Fotografias expõem o drama dos atingidos pelo afundamento do solo em Maceió

Assessoria|
Foto: Assessoria

Selecionada pelo edital para exposições temporárias da DITEAL, “O chão da nossa casa” é o título da exposição fotográfica do coletivo Ruptura, que acompanha desde 2020 a tragédia do afundamento do solo em bairros de Maceió. A exposição, que é resultado do trabalho de dez fotógrafos/as, algumas moradoras e ex-moradoras da área afetada pelas rachaduras, compõe uma narrativa visual que mostra o drama dos moradores atingidos pela consequência da mineração de sal-gema em parte de Maceió, e que os prejuízos vão muito além do material. São quarenta fotos, algumas formando conjuntos, coloridas e em preto e branco, que oferecem aos seus expectadores uma leitura ampla, e não menos detalhada, dessa problemática avaliada como uma das maiores tragédias socioambientais urbanas do planeta. 

Além das imagens, a “Chão da nossa casa” também traz instalações montadas com peças das moradias destruídas pelas rachaduras, o que completa o conceito apresentado pelo coletivo Ruptura.

Segundo o fotógrafo Jorge Vieira, um dos curadores da mostra, “esta é uma expressiva oportunidade de se entender a extensão desse drama, e de se solidarizar com os atingidos diretos, além de compreender que é uma problemática que diz respeito a todos os moradores de Maceió”.

A exposição será aberta ao público dia 27 de janeiro, às 19h, na galeria do Complexo Cultura Teatro Deodoro, e fica em cartaz até 06 de março próximo.

Exposição fotográfica “O chão da nossa casa”

Complexo Cultural Teatro Deodoro

27 de janeiro, às 19h

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados