“Vamos fiscalizar ambulantes para coibir venda de bebidas alcoólicas a menores na Rua Fechada”, diz secretário

Raíssa França|
Tiago Prado
Tiago Prado / Foto: Secom Maceió

O entrevistado deste sábado (25) do Cada Minuto Entrevista é o secretário Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs), Thiago Prado, que falou sobre as ações para coibir o consumo de álcool na Rua Fechada, as principais denúncias que a pasta mais recebe e o reordenamento do Centro.

Confira a entrevista abaixo:

 1) A Semscs tem participado de ações para coibir o consumo de álcool por menores de idade na Rua Fechada. A secretaria tem alguma ação/medida prevista para minimizar essas situações?

 Estamos realizando operações constantemente, inclusive em parceria com o Juizado da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça, com o objetivo de coibir o uso de álcool e drogas por menores de 18 anos, tanto na região da Rua Fechada, na Ponta Verde, como nas praças do Skate, na Ponta Verde, Padre Cícero, no Vergel do Lago, bem como em outras localidades que estão sendo mapeadas para ações futuras.

 2) Com as atividades da Rua Fechada que serão estendidas aos sábados, haverá mais fiscalização? Como vocês planejam isso?

 Sim, as equipes da Semscs junto com a Guarda Municipal de Maceió irão atuar da mesma forma que aos domingos, fazendo as fiscalizações de ambulantes e permissionários da região para coibir possíveis irregularidades que possam ser cometidas, como a venda de bebidas alcoólicas por crianças e adolescentes.

 3) Sobre as denúncias que vocês recebem, quais são as mais registradas em Maceió? 

 As principais denúncias recebidas durante o ano de 2021 foram referentes a construções irregulares, sendo 111 no total, e ocupação irregular de espaço público, com o nosso setor de Ouvidoria tendo recebido 106 chamados da população.

 4) Após a denúncia, como a Semscs age?

As denúncias passam por uma triagem para definir qual a área responsável, na sequência elas são encaminhadas para o setor. Depois é feita uma inspeção pelas equipes de fiscalização, que vão analisar a situação, e, constatando a irregularidade, emitem uma notificação para que os responsáveis regularizem o problema detectado. Caso o prazo estabelecido seja descumprido, seguimos para a etapa de aplicação das sanções administrativas, que podem ser apreensões ou a demolição de uma eventual estrutura irregular.

  5) Quando houve o reordenamento no Centro de Maceió, os ambulantes não reagiram bem. Como está essa situação agora?

 Na verdade, na ocasião do reordenamento dos ambulantes do Centro de Maceió, quando fizemos o alinhamento dos comerciantes ao longo do calçadão do comércio, desobstruindo a entrada de lojas e facilitamos o fluxo para que pedestres pudessem transitar melhor pelo calçadão. Isso foi bem aceito por todos os ambulantes e desde então o alinhamento está sendo mantido, até que a gente viabilize, no próprio Centro, uma área que possa comportar esses comerciantes.

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados