BPA flagra extração ilegal de carvão vegetal em unidade de conservação ambiental no interior de AL

Redação|
 Extração ilegal de carvão vegetal na APA da Marituba
Extração ilegal de carvão vegetal na APA da Marituba / Foto: Divulgação / BPA

O Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) flagrou um extração ilegal de carvão vegetal, nesta sexta-feira (24), na APA Marítima do Peixe, que abrange os municípios de Feliz Deserto, Piaçabuçu e Penedo, no interior alagoano.

Segundo o comandante da guarnição acionada para apurar o caso, após denúncias, o 3° sargento André  Ramos, nenhum responsável foi localizado e ninguém foi preso.

Ainda segundo a autoridade militar, a área seguirá sendo monitorada e o intuito é identificar os responsáveis pelo crime ambiental.

A prática é considerada criminosa, conforme o artigo 46 da Lei de Crimes Ambientais.

De acordo com o BPA, possivelmente dois crimes ambientais foram praticados: o Desmatamento e a Produção Ilegal de Carvão Vegetal. Vale ressaltar que a produção ilegal de carvão vegetal gera desmatamento.

No local, os militares perceberam que a caieira, na qual foi produzido o carvão, tinha sido retirada recentemente.

A APA Marítuba do Peixe tem uma área de 18.600 hectares. Foi criada pelo Decreto n° 32858/1988 com o objetivo de preservar as características ambientais naturais, garantindo a produtividade pesqueira e a diversidade da fauna e da flora, além do equilíbrio ambiental da região. 

O Plano de Manejo desta APA constitui o primeiro plano de manejo de unidade de conservação no Estado de Alagoas, apreciado e aprovado em 26 de janeiro de 2006, pelo CEPRAM – Conselho Estadual de Proteção ao Meio Ambiente.

 


 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados