Corregedoria da PM vai investigar major que se recusou a fazer teste do bafômetro em blitz da Lei Seca

Redação|
Lei Seca
Lei Seca / Foto: Reprodução

A Polícia Militar de Alagoas informou nesta terça-feira (2) que a Corregedoria da entidade vai investigar a conduta do subcomandante do Batalhão de Polícia Rodoviário (BPRv), que se recusou a fazer o teste do bafômetro durante blitz da Lei Seca realizada no último fim de semana. 

Segundo a PM, o major Adriano Levy pode ser punido com advertência e até preso. O processo administrativo que investigará a conduta do militar tem prazo de 30 dias para ser concluído.

O militar foi abordado na blitz  da Lei Seca e se recusou a fazer o teste do bafômetro. Ele teve a Carteira de Habilitação apreendida, suspensa por um ano e foi multado em R$ 2.934,70.

O promotor de Justiça Magno Alexandre, membro do Conselho Estadual de Segurança de Alagoas, disse em entrevista a TV Gazeta, que o comportamento do militar  pode refletir na sua carreira. “Ele pode ingressar em um comportamento que venha a dificultar futuras promoções dentro da carreira ou até mesmo para ir para a reserva”, explicou.

Major Levy foi abordado em uma blitz que realizou mais de 300 abordagens e 350 teste de alcoolemia. Segundo informações policiais, ele estava voltando de uma festa, no município de Flexeiras.

A Policia Militar informou, em nota, que todas as providências necessários e exigidas ao caso serão tomadas. 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados