulçumanos, Evangélicos e de diferentes correntes políticas para dar vazão a diversidade que forma a população brasileira ”

Heloisa disse que “podem meter o cacete nela”, mas ela está convencida da culpa de Lula nas acusações de corrupção, disse ainda que o PT não é um partido de esquerda e que o discurso de Bolsonaro na ONU aproximando o Brasil do socialismo foi “ridículo”, demonstrando uma pessoa que tem “insuficiência na capacidade de análise”

O programa Cadaminuto com Heloisa Helena com a entrevista completa deve ir ao ar na próxima semana, na página do Cadaminuto e no canal do CadaminutoTV no Youtube, onde estão presentes todos os os outros programas já exibidos.


 

Direito de resposta: vereador Orlando Ferraz se pronuncia sobre matéria da Coluna Labafero

Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true O vereador de Mata Grande, Orlando Ferraz.

Em resposta a matéria postada por esta coluna, o vereador de Mata Grande, Orlando Ferraz, encaminhou nota, nesta quinta-feira (3), se posicionando a respeito. 

Leia resposta na íntegra:

" Venho, por meio desta, esclarecer e responder (Principio constitucional da ampla defesa e do contraditório) à reportagem do site cada minuto do dia 02 de outubro de 2019, a qual relata: “Orlando Ferraz, vereador por Mata Grande, desafia e critica decisões do STF, MPF e MPE”.

Em nenhum momento, o vereador Orlando Ferraz está a desafiar STF, MPF e MPE. Todavia, o exercício parlamentar de legislar é um direito resguardado na constituição federal como função do vereador atuar de forma independente.

Dentro dessa autonomia, da sua formação em Direito e sensibilidade aos anseios da população Matagrandense, construiu, em parceria com a força sindical, o projeto de Lei nº 12 de 30 de setembro de 2019 garantindo o direito dos professores ao rateio dos 60 % dos precatórios do FUNDEF.

Independente de ser oposição ou situação, o vereador, na condição de empregado do povo, deve se posicionar a beneficio do povo e não pautado em interesses individuais. Por isso, entendendo como sendo direito dos professores, formulou e protocolou o novo projeto o qual já deveria ter sido apresentado, realizado sua leitura e encaminhado para às devidas comissões, as quais, emitirão pareceres informando se o projeto está ou não dentro da legalidade podendo prosseguir ou não.

Causa grande estranheza tanta resistência e ataques políticos após o vereador Orlando Ferraz se posicionar a favor dos professores, quem estará tanto incomodado com esse projeto? O prefeito? Alguns vereadores?.

Realmente, esse assunto ainda “renderá muito pano para as mangas”. Portanto, toda população Matagrandense deve comparecer as sessões na Câmara Municipal para fiscalizar a atuação de alguns que se dizem “representantes do povo” para verificar se estão honrando o mandato conferido pela soberania popular.

Vale salientar que, além do projeto nº12 ainda não ter seguido seu tramite normal, legal e regimental, o requerimento do vereador Orlando Ferraz solicitando uma audiência pública para tratar do assunto precatórios com a presença de toda a sociedade Matagrandense, o sindicato, o MPF, MPE e com o prefeito, ainda não foi atendido apesar de diversos apelos.

Nada mais havendo a constar no momento, encerro renovando todos meus votos de elevada estima aos demais parlamentares, ao tempo em que peço a colaboração dos mesmos em nos posicionarmos a favor do povo, da classe dos educadores. 

 

Mata Grande/AL, 03 de Outubro de 2019.

 

 

 

 

 

 

“Ele não vai ganhar luz nas minhas costas, diz Arthur Lira sobre Cid Gomes

Agência Câmara/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Arthur Lira

O deputado federal alagoano, Arthur Lira (PP) acionou o Conselho de Ética do Senado depois que o pedetista Cid Gomes, senador cearense, acusou o alagoano de manipular o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Lira ainda reforçou que “Brasília não é o quartel do Ceará” e afirmou que o cearense estaria tentando obter vantagem no rateio dos recursos do megaleilão do petróleo.

O Centrão aqui na Câmara tem dado exemplos de nacionalismo, de federalismo, de pautas importantes que estamos votando, caso Cid prefira ele pode apontar qual foi o tema de achaque, afirmou Lira em entrevista ao Estadão.

O líder do Centrão, falou também que “todos os líderes vão entrar com processo contra ele e definiu as declarações de Cid como levianas.

Vereadores de Santana do Mundaú acusam colega de conspirar contra diretoria da UniVale, eleger a esposa e confiscar trator

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Segundo a publicação do BLOG A PALAVRA os vereadores Xameguinho e Alex Freire, de Santana do Mundaú, descobriram que há uma enorme falta de sintonia entre o discurso do colega, Ivan Ferreira e suas ações de paladino.


Os vereadores acusam o colega de sequestrar um veículo modelo trator e brigar com o presidente da UniVale a ponto de tirá-lo do cargo e eleger a esposa para a presidência numa grande manobra. A UniVale funciona numa meia-água localizada na região de Brenhas e meses depois desse episódio, abriu-se numa garagem a nova sede no centro da cidade - cujo prédio só vive fechado. 


De acordo com Alex Freire e Chameguinho que as denúncias chegadas até eles, que o vereador Ivan Ferreira sequestrou o trator zerado da Univale e passou a utilizar o quintal da casa de um amigo como garagem, deixando muitos associados a ver navios - serão levadas à Procuradoria Geral do município, bem como, ao plenário da Câmara Municipal de Santana do Mundaú.

Eles disseram ao blog que isso não é correto. Depõe contra quem se diz ser um político probo e que age em defesa do povo de Santana do Mundaú, onde na prática são atitudes de um espertalhão com ações inversas e bizarras que vão desde intimidações até manobras dentro da Univale para eleger pessoas que atendam seus caprichos. Ai daquele que contrariar o vereador Ivan Ferreira", afirmaram.

O blog tentou falar com o parlamentar que já foi candidato a prefeito de Santana do Mundaú mas não conseguiu até o fechamento dessa matéria, haja vista que o político mandão necessita explicar fatos que mancham a imagem do Poder Legislativo de Santana do Mundaú cujas denúncias serão levadas à Comissão de Justiça, Constituição e Ética da Casa.  

 

*por Ivan Nunes

 

 

Vereador Lobão quer instituir dia de luta do jornalista maceioense

Foto: Jonathas Lins Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Jornalistas de Alagoas durante a greve da categoria

O vereador Lobão (PR) apresentou à Câmara Municipal de Maceió um Projeto de Lei que institui o Dia de Luta do Jornalista maceioense, a ser celebrado no dia 25 de junho, anualmente.  De acordo com o projeto, a intenção é buscar proporcionar um reconhecimento ao trabalho do jornalismo no município.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), reconheceu o projeto como favorável para que possa continuar a tramitar no legislativo. “Reconhecemos como justa homenagem aos jornalistas do nosso Município, aqueles que estão sempre dispostos a transformar informações em notícias, que possui desenvoltura em narrar os fatos.”, diz um trecho da analise do projeto. 

Orlando Ferraz, vereador por Mata Grande, desafia e critica decisões do STF, MPF e MPE

Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true O vereador de Mata Grande, Orlando Ferraz.

​O vereador Orlando Ferraz, de Mata Grande, surpreendeu a todos na sessão ocorrida no último dia 30, ao apresentar um Projeto de Lei que praticamente “obriga” o prefeito do município a “desobedecer” as ordens do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Ministério Público Federal (MPF) na questão do rateio dos 60% dos recursos do FUNDEF entre os funcionários da Educação municipal.

No Projeto, o vereador chega ao extremo de “autorizar” o rateio, vetado no Art. 3º do TAC, além de “mandar” pagar os honorários advocatícios, matéria já negada pelo STF.

​Entende-se que, mesmo sendo de oposição ao Governo Municipal, o vereador Orlando pode ser analisado como “valente e corajoso” ao contestar as decisões do STF e do MPF, ou então um indivíduo sem esclarecimento nenhum que cometeu um ato que comprova o seu despreparo na elaboração de Projetos de Lei, visto que ousou desafiar e afrontar a Suprema Corte.

​Todos sabem que os prefeitos das cidades esperam a decisão do STF, do MPF, além do Ministério Público Estadual (MPE), respaldado pela assinatura do Dr. Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, que darão destino ao uso destes recursos.

Por enquanto, o rateio está suspenso e somente 40% do valor dos precatórios estão liberados para serem aplicados nas escolas. É isto que todos os prefeitos estão fazendo enquanto aguardam o final da história relacionada ao uso dos 60%.

​O que se viu em Mata Grande foi uma pretensão desmedida, sem cabimento e sem simetria. Certamente o vereador não tem a menor noção das proporções que a sua investida poderá provocar.

​Procurado pela redação, o prefeito Mandu deixou bem clara a sua posição: em nenhum momento se coloca contra os professores e/ou servidores que se sentem no direito de participar de um possível rateio; pelo contrário, acha que eles estão exercendo o pleno direito de cidadãos e cidadãs pertinentes à democracia ao lutarem junto aos seus Sindicatos pela causa. Porém, como gestor que tem responsabilidade e que não se deixa levar por devaneios, está cumprindo as determinações legais e aguarda as instruções de como deve proceder sem causar nenhum dano ao município, dentro da legalidade da situação.

​Quanto ao vereador, é aconselhável que reveja sua posição e pratique a oposição com responsabilidade. Afinal, cabe a ele fiscalizar os atos do prefeito e demais gestores municipais, porém sem ferir as ações legais por eles praticadas.

​O povo de Mata Grande, como das demais cidades alagoanas, aguarda o desfecho desta história que ainda vai dar muito pano para mangas.

Ministro de Bolsonaro fala sobre ponte entre Alagoas e Sergipe

Foto: Wikipedia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ministro Tarcísio Gomes de Freitas

O Ministro da Infraestrutura do governo Jair Bolsonaro, Tarcísio Gomes de Freitas, utilizou a sua conta no Twitter para falar de uma ponte entre Alagoas e Sergipe.

Comentando uma publicação do DNIT, o ministro reforçou que “a duplicação da BR-101 no Nordeste tem uma nova ponte pronta sobre o Rio São Francisco, mas que ainda não havia sido liberada por não possuir acesso”.

Tarcísio afirmou que o governo Jair Bolsonaro está resolvendo a situação através do DNIT.

 

“Psicopata confesso”, diz Renan Calheiros sobre Janot

Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Psicopata confesso e perseguidor. Foi assim que o senador Renan Calheiros (MDB) classificou o ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, em uma publicação no Twitter, na tarde desta segunda-feira (30).

Na postagem, ao divulgar uma reportagem informando que mais um inquérito sobre ele foi arquivado, Renan diz que o ex-PGR teria realizado uma perseguição inédita no mundo.

“Foram arquivadas 2/3 das falsas acusações contra mim. Não encontraram nenhuma prova em 12 anos de investigação”, detalhou o senador.

Arquivamento de inquérito

O inquérito contra Renan Calheiros foi arquivado pelo ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendendo ao pedido da Procuradoria Geral da República, no contexto da Operação Lava Jato.

Após o arquivamento, o senador permanece alvo de dez investigações relacionadas à operação, sendo oito inquéritos arquivados por falta de provas.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com