Internet
Governador Renan Filho

Em coletiva de imprensa realizada no início da noite desta terça-feira, dia 11, o governador Renan Filho renovou o decreto que trata do Plano de Distanciamento Social Controlado. Embora o estado siga na fase vermelha, porque o número de mortes semanais ainda é alto, algumas flexibilizações foram adotadas, entre as principais, a abertura de museus, cinemas, teatros, circos e parques temáticos, funcionando com 30% da capacidade, a partir da próxima sexta-feira (14). 

O funcionamento de restaurantes e bares também será permitido até 21h, durante a semana e nos finais de semana, assim como shoppings e lojas de rua em geral, já a partir de 0h desta quarta-feira, 12. 

O “toque de recolher”, em vigor desde o dia 31 de março, para que as pessoas não circulassem nas ruas depois das 21h, foi ampliado para as 22h.

Segundo Renan Filho, eventos sociais e esportivos seguem proibidos para evitar aglomerações. “Eventos como uma festa de réveillon na Barra de São Miguel e em Maceió foram mídia nacional”, lembrou o gestor, destacando que é preciso ter bom senso para garantir o funcionamento da economia e garantir também o arrefecimento da doença no estado e preservar o maior número de vidas.

Volta às aulas

O governador disse que as aulas na rede pública estadual de ensino educação pública só irão retornar com a vacinação dos profissionais da educação. “Esperamos que essa imunização aconteça até junho para, a partir daí, retomarmos as aulas com segurança para os profissionais e protocolos rígidos para os alunos”, destacou.

Entre os demais informes, o governador disse que a nova remessa de doses da Pfizer será suficiente para vacinar todas as gestantes e puérperas a partir dos 18 anos.

Ele comentou ainda sobre a redução de alagoanos hospitalizados, “o que significa que nas próximas semanas teremos a redução da mortalidade e assim possamos promover o pleno funcionamento da nossa economia”.

“O estado de Alagoas é um dos estados que mais vacina, e ao mesmo tempo nós temos o menor número absoluto de mortes do Nordeste e um dos menores do país. Temos o maior número de hospitais públicos, e isso, somado, com certeza proporcionou uma segunda onda da Covid menor que a primeira”, completou.

Renan Filho reforçou que, “quem se vacina não está morrendo”, por isso é muito importante que voltemos, o mais rápido possível à imunização de pessoas que não estão em grupos prioritários.

Indicadores

Antes do anúncio das mudanças, o secretário de Planejamento, Gestão e Desenvolvimento, Fabrício Marques apresentou os dados dos indicadores dos últimos 15 dias (confira na galeria abaixo), que determinam a tomada de decisões. A taxa de ocupação de leitos com respiradores apresenta queda há algumas semanas, destacou.

Na dimensão evolução de óbitos, Alagoas chegou a ter na segunda onda 178 mortes em uma semana e há uma tendência de queda, sendo registrado, no último sábado, 123 óbitos.  Na capital foram 88 óbitos e chegamos a 55, média de 8 óbitos por dia. No interior foram 90 óbitos e na semana passada fechou em 68 óbitos.

O secretário de estado da Saúde, Alexandre Ayres pontuou que o trabalho é baseado em análises técnicas e observaram as possibilidades para propor os novos avanços em Alagoas e flexibilizar as medidas. “A população deve continuar colaborando e evitando aglomerações”, ressaltou Ayres, frisando que Alagoas, em nenhum momento colapsou a rede hospitalar.

Boletim epidemiológico

Nesta segunda-feira, 11, Alagoas registrou 566 novos casos e 16 mortes por Covid-19, de acordo com o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). 

O estado tem um total de 180.975 casos confirmados do novo coronavírus, dos quais 2.974 estão em isolamento domiciliar. Outros 172.912 pacientes já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e, portanto, estão recuperados da doença. Há 12.475 casos em investigação laboratorial e, no total, Alagoas tem 4.413 óbitos por Covid-19.