Assessoria
Vereador Leonardo Dias

Após formalizar denúncia contra uma ameaça sofrida através das redes sociais no sábado passado (1), o vereador Leonardo Dias também notificou oficialmente, por escrito, o caso à Câmara Municipal de Maceió. O edil aproveitou seu tempo de pronunciamento para, novamente, repudiar os atos antidemocráticos sofrido através de suas redes sociais, bem como frisar sua trajetória política baseada no diálogo.

"No último sábado, milhões de brasileiros espalhados por mais de mil cidades foram às ruas para realizar uma manifestação em defesa do presidente Bolsonaro. E quando olhei minhas redes sociais, me deparei com comentários de uma pessoa que ameaçou esfaquear a mim e o Presidente, que viria para Maceió nesta semana. Como a gente vive num país polarizado, pode ter sido uma bravata ou uma ameaça real, já que não seria a primeira vez, pois como sabemos o presidente foi esfaqueado em 2018. Prontamente eu fui Polícia Federal para realizar as denúncias em meu nome e também em nome do presidente. Agora está nas mãos das autoridades saber de onde partiram essas postagens. Também tomei a providência de notificar a casa, para que fique registrado. Não sabemos o teor da ameaça, se existe ou não a intenção. Isso será apurado pela polícia. Durante meus sete anos de história, todos sabem de meus posicionamentos. Eu defendo muito o que acredito, mas sempre me pautei de que divergências ideológicas devem servir para o debate, não para a violência", comentou Dias.

Os vereadores Luciano Marinho, Chico Filho e o presidente da CMM, Galba Netto, se pronunciaram em solidariedade a Leonardo Dias. Os edis repudiaram as ameaças e destacaram a importância do debate para o fortalecimento da democracia.

"Gostaria de me solidarizar com vossa excelência. Eu acompanhei estas ameaças que o senhor recebeu pelas redes sociais. Eu passei pela orla no dia quando vi grande movimentação, tinha muita gente e precisamos respeitar a livre manifestação de pensamento, seja de que lado for. Quem ameaçou vossa excelência fez com grande covardia e não podemos admitir", frisou Luciano Marinho.

"Gostaria de ser solidário à vossa excelência. Jamais irei comungar de posições como essa. O uso da violência na democracia jamais deveria ser utilizado. Temos que discutir com palavras e argumentos e esse é o verdadeiro sentido da democracia. A força que devemos usar é a das palavras. Não concordo com esse tipo de situação e repudio veementemente. Vossa excelência defende seus ideias com palavras e argumentos. Nunca irei concordar com o uso da força para contestar seus argumentos. Espero que esse tipo de comportamento seja expurgado de nossa sociedade", complementou Chico Filho.

"Vossa excelência tem apoio integral deste Poder. Toda vigilância da Casa está informada, já acionamos o Conselho Estadual de Segurança e a Secretaria de Segurança Pública. Jamais admitiremos isso. Iremos até às últimas consequências para preservar a integridade de vossa excelência e jamais iremos admitir que um representante legalmente eleito seja tolhido de alguma forma", finalizou o presidente da CMM, Galba Netto.